Polícia Militar detém três infratores na zona norte, entre eles um foragido por tráfico de drogas

A Polícia Militar do Amazonas, por meio da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), por volta de 02h37 desta sexta-feira (23/2), deteve Luan Felipe Silva de Araújo, 23 anos, Luan David Vital Barreto, 22 anos e Edilson Silva Fernandes, 24 anos, por tráfico de entorpecentes no bairro Monte das Oliveiras. De acordo com informações, durante patrulhamento [...]



(RSS generated with FetchRss)

PPGBIO-INTERAÇÃO convoca para matrícula institucional

Candidatos aprovados no processo seletivo, para ingresso no Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biologia da lnteração Patógeno Hospedeiro – (PPGBIO-INTERAÇÃO) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) devem realizar a matrícula institucional durante os dias 27 e 28 de feveireiro.

Os convocados devem comparecer munidos dos documentos necessários, conforme descritos na Chamada Pública de Seleçâo – n 002l2017, de 8h às 12h e de 13h às 16h, na Secretaria Acadêmica (SECA), da Fiocruz Amazônia, situada à Rua Teresina, 476 – bairro Adrianópolis, Manaus – AM.

As aulas terão início no dia 6 de março de 2018, às 9h, no Salão Canoas da Instituição

SOBRE O PPGBIO-INTERAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação) tem como essência a dinâmica de transmissão das doenças e as interações moleculares e celulares da relação patógeno-hospedeiro, no âmbito da maior biodiversidade mundial.

O PPGBIO-Interação se enquadra na grande área em Parasitologia devido a pesquisa e ensino terem ênfase na ecoepidemiologia e biodiversidade de micro-organismos e vetores; fatores de virulência, mecanismos fisiopatológicos e imunológicos associados na interação parasito-hospedeiro.

Para mais informações, consulte a chamada pública por meio da Plataforma Siga. Para esclarecimento de dúvidas, o candidato poderá ligar (092) 3621-2302 ou encaminhar e-mail para seca.ilmd@fiocruz.br

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Agência Internacional de Energia Atômica prospecta parceria científica no Inpa

Aproximação com a AIEA será uma oportunidade para desenvolver novas pesquisas, com técnicas avançadas e com alta aplicabilidade em áreas de atuação do Inpa

 

Por Cimone Barros (texto e fotos) – Ascom Inpa

 

Estudos desenvolvidos no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/ MCTIC) de como os organismos se adaptam aos ambientes e às mudanças climáticas despertaram a atenção da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que prospecta na instituição futuras parcerias. Organização autônoma com relações diretas com a Organização das Nações Unidas (ONU), a Agência tem interesse na aplicação do uso da energia nuclear em áreas temáticas como biologia, agricultura e saúde.

 

Dois diretores da AIEA, o Dr. Luis Carlos Longoria e o Dr. David Osborne, visitaram o Inpa na manhã desta quarta-feira (21), além de três oficiais da Marinha, o Contra-Almirante e Secretário de Coordenação de Sistemas do Gabinete de Segurança Institucional, Noriaki Wada; o Capitão de Fragata João Antônio de Barros Neto e um representante do 9º Distrito Naval. A comitiva foi recebida pelo chefe de Gabinete do Inpa Sergio Fonseca Guimarães e coordenadores da instituição. O Diretor o Inpa, Luiz Renato de França, está afastado por problemas de saúde.

 

“Vejo essa visita como oportunidade de aproximação com a Agência de Energia Atômica que por incrível que pareça não cuida só da parte nuclear, mas também da parte de meio ambiente, climática. Existem muitas possibilidades. É por isso que o Dr. Aldo Malavasi, que é um brasileiro e um dos diretores do mais alto nível nessa agência, vislumbrou possibilidades de parcerias”, disse Noriaki.

 

 

Diretores AIEA Foto Cimone Barros INPA

 

David Osborne é diretor do Nuclear Applications Environmental Laboratories e está no Brasil a convite da Marinha do Brasil para visitar três laboratórios da rede no país. No Brasil, a AIEA recebe os projetos encaminhados pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) para colaboração básica (investigação), regional (exemplo Panamazônia) e de regiões mundiais (África, Ásia, Pacífico).

 

Conforme o coordenador de Pesquisas do Inpa, Paulo Maurício Alencastro, o Instituto não tem tradição no uso de energia nuclear em suas pesquisas e a aproximação com a AIEA será uma oportunidade para desenvolver novas pesquisas, com técnicas avançadas e com alta aplicabilidade em áreas da saúde, alimentos e ambiental, por exemplo, interligada ao ciclo de carbono.

 

“Uma parceria com Agência pode estimular novas áreas de conhecimentos, estudos que possam ser gerados no Inpa utilizando técnicas de energia nuclear, como o uso de traçadores com radioisótopos em processos ecológicos ou em processos fisiológicos de organismos”, contou Alencastro.

 

 

Dr. Adalberto Val Foto Cimone Barros INPA

 

Além de uma apresentação sobre a atuação do Inpa, fez parte da visita conhecer a estrutura e pesquisas desenvolvidas no Laboratório de Ecofisiologia Evolução Molecular (LEEM), onde também funciona o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Adaptações da Biota Aquática na Amazônia (INCT Adapta /MCTIC/Inpa), coordenado pelo pesquisador Adalberto Val.

 

De acordo com Val, há muitos anos o LEEM usa isótopos radioativos de elementos básicos, como sódio, potássio e cálcio, para entender como os peixes da Amazônia interagem com os ambientes em que eles vivem. “Esses elementos radioativos permitem que a gente trace o comportamento deles na água e no peixe e de que forma eles interagem. Portanto, é uma ferramenta de altíssimo nível, ainda que muito cara, para entender essa interação dos peixes com os seus ambientes”, explicou.

 

 

LEEM Sequenciador de última geração1 Foto Cimone Barros 7

 

Os elementos radioativos são chamados de traçadores biológicos e ajudam a contar a história dos organismos com seus ambientes. Conforme Val, em momentos em que se vive um período de mudanças climáticas intensas ter essas ferramentas mais sofisticadas é vital para entender melhor como os organismos se adaptam aos ambientes e às mudanças que estão ocorrendo.

 

“Eles ficaram impressionados com o nosso laboratório. De fato, nosso laboratório é o que chamamos de estado da arte, comparado com os melhores do mundo na área em que estamos estudando”, contou. “Eles propuseram que desenvolvamos algum trabalho em conjunto. Agora vou esperar o contato deles e se não houver eu mesmo vou contatá-los, pois estamos vivendo um momento em que a ciência se faz por meio de colaboração”, completou.

 

Adapta 

 

Uma das perguntas que atualmente o Adapta procura responder é: o que tem espécies diferentes de peixes, crustáceos, plantas, fungos, microorganismos e insetos em comum enfrentando o mesmo desafio ambiental? Segundo Val, se os cientistas conseguem entender qual é o princípio que unifica as respostas dos organismos a um dado desafio ambiental, isso contribuirá com o entendimento em outros grupos de organismos incluindo o homem.

 

LEEM Foto Cimone Barros ASCOM INPA 60

 

Outra frente que pesquisadores se debruçam é: o que tem um único organismo de uma espécie em comum quando ela enfrente diferentes desafios ambientais? Ela ativa o mesmo tipo de mecanismo ou ela usa mecanismos diferentes para os diferentes desafios ambientais?

 

“Pode parecer uma pergunta muito simples, mas o que a gente aprendeu ao longo desses anos, estudando o tambaqui e outros organismos, é que não se pode generalizar as respostas, considerando a diversidade biológica que temos na Amazônia. Por trás dessa diversidade há um amplo leque de respostas adaptativas aos diferentes desafios ambientais. Portanto, ao longo do tempo vamos aprendendo como os organismos respondem aos desafios ambientais naturais e aqueles impostos pelo homem. Vamos respondendo perguntas, vamos fazendo ciência e socializando a informação para a inclusão social”, explicou.

 

LEEM Microcosmos Foto Cimone Barros ASCOM INPA 238

 

 

Inimigos dos livros: cartilha mostra como evitar, detectar e combater insetos

Fonte de conhecimento e porta de entrada para um vasto universo de histórias e fantasias, os livros não são apenas procurados por quem deseja se alimentar de saberes, mas, também, são os alvos preferidos de algumas espécies de insetos que devoram suas páginas. A partir de agora, os principais espécimes que provocam danos às bibliotecas e seus acervos históricos estão reunidos em um só lugar. Criada por pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), a cartilha Insetos Bibliófagos – Identificação, prevenção e controle apresenta, com o uso de imagens e de uma linguagem clara, as características básicas e os hábitos de traças, baratas, cupins, dentre outros insetos, e explica as formas mais eficazes para evitar, detectar e combater essas pragas. De autoria dos biólogos Jane Costa e Márcio Felix, do Laboratório de Biodiversidade Entomológica do IOC, o guia está disponível para download gratuito (clique aqui).

Os insetos bibliófagos compõem um grupo diverso que inclui traças, baratas, cupins, besouros e piolhos-de-livro. Alguns consomem e vivem no papel, outros preferem materiais aplicados ao papel, como cola, goma e gelatina. As traças-dos-livros ou traças-de-papel estão entre os principais causadores de danos aos livros e bibliotecas no Brasil. Pragas comuns em climas úmidos, elas possuem hábitos noturnos e podem ser reconhecidas por deixar superfícies ásperas, corroídas e buracos irregulares no papel.

Os cupins, por sua vez, são altamente destrutivos em relação a madeiras estruturais, devido à facilidade com que se espalham em grande quantidade para mobiliários, prateleiras, arquivos e livros. Eles deixam rastros nas formas de buracos profundos, galerias de trajetos irregulares e rasuras. As fezes são geralmente numerosas e em aspecto de diminutos grãos claros.

Geralmente relacionadas a ambientes sujos como esgotos e sarjetas, as baratas também possuem função importante na deterioração de acervos. A cartilha destaca três espécies que apresentam diferentes perfis em relação à temperatura, umidade e tipo de alimentação. No que diz respeito aos danos, elas podem causar desgaste com formato irregular e manchas por conta das fezes escuras.

PREVENÇÃO E CONTROLE

Uma das formas mais eficientes para prevenir os danos causados por insetos bibliófagos é o estabelecimento de um programa de Controle Integrado de Pragas (CIP), que envolve, entre outras ações, a busca regular por sinais de pragas, o uso de armadilhas e o armazenamento dos livros em ambiente limpo e seco. “Essa cartilha tem um enfoque objetivo e pode ser aplicada às questões da preservação dos acervos bibliográficos. É dedicada a todos os profissionais responsáveis por acervos das mais diversas áreas do conhecimento, da saúde à economia, da história da humanidade à ecologia. O material oferece todo um auxílio no passo-a-passo para o monitoramento e controle desses insetos”, esclarece Jane Costa.

Por: Lucas Rocha (IOC/Fiocruz)*
*Edição: Vinicius Ferreira
Fonte: Portal Fiocruz

Acasalamento de Aedes leva à contaminação por vírus zika

Cópula perigosa: o acasalamento de mosquitos Aedes aegypti, contaminados pelo vírus zika, levou à infecção de seus parceiros ou parceiras que até então não estavam contaminados. Essa foi a conclusão de um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazonia), publicada na última edição da revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz.

O estudo, conduzido em laboratório, procurou demonstrar a transmissão venérea do vírus zika em mosquitos Aedes. Segundo os autores, não se pode afirmar ainda que isso ocorra também na natureza. Foram realizados dois experimentos.

No primeiro, mosquitos machos virgens da estirpe AaM3V foram inoculados com vírius zika e, quatro dias após a injeção, foram transferidos para uma gaiola contendo fêmeas virgens da mesma estirpe e deixados para copular por cinco dias.

Já no segundo, mosquitos fêmeas virgens dessa mesma estirpe foram infectados oralmente com uma suspensão de zika e, nove dias após contaminação, foram colocadas em gaiolas para copular com machos virgens. Após a cópula, todos os mosquitos foram avaliados.

A taxa média de infecção nas duas experiências foi de 45% e 35%, respectivamente.

Portal de Periódicos da Fiocruz
Fonte: AFN

Arsam e Ageman avançam nas tratativas do distrato de convênio de fiscalização dos serviços de água e…

Um grupo de trabalho formado pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Amazonas (Arsam) realizou, nesta quarta-feira (21/02), na sede da agência, a segunda reunião de acompanhamento do distrato do convênio delegado pela Prefeitura de Manaus para as atividades de regulação, controle e fiscalização dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário na [...]



(RSS generated with FetchRss)

Polícia Civil prende dupla e apreende adolescente envolvidos em roubo a uma loja de cosméticos na…

O delegado Ricardo Cunha, titular do 4º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e representante da Polícia Civil do Amazonas, falou durante coletiva de imprensa, na manhã desta quarta-feira (21/2), sobre as prisões, em flagrante, de Gisele Pinto Bezerra, 38, e Janice do Socorro Vieira Caxeixa, 29, e apreensão de um adolescente de 17 anos, envolvidos [...]



(RSS generated with FetchRss)

Dinheiro, armas e drogas são apreendidos durante operação nas zonas norte e leste

Duas pessoas suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas no Conjunto Viver Melhor, no bairro Santa Etelvina, zona norte, e no Nova Floresta, na zona leste, foram presas no fim da manhã desta quarta-feira (21/02) por policiais da Secretaria Executiva-Adjunta de Operações (Seaop). Duas armas, munições, celulares, porções de drogas e dinheiro foram apreendidos [...]



(RSS generated with FetchRss)

Polícia Militar, por meio da cavalaria, realiza abertura das ações sociais de equoterapia deste ano

​​ A Polícia Militar do Amazonas, por meio do Regimento de Policiamento Montado (RPMon) “Coronel Bentes”, a Cavalaria, realizou, na manhã desta terça-feira (20/2), a abertura prática das ações sociais deste ano do Núcleo de Equoterapia, desenvolvido pela unidade de polícia especializada. A Equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro [...]



(RSS generated with FetchRss)

Fundação Adriano Jorge forma 22 especialistas em cinco programas de Residência Médica

O Governo do Estado do Amazonas realiza, nesta quinta-feira (22/02), a formatura de mais 22 especialistas, titulados em Cirurgia Geral, Clínica Médica, Ortopedia e Traumatologia, Anestesiologia e Otorrinolaringologia. Os novos especialistas concluíram a Residência Médica na Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam). A Solenidade de Formatura será às [...]



(RSS generated with FetchRss)

Todas as notícias em um só lugar