Governo Federal entrega sistemas de dessalinização para áreas rurais no Rio Grande do Norte

Cinco poços, no município de Ipanguaçu, no Rio Grande do Norte, vão garantir a oferta de água a centenas de famílias, para a agricultura e também para a criação de animais em comunidades rurais. A perfuração de um deles, na Comunidade Angélica, ocorreu nesta sexta-feira (21), com a visita do Presidente Jair Bolsonaro, ministros e demais autoridades.

Os poços de Ipanguaçu fazem parte de um total de 138 unidades contratadas para o Rio Grande do Norte, entre 2019 e 2020, com um investimento de R$ 5,3 milhões. O recurso vem de emendas da bancada do estado no Congresso Nacional. A iniciativa é executada pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

Com os poços e o encanamento nas casas, os moradores das áreas rurais vão deixar de depender da água de carros pipas para encher as cisternas. Uma das beneficiárias é a moradora da Comunidade Angélica, Joana D’Arc, que falou sobre a realidade no local. “Era na pipa, a gente fazia o cadastro, eles vinham, de 15 em 15 dias, de 8 em 8 dias, botar a água”, relatou.

Agora, ela disse que o poço vai facilitar a vida da comunidade. “Estávamos com dificuldade de água, mas vai acabar o sufoco. Por diante, vai acabar o sufoco que a gente estava sofrendo muito por água”, afirmou. E ajudar na criação de animais, que também é uma fonte de renda para os moradores. “Tinha bicho para dar água e a gente não tinha como dar. A água da cisterna a gente deixava de usar a maioria para dar para eles tomar. Ligava a bomba, de dois em dois dias, botava no roçado para eles não morrer. Ali era um futuro, quando precisasse de uma coisa a gente vendia”, disse ela.

O agricultor Francisco de Castro também é morador da Comunidade Angélica, onde planta milho, feijão e mandioca e cria animais. Ele diz que perfuração do poço vai transformar a vida do local. “Vão instalar encanamento nas casas e fica melhor para mim. Os bichos estavam sofrendo com sede. Só quando o carro pipa vinha e abastecia o tanque, o bicho bebia. Estamos agradecendo a Deus por ter chegado esse poço para ter água”, afirmou o agricultor.

 

Dessalinizadores

 

Na cerimônia em Ipanguaçu foi anunciada a entrega de 23 sistemas dessalinizadores para o Rio Grande do Norte, beneficiando mais de 5,3 mil pessoas com água de qualidade em áreas rurais. Os equipamentos fazem parte do Programa Água Doce e são para 15 municípios: Pureza, Pendências, João Câmara, Macau, Pedro Avelino, Parazinho, São Miguel do Gostoso, Governador Dix Sept Rosado, Janduís, Apodi, Guamaré, São Tomé, São Pedro, Serra do Mel e Ielmo Marinho.

O Rio Grande do Norte tem 87 infraestruturas do programa instaladas. Estão previstas outras 76. Desde 2019, 221 unidades foram repassadas a comunidades rurais no Nordeste.

O Programa Água Doce é uma política permanente de acesso à água de qualidade para consumo humano, prioritariamente no semiárido. É coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional em parceria com governos e sociedade civil.

 

Produção de Camarões

 

Outra medida anunciada foi a ampliação de R$ 18 milhões para R$ 500 milhões, para os próximos 12 meses, da linha de crédito que atende o setor de carcinicultura no Nordeste, a FNE-Aquipesca. A carcinicultura é uma técnica de criação de camarões em viveiros.

Os recursos são administrados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional e repassados pelo Banco do Nordeste. As condições da linha de crédito são mais atrativas para os produtores e tem como objetivo incentivar a expansão das atividades.

Durante a cerimônia, foi assinado um acordo de cooperação técnica entre o ministério, o Banco do Nordeste e a Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC) para viabilizar a iniciativa.

O Rio Grande do Norte concentra 43,2% da produção total de camarão no país, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse volume dá ao estado o título de maior produtor de camarão do Brasil.

Texto original

Deixe um comentário