Após perder no primeiro turno, David Almeida vira e vence eleições em Manaus; veja como foi a votação

Davi Almeida vence eleição para prefeito de Manaus, AM

Davi Almeida vence eleição para prefeito de Manaus, AM

Após sair perdendo no primeiro turno, David Almeida (Avante) conseguiu uma virada e acabou eleito prefeito de Manaus, neste domingo (29), no segundo turno das eleições 2020. O vice dele é Marcos Rotta, também do Avante. Foi uma vitória apertada, com uma diferença de cerca de 23 mil votos.

O G1 listou os acontecimentos mais importantes para você entender como foi a eleição na capital amazonense.

David Almeida teve 466.970 votos, o que representa 51,27% dos total. Ele disputou com Amazonino Mendes (Podemos), que ficou em segundo com 443.747 votos, ou seja, 48,73% do total. A eleição em Manaus teve 22,43% de abstenção, 4,19% votos brancos e 7,64% votos nulos. Nas redes sociais, Amazonino reconheceu a derrota e desejou sucesso para a nova administração: “Faz parte da vida”, disse.

Após o resultado da eleição, o prefeito eleito David Almeida primeiro se pronunciou sobre o resultado da eleição em uma live nas redes sociais. Depois, na comemoração da vitória, ele agradeceu pelos votos e dedicou a vitória à mãe, que morreu no sábado em decorrência da Covid-19.

David Almeida é eleito prefeito de Manaus. — Foto: EDMAR BARROS/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

“Gratidão à cidade de Manaus, gratidão ao povo da minha cidade. É um misto de alegria, dor, sofrimento, luto, mas com a sensação de dever cumprido. Estou pronto para administrar minha cidade. Quero ser o prefeito de todos, dos que votaram e dos que não votaram em mim. Quero ser um prefeito presente”, disse ao G1.

De modo geral, o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) classificou as eleições 2020 como “tranquilas”. Segundo o órgão, não houve ocorrências graves durante o dia.

David Almeida fala com população após eleição em Manaus

David Almeida fala com população após eleição em Manaus

Primeiro Turno

No Amazonas, com exceção de Manaus, todos os municípios decidiram a eleição em primeiro turno. O G1 listou aqui os prefeitos e vice-prefeitos eleitos em cada cidade do Amazonas.

No primeiro turno para a Prefeitura de Manaus, onze candidatos disputaram o 1º turno no dia 15 de novembro. Na ocasião, Amazonino Mendes ficou em primeiro e David Almeida, em segundo turno, com 23,91% e 22,36% dos votos, respectivamente.

Ainda no primeiro turno, o candidato Zé Ricardo (PT) ficou em terceiro, com 14,28%, seguido por Ricardo Nicolau (PSD), com 12,08%; Coronel Menezes (Patriota), com 11,32%; Capitão Alberto Neto (REPUBLICANOS), com 7,82%; Alfredo Nascimento (PL), com 3,24%; Romero Reis (NOVO), com 2,97%; Chico Preto (DC), com 1,65%; Marcelo Amil (PC do B), com 0,29%; e Gilberto Vasconcelos (PSTU), com 0,08%.

Panorama na Câmara de Manaus

No primeiro turno, foram escolhidos 41 nomes para fazer parte da Câmara Municipal de Manaus (CMM) a partir de janeiro de 2021. Entre os eleitos, dezoito vereadores conquistaram a reeleição.

Com apenas 19 anos, Amom Mandel Lins Filho (Podemos) foi o mais jovem vereador eleito em Manaus. Ele teve mais de 7,5 mil votos.

Apenas um vereador negro foi eleito: Ivo Neto, do Patriota, teve 4.430 votos e ganhou uma cadeira na Casa logo na primeira vez em que disputou uma eleição. Filiado ao Patriota, partido de extrema direita e fiel ao presidente Jair Bolsonaro, Ivo disse que pretende seguir sua própria cartilha e deve evitar temas polêmicos.

Em relação à participação feminina, somente quatro vereadoras foram eleitas. Com esse número, Manaus ficou entre as cinco capitais do país com a menor participação feminina no legislativo municipal.

Mulheres eleitas como vereadoras em Manaus: (da esq. para a dir.): Glória Carratte, Thaysa Lippy; Yomara Lins e Professora Jaqueline — Foto: Divulgação/Arte G1 AM

Filas e aglomerações

A capital amazonense tem 1.331.613 eleitores aptos a votar, distribuídos em 3.709 seções eleitorais e 463 locais de votação.

No primeiro turno, houve registro de filas enormes e grandes aglomerações de eleitores. Pessoas sem máscaras foram flagradas antes de entrar nos colégios eleitorais. Já no segundo turno, a votação foi muito tranquila. Existiram filas somente antes da abertura dos colégios eleitorais, enquanto a população aguardava o início da votação.

Em alguns locais de votação, eleitores correram, mas chegaram atrasados e não conseguiram votar no segundo turno.

Eleitor corre para conseguir votar nos últimos minutos da eleição

Eleitor corre para conseguir votar nos últimos minutos da eleição

Outros estavam sem máscaras e foram barrados na entrada dos colégios eleitorais. Antes, uma forte chuva que atingiu a cidade acabou inundando algumas salas de votação de uma escola na Zona Leste

Eleitor é barrado em Manaus

Eleitor é barrado em Manaus

No segundo turno, a Secretaria da Segurança Pública registrou 80 crimes eleitorais. Todos estavam relacionados ao descumprimento da Lei Seca. Vistorias da Central Integrada de Fiscalização e da Polícia Civil fecharam 79 bares na capital.

Os idosos foram os principais eleitores a chegarem nos locais de votação em Manaus no primeiro turno. Mesmo sem obrigatoriedade do voto, muitos deles se mostraram motivados a decidir o próximo governante.

Tanto no primeiro quanto no segundo turno, santinhos dos candidatos foram encontrados nas ruas da cidade. Nos dois pleitos, eleitores não precisaram pagar tarifa de transporte coletivo.

Abstenções

No segundo turno, eleição em Manaus teve 22,43% de abstenção, 4,19% votos brancos e 7,64% votos nulos.

No 1º turno, Manaus foi a capital que registrou o menor índice de abstenção entre as capitais do país. Foram 242.782 mil eleitores que deixaram de votar, o que representa 18,23% de abstenção.

No primeiro turno, o Amazonas ficou entre os 10 estados que registraram os menores índices de abstenção do Brasil. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o estado, que tinha cerca de 2,5 milhões eleitores aptos a participar do pleito, registrou 19% de abstenção.

Cassado antes de assumir

Mesmo antes de assumir, o prefeito eleito de São Paulo de Olivença foi cassado. O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) anulou a eleição de Nazareno Souza Martins, conhecido como Gibe, do partido Republicanos, por fraude do certificado de conclusão do ensino médio. Ele afirmou que vai recorrer da decisão.

Veja os vídeos mais assistidos do G1 AM:

Deixe um comentário