Programa libera R$ 8,5 milhões para apoiar cinemas ameaçados pelos efeitos econômicos da Covid-19

Ir ao cinema assistir uma comédia ou um filme de ação é uma opção de lazer que agrada brasileiros por todo o País. Mas com a Covid-19, os cinemas ficaram fechados e sem público. Diante do risco de não resistirem e fecharem as portas de vez, foram liberados R$ 8,5 milhões em recursos federais por meio do Programa Especial de Apoio ao Pequeno Exibidor.

O objetivo é preservar empregos e atender às pequenas empresas locais atingidas pelos efeitos econômicos do coronavírus. O programa já beneficiou 577 salas de cinema nas cinco regiões do país. A iniciativa é operada pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), autarquia vinculada ao Ministério do Turismo.

A estimativa é que com o dinheiro liberado 8 mil empregos foram preservados e as salas de cinema poderão continuar com suas atividade.

O secretário Especial da Cultura, Mário Frias, afirmou que a iniciativa mostra o apoio o Governo Federal na preservação do setor audiovisual e da economia criativa brasileira.

“Agimos rápido para atender essas pequenas empresas para que não fechassem seus negócios e pudessem manter os empregos de seus funcionários. Os recursos do programa serão fundamentais para que os cinemas voltem a levar entretenimento e cultura às pessoas quando for a hora de reabrir com segurança”, disse.

As atividades artísticas, criativas e de espetáculos estão incluídas em portaria publicada no Diário Oficial da União no dia 15 de setembro que lista os setores da economia mais impactados após a decretação da calamidade pública decorrente da Covid-19.

Pagamento de contas e pessoal

Os recursos do Programa Especial de Apoio ao Pequeno Exibidor podem ser usados para pagar funcionários, serviços terceirizados, aluguel de equipamentos, de imóvel, contas de luz, água e de telecomunicações, além de serviços gerais. O programa é destinado a empresas brasileiras que pertençam a grupos de exibidores com até 30 salas de cinema.

Seleção

Os beneficiados participaram de uma chamada pública direcionada a empresas registradas na Ancine que funcionaram, integral ou parcialmente, durante o período de 1º de janeiro de 2019 a 29 de fevereiro de 2020.

O recurso, não reembolsável, vem do Fundo Setorial do Audiovisual e foi destinado a 123 complexos na Região Sudeste, 65 na Região Sul, 39 na Região Nordeste, 18 na Região Centro-Oeste, e 15 na Região Norte.

 

Texto original

Deixe um comentário