Setor de serviços do Amazonas recua -2,5% em agosto, diz IBGE

Setor de serviços cresce 0,5% em agosto e tem 5ª alta seguida

Setor de serviços cresce 0,5% em agosto e tem 5ª alta seguida

A queda no volume de serviços em agosto, na comparação com julho, interrompeu a sequência de três meses em alta do setor, no Amazonas: houve um recuo de -2,5%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta quinta-feira (15), pelo IBGE.

Apesar do resultado negativo em agosto de 2021, o volume de serviços cresceu 13,2%, na comparação com o mesmo mês de 2020. No acumulado do ano (período de janeiro a agosto), os serviços registraram 14,8% de avanço, e 10,0% no índice acumulado dos últimos 12 meses, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Setor de serviços teve recuo de -2,5% no Amazonas — Foto: Reprodução/Unsplash

A queda no volume de serviços do mês de agosto (-2,5%), frente a julho, posicionou o setor de serviços do Amazonas na 23ª posição entre as demais unidades da federação, ou seja, entre as maiores quedas.

As maiores quedas foram observadas em Roraima (-7,4%), Mato Grosso (-3,6%) e Mato Grosso do Sul (-3,2%); e as maiores altas foram as de Sergipe (8,3%), Rio Grande do Sul (4,2%) e Alagoas (4,2%).

Volume de Serviços no Brasil
Ranking da variação mês/mês anterior
Fonte: IBGE

Receita

Em relação à receita nominal dos serviços no Amazonas, o IBGE registrou também queda de 2,5%, de julho para agosto de 2021. No entanto, houve alta de 22,4% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

No acumulado do ano, de janeiro a agosto, houve alta de 17,9% e no acumulado dos últimos 12 meses, de 12,7%.

A queda na receita nominal dos serviços, de -2,5%, registrada em agosto de 2021, frente ao mês anterior, foi a quarta maior entre as unidades da federação. Os piores desempenhos foram os de Roraima (-6,4%), Distrito Federal (-3,5%) e Mato Grosso (-3,2%); e os melhores desempenhos foram os de Sergipe (9,8%), Alagoas (4,9%) e Ceará (4,3%).

Receita nominal dos serviços
Ranking da variação mês/mês anterior
Fonte: IBGE

Brasil

Em relação ao Brasil, o volume de serviços cresceu 0,5% na passagem de julho para agosto. Na comparação com agosto de 2020, o volume de serviços no Brasil cresceu 16,7%, sexta taxa positiva consecutiva.

No acumulado do ano, o setor avançou 11,5% frente a igual período do ano anterior. Em 12 meses, ao passar de 2,9% em julho para 5,1% em agosto, manteve a trajetória ascendente e alcançou a taxa mais intensa da série histórica, iniciada em dezembro de 2012.

Veja os vídeos mais assistidos do Amazonas

Deixe um comentário