Foragido da justiça, suspeito de envolvimento em morte de líder comunitário é preso no AM

Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), de Manaus — Foto: Patrick Marques

Um homem de 23 anos voltou a ser preso nesta quinta-feira (14), suspeito de envolvimento na morte de um líder comunitário. A prisão ocorreu no município de Iranduba, a 38 km de Manaus. Segundo a polícia, ele estava foragido da justiça e também é investigado por outros crimes.

O suspeito já tinha sido preso em agosto deste ano pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) na comunidade Canaã, bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus, pela morte do líder comunitário de 63 anos.

Em agosto, ao ser levado para a delegacia, o suspeito confessou aos policiais o envolvimento no estupro de uma jovem deficiente e sobre roubos a casas. A polícia teve acesso de imagens do suspeito durante os roubos. Porém, após ser ouvido, o suspeito foi encaminhado para audiência de custódia e foi solto.

De acordo com a polícia, após ser solto, o suspeito se envolveu em um tiroteio no município de Iranduba, foi baleado e encaminhado para um hospital de Manaus. Um outro mandado de prisão preventiva acabou sendo expedido em nome desse suspeito.

Ele estava sendo procurado pela Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP), mas não foi localizado. A DEHS com apoio de policiais civis de Iranduba localizaram o homem na manhã desta quinta-feira (14).

Entenda o caso

Segundo a Polícia Civil, o líder comunitário foi encontrado morto no dia 1° de julho deste ano dentro de um buraco, no sítio em que morava. O corpo do idoso apresentava marcas de pauladas e cortes provocados por facão.

Após o crime, moradores informaram para a polícia que o idoso poderia ter sido assassinado por traficantes daquela área, por eles acharem que a vítima os teria denunciado. O suspeito teria cometido uma vingança.

Dias antes de ser assassinado, por conhecer bem a comunidade, o líder comunitário foi visto com uma equipe da Polícia Civil no local, mas para acompanhá-los em uma denúncia de crime ambiental.

Veja os vídeos mais assistidos do Amazonas

Deixe um comentário