Banco do Brasil é uma das empresas mais sustentáveis do mundo

O Banco do Brasil foi selecionado para compor o Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI) da Bolsa de Valores de Nova York, nas carteiras World e Emerging Markets. A premiação é o reconhecimento do mercado internacional à atuação em sustentabilidade do banco e à iniciativa em incorporar o tema na estratégia corporativa e nas práticas administrativas e negociais.

O banco integra a carteira World que reúne as empresas com as melhores práticas de sustentabilidade de todo o mundo. O DJSI é revisado anualmente e na avaliação de 2020, o Banco do Brasil foi considerado referência mundial em 7 dos 23 temas avaliados nas dimensões Econômica, Ambiental e Social. Além da instituição, foram listados outros 24 bancos no mundo.

“Trata-se de importante resultado, que reforça a nossa posição como uma das empresas líderes em sustentabilidade no mercado internacional, e vai ao encontro das crescentes demandas de investidores, clientes e demais públicos de relacionamento do banco por incorporar questões ambientais, sociais e de governança à geração de resultados econômicos”, comemora Daniel Alves Maria, gerente geral da Unidade Relações com Investidores e Sustentabilidade do banco.

A carteira World do DJSI é composta por apenas 10% das empresas participantes com melhor performance em cada um dos setores avaliados e é um importante reconhecimento internacional da liderança do banco no tema.

Desde a criação, em 1999, o DJSI tornou-se uma das maiores referências para instituições administradoras de recursos, que se baseiam neste índice para as decisões de investimentos.

Entenda o DJSI

Criado em 1999, o Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI) da Bolsa de Nova York é um indicador de performance financeira das empresas líderes em sustentabilidade em nível global. É um dos mais importantes índices mundiais de sustentabilidade.

A composição do DJSI decorre de uma avaliação feita pela S&P Global, empresa especializada em investimentos. Oferece um portfólio abrangente de produtos, entre os quais, índices de sustentabilidade e avaliações de sustentabilidade corporativa.

Para compor esses índices, as empresas precisam de fato alinhar-se às melhores práticas de mercado, por meio do desenvolvimento de uma série de iniciativas que vão desde a concepção de produtos e serviços que contribuam com a transição para uma economia inclusiva e de baixo carbono, passando por práticas administrativas ecoeficientes e investimentos em melhorias contínuas.

Com informações do Banco do Brasil

Texto original

Deixe um comentário