Colapso em Manaus: Governo muda data e diz que empresa notificou problema de oxigênio no dia 17 de janeiro

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, no Senado, em 12 de fevereiro — Foto: Pedro França/Agência Senado

O governo corrigiu um documento oficial entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a data em que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi informado sobre o colapso do fornecimento de oxigênio em Manaus (AM).

O documento inicial informava que o ministro tomou conhecimento do problema no dia 8 de janeiro, por um e-mail da White Martins, empresa responsável pelo abastecimento de oxigênio nos hospitais da cidade. O próprio ministro confirmou a data em uma entrevista, no dia 18 de janeiro.

No fim de semana, tornou-se público um depoimento de Pazuello à Polícia Federal no inquérito que investiga se houve omissão do ministro no combate à pandemia no Amazonas.

Nesse depoimento, Pazuello apresentou uma nova data: afirmou que só tomou conhecimento do colapso no dia 10 de janeiro. E que o Ministério da Saúde nunca recebeu oficialmente o e-mail mencionado, nem nunca teve contatos informais com a empresa.

Mas, em ofício entregue neste domingo, ao STF, assinado pelo secretário-executivo do ministério da Saúde, Elcio Franco, o Ministério da Saúde afirma que o e-mail da White Martins chegou, sim, à pasta – e no dia 17 de janeiro.

O colapso no fornecimento de oxigênio em Manaus matou mais de 30 pessoas nos dias 14 e 15 de janeiro.

Deixe um comentário