Arquivo da Categoria: sustentabilidade

Manaus sedia evento internacional sobre Gestão da Amazônia

A realização é da Universidade do Estado do Amazonas em parceria com a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, com o apoio da Fapeam

De 29 a 31 de agosto, a capital amazonense sediará evento internacional inédito. Trata-se do  Amazonian Management Symposium – AMAS (1˚ Congresso de Gestão da Amazônia). Palestrantes nacionais e internacionais participarão do evento, debatendo a temática central sob a ótica da Inovação, Sustentabilidade e Governança.

O AMAS, que será realizado no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques,  é uma realização da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em parceria com a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP).  “Este evento é resultado da parceria firmada entre as duas instituições de ensino há mais de um ano e o objetivo principal é debater o tripé Inovação, Sustentabilidade e Governança a partir da interação entre Academia e setor produtivo”, destaca o professor da UEA e vice-presidente da Comissão Organizadora, Dr. Paulo César Araújo.

A estimativa de público é de aproximadamente 300 congressistas, entre os quais, pesquisadores, estudantes, representantes do setor produtivo, de órgãos governamentais, entre outros. Interessados em participar já podem realizar inscrição pelo site https://amasconference.com/.

A cerimônia de abertura e Palestra Magna ocorrerá no dia 29 de agosto, das 18h30 às 19h30. Na programação, estão previstas ainda plenárias com pesquisadores internacionais; painéis para debater os temas Governança&Sustentabilidade e Empreendedorismo&Inovação; bem como apresentações orais de artigos selecionados e Oficinas Metodológicas sobre Softwares Analíticos e Estratégias Metodológicas.

para-destaque-site---amas-1

Segundo o presidente da Comissão Organizadora e professor titular da FEA/USP, Dr. Roberto Sbragia, a Amazônia é um habitat que possui extraordinária biodiversidade, ampla dimensão geográfica e conta com população em todos os países por ela abrangidos de mais de 30 milhões de habitantes, sendo assim, o AMAS será um evento focado na busca de alternativas em Inovação, especialmente tecnológica e social; Sustentabilidade e Governança abrangendo inclusive a questão de políticas públicas.

 Conforme o diretor técnico-científico da Fapeam, Dércio Reis, ao longo dos últimos anos, a Fundação tem atuado fortemente na formação de capital intelectual, no fomento a empresas e no fortalecimento da infraestrutura de inovação do Estado e, por outro lado, Manaus conta com um dos mais importantes polos fabris da América Latina, constituído por empresas nacionais e multinacionais, oriundas de diversos países, entre os quais, Japão, China e França, além de contar com diversas organizações não-governamentais que não necessariamente produzem bens ou serviços. “Nesse sentido, o AMAS proporcionará uma importante troca de experiência entre a Academia e todos esses atores no sentido de fortalecer as ações de integração para o desenvolvimento da inovação, da sustentabilidade e da governança”, salientou.

Submissão de artigos e visitas técnicas

Professores, pesquisadores, especialistas e estudantes também podem submeter artigos ao Congresso. Para isso, as inscrições estarão disponíveis a partir do próximo mês. Os artigos podem estar relacionados tanto aos temas centrais do Congresso, como a áreas correlatas.

As propostas deverão ser submetidas mediante resumo, o qual deve conter itens como, por exemplo, tipo de contribuição, finalidade e resultados, a ser disponibilizado no sistema de submissão. Uma comissão científica formada por representantes do corpo docente da USP e UEA ficará responsável pela avaliação dos artigos que poderão, inclusive, ser publicados em revistas renomadas da área de Administração. A escolha dos artigos a serem publicados será feita com base na linha editorial de cada periódico e na adequação temática e estrutural dos textos.

Também serão realizadas Visitas Técnicas às seguintes empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM): Moto Honda, Samsung e Pharmakos. Serão disponibilizadas 90 vagas – 30 para cada uma das empresas. A escolha dos locais a serem visitados ocorrerá durante a inscrição. O preenchimento das vagas seguirá a ordem de inscrição dos congressistas.

Amazonian Management Symposium conta com financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além do apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Programa de Pós-graduação em Administração da FEA/USP, Fundação Instituto de Administração (FIA Business School), Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) e Associação Latino-Iberoamericana de Gestão Tecnológica (Altec).

A realização é da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em parceria com a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP), com o apoio da Fapeam.

De 29 a 31 de agosto, a capital amazonense sediará evento internacional inédito. Trata-se do  Amazonian Management Symposium – AMAS (1˚ Congresso de Gestão da Amazônia). Palestrantes nacionais e internacionais participarão do evento, debatendo a temática central sob a ótica da Inovação, Sustentabilidade e Governança.

O AMAS, que será realizado no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques é uma realização da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em parceria com a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP).  “Este evento é resultado da parceria firmada entre as duas instituições de ensino há mais de um ano e o objetivo principal é debater o tripé Inovação, Sustentabilidade e Governança a partir da interação entre Academia e setor produtivo”, destaca o professor da UEA e vice-presidente da Comissão Organizadora, Dr. Paulo César Araújo.

A estimativa de público é de aproximadamente 300 congressistas, entre os quais, pesquisadores, estudantes, representantes do setor produtivo, de órgãos governamentais, entre outros. Interessados em participar já podem realizar inscrição pelo site https://amasconference.com/.

A cerimônia de abertura e Palestra Magna ocorrerá no dia 29 de agosto, das 18h30 às 19h30. Na programação, estão previstas ainda plenárias com pesquisadores internacionais; painéis para debater os temas Governança&Sustentabilidade e Empreendedorismo&Inovação; bem como apresentações orais de artigos selecionados e Oficinas Metodológicas sobre Softwares Analíticos e Estratégias Metodológicas.

Segundo o presidente da Comissão Organizadora e professor titular da FEA/USP, Dr. Roberto Sbragia, a Amazônia é um habitat que possui extraordinária biodiversidade, ampla dimensão geográfica e conta com população em todos os países por ela abrangidos de mais de 30 milhões de habitantes, sendo assim, o AMAS será um evento focado na busca de alternativas em Inovação, especialmente tecnológica e social; Sustentabilidade e Governança abrangendo inclusive a questão de políticas públicas.

Conforme o diretor técnico-científico da Fapeam, Dércio Reis, ao longo dos últimos anos, a Fundação tem atuado fortemente na formação de capital intelectual, no fomento a empresas e no fortalecimento da infraestrutura de inovação do Estado e, por outro lado, Manaus conta com um dos mais importantes polos fabris da América Latina, constituído por empresas nacionais e multinacionais, oriundas de diversos países, entre os quais, Japão, China e França, além de contar com diversas organizações não-governamentais que não necessariamente produzem bens ou serviços. “Nesse sentido, o AMAS proporcionará uma importante troca de experiência entre a Academia e todos esses atores no sentido de fortalecer as ações de integração para o desenvolvimento da inovação, da sustentabilidade e da governança”, salientou.

Submissão de artigos e visitas técnicas

Professores, pesquisadores, especialistas e estudantes também podem submeter artigos ao Congresso. Para isso, as inscrições estarão disponíveis a partir do próximo mês. Os artigos podem estar relacionados tanto aos temas centrais do Congresso, como a áreas correlatas.

As propostas deverão ser submetidas mediante resumo, o qual deve conter itens como, por exemplo, tipo de contribuição, finalidade e resultados, a ser disponibilizado no sistema de submissão. Uma comissão científica formada por representantes do corpo docente da USP e UEA ficará responsável pela avaliação dos artigos que poderão, inclusive, ser publicados em revistas renomadas da área de Administração. A escolha dos artigos a serem publicados será feita com base na linha editorial de cada periódico e na adequação temática e estrutural dos textos.

Também serão realizadas Visitas Técnicas às seguintes empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM): Moto Honda, Samsung e Pharmakos. Serão disponibilizadas 90 vagas – 30 para cada uma das empresas. A escolha dos locais a serem visitados ocorrerá durante a inscrição. O preenchimento das vagas seguirá a ordem de inscrição dos congressistas.

Amazonian Management Symposium conta com financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além do apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Programa de Pós-graduação em Administração da FEA/USP, Fundação Instituto de Administração (FIA Business School), Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) e Associação Latino-Iberoamericana de Gestão Tecnológica (Altec).

Departamento de Difusão do Conhecimento- Decon

O post Manaus sedia evento internacional sobre Gestão da Amazônia apareceu primeiro em FAPEAM.

Estudantes do PCE expõem trabalhos em shopping de Manaus

Três projetos do PCE envolvendo sustentabilidade, jogos lúdicos e na área da saúde foram apresentados ao público na última segunda-feira (30)

Três projetos desenvolvidos no âmbito do Programa Ciência na Escola (PCE) participaram na última segunda-feira (30) de uma exposição realizada no Espaço Cultural da Cidadania Ambiental (Ecam), no Manauara Shopping.  Produtos feitos a partir de materiais reciclados, jogos lúdicos para o  ensino da disciplina da Geografia e cuidados com a saúde foram os trabalhos apresentados ao público pelos bolsistas de alfabetização científica do programa.

O programa é desenvolvido pelo Governo do Amazonas via a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas, em parceria com as Secretarias Estadual e Municipal de ensino, e permite a produção da ciência dentro do espaço escolar por meio do desenvolvimento de projetos de pesquisa que oportunizam a formação acadêmica e a transformação do pensar, fazer e entender ciência pelo cidadão.

O projeto intitulado ‘Jovens empreendedores: artesanato sustentável’, realizado na Escola Municipal Vicente de Paula, no bairro Japiim, mostrou os produtos desenvolvidos na escola a partir das ações da educação ambiental e reaproveitamento dos materiais como garrafa pet e caixas de leite, que antes teriam como o destino o lixo.

FOTO 1

Bolsistas do PCE reaproveitam materiais descartados e transformam em produtos sustentáveis em Manaus

A atividade é realizada com alunos do 6º ano do ensino fundamental. De acordo com a coordenadora do projeto, Socorro Brelaz, a ideia de trabalhar essa ação na escola surgiu ao ver a grande quantidade lixo jogado nas ruas.

Na prática, os alunos aprendem sobre a reciclagem e a importância da sustentabilidade na preservação do meio ambiente.

“Os alunos se tornaram multiplicadores deste conhecimento, eles fazem as coletas dos materiais que serão usados para confeccionar os produtos. Utilizamos caixas de leite, CD, garrafas plásticas e retalhos de tecidos que são transformados em jogos, enfeites natalinos, objetos de decoração para casa e utilidades”, disse a professora.

A bolsista do projeto Lívia Oliveira contou que já aprendeu muito sobre quais  produtos podem ser criados a partir do reaproveitamento de materiais, além de saber a importância da reciclagem e como tudo isso impacta no meio ambiente.

Para a Lorena Flávia, que também participa do projeto, a atividade traz benefício não apenas aos estudantes da escola, mas para toda sociedade.

“Isso nos ajuda fazer com que as pessoas entendam sobre o que é reciclagem, um incentivo para não descartarem o lixo em qualquer lugar”, destacou.

Jogos Lúdicos

 Os jogos lúdicos utilizados por estudantes da Escola Municipal Antonina Borges de Sá, no bairro São José, também foram expostos no Ecam. O projeto intitulado ‘Os Jogos Lúdicos no Ensino-Aprendizagem nas Aulas de Geografia’ trabalha com alunos do 8º ano do ensino fundamental e mostrou como os jogos têm influenciado e melhorado o desempenho dos alunos na disciplina.

Amarelinha, jogo da velha, trilha dos países, caça palavras, quebra-cabeça, roleta magnética e dominó são alguns exemplos de jogos trabalhados na escola. De acordo com a coordenadora do projeto, Raquel Vieira, a atividade desperta e aumenta o interesse dos estudantes pela disciplina de Geografia.

FOTO 3

Jogos lúdicos têm aumentado o interesse e desempenho de alunos na disciplina de Geografia

“Sabemos que os alunos adoram jogar. Fizemos uma pesquisa para saber se eles gostavam das aulas com jogos lúdicos e o resultado foi positivo. Os dados mostram que eles acham as aulas dinâmicas mais atrativas e, consequentemente, auxilia na aprendizagem” conta Raquel.

 Saúde

Na área da saúde, os bolsistas do PCE do ensino de Educação de Jovens e Adultos (EJA) realizaram aferição de pressão, tudo supervisionado pelo coordenador do projeto, o professor da disciplina de Ciências Arthur Castro.

FOTO 2

Projeto do PCE desenvolvido na área da saúde  tem objetivo de fazer um  pré-diagnóstico verificando a pressão dos alunos e funcionários da escola

O projeto intitulado ‘Pré-diagnóstico da Hipertensão Arterial’ desenvolvido na Escola Municipal Madre Tereza de Calcutá, no bairro Jorge Teixeira, tem o objetivo de desenvolver ações de rastreamento de possíveis hipertensos inseridos na escola.

“Queremos fazer um pré-diagnóstico para verificar pressão dos alunos e funcionários. Todos os alunos da escola estão envolvidos na atividade. Eles têm mostrado um desempenho muito bom dentro do projeto, aprendendo todo dia e na prática como é realizada a pesquisa científica” disse o professor.

A estudante Adriana Campos informou que esta é a primeira vez que participa de um projeto que envolve pesquisa científica. Ela informou que por essa experiência tudo indica que seguirá carreira na área da saúde.

“Com esse incentivo tenho a oportunidade de crescer e adquirir mais conhecimento. É um trabalho em conjunto que permitirá eu chegar na graduação mais preparada, no que diz respeito a pesquisa”, disse Adriana.

FOTO 4

 

Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

Fotos – Decon

O post Estudantes do PCE expõem trabalhos em shopping de Manaus apareceu primeiro em FAPEAM.

Pesquisadora desenvolve painel ecológico à base de resíduos de indústrias do PIM e de madeiras amazônicas

Durável, sustentável e de baixo custo, o produto pode ser usado em pisos, decorações, base para mesa, cadeira e como deck para piscina. O painel de madeira plástica é uma alternativa viável para o aproveitamento de materiais que seriam incinerados 

Um produto inédito, no Amazonas, produzido a partir do poliestireno (plástico) com resíduos de madeira (serragem) resultou num painel de madeira-plástica, que misturados proporciona resistência e uma textura com desenhos diferentes e únicos. É resultado do trabalho de mestrado em Ciências Florestais e Ambientais da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), da engenheira florestal Giselle Rebouças, com orientação da pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), a doutora em Ciências Biológicas (Botânica), Claudete Catanhede.

A pesquisadora explica que o trabalho de Rebouças teve uma proposta inicial voltada para o meio ambiente com o objetivo de aumentar o rendimento das madeiras amazônicas. “O produto é de excelente qualidade, por conta das propriedades físicas e mecânicas, sendo um painel altamente sustentável porque não irá derrubar a floresta para ser produzido”, afirma.

O poliestireno é um dos plásticos mais utilizados no mundo sendo produzidos milhões de toneladas anualmente. Pode ser naturalmente transparente, mas geralmente é colorido com o uso de corantes e é usado como uma embalagem de proteção. Já a serragem de madeira é o resíduo proveniente das diferentes etapas do corte da madeira.

“A serragem, por ter uma dimensão muito pequena, é um material de maior problemática para sua destinação final e por não poder ser reutilizada na produção de um novo produto”, explica Rebouças.

Ecologicamente correto, economicamente viável, barato e sustentável, o painel é produzido com a utilização dos resíduos descartados do Polo Industrial de Manaus (PIM) e de madeireiras e é também uma resposta viável para solução do aproveitamento desses materiais que seriam incinerados ou jogados fora.

painelmadeiraplasticaFotoLucietePedrosaINPA

Painel produzido com inaproveitamento de materiais do Polo Industrial de Manaus é ecologicamente mais correto e viável economicamente

Além disso, tem diferentes aplicabilidades e pode ser usado tanto como piso, quanto para a confecção de artesanato em geral, em decorações ou como base para mesa, cadeira e bandeja e como deck para piscina.

Para Rebouças, o painel é um produto que tem um ótimo valor agregado e utiliza a madeira que já está disponível (serragem). Segundo ela, o resíduo pode se tornar um prejuízo ambiental se continuar no ambiente. A indústria fornecedora de poliestireno para o projeto produz atualmente 18 toneladas mensais de resíduos na alta temporada, que são incinerados e que poderiam ser aproveitados para produzir os painéis. Na indústria madeireira parceira do projeto são nove toneladas diárias de resíduos produzidos, entre eles a serragem.

“Pode-se produzir aproximadamente 35 mil unidades de painéis no tamanho de 20 X 20 centímetros”, explica Rebouças, ao acrescentar que isto representa um aproveitamento de 100% do material plástico que requer uma maior preocupação, já que não é um produto biodegradável e leva anos para se decompor. “Os resíduos produzidos pelas indústrias nos segmentos poderão atender demanda de produção em escala industrial”, destaca.

Vantagens

Uma das vantagens do painel é que eles têm uma produção barata e rápida porque não precisam de muito tempo para ser produzido, além de não necessitar de água para o resfriamento após o processo de fabricação na prensagem. “O tempo para se produzir um painel é de aproximadamente 25 minutos”, garante a mestre. “Os ensaios de flexão e de compressão do painel apresentaram resultados de resistência semelhantes a algumas madeiras amazônicas”, revela.

De acordo com a mestre, a junção da madeira com o poliestireno como base do painel favoreceu uma melhor resposta aos testes e também na trabalhabilidade do painel quanto à facilidade de corte na serra, perfuração por broca, prego e parafuso. “Por isso é um produto bastante versátil”, destaca.

Conforme Rebouças, comprova-se a agregação de valor das madeiras da Amazônia ao utilizar resíduos na produção de produto sustentável com qualidade para ser inserido no mercado  e com alta competitividade, o que contribui para o aumento do rendimento das madeiras amazônicas e comprova a viabilidade do manejo na região.

“Com isso estaremos contribuindo, não só para uma maior valorização da madeira e com o seu aproveitamento completo, mas também para manter a floresta em pé porque não precisaremos derrubá-la para a confecção dos painéis, pois é utilizado somente o pó de serragem”, explica.

Patente

O painel ecológico está em processo de pedido de depósito de patente conjunto entre a Ufam e o Inpa no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi).

O empreendedor que se interessar em produzir este produto terá vários benefícios: rapidez no processo de produção (25 minutos), produto barato, competitivo e resistente à chuva e ao sol, pois não corre o risco de deformar ou quebrar.

Diferencial

Cada painel tem um desenho próprio e único, o que favorece ainda mais o seu diferencial. Pode-se ter até três desenhos diferentes porque o material-base da composição é coletado em três etapas diferentes. Além disso, o painel também pode ter o tamanho desejado, dependendo do tipo de prensa utilizada.

Segundo a pesquisadora do Inpa e orientadora do trabalho de mestrado, Claudete Catanhede, o painel é um produto inédito, porque é produzido com madeiras amazônicas, o que poderia ser um fator de dificuldade para a sua produção por causa da complexidade que essas diferentes espécies possuem como as resinas, que dificultam a aglutinação das partículas.

O painel não é feito de várias espécies ao utilizar a serragem de diferentes madeiras de alta densidade, a exemplo do angelim, maçaranduba, breu e diversos louros, cada um com sua particularidade. “Apesar de serem diferentes não influenciaram na qualidade do produto”, explica Catanhede, que também é integrante do Instituo Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) Madeiras da Amazônia/Inpa.

Coletas

Os materiais para a produção do painel foram coletados a partir dos resíduos descartados numa serraria em Itacoatiara (AM),que trabalha com madeiras certificadas, e em indústria do Polo Industrial de Manaus. “Com isso, o trabalho de Rebouças veio atingir uma das metas do INCT Madeiras da Amazônia, que é agregar valor para as madeiras amazônicas em toda sua essência”, diz a pesquisadora. “Se tiver um resíduo que não esteja nos tamanhos padronizados eles podem ser transformados em serragem para aumentar a produção”, acrescenta.

fotos site 2

Textos e Fotos- Inpa

 

O post Pesquisadora desenvolve painel ecológico à base de resíduos de indústrias do PIM e de madeiras amazônicas apareceu primeiro em FAPEAM.