Espaços culturais em Manaus abrem em novo horário para visitação a partir de julho

Espaços culturais de Manaus terão novos horários para visitação a partir desta quinta-feira (1º).

Todos os locais foram sanitizados, têm totens de álcool em pontos estratégicos. E as medidas de proteção para evitar o risco de contaminação continuam obrigatórias, entre elas, o uso obrigatório de máscara, medição da temperatura e distanciamento de 1,5 metro.

Teatro Amazonas — Foto: Michael Dantas/SEC

Teatro Amazonas

  • Funcionamento de 9h às 17h, de terça a sábado
  • Limite de turistas por visita passa a ser de 20 pessoas. É necessário agendar no Portal da Cultura.

Na visita guiada, de 30 minutos, o público conhece o Salão Nobre do Teatro Amazonas, o Salão de Espetáculos e o Salão Verde, intitulado “Sala de Exposição de Música e Dança”, que conta com sapatilhas de grandes nomes do Ballet que se apresentaram na Casa, como Marcelo Mourão Gomes, Ana Botafogo, Mikhail Baryshnikov, Ana Laguna e Margot Fonteyn; três instrumentos musicais da casa, como contrabaixo, violino e tímpano; dois bustos em bronze, de Antônio Carlos Gomes e Heitor Villa-Lobos.

O visitante ainda confere uma maquete do Teatro Amazonas, feita com blocos de Lego, uma escultura de bronze do artista francês Adrien Étienne Gaudez, além da Saleta de Exposição da Cúpula, com itens como vidros coloridos, telhas esmaltadas e vitrificadas e projetos arquitetônicos do Teatro e sua cúpula.

Palácio Rio Negro e da Justiça

No Centro Cultural Palácio da Justiça, o roteiro inclui o hall inferior e superior, gabinete de leitura, sala do desembargador, sala das becas, galeria dos ex-presidentes, gabinete do presidente, Museu do Crime, tribunal pleno, corredor do júri, entre outras salas.

No Palácio Rio Negro, o público conhece detalhes da residência particular do comerciante da borracha, o alemão Karl Waldemar Scholz. É um dos prédios mais emblemáticos do período que marcou a economia do estado, funcionou como sede do Governo e, em 3 de outubro de 1980, foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Amazonas.

Centro Cultural dos Povos da Amazônia — Foto: Michael Dantas/SEC

Centro Cultural dos Povos da Amazônia

Durante 30 minutos, o público circula por exposições como “Cultura em Movimento”, uma viagem pela história do Amazonas em diversos segmentos artísticos; “Os Filhos da Nossa Terra”, na qual sob uma cúpula confeccionada em fibra de arumã estão expostas 19 estátuas em tamanho natural, assinadas pelo artista plástico Felipe Lettersten; “Bestiari Venatio Animallia”, de Turenko Beça, que faz um paralelo da fauna e lendas amazônicas com os antigos bestiários medievais.

O roteiro no Centro tem ainda “Mãe Amor Revelado”, com fotografias de Anne Lucy, Chris Gouvea, Claudia Higuchi, Dani Cruz, Dhyeneffer Rodrigues, Ellen Gatto, Maria Yole, Mariana Rebouças e Simone Brandão, com curadoria de Michell Mello, assim como a Galeria Itinerante, que traz a mostra de fotógrafos amazonenses. Na visita, os guias fazem um tour, comentando sobre a história, curiosidades e obras do patrimônio.

Galerias do Largo e da Casa das Artes

  • Funcionamento de 15h às 20h, de terça a domingo.
  • Limite por visita seguem sendo 10 pessoas. Não é necessário fazer agendamento.

Na Galeria do Largo, a exposição, com curadoria de Cristóvão Coutinho, apresenta artistas que representam a diversidade de processos criativos de artes visuais, com olhares também diversos. Na Casa das Artes, há também espaço para exposições com artistas do Amazonas.

Veja os vídeos mais assistidos do Amazonas

Deixe um comentário