Arquivo da Categoria: Pesquisadores

Pesquisadores da Fiocruz Amazônia apresentam projetos em seminários do PPSUS e PECTI da Fapeam

Pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) participaram nos dias 22 e 23/10, do Seminário Parcial de Avaliação do Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS) e do Seminário de Avaliação Final do Programa de Apoio a Projetos Estratégicos de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e/ou Inovação na Área de Saúde no Amazonas (PECTI/AM-Saúde), no Hotel Nobile Suíte Manaus Airport, no bairro Tarumã, em Manaus.

Os encontros foram promovidos pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), executora dos Programas, e tiveram por finalidade apresentar resultados parciais (PPSUS) e final (PECTI) de projetos fomentados pelo Ministério da Saúde. Na abertura dos eventos, a diretora-presidente da Fapeam, Márcia Perales, destacou a importância dos Seminários, uma vez que o monitoramento, acompanhamento e avaliação são etapas determinantes para o alcance de objetivos e êxito dos projetos.

PPSUS

O Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) é uma iniciativa do Ministério da Saúde de fomento à pesquisa em saúde, nos Estados, com o intuito de promover o desenvolvimento científico e tecnológico, visando atender as peculiaridades e especificidades de cada unidade federativa e contribuir para a redução das desigualdades regionais.

Neste Seminário (22/10) dentre os projetos apresentados estiveram os dos pesquisadores Júlio César Schweickardt (O acesso da população ribeirinha à rede de urgência e emergência no Estado do Amazonas); Maria Luiza Garnelo Pereira (Estudo exploratório das condições de vida, saúde e acesso aos serviços de saúde de populações rurais ribeirinhas de Manaus e Novo Airão, Amazonas); Luís André Mariuba (Desenvolvimento de teste para detecção eletroquímica de ensaios moleculares aplicados ao diagnóstico de doenças); e Priscila Ferreira de Aquino (Avaliação das características epidemiológicas  e moleculares de mulheres  tratadas com lesões precursoras  do câncer  de colo de útero no Amazonas).

André Mariuba comentou a importância do seminário para acompanhamento do seu projeto que vem sendo desenvolvido junto com Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-AM). “Esse projeto visa desenvolver um sensor eletroquímico, tanto para malária, quanto para o zika vírus. Vamos apresentar aqui o resultado de seis meses de trabalho e as perspectivas para os próximos um ano e meio de projeto”, acrescentou.

Priscila Aquino destacou que o objetivo de sua pesquisa é mostrar e caracterizar fatores epidemiológicos e moleculares, que possam estar correlacionadas à população, que hoje é atendida no Centro de Referência Oncológica, com lesões de câncer de colo de útero. Adiantou que o estudo tem quatro vertentes. “Uma vertente é a seleção dos pacientes a participar desse estudo, que está concluída. A segunda vertente é a análise dos dados epidemiológicos, eles estão 80% concluídos. A terceira vertente é a parte da análise do DNA do HPV, que foi iniciada há pouco tempo. E o fechamento do trabalho vai ser justamente uma indicação de proteínas que possam estar correlacionados de forma geral a todas essas etapas anteriores”.

Os projetos apresentados no Seminário se referem ao edital N°001/2017 do PPSUS. Essa edição contou com investimento de aproximadamente R$ 3 milhões. Os projetos têm duração de 24 meses.  O programa é uma ação do Governo do Amazonas, executado pela Fapeam, em parceria com o Ministério da Saúde (MS), por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (Decit/SCTIE/MS), com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e com a Secretaria de Estado da Saúde do Estado do Amazonas (Susam).

PECTI/AM-SAÚDE

O Programa foi lançado pela Fapeam em duas Cartas-Convites: 001/2012 e 001/2014 com o objetivo de fomentar a inserção de pesquisadores em projetos estratégicos de desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação nas fundações de saúde do Amazonas.

Este Seminário aconteceu no dia 23/10 e contou com a apresentação diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia Sérgio Luz, que apresentou o projeto “Programa estratégico de consolidação da pesquisa”.

As atividades de pesquisa dos projetos amparados pelo PECTI/AM-Saúde foram acompanhadas pela Fapeam por meio de relatórios técnicos-científicos parcial e final e avaliações dos projetos feitas por consultores externos nos Seminários de Acompanhamento e Avaliação.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Érico Xavier

 

Pesquisadores podem submeter propostas para chamada sobre biodiversidade e mudanças climáticas até hoje

Pesquisadores do Amazonas podem inscrever até o dia 5 de novembro propostas para a Chamada Confap-BiodivErsA: 2019-2020 sobre Biodiversidade e Mudanças Climáticas (Call Biodiversity and Climate Change). A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) participa da chamada com recursos na ordem de € 100.000 (cem mil euros) para apoiar até duas propostas.  A iniciativa é realizada pelo Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), em parceria com a BiodivERsa – rede de 39 ministérios e organismos internacionais de 24 países europeus e países parceiros, articulados em projeto ERA-NET, financiado dentro do Programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia.

A Chamada busca fomentar pesquisas científicas em quatro temas prioritários: consequências das mudanças climáticas na biodiversidade e efeitos naturais sobre a população; processos de feedback em biodiversidade climática; soluções potenciais baseadas na natureza para mitigação e adaptação a mudanças climáticas; e sinergias e trocas entre políticas voltadas à biodiversidade, clima e outros setores relevantes, e o papel dos agentes das mudança.

As propostas deverão reunir consórcios formados por parceiros de, no mínimo, três países participantes da chamada (sendo dois países membros da União Europeia e um país associado). Além do Brasil, aderiram à Chamada os seguintes países: Áustria, Bélgica, Bulgária, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Israel, Letônia, Lituânia, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, África do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Tunísia e Turquia.

As submissões de pré-propostas podem ser feitas até o dia 5 de novembro, às 16 horas (horário de Bruxelas) e as submissões das propostas completas devem ser feitas até o dia 10 de abril de 2020, às 16 horas (horário de Bruxelas).

As propostas de pesquisa serão avaliadas de acordo com os seguintes critérios: proposta adequada ao escopo da chamada, novidade da pesquisa e valor agregado transnacional na etapa 1 (etapa de pré-proposta); Excelência Científica, Qualidade e Eficiência da Implementação e o Impacto (incluindo políticas esperadas e / ou impacto social e abordagem ao envolvimento das partes interessadas) na etapa 2 (etapa da proposta completa).

Mais detalhes sobre a Chamada, critérios de elegibilidade e o passo a passo para submissão das propostas podem ser encontrados no site da Chamada (http://www.biodiversa.org/1587) e no site do Confap (http://confap.org.br/pt/editais/32/biodiversa-2019-2020-joint-call). Também está disponível uma plataforma para busca de parceiros no ndereço: https://proposals.etag.ee/biodivclim/partner-search

Os interessados em concorrer pelo Amazonas devem ficar atentos as diretrizes específicas da Fapeam:

Instituição

A Instituição de vínculo do autor da proposta, ora denominada Proponente, deve:

a) Ser Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação – ICT, localizada no Estado do Amazonas;

b) Se comprometer a propiciar condições adequadas de espaço, infraestrutura, pessoal de apoio técnico e administrativo, bem como tempo para a equipe dedicar-se ao projeto proposto;

Coordenador

a) Ter título de doutor;

b) Ter vínculo permanente com a instituição de pesquisa e/ou ensino superior ou centro de pesquisa, públicos ou privados, sem fins lucrativos, com sede ou unidade permanente no estado do Amazonas;

c) Ter cadastro atualizado no sistema SIGFAPEAM;

d) Ter currículo atualizado na Plataforma Lattes do CNPq;

e) Ter experiência compatível e comprovada com o tema da proposta apresentada (coordenação de projetos, integrante de equipe, publicação na área, entre outras experiências que serão avaliadas);

f) Demonstrar qualidade e regularidade em sua produção científica e/ou tecnológica nos últimos três anos;

g) Ter anuência do dirigente máximo da instituição de vínculo do proponente ou seu representante legal junto à FAPEAM;

h) Responsabilizar-se pelas autorizações de caráter ético ou legal para execução da proposta, quando aplicável;

i) Apresentar e ser responsável por apenas uma proposta. No caso de submissão de mais de uma proposta pelo mesmo coordenador, apenas a última proposta submetida será considerada para avaliação;

j) Estar adimplente técnica e financeiramente com a FAPEAM, no momento da submissão da proposta;

k) Assumir o compromisso de manter, durante a execução do projeto, todas as condições de qualificação, habilitação e idoneidade necessárias ao perfeito cumprimento do seu objeto, preservando atualizados os seus dados cadastrais juntos aos registros.

Prepare-se consultando:

>  Manual do BiodivERsA Stakeholder Engagement  (para obter mais informações sobre o envolvimento de partes interessadas em projetos financiados)

> O Guia de Políticas BiodivERsA  (para obter mais informações sobre a relevância das propostas de pesquisa em políticas).

http://www.biodiversa.org/1587

Fapeam com informações do Confap

O post Pesquisadores podem submeter propostas para chamada sobre biodiversidade e mudanças climáticas até hoje apareceu primeiro em FAPEAM.

Estudo avaliou bactérias multirresistentes no ambiente hospitalar

Estudo intitulado “Epidemiologia molecular de Staphylococcus Epidermidis multirresistentes” coordenado pelos os pesquisadores Cristina Motta Ferreira e William Antunes Ferreira, e executado pelo grupo de pesquisa que atua na área de bacteriologia Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), buscou avaliar bactérias que são capazes de causar doenças graves nos pacientes internados em hospitais que apresentaram mecanismos de resistência aos antibióticos.

Dra. Cristina Mota Ferreira - Fotos Érico Xavier-17

O projeto concluído, teve fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas, por meio do edital 030/2013 do Programa Apoio à Pesquisa (Universal). Segundo a pesquisadora buscou verificar se os profissionais que trabalham no Hemoam estariam “carreando” em suas vestimentas ou algumas partes do corpo, bactérias resistentes aos antibióticos comumente utilizados no tratamento de infecções causadas por esses agentes e, caso encontrássemos algumas dessas bactérias, estudar com ferramentas da biologia molecular os “mecanismos de resistência”.

“A importância dessa pesquisa é que esses patógenos são capazes de causar doenças graves nas pessoas, principalmente em pacientes internados nos hospitais ou que possam estar sob tratamento de medicamentos que podem comprometer ou reduzir a capacidade de defesa ou resposta imune do organismo”, conta.

 

Dra. Cristina Mota Ferreira - Fotos Érico Xavier-20

Conforme Cristina Motta,foram coletadas amostras das mãos, nariz e jalecos dos profissionais da saúde do Hemoam. No total de 230 profissionais com média de idade de 44 anos.

“Para a pesquisadora, as pessoas, inclusive os profissionais da saúde, carregam consigo bactérias e algumas delas podem até ser multirresistentes aos antibióticos, portanto, os resultados da pesquisa evidenciam a grande importância das medidas de prevenção já implantadas ou implementadas pelas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) nos hospitais tais como: a lavagem das mãos, uso de toucas, máscaras, luvas, jalecos descartáveis, etc, simples ações que se realizadas pelos profissionais da saúde no exercício de suas atividades, certamente contribuirão para a evitar ou reduzir significativamente os casos ou surtos de infecção hospitalar, afirma.

A pesquisa utilizou procedimentos ou técnicas atuais para a cultura isolamento e identificação dos Staphylococcus epidermidis, e procedimentos automatizados para verificar a sensibilidade delas aos antibióticos, assim como metodologias ou procedimentos específicos de biologia molecular para identificar as respectivas mutações nos genes – dentre outros aspectos – que poderiam configurar que um determinado estafilococo como resistente a vários antibióticos e assim, potencialmente patogênico para causar infecções graves em indivíduos ou pacientes suscetíveis.

Dra. Cristina Mota Ferreira - Fotos Érico Xavier-10

“Buscamos também conhecer a origem ou a fonte dessas bactérias nos profissionais, apoiar a clínica com o diagnóstico laboratorial dessas infecções e assim sugerir estratégias para evitar a disseminação. Quanto mais pesquisarmos e conhecermos sobre um determinado tipo de patógeno e os processos pelos quais eles se disseminam, seja no HEMOAM, ou em outros Hospitais, ou nos centros de saúde, melhor será a prevenção da disseminação, da transmissão, das infecções e dos possíveis danos causados aos pacientes”, explica.

 

2019-08-30

 

OMS

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) no ano de 2018, dados de vigilância sobre resistência aos antibióticos revelaram elevados níveis de resistência a uma série de infecções bacterianas graves em países de alta e baixa renda. Conforme a Global Antimicrobial Surveillance System (GLASS), há ocorrência generalizada de bactérias com resistência a antibióticos em diferentes países, incluindo o Brasil. Estudos internacionais de vigilância epidemiológica, detectaram mais de 70% de S. epidermidis, multirresistentes, circulando nos hospitais.

Universal

Programa Apoio à Pesquisa (Universal),  tem como objetivo conceder aporte financeiro para atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, em todas as áreas de conhecimento, que representem contribuição significativa para o desenvolvimento do Amazonas.

Este ano houve uma chamada para o universal que recebeu propostas até 15 de julho de 2019.

Por Jessie Silva

Fotos: Érico Xavier

Arte: Suellen Sousa

O post Estudo avaliou bactérias multirresistentes no ambiente hospitalar apareceu primeiro em FAPEAM.

Pesquisadores e profissionais de saúde participam de encontro para discutir estratégias de saúde nas fronteiras

Pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia),  Instituto Oswaldo Cruz – IOC/Fiocruz,  Institut de Recherche Pour le Développement (IRD) reuniram-se com gestores e pesquisadores da Universidade Nacional da Colômbia – Sede Amazônia (UNAL), em Letícia (COL), para compartilhar informações sobre ações institucionais e possíveis estratégias para a saúde na fronteira, sob um olhar interdisciplinar e intercultural, visando alinhar esforços conjuntos de cooperação internacional, contemplando principalmente, a zona fronteiriça entre Brasil e Colômbia.

O encontro realizado na primeira semana de junho, dias 5 e 6, teve como enfoque os seguintes temas: incentivo à criação de uma rede de pesquisa sobre questões de saúde com uma perspectiva interdisciplinar e intercultural, articulação para a consolidação da sala de situação em saúde na fronteira Brasil e Colômbia, e planejamento de evento científico sobre questões de saúde na fronteira. O primeiro dia de atividade ocorreu na UNAL.

Para o diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, o encontro foi um passo para se fazer uma estratificação em vigilância em saúde na fronteira, na qual os parceiros possam colaborar.

Participaram também do Encontro na UNAL, o representante da Assessoria de Assuntos Internacionais do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Edgard Magalhães, e o representante da Secretaria Departamental de Salud Amazonas, Jose Hernan Becerra.

O segundo dia de apresentações e debates ocorreu no auditório do Hospital de Guarnição de Tabatinga (HGuT), momento em que participaram profissionais que atuam na área de saúde, além da diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM), Rosemary Costa Pinto, e da subdiretora do Hospital de Guarnição de Tabatinga, TC Christina, e demais profissionais de saúde.

ESPECIALIZAÇÃO EM VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Na oportunidade, Sérgio Luz, anunciou a realização da segunda turma do Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, oferecido pela Fiocruz Amazônia, em formato presencial em Tabatinga (AM).

O curso é gratuito e destina-se a profissionais de nível superior que atuam em unidades básicas de saúde ou em unidades de saúde da família na região amazônica. Serão ofertadas 50 vagas, distribuídas entre Brasil (20), Colômbia (10), Equador (10) e Peru (10). Os candidatos estrangeiros serão indicados pelos órgãos competentes de seus países.

A segunda edição do curso é resultado de parceria entre Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Para mais informações sobre o curso que recebe inscrições até o dia 25 de junho, clique.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Fapeam recebe propostas para Programa de Desenvolvimento Científico Regional para pesquisadores

Propostas devem ser enviadas até o dia 5  de novembro por meio do sistema online da Fapeam

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) em cooperação com Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, por intermédio do o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – (MCTI), lançaram edital referente ao Programa de Desenvolvimento Científico Regional (DCR/AM)– Fluxo Contínuo para pesquisadores que estejam desvinculados do mercado de trabalho a apresentarem propostas de pesquisa ao programa de apoio à fixação de doutores em instituições de ensino superior e/ou pesquisa, institutos de pesquisa, empresas públicas de pesquisa e desenvolvimento, localizadas no estado do Amazonas que atuem em investigação científica ou tecnológica.

Conforme o edital, entre os benefícios concedidos pelo CNPq está à bolsa DCR, pelo período de até 36 meses, cujo valor e critérios de enquadramento são estabelecidos pelas normas CNPq.   Já a Fapeam concederá auxílio pesquisa (capital e custeio) no valor de até R$ 40 mil destinados ao fortalecimento da infraestrutura da pesquisa, aquisição de equipamentos e material de consumo de acordo com a necessidade do projeto. Além de duas bolsas de Apoio Técnico  (AT), níveis I ou II com vigência máxima de até 36 meses quando solicitadas no momento de apresentação da proposta.

Propostas                                                                     

As propostas completas também deverão ser apresentadas em Formulário online via Sistema de Gestão da Informação da  Fapeam (SIGFapeam), disponível no endereço eletrônico: http://www.fapeam.am.gov.br. Para acessar o formulário o proponente deverá utilizar seu login e senha previamente cadastrados. Novos usuários deverão realizar o cadastro no banco de pesquisadores da Fapeam. Além do envio do Formulário online, a submissão da proposta requer a apresentação de documentação complementar a ser anexada ao sistema SIGFapeam As propostas devem ser enviadas até o dia 5  de novembro de 2018.

Para acessar o formulário o proponente deverá utilizar seu login e senha previamente cadastrados. Novos usuários deverão realizar o cadastro no banco de pesquisadores da Fapeam. Além do envio do Formulário online, a submissão da proposta requer a apresentação de documentação complementar a ser anexada ao sistema SIGFapeam, como detalhado no edital.

Requisitos

Para participar os pesquisadores precisam de ter título de doutor; estar  desvinculado do mercado de trabalho no momento da implementação;  Não ser beneficiário de bolsa de qualquer outra instituição, nacional ou internacional, durante a vigência da bolsa DCR; estar cadastrado no sistema SIGFapeam; possuir currículo atualizado na Plataforma Lattes do CNPq; dedicar-se integralmente às atividades previstas no projeto; estar adimplente com a Fapeam, no momento da apresentação da proposta. Além de verificar no edital em que modalidade de titulação se enquadra para submeter à proposta.

banner_materia_DRC

Departamento de Difusão do Conhecimento- Decon

O post Fapeam recebe propostas para Programa de Desenvolvimento Científico Regional para pesquisadores apareceu primeiro em FAPEAM.

Fapeam recebe propostas para Programa de Desenvolvimento Científico Regional para pesquisadores

Propostas devem ser enviadas até o dia 5  de novembro por meio do sistema online da Fapeam

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) em cooperação com Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, por intermédio do o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – (MCTI), lançaram edital referente ao Programa de Desenvolvimento Científico Regional (DCR/AM)– Fluxo Contínuo para pesquisadores que estejam desvinculados do mercado de trabalho a apresentarem propostas de pesquisa ao programa de apoio à fixação de doutores em instituições de ensino superior e/ou pesquisa, institutos de pesquisa, empresas públicas de pesquisa e desenvolvimento, localizadas no estado do Amazonas que atuem em investigação científica ou tecnológica.

Conforme o edital, entre os benefícios concedidos pelo CNPq está à bolsa DCR, pelo período de até 36 meses, cujo valor e critérios de enquadramento são estabelecidos pelas normas CNPq.   Já a Fapeam concederá auxílio pesquisa (capital e custeio) no valor de até R$ 40 mil destinados ao fortalecimento da infraestrutura da pesquisa, aquisição de equipamentos e material de consumo de acordo com a necessidade do projeto. Além de duas bolsas de Apoio Técnico  (AT), níveis I ou II com vigência máxima de até 36 meses quando solicitadas no momento de apresentação da proposta.

Propostas                                                                     

As propostas completas também deverão ser apresentadas em Formulário online via Sistema de Gestão da Informação da  Fapeam (SIGFapeam), disponível no endereço eletrônico: http://www.fapeam.am.gov.br. Para acessar o formulário o proponente deverá utilizar seu login e senha previamente cadastrados. Novos usuários deverão realizar o cadastro no banco de pesquisadores da Fapeam. Além do envio do Formulário online, a submissão da proposta requer a apresentação de documentação complementar a ser anexada ao sistema SIGFapeam As propostas devem ser enviadas até o dia 5  de novembro de 2018.

Para acessar o formulário o proponente deverá utilizar seu login e senha previamente cadastrados. Novos usuários deverão realizar o cadastro no banco de pesquisadores da Fapeam. Além do envio do Formulário online, a submissão da proposta requer a apresentação de documentação complementar a ser anexada ao sistema SIGFapeam, como detalhado no edital.

Requisitos

Para participar os pesquisadores precisam de ter título de doutor; estar  desvinculado do mercado de trabalho no momento da implementação;  Não ser beneficiário de bolsa de qualquer outra instituição, nacional ou internacional, durante a vigência da bolsa DCR; estar cadastrado no sistema SIGFapeam; possuir currículo atualizado na Plataforma Lattes do CNPq; dedicar-se integralmente às atividades previstas no projeto; estar adimplente com a Fapeam, no momento da apresentação da proposta. Além de verificar no edital em que modalidade de titulação se enquadra para submeter à proposta.

banner_materia_DRC

Departamento de Difusão do Conhecimento- Decon

O post Fapeam recebe propostas para Programa de Desenvolvimento Científico Regional para pesquisadores apareceu primeiro em FAPEAM.

Pesquisadores lançam obra sobre planejamento de sistemas trilhas

A obra conta com dois eixos temáticos e dez capítulos, sendo um deles relacionado às orientações de Segurança

Diversos destinos turísticos pelo mundo oferecem trilhas em diferentes ambientes, desde montanhas, inclusive nevadas, até densas florestas, como é o caso da Amazônica. Porém, quem participa dessas atividades, muitas vezes, não sabe que, por trás de tudo isso, se tem um planejamento complexo, fundamentado em teorias científicas e na análise do ambiente natural e social, para tornar aquele passeio uma experiência diferenciada.

Foi pensando em oferecer uma publicação que pudesse servir de embasamento para pesquisadores, operadores e condutores que foi produzido o livro Planejamento de Sistemas de Trilhas: uma pegada social, cultural e ambiental. A obra, cujos autores são os estudiosos da área Ronisley Martins e Francisco Girão será lançada no próximo dia 12 de maio, às 10h, no Palacete Provincial (praça Heliodoro Balbi, s/n˚, Centro).

Martins conta que sempre atuou com pesquisas científicas voltadas aos sistemas de trilhas.  A primeira delas foi, de 2002, tendo sido desenvolvida com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) no assentamento agrário Tarumã-Mirim.  “Foi quando tive o primeiro contato com o assunto, mas tive dificuldade devido ao pouco material disponível. Depois da Graduação, surgiu a vontade de escrever conteúdo científico que desse embasamento ao planejamento de trilhas e após 2009, começamos a elaborar esse livro com base em várias experiências”, ressaltou.

A obra conta com dois eixos temáticos e dez capítulos. O primeiro compreende uma abordagem teórica, com a apresentação de metodologias de estudo de maneira a permitir uma análise ampla de todos os elementos envolvidos, incluindo vegetação, solo, água e principalmente, a população.  O segundo eixo é fundamentado na apresentação de técnicas e ferramentas necessárias ao planejamento e execução de trilhas sustentáveis.

IMG_4635

Livro  foi escrito  pelos autores e estudiosos da área Ronisley Martins e Francisco Girão

O conteúdo do livro aponta para o ordenamento de uma trilha planejada, contendo sinalizações, classificação do grau de dificuldade e definição quanto ao público que se quer alcançar.  Segundo Ronisley Martins, uma trilha interpretativa, por exemplo, deve ser de curta distância (de 500m a 1km),  ocorrer em áreas planas e é direcionada a crianças e pessoas da melhor idade. “Se for um público mais aventureiro, é preciso estender a trilha e ampliar o grau de dificuldade de acordo com o ambiente”, disse. “Assim, o organizador de trilha tem de analisar a paisagem e planejar conforme o público que pretende alcançar”, completou.

Um dos capítulos de maior destaque é o relacionado às orientações de Segurança. O autor esclarece que há riscos eminentes ao se fazer uma caminhada ou até antes, para os próprios organizadores, portanto, é preciso minimizá-los.  Neste trecho, são detalhadas ainda informações com base na norma NBR 15505/02, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, que visa orientar sobre o uso de equipamentos, com base no grau de dificuldade das trilhas.  Se for de longo percurso, requer muito mais acessórios, entre os quais, mochila, kits de sobrevivência e de primeiros socorros, bota cano longo, calça, camisa de manga longa, vestimenta para trocas, além de alimentação rica em glicose, fibra e bastante água. Importante destacar que é de responsabilidade do condutor a orientação antecipada para que os participantes usufruam do serviço já com equipamentos e materiais necessários.

IMG_4643

Ronisley Martins disse que a obra conta com dois eixos temáticos e dez capítulos, sendo um deles relacionado às orientações de Segurança

Em relação às trilhas na Amazônia, ele destaca que é preciso conhecer os geoambientes da floresta.  Conforme o pesquisador, existem diversos tipos de florestas dentro da Amazônia e isso, precisa ser levado em consideração, no momento do planejamento, esses diversos ambientes, como mata de terra firme, campina, floresta de baixio e floresta de igapó, uma vez que contribui para enriquecer muito mais a caminhada, aumentando o que se chama de  “elementos de interpretação da paisagem”, essenciais no momento da abordagem.

“Este é o diferencial da floresta amazônica: diversos ambientes e elementos que são usados nas técnicas de interpretação ambiental. Para isso. o condutor precisa conhecer a floresta e ter contato com a geoambientação”, frisou Martins, o qual cita ainda o exemplo de trilhas culturais, que, além da ambientação, agrega outros elementos com o fim de agregar valores à caminhada e à paisagem no geral.

Na visão do autor, é necessário aos planejadores fazer o inventário de todos os elementos da paisagem, tanto naturais como culturais. Em relação aos condutores, é fundamental fazer o reconhecimento antecipado para poder medir o grau de dificuldade, além de ter noção de técnicas de condução de grupo. “Quando uma trilha é planejada e classificada, tem logo no início sinalização com o mapa, percursos, paradas, tempo de percurso, grau de dificuldade e dos equipamentos necessários”, alertou Martins.

Departamento de Difusão do Conhecimento- Decon

O post Pesquisadores lançam obra sobre planejamento de sistemas trilhas apareceu primeiro em FAPEAM.

Espaço Ecam do Manauara Shopping recebe programação da Fiocruz Amazônia

Com o tema “A Matemática está na Saúde”, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) dá início à programação da 14ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). As atividades acontecem inicialmente no dia 31/10,  no Espaço Ecam, localizado 3º piso de Manauara Shopping, localizado na avenida Av. Mário Ypiranga, 1300 – Adrianópolis.

A programação das atividades foi organizada pela Vice-diretoria de Pesquisa e Inovação (VDPI-ILMD/Fiocruz Amazônia) juntamente com pesquisadores, bolsistas e alunos do Instituto.

No ano de 2017, o tema da 14ª SNCT é  “A Matemática está em tudo”. A escolha deste tema baseia- se no Biênio da Matemática Gomes de Souza (2017-2018). A Semana é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, e visa despertar o interesse de crianças e jovens para a área, além de popularizar a ciência.

Confira a programação do dia 31/10/2017:

 
ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagens: Mackesy Pinheiro

Abertas inscrições para programa de apoio aos jovens pesquisadores no Amazonas

Pesquisadores têm até o dia 20 outubro para participar do Edital PPP. O programa conta com investimento de R$1,5 milhões oriundos da Fapeam e CNPq

Pesquisadores interessados em participar do Programa de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores Programa Primeiros Projetos (PPP) têm até o dia 20 de outubro para submeterem o projeto ao edital. As propostas devem estar claramente caracterizadas como pesquisa científica, tecnológica ou de inovação e devem ser enviadas em versão eletrônica por intermédio de formulários contidos no Sistema de Gestão da Informação da Fapeam (SIGFapeam), disponível na página eletrônica da instituição.

O edital tem o objetivo apoiar a aquisição, instalação, modernização, ampliação ou recuperação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica nas instituições públicas e particulares, sem fins lucrativos, de ensino superior e/ou de pesquisa sediadas ou com unidades permanentes no Estado do Amazonas visando dar suporte à fixação de jovens pesquisadores e nucleação de novos grupos, em quaisquer áreas do conhecimento.

O programa é uma ação do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e conta com um investimento de quase R$ 1,5 milhão.

EDITAL PPP

O edital tem o objetivo apoiar a aquisição, instalação, modernização, ampliação ou recuperação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica nas instituições públicas e particulares

SIGFapeam

Para acessar o formulário eletrônico, o proponente deverá utilizar seu login e senha previamente cadastrados.

Novos usuários deverão realizar o cadastramento no banco de pesquisadores da Fapeam, nos endereços supracitados. Além do envio do Formulário online, via SigFapeam, a submissão da proposta requer também apresentação da documentação complementar a ser anexada ao sistema SigFapeam, como detalhado adiante.

Edital

Um dos requisitos do edital é que os pesquisadores precisam ter título de doutor com até cinco anos de obtenção da referida titulação e produção científica ou tecnológica relevante nos últimos cinco anos, na área específica do projeto de pesquisa apresentado.

Os projetos deverão ter valor máximo de R$ 100 mil, destinados ao cumprimento exclusivo de suas atividades. Dos recursos orçados no projeto, 70% deverão ser destinados as despesas de capital e 30% as despesas de custeio, conforme previsto no edital.

No caso de instituições de ensino superior e/ou pesquisa privada, os recursos financeiros destinados a custeio formarão parte da contrapartida da instituição, sendo os recursos deste edital somente poderão ser aplicados em despesas de capital no valor máximo de R$ 70 mil.

ANA BEATRIZ  FARIAS  GRADUANDA DE ENGENH. DE PESCA - FOTO ÉRICO X-3

Para acessar o edital clique aqui

Esterffany Martins – Agência Fapeam

Fotos- Agência Fapeam

 

 

 

O post Abertas inscrições para programa de apoio aos jovens pesquisadores no Amazonas apareceu primeiro em FAPEAM.

Pesquisadores da Fiocruz Amazônia desenvolvem método de diagnóstico molecular da infecção pelos arbovírus Mayaro e Oropouche

Método desenvolvido por pesquisadores do Instituto Leônidas e Marias Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebe aprovação de depósito de patente. Denominado Conjunto de oligonucleotídeos e método para o diagnóstico molecular da infecção pelos vírus Mayaro e Oropouche, a invenção é dos pesquisadores Felipe Gomes Naveca e Valdinete Alves do Nascimento

Com o novo método torna-se possível realizar o diagnóstico molecular da infecção pelos arbovírus Mayaro e Oropouche de maneira simultânea, com alta sensibilidade e especificidade, utilizando a técnica de PCR em Tempo Real.

Valdinete Nascimento e Felipe Naveca. Foto: Eduardo Gomes

Valdinete Nascimento e Felipe Naveca. Foto: Eduardo Gomes

Segundo Naveca, o método já está em uso e o protocolo tem sido utilizado para o estudo de casos humanos suspeitos, mas não confirmados, de Dengue, Zika e Chikungunya, tanto em projetos coordenados por pesquisadores do ILMD, quanto em projetos coordenados por pesquisadores de outras instituições parceiras.

“Temos novos resultados já obtidos com a utilização do protocolo, os quais foram informados ao sistema de vigilância em saúde e estão em fase de redação dos artigos científicos. Fomos contatados por algumas empresas que demonstram interesse pela invenção, estamos conversando”, acrescentou o pesquisador.

OBJETIVOS

A proposta é que o invento se torne uma nova ferramenta na identificação de casos de febre Mayaro e Oropouche, utilizando uma estrutura já existente nos laboratórios centrais dos estados brasileiros.

A ferramenta utiliza estrutura já existente nos laboratórios centrais. Foto Eduardo Gomes

A ferramenta utiliza estrutura já existente nos laboratórios centrais. Foto Eduardo Gomes

Naveca explica que arbovírus são vírus transmitidos por artrópodes como, por exemplo, o vírus da dengue, transmitido principalmente pelo mosquito Aedes aegypti. Existem centenas de arbovírus conhecidos, destes, mais de 30 foram identificados infectando seres humanos.

“Esses números nos mostram que existe o risco de outros vírus se tornarem um importante problema de saúde pública. De fato, a emergência e o avanço epidêmico dos vírus Chikungunya e Zika nos últimos anos, é uma prova irrefutável desse risco. Por este motivo o sistema de vigilância em saúde deve ser dotado de diversas tecnologias, as quais permitam identificar os casos de infecções por vírus emergentes de maneira rápida e confiável”, disse.

O projeto teve como escopo desenvolver e validar estratégias para a detecção de dois arbovírus emergentes e de importância médica, em especial na região Amazônica e foi financiado pelo edital 012/2009 do Programa de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores Programa Primeiros Projetos (PPP-CNPq/Fapeam).

PERSPECTIVA

O pesquisador salienta que a experiência com o depósito do pedido de patente permitiu aos pesquisadores reavaliar o potencial de outras invenções desenvolvidas por seu grupo de pesquisa, e adianta que em breve devem ocorrer novos pedidos de patentes, sempre com o foco de inovação para o SUS.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas