Antena Multissatelital vai ampliar fiscalização ambiental

Mais uma ação de apoio de combate ao desmatamento e queimadas irregulares. A inauguração da Antena Multissatelital, vai permitir utilizar dados de satélite de observação da terra – ópticos e radares – no auxílio à preservação ambiental. A cerimônia ocorreu na sede do Ministério da Defesa, em Brasília.

A antena possui 11,3 metros de diâmetro e vai permitir a utilização de dados de satélite de observação da terra – ópticos e radares – no auxílio à preservação ambiental de forma a complementar o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O equipamento poderá captar imagens de satélites operados pelo Estado brasileiro ou com as quais sejam celebrados contratos de aquisição de imagens. Desse modo, será possível antecipar a antecipação e a intervenção dos focos de queimada, inclusive no período de alta densidade de nuvens na Amazônia.

“Celebramos hoje, a concretização de mais um instrumento do Estado brasileiro para ampliar a vigilância do território e, em especial, para incrementar o monitoramento ambiental do nosso país”, ressaltou o ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto.

“A implantação dessa antena complementa o projeto de monitoramento do desmatamento com tecnologia radar SipamSar e foi adquirido com recursos geridos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Essa ferramenta é capaz de receber dados dos satélites nacionais operados pela Força Aérea Brasileira e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, tendo acesso a imagens geradas em tempo real”, ressaltou Braga Netto.

O equipamento, operado pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), foi instalado no Campo de Instrução do 6º Grupo de Mísseis e Foguetes do Exército Brasileiro, em Formosa (GO) e possui abrangência em todo o Brasil, incluindo grande parte da Amazônia Azul, “Representa mais uma ação de coordenação e de integração entre os diferentes entes governamentais com atuação no segmento espacial, área estratégica para a Defesa Nacional, e que trará resultados concretos para a atuação de vários órgãos em diversos setores”, afirmou o ministro.

O Censipam foi criado com a missão de monitorar, integrar e difundir informações para o planejamento e coordenação de ações em prol da proteção da Amazônia. O centro utiliza radares terrestres, transportados por aviões e satélites orbitais. Já o SipamSar, projeto que monitora o desmatamento com tecnologia radar, antecipa a intervenção em campo visualizando o terreno.

Texto original

Deixe um comentário