Data marca importância do cuidado com o prematuro

Quais são os direitos e os desafios das mães de bebês prematuros? Esse foi o tema do seminário on-line “Novembro Roxo: Juntos pelos prematuros, cuidando do futuro”, promovido nesta terça-feira (17) pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Hoje, 17 de novembro, é lembrado o Dia Mundial da Prematuridade.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no ano passado, a prematuridade, ou seja, quando o bebê nasce antes das 37 semanas de gestação, foi a principal causa de mortalidade infantil em todo o mundo. Um outro dado, desta vez do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Ministério da Saúde, mostra que, no Brasil, 11,7% de todos os partos ocorrem antes do tempo. Em 2019, foram registrados cerca de 300 mil nascimentos prematuros. Com isso, de acordo com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o Brasil ocupa a 10ª posição entre as nações onde são registrados mais casos de prematuridade.

“Isso gera um impacto muito grande. Claro que essa nossa posição no ranking tem muito a ver com o nosso número de nascimentos, com a nossa população. Mas, de qualquer forma, nós estamos acima da média mundial de nascimentos prematuros, que é de 10%. Então, em torno de 340 mil bebês prematuros nascem todo ano aqui no nosso país”, destaca Denise Suguitani, representante da Organização Não Governamental Prematuridade.Com.

Entre os desafios para evitar o parto prematuro estão a informação, a educação, a inclusão e o cuidado compartilhado. E, entre as conquistas, o Novembro Roxo, o método canguru, os avanços de tratamento e a ampliação da licença maternidade para mães de prematuros.

Novembro Roxo

O chamado Novembro Roxo é um mês internacional de sensibilização para a prematuridade. É um mês inteiro dedicado a ações e eventos ligados ao tema. O objetivo é fazer uma série de atividades para conscientizar a população brasileira e chamar atenção para a causa.

“Sobre o Novembro Roxo, já estamos com alguns espaços iluminados. Temos trabalhado todos os anos para divulgar que todos os espaços que puderem, nesta semana do dia 17, sejam iluminados e, aos poucos, vamos conquistando mais e mais espaços”, ressalta Teresinha Neves, diretora do Departamento de Promoção da Dignidade da Mulher, da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres.

Texto original

Deixe um comentário