Polícia ouve quatro pessoas sobre caso de criança que morreu após ser atendida por braço quebrado no AM

Criança tinha seis anos. — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

A Polícia Civil no Amazonas ouviu quatro pessoas no inquérito que investiga o caso do menino Saimon Gabriel, que morreu após ser atendido com braço quebrado em um hospital em Manicoré. Depoimentos de profissionais que atenderam a vítima estão previsto para a próxima semana.

Segundo a polícia, a mãe da criança compareceu à delegacia na segunda (22) para relatar que o filho, de seis anos, morreu em uma unidade hospitalar do município, após receber diversas doses de anestesia.

Conforme boletim de ocorrência, Saimon Gabriel Freitas Neri da Costa deu entrada no hospital Dr. Hamilton Cidade na quinta-feira (18), após sofrer um acidente de moto com o pai, que também ficou internado.

Na colisão, a criança fraturou o braço e foi levada à unidade hospitalar, mas no sábado ainda não tinha imobilizado o membro. A mãe conta que o menino foi levado à sala do procedimento por volta de 21h30.

A mãe disse que a anestesista de plantão não foi chamada para acompanhar a cirurgia e que o médico ortopedista decidiu pesquisar na internet a quantidade de anestesia que deveria administrar.

Consta no documento do hospital que três anestésicos foram administrados, e que, na sequência, a criança teve uma parada cardíaca. O menino ainda resistiu por 12 horas na UTI.Denúncia

Criança morre após receber anestesia em hospital do AM
Criança morre após receber anestesia em hospital do AM

1 min

Criança morre após receber anestesia em hospital do AM

Após repercussão do caso, o médico responsável pelo atendimento da criança foi afastado do hospital, e a Secretaria de Saúde do Amazonas disse que vai acompanhar o processo. O Ministério Público abriu uma investigação sobre a situação.

VÍDEOS: mais assistidos do G1 AM nos últimos 7 dias

Deixe um comentário