Tempo de estudo de alunos do AM é 2h ao dia em agosto, diz FGV

Escolas particulares de Manaus funcionam em sistema híbrido, com aulas presenciais e on-line ao mesmo tempo — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

O tempo de estudo dos alunos entre 6 e 15 anos no Amazonas foi de 2,01 horas em agosto, indicou uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas. Esse tempo representa metade da jornada mínima exigida por lei.

Por causa da pandemia, os alunos enfrentam dificuldades para conseguir estudar a distância. O Amazonas é o sexto estado em que os alunos nessa faixa etária passam menos tempo estudando, atrás de: Acre, Roraima, Amapá, Tocantins e Mato Grosso. A pesquisa mostra que 27% dos estudantes do estado afirmam que não receberam material para estudo remoto.

O diretor da FGV, Marcelo Neri, explicou que os estados da região Norte tiveram um impacto maior na pandemia sobre o tempo de escola, cerca de metade do que determina a lei de diretrizes básicas.

“De uma maneira geral, a renda do trabalho no Amazonas, pelo lado positivo, não sofreu uma queda tão grande, mas por outro as atividades escolares foram bastante afetadas. Quando a gente olha para grupos mais pobres, mais jovens, esse efeito é maior. Mas também um terceiro efeito que se aplica ao estado, dada a dimensão do estado, que é o isolamento. com distâncias muito grandes para além de Manaus. É mais difícil ter uma internet que dê conta dessa dimensão do estado”, afirmou Neri.

De acordo com a pesquisa, os alunos da região Norte também se envolveram menos com as poucas atividades que receberam. O fato deve provocar o agravamento nas desigualdades regionais de educação no Brasil pós-pandemia.

Veja os vídeos mais assistidos do G1 AM nos últimos sete dias:

Deixe um comentário