Por falta de acessibilidade, eleitora é carregada por militares para votar em Manaus; VÍDEO

Eleições 2020: Cadeirante recebe ajuda de militares do exército para votar

Eleições 2020: Cadeirante recebe ajuda de militares do exército para votar

A cadeirante Socorro Pereira, de 58 anos, precisou ser carregada por militares do Exército até seu local de votação, em uma escola de Manaus, na manhã deste domingo (15) (veja vídeo acima). A eleitora votou na Escola Estadual Ruth Prestes Gonçalves, na Zona Norte.

O Amazonas tem, hoje, cerca de 12 mil eleitores com deficiência. Mais de 50% só na capital e o restante nos demais municipais. De acordo com o TRE, cabe aos juízes eleitorais responsáveis pelas zonas viabilizar o acesso a eleitores especiais sem que solicitado. Eles também podem exigir acesso facilitado às seções eleitorais.

Socorro contou que, no início do ano, começou a usar cadeira de rodas e solicitou junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) a troca do local de votação, já que sempre era no segundo andar. Porém, ela foi informada que não seria necessária a troca, pois ela teria auxílio de profissionais para subir.

O G1 buscou um posicionamento do órgão para saber a razão de Socorro não ter sido colocada em uma sessão com estrutura para receber deficientes físicos, mas ainda não obteve resposta.

Socorro disse que foi infectada pela Covid-19, mas conseguiu se recuperar da doença. Ela conta que o episódio a levou a querer “comemorar a vida” e que deseja exercer a função de cidadã.

“Uma pessoa de respeito, de responsabilidade, que merece o meu voto. Então eu fiz esse sacrifício também por conta dessa pessoa”, declarou.

O local de votação não possui rampas ou elevadores para o segundo andar. Após exercer o direito do voto, Socorro também recebeu auxílio dos militares para descer de volta ao primeiro andar.

VÍDEOS: mais assistidos do G1 AM nos últimos 7 dias

Deixe um comentário