MEC institucionaliza programa de eficiência energética

Um projeto para impulsionar no país o desenvolvimento de energias renováveis e eficiência energética e ampliar a oferta de profissionais qualificados na área na rede federal de ensino. Esse é o objetivo do EnergIF, o Programa para Desenvolvimento em Energias Renováveis e Eficiência Energética na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, instituído por meio de portaria publicada nesta quinta-feira (12) no Diário Oficial da União (DOU).

“Em uma rede que hoje tem dispêndios, por exemplo, com energia elétrica, de mais de R$ 100 milhões, ter um grupo de profissionais, docentes envolvidos no estudo dessas fontes alternativas, é fundamental para que a utilização do recurso público ocorra cada vez mais de maneira mais eficiente, mantendo de forma sustentável o que já havia sendo feito e ganhando em escala a economia que é necessária para que outras ações possam ser desenvolvidas”, destaca o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Wandemberg Venceslau.

Diretrizes do programa

Entre as diretrizes do programa, segundo a portaria, estão:

– Impulsionar a ampliação de infraestrutura para laboratórios e aquisição de usinas para geração de energia renovável, buscando maior eficiência no uso da energia;
– Incentivar a formação profissional tecnológica em energias renováveis e eficiência energética, para ampliar a geração de empregos;
– Estimular pesquisa, desenvolvimento, inovação e empreendedorismo em energias renováveis e eficiência energética, com o objetivo de reduzir a pressão sobre recursos naturais;
– Estimular, avaliar e difundir a implementação de iniciativas de eficiência energética, para assegurar maior eficiência do gasto público e do uso dos recursos naturais; e
– Promover parcerias e disseminar informações sobre iniciativas em energias renováveis e eficiência energética.

Áreas abrangidas

Também como determina a portaria, o EnergIF abrange as áreas de energia eólica; energia solar fotovoltaica; eficiência energética na indústria; biogás e biometano; biocombustíveis; e hidrogênio renovável e mobilidade elétrica.

O programa é voltado às instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, mas permite parceria com demais instituições de ensino públicas e privadas.

Ações já desenvolvidas pelo EnergIF

Segundo o Ministério da Educação, o EnergIF já estava em desenvolvimento desde 2017. Já vem, inclusive, apresentando resultados positivos na rede federal, como, por exemplo, a capacitação de 437 docentes na temática de energia renovável e eficiência energética. Atualmente, mais de 300 profissionais estão envolvidos com o projeto.

“A partir deste momento, com a publicação no Diário Oficial da Portaria nº 941, o programa passa a ser visto como algo prioritário na gestão atual do Ministério da Educação”, acrescenta o secretário de Educação Profissional e Tecnológica.

Texto original

Deixe um comentário