Amizade que virou amor leva casal a trocar alianças na pandemia: ‘Não podíamos esperar’, diz noiva

Depois de quatro anos, amigos se casam durante a pandemia

Depois de quatro anos, amigos se casam durante a pandemia

A pandemia da Covid-19 mexeu com as emoções de muita gente, e o amor tem sido, para alguns, a saída de emergência em dias de caos. O momento ainda é de incertezas e descobertas, mas também de reflexão e de enxergar a vida com outros olhos.

Em meio a esse cenário, teve até quem descobriu que aquela amizade antiga era, na verdade, um grande amor. Foi o caso dos contadores Alessandra Veríssimo e Fillipe Freitas. Eles se conheceram em 2016, trabalhando juntos em um escritório, e, desde lá, se tornaram inseparáveis. Com o tempo, os caminhos profissionais se afastaram, mas a amizade permaneceu.

Eles começaram a namorar em julho de 2020, noivaram seis meses depois e, em menos de um ano, trocaram as alianças. Neste dia 12 de junho, Alessandra e e Filipi comemoram o primeiro mês de casados, mas também o primeiro Dia dos Namorados.

Alessandra e Filipi se casaram em meio à pandemia. — Foto: Arquivo Pessoal

Alessandra e Filipi costumavam sair juntos, frequentar a casa um do outro e sempre foram muito próximos. Amigos e até a família deles torciam para que algum sentimento maior existisse entre o casal. No entanto, foi só durante a pandemia que os dois se descobriram apaixonados. E decidiram não esperar mais para viver esse amor.

“Nesse meio tempo, até tivemos outros relacionamentos. Mas, no dia 20 de julho, dia do amigo, tudo mudou. Demos o primeiro beijo e já começamos a namorar. Meses depois, noivamos e decidimos nos casar. O casamento aconteceu por videochamada no pátio da nossa casa. As pessoas dizem que casamos rápido demais, mas, depois de quatro anos sendo apenas bons amigos, não podíamos mais esperar. Só queríamos ficar juntos”, conta Alessandra.

Casamento on-line

Alessandra e Filipi se casaram em uma cerimônia on-line. — Foto: Arquivo Pessoal

A meta era fazer um “casamentão”, segundo os noivos, com cerca de 200 convidados, mas, com a pandemia, o sonho precisou ser adiado. Os dois se casaram em uma cerimônia on-line, com uma média de 12 pessoas na sala virtual, incluindo duas primas de Alessandra: uma assistia da Bolívia e a outra, direto do Recife, em Pernambuco.

Segundo Alessandra, foi algo divertido por ser uma situação fora do “normal”, mas, sem dúvida, um momento que ficará marcado para sempre.

“O casamento on-line foi rápido e engraçado, mas, ao mesmo tempo, emocionante. Tivemos que conter a emoção e as lágrimas… não deixou a desejar em nada, até mesmo porque nossa família estava on-line, junto conosco, participando”, disse Alessandra.

Preparativos

Casamento de Alessandra e Filipi — Foto: Arquivo Pessoal

Organizar um casamento já não é fácil. Um casamento em tempos de pandemia e com o comércio funcionando em horários diferenciados é ainda mais difícil. Além da cerimônia on-line, o casal optou por fazer um jantar em família, com poucas pessoas.

Mesmo sem ter convidados ou uma grande festa presencial, Alessandra contou que ainda teve alguns contratempos e um desses foi, justamente, com uma peça central do casamento: o vestido de noiva.

A encomenda foi feita com dois meses de antecedência, mas a confecção do vestido atrasou e a noiva precisou se virar de um outro jeito.

“Cheguei lá faltando menos de uma semana para experimentar o vestido, mas ainda não estava pronto. Não havia sido feito nem mesmo 50% do vestido. Chorei muito, fiquei arrasada, mas, no dia seguinte, fui ao shopping e comprei dois vestidos, bem debutante. Na cerimônia, usei os dois. Com as outras coisas, não tivemos problemas. O bolo ficou do jeitinho que a gente queria. As alianças, olhamos várias, mas só decidimos o modelo no dia da compra, que foi presente da minha sogra”, lembrou.

Para o casal, a maior lição que fica é que, quando o amor fala mais alto, pouco importam o lugar, a comida, a roupa que vai vestir ou se você vai casar em uma plena quarta-feira, como foi no caso deles. O que vale é quem está do seu lado e com quem vai passar todos os seus dias.

“Nosso romance começou há pouco tempo e a gente preferiu não esperar mais. Sempre fomos muito amigos um do outro, com muita parceria, mas ficou impossível negar que tinha um sentimento a mais”, disse Filipi.

Casamentos no AM

Apesar da pandemia, o número de casamentos no Amazonas tem crescido. Só nos quatro primeiros meses deste ano, foram registrados 2.893 casamentos, segundo dados da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Amazonas (Anoreg).

No mesmo período do ano passado, esse número foi de 2.440, ou seja, houve um aumento de 18,5% neste ano. Em 2019, tinham sido realizados 2.146 matrimônios em período idêntico.

Em todo o ano de 2020, foram registrados 9.721 casamentos no estado, de acordo com a entidade. Em 2019, foram 8.231.

Com menos de um ano de namoro, Alessandra e Felipe trocaram as alianças em cerimônia on-line. — Foto: Arquivo Pessoal

Veja os vídeos mais assistidos do Amazonas

Deixe um comentário