Justiça determina que peritos que atuam na linha de frente da pandemia no AM sejam vacinados

Forças de segurança pública começaram a ser vacinados no final de março. — Foto: Matheus Castro/G1

A Justiça Federal do Amazonas determinou, nesta quarta-feira (7), que peritos “que estão, estiveram e ainda estarão” na linha de frente da pandemia da Covid-19 sejam vacinados até a sexta-feira (9). A decisão é da juíza Jaiza Fraxe e acata um pedido do Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado.

Na decisão, a juíza explicou que os peritos participam de ações policiais de acordo com suas especialidades, tais como: locais de morte violenta, averiguação de entorpecentes, apreensão de computadores, munição. No texto, ela afirma que há profissionais que são locados em sistema de rodízio no interior, deixando-os expostos ao vírus.

Segundo Jaiza, 23 peritos oficiais precisam ser vacinados. Na decisão, ela determinou que o Diretor do Departamento de Perícias Técnicas encaminhe para a Fundação de Vigilância e Saúde (FVS) e para a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a lista com os nomes dos peritos para que possam se vacinar.

A juíza também analisou um pedido do Sindicato dos Policiais Federais no Estado do Amazonas (SINPEF/AM), para que os agentes sejam vacinados durante a imunização de agentes da segurança pública. Segundo a entidade, servidores auxiliaram na linha de frente de combate à Covid-19, atuando em hospitais, no transporte de oxigênio, pacientes, auxiliando motoristas de ambulância, maqueiros, bem como no desempenho de suas atividades normais.

No entanto, Jaiza disse que não cabe à Justiça Federal definir quem são esses agentes que atuaram e continuam atuando na linha de frente da pandemia. Isso só poderá ser feito pela Superintendência da PF, que precisa indicar quais os agentes devem ser imunizados de imediato.

Por fim, a juíza também acatou um pedido do deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), que pediu que os titulares das Secretaria estadual e municipal Saúde esclareçam o motivo da queda no número de pessoas vacinadas no estado. O prazo é de 48 horas.

Deixe um comentário