Tesouro Direto tem a maior emissão líquida de títulos da série histórica em outubro

Em outubro de 2021, o total de investidores ativos no Tesouro Direto, isto é, aqueles que atualmente estão com saldo em aplicações no programa, atingiu a marca de 1.707.290 pessoas. No mês passado, 39.145 investidores tornaram-se ativos, um crescimento de 2,35% em relação ao mês anterior.

O crescimento no número de investidores cadastrados no programa atingiu o valor de R$ 1.065.648, ou 8,13% a mais na comparação com setembro, atingindo a marca de 14.166.122 pessoas.

Operações de investimento

No mês de outubro de 2021, foram realizadas 523.084 operações de investimento em títulos do Tesouro Direto, no valor total de R$ 3,51 bilhões. Durante esse mês, os resgates foram de R$ 1,59 bilhão, sendo a totalidade de R$ 1,59 bilhão em recompras (resgates antecipados). Dessa forma, houve emissão líquida de R$ 1,92 bilhão, maior valor da série histórica em outubro. Foi o sétimo mês seguido de emissão líquida.

As aplicações de até R$ 1 mil representaram 62,25% das operações de investimento no mês. O valor médio por operação foi o de R$ 6.702,60.

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) que totalizaram R$ 1,64 bilhão, representando 46,70% das vendas.

Os títulos indexados à taxa Selic (Tesouro Selic) somaram, em vendas, R$ 1,33 bilhão, e corresponderam a 37,82% do total, enquanto os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) totalizaram R$ 542,89 milhões em vendas, ou 15,48% do total.

Nas recompras (resgates antecipados), predominaram os títulos indexados à taxa Selic, que somaram R$ 825,14 milhões (51,90%). Os títulos remunerados por índices de preços (Tesouro IPCA+, Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais e Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais) totalizaram R$ 459,82 milhões (28,92%), os prefixados, R$ 305,04 milhões (19,18%).

Quanto ao prazo, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 1 e 5 anos, que alcançaram 61,34% do total. As aplicações em títulos com vencimento entre 5 e 10 anos representaram 25,38%, enquanto os títulos com vencimento acima de 10 anos corresponderam a 13,28% do total.

Estoque

Em outubro de 2021, o estoque do programa fechou em R$ 74,52 bilhões, um crescimento de 3,83% em relação ao mês anterior (R$ 71,77 bilhões).

Os títulos remunerados por índices de preços se mantêm como os mais representativos do estoque somando R$ 41,44 bilhões, ou 55,61% do total. Na sequência, vêm os títulos indexados à taxa Selic, totalizando R$ 18,98 bilhões (25,47%), e os títulos prefixados, que somaram R$ 14,10 bilhões, com 18,93% do total.

Quanto ao perfil de vencimento dos títulos em estoque, a parcela com vencimento em até 1 ano fechou o mês em R$ 808,71 milhões, ou 1,09% do total. A parcela do estoque vincendo de 1 a 5 anos foi de R$ 48,49 bilhões (65,07%) e o percentual acima de 5 anos somou R$ 25,22 bilhões (33,84%).

Com informações do Ministério da Economia

Texto original

Deixe um comentário