Paulinho Faria, ex-apresentador do Boi Garantido, morre vítima da Covid-19

Paulinho Faria, ícone do Boi-Bumbá no Amazonas, morre vítima da Covid. — Foto: Reprodução/Redes Sociais

O ex-apresentador do Boi Bumbá Garantido, Paulinho Faria, de 61 anos, morreu vítima da Covid-19, na tarde desta segunda-feira (22). A informação foi confirmada pela família do artista. Ele estava internado em um hospital particular de Manaus.

O artista parintinense tinha sido transferido da cidade natal para continuar o tratamento contra a Covid-19 em Manaus no início desse mês de fevereiro.

Ao G1, foi informado que o corpo do ex-apresentador será sepultado em Parintins, a 369 Km de Manaus. O velório será realizado na Cidade Garantido, o horário ainda não foi confirmado pela família.

Paulinho Faria acumulou 24 vitórias no Festival Folclórico de Parintins durante 26 anos como apresentador do Garantido. Em entrevista ao Paneiro, da Rede Amazônica, em 2016, o artista comentou que foi forçado a se afastar do posto em 2001 por causa de um problema auditivo.

O prefeito de Parintins, Frank Bi Garcia, publicou uma nota de pesar em redes sociais sobre a morte do ex-apresentador.

“Filho de Dona Maria Angela, eternizada na história como madrinha do boi vermelho e branco, Paulinho Faria marcou gerações como apresentador na Baixa do São José. Conhecido pelos improvisos e uma narrativa riquíssima, mudou a forma de se apresentar o Festival. Nossa cidade perde um ícone do seu maior patrimônio, a cultura“, comentou o prefeito.

Também em redes sociais, o Boi Bumbá Garantido publicou uma mensagem por conta do falecimento do ex-apresentador. Leia na íntegra:

“Impossível não chorar com a sua perda, o Amazonas precisa te reconhecer como uma das pessoas mais importantes para o crescimento da cultura parintinense no nosso estado. Você me apresentou durante 26 anos, você era praticamente imbatível, foi o melhor apresentador da história do festival, em todos esses anos perdeu apenas uma única vez e honradamente foi para outra lenda, Arlindo Jr.

A importância de Paulinho Faria na construção do festival em seu início é algo ímpar, o carinho e o carisma com a sua galera também. O amor por mim, seu brinquedo, seu boi de pano, estará sempre guardado em meu coração.

Gostaria de relembrar a sua despedida como apresentador, em 2001, onde as duas nações em uma única voz pela primeira vez se uniram em coro por aquilo que era a sua grande marca, a contagem de abertura do meu espetáculo”.

Pandemia no Amazonas

O último boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) divulgado nesta segunda-feira (22) apontou que mais de 10,5 mil pessoas morreram no Amazonas, vítimas da Covid-19. Ao todo, o Estado possui mais de 307 mil casos confirmados.

Nesta segunda-feira (22), o comércio voltou a funcionar após o decreto do Governo do Amazonas. Mesmo diante do cenário da pandemia, o Centro de Manaus registrou cenas de aglomerações no primeiro dia de abertura das atividades não-essenciais.

Apesar da reabertura, o estado e a capital seguem marcando índices assustadores de casos e mortes por Covid-19. Manaus é, até o momento, a cidade mais afetada. Dos 306.003 casos confirmados no estado, 141.674 são de Manaus (46,30%), cidade em que já morreram 7.407 pessoas.

VÍDEOS: mais assistidos do G1 AM nos últimos 7 dias

Deixe um comentário