Defensoria Pública pede que AM suspenda vacinação contra Covid de profissionais de segurança

Policiais militares, civis, bombeiros e agentes do Detran devem ser vacinados no Amazonas a partir deste domingo (28). — Foto: Ive Rylo/ G1 AM/Arquivo

A Defensoria Pública da União (DPU) entrou com uma ação na Justiça, nessa sexta-feira (26), para pedir a suspensão da vacinação contra Covid para profissionais de segurança do Amazonas. O governo anunciou que a imunização desses trabalhadores deve começar neste domingo (28).

Conforme a Defensoria, a ação busca garantir o seguimento da imunização de pessoas com comorbidades (doenças preexistentes), em obediência à ordem de prioridade estabelecida no Plano Nacional de Imunização (PNI).

Em Manaus, a vacinação de pessoas com comorbidades, de 55 a 59 anos, deve começar nesta segunda-feira (29).

O pedido da Defensoria foi direcionado ao juízo da 1ª Vara Federal da Seção Judiciária do Amazonas. A Rede Amazônica entrou em contato com o Governo do Amazonas sobre a situação, e aguarda resposta.

A Prefeitura de Manaus, por meio da Procuradoria-Geral do Município (PGM), também havia enviado pedido à Justiça Federal para suspensão da vacinação contra Covid para profissionais de segurança, seguindo o entendimento da DPU para que seja priorizada a imunização de pessoas com comorbidades.

“O Município de Manaus foi tomado de tanta surpresa quanto a autora pelo anúncio feito pelo Governo Estadual, cuja notícia na imprensa local partiu de iniciativa exclusiva do Estado do Amazonas, sem que houvesse sido feito qualquer tipo comunicado prévio à administração municipal, a qual, diga-se de passagem, é a responsável pela execução regular do plano de vacinação”, diz trecho do pedido da Prefeitura.

O governo anunciou, em suas redes sociais oficiais, que a imunização dos profissionais de segurança acontecerá, a partir deste domingo (28), no Sambódromo, no sistema drive-thru.

Entretanto, a Procuradoria-Geral do Município afirmou que o local estará ocupado pelas equipes da rede municipal, para dar continuidade à execução do plano regular de vacinação, para dar início à terceira fase do programa, destinada à vacinação de pessoas com comorbidades, “não se sabendo, ainda, como isso deverá ser operacionalizado na prática”.

Prefeitura volta atrás

Na tarde deste sábado (27), a Prefeitura de Manaus voltou atrás e informou que protocolou um pedido de desentranhamento de petição da Procuradoria Geral do Município (PGM), ou seja, retirada da manifestação citada acima junto ao processo da Defensoria.

O órgão disse, ainda, que oficiou aos comandos de órgãos de segurança para o “levantamento dos agentes de segurança pública que estivessem no efetivo exercício de suas atividades, destacando a sua importância, para eventual autorização oficial da imunização desses agentes”.

O Município aguarda para o caso em questão as definições do PNI, dos órgãos de controle e do Poder Judiciário, dando sequência à ordem estabelecida no Plano Nacional.

Veja vídeos mais assistidos do G1 Amazonas nos últimos 7 dias

Deixe um comentário