Sargento da PM morta por colega policial tinha registrado queixa por ameaça em maio em Manaus

SPA Alvorada, para onde sargento da PM foi levada após ser baleada em Manaus — Foto: Patrick Marques/G1

A sargento da Polícia Militar que foi morta por outro policial dentro do prédio da 10ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) em Manaus, na manhã desta quinta-feira (10), já teria registrado uma ocorrência contra ele por ameaça. O autor dos disparos também é sargento da PM e trabalhava com a vítima.

A sargento, de 44 anos, foi atingida por dois tiros no tórax, segundo o Instituto Médico Legal (IML). Após ser baleada, ela ainda chegou a ser encaminhada para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do bairro Alvorada, mas não resistiu e morreu.

O boletim de ocorrência foi registrado pela vítima no dia 15 de maio, por ameaça, contra o colega policial que foi o autor dos disparos. A queixa foi feita na Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher de Manaus. No entanto, a polícia ainda investiga as motivações para o crime.

O autor dos disparos foi preso e a arma de trabalho dele, uma pistola calibre .40, foi recolhida. Após o crime, policiais civis da Delegacia de Homicídios recolheram as cápsulas deflagradas e fizeram uma perícia no local do crime.

O Comando Geral da PM informou por meio de nota que o caso vai ser apurado pela Diretoria de Justiça e Disciplina da Corporação e que o policial ficará à disposição da Justiça no núcleo prisional da Polícia Militar.

10ª Cicom, local onde ocorreu o crime — Foto: G1 AM

Veja os vídeos mais assistidos do Amazonas

Deixe um comentário