Balança comercial registra superávit de US$ 6,164 bilhões em setembro

Em setembro, a balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 6,164 bilhões. As exportações somaram US$ 18,459 bilhões e as importações, US$ 12,296 bilhões. Isso significa dizer que, no período, o Brasil exportou mais do que importou. Quando ocorre o inverso, é registrado um déficit comercial. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (01) pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

É o melhor resultado do saldo comercial para meses de setembro. “A balança comercial esse ano tem um contexto muito específico que é uma crise global causada pelo coronavírus. E o que temos observado é um volume mesmo com uma crise, uma demanda mundial em retração, há um volume crescente da exportação brasileira”, disse o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão.

No mês passado, as exportações foram de US$ 18,459 bilhões; e as importações, de US$ 12,296 bilhões.

Acumulado de 2020

No ano, as exportações totalizam US$ 156,78 bilhões e as importações, US$ 114,336 bilhões, com saldo positivo de US$ 42,445 bilhões.  “É o segundo maior saldo comercial para esse período de noves meses, atrás apenas ao de 2017”, disse Brandão.

Setores em destaque em setembro de 2020

Em setembro deste ano, a agropecuária e a indústria extrativa registraram aumento em valores nas exportações em relação ao mesmo período do ano passado, de, respectivamente, 3,2% e 9,2%.

Na agropecuária, segundo o Ministério da Economia, os produtos com recorde de valores, para meses de setembro, foram o açúcar, o milho e a carne suína. Na indústria extrativa, os preços do minério cresceram 25% em relação a setembro do ano passado, o que motivou o recorde de exportações no setor.

Previsão para 2020

Com base nos dados de setembro, o Ministério da Economia espera que o Brasil exporte, em 2020, um total de US$ 210,7 bilhões; e importe, US$ 155,7 bilhões.

“O resultado disso é uma corrente de comércio 9% menor no ano, ao somar US$ 366,3 bilhões. E o saldo comercial deve ficar no mesmo nível do projetado em julho, com US$ 55 bilhões. Um saldo 14,4% superior aos US$ 48,1 bilhões de 2019 ”, finalizou o secretário.

 

Texto original

Deixe um comentário