Arquivo da Categoria: Outras

Respeito para todo o espectro: Campanha movimenta Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), no fim de 2007, o dia 2 de abril, é o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Por meio de campanhas e movimentos, monumentos históricos e prédios Institucionais de todo o planeta se iluminam de azul nesta data, para lembrar e chamar a atenção da mídia e da sociedade para o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Em 2020, pela primeira vez, a comunidade envolvida com a causa do autismo no Brasil, segue em uma campanha nacional, com tema único: “Respeito para todo o espectro”, para celebrar a data, usando a hashtag #RESPECTRO nas redes sociais. O objetivo da campanha é conscientizar a população a respeito das enormes diferenças do autismo em cada pessoa, do grande espectro de variedade em relação à maneira como o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) afeta cada indivíduo.

O autismo: Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma condição de saúde caracterizada por déficit em duas importantes áreas do desenvolvimento: comunicação social e comportamento. Não há só um tipo de autismo, mas muitos subtipos, que se manifestam de uma maneira única em cada pessoa.

Usa-se o termo “espectro”, pelos vários níveis de comprometimento. Há desde pessoas com outras doenças e condições associadas (comorbidades), como deficiência intelectual e epilepsia, até pessoas independentes, com vida comum, algumas nem sabem que são autistas, pois jamais tiveram diagnóstico.

A ONU também disponibiliza mais informações a respeito de autismo e o dia “2 de abril” em seu site (https://www.un.org/en/observances/autism-day).

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Divulgação

Feira de Produtos Orgânicos estimula alimentação livre de agrotóxicos

Manter uma alimentação saudável é importante para a correta funcionalidade do corpo humano. A escolha de alimentos saudáveis é um importante gancho para uma população mais ativa, com mais nutrientes no organismo e com menos riscos de ter doenças, como diabetes e hipertensão. Mamão, couve, beterraba, frutas e alguns legumes orgânicos são substituídos por alimentos industrializados.

Como uma alternativa para estimular o consumo de plantas alimentícias não-convencionais (Pancs), o Laboratório Território, Ambiente, Saúde e Sustentabilidade (LTASS) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realizou hoje, 12/3, mais uma edição da Feira de Produtos Orgânicos.

A Feira é coordenada pelo LTASS, em parceria com a Rede Maniva de Agroecologia do Amazonas (REMA), a Coordenação Regional Norte da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente da Fiocruz (Obsma), com apoio da coordenação regional do Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública (Asfoc-AM).

A atividade visa sensibilizar trabalhadores da Fiocruz Amazônia e comunidade do entorno, para a importância da adoção de uma dieta livre de agrotóxicos. “É uma feirinha agroecológica, porque ela tem adubos orgânicos, é composta de agricultores, que realmente plantam, trazem os alimentos e colhem horas antes, para trazê-los ainda frescos. A diferença desses alimentos para qualquer um outro, além de saudáveis, é que ele tem muito mais durabilidade”, comentou Rejane Marques, Assistente de Gestão da Obsma.

O pesquisador e um dos coordenadores do atividade, Marcílio Medeiros, reforça a mudança do comportamento das pessoas com a propagação de mais feiras de produtos orgânicos na cidade, estimulando o consumo responsável dos manauaras.  “A produção orgânica, por meio da agroecologia, que se preocupa também com a qualidade de vida e a saúde dos trabalhadores. Uma forma de apresentar à sociedade uma outra maneira de consumir, mas também saberem que essa produção vem de um local, onde moram pessoas trabalhadoras, que tem um convívio com o ambiente rural, de forma saudável, e que produzem para atender as necessidades das populações urbanas.”

SOBRE ORGÂNICOS

Os produtos orgânicos são cultivados sem o uso de adubos químicos ou agrotóxicos. São considerados produtos limpos e saudáveis e que respeitam o meio ambiente e contribuem para a preservação dos recursos naturais.

A FEIRA

Participam da Feira de Produtos Orgânicos, agricultores da Associação dos Agricultores São Francisco de Assis – Ramal da Cachoeira, entidade ligada à Rede Maniva de Agroecologia do Amazonas (Rema).

Dentre os produtos agrícolas orgânicos comercializados estão hortaliças, frutos regionais de época, plantas medicinais e plantas comestíveis não convencionais, entre outros. Artesanato, alimentos feitos a partir de produtos orgânicos e mudas de plantas também estão na feira.

A próxima edição da Feira acontecerá no dia 16/4, na Rua Teresina, 476, Adrianópolis. Venha conferir!

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Foto: Eduardo Gomes

Fiocruz Amazônia divulga resultado de seleção para aluno especial nos programas PPGBIO-Interação e PPGVIDA

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) divulgou nesta quinta-feira, 20/2, o resultado da Seleção para vagas de aluno especial em disciplinas dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) e em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação), para o 1° semestre de 2020.

Confira o resultado para o PPGBIO-Interação

Confira o resultado para o PPGVIDA

SOBRE O PPGVIDA

O curso de mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos, capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O PPGVIDA também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

SOBRE O PPGBIO-INTERAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro é curso strictu sensu que tem como essência a dinâmica de transmissão das doenças e as interações moleculares e celulares da relação patógeno-hospedeiro no âmbito da maior biodiversidade mundial.

O curso se enquadra na grande área em Parasitologia devido a pesquisa e ensino terem ênfase na eco-epidemiologia e biodiversidade de micro-organismos e vetores; fatores de virulência, mecanismos fisiopatológicos e imunológicos associados na interação parasito-hospedeiro.

Estes diversos aspectos são os principais delineadores para escolha da área de concentração da Ciências Biológicas III, por esta ser uma área multidisciplinar e baseada no eixo bioquímica, genética, biológico, celular e molecular. Os alunos recebem uma formação em áreas estratégicas por sua importância e que precisam ser desenvolvidas no Estado.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Reunião na Fiocruz Amazônia aborda fortalecimento da rede laboratorial de saúde pública no país

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebeu, na última sexta-feira (7/2), a visita de uma comitiva do projeto “Fortalecimento da Rede de Laboratórios de Saúde Pública para Atendimento às Emergências em Vigilância em Saúde”, formada por representantes da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) Brasília e do representante do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), órgão americano responsável por investigar doenças infecciosas.

O projeto tem como objetivo o fortalecimento da rede laboratorial de saúde pública no país, com o foco para atendimento às emergências. A comitiva formada pelos técnicos da Fiocruz-Brasília, Mariana Verotti, Thais Minuzzi e Maria Helena Cunha e do CDC, Leonard Peruski, visitou outros dez laboratórios de saúde pública espalhados no Brasil.

O Vice-Diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca, apresentou as atribuições do Instituto, a produção, e pesquisas desenvolvidas. Os consultores também puderam visitar os laboratórios para conhecerem os processos e infraestrutura do Instituto. Durante uma visita guiada, a comitiva conheceu ainda futuras instalações onde serão desenvolvidos estudos realizados por pesquisadores da instituição.

SOBRE O ILMD/FIOCRUZ AMAZÔNIA

O ILMD/Fiocruz Amazônia é a unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz no Amazonas, que visa contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas, integrando pesquisa, educação e ações de saúde pública. Para o desenvolvimento de suas ações conta com instituições parceiras que apoiam projetos de caráter multidisciplinar e interinstitucional, gerando conhecimentos essenciais para a criação de políticas públicas, que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

 

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Projeto desenvolvidos pela Fiocruz Amazônia são apresentados durante simpósio de pesquisadores em saúde da tríplice fronteira

O instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), em parceria com a Universidade Nacional da Colômbia (UN) – Sede Amazônia – Letícia (COL), promoveu entre os dias 27 e 29/11, o I Simpósio de Pesquisadores em Saúde da Tríplice Fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru. O evento visou promover o encontro científico e interinstitucional, direcionado aos pesquisadores e profissionais da saúde, alunos de graduação e pós-graduação, para divulgar as pesquisas científicas em saúde realizadas na fronteira e incentivar a criação de uma rede de pesquisadores em saúde da tríplice fronteira.

A atividade é resultados de debates, promovidos durante um encontro, realizado em junho de 2019, entre pesquisadores do ILMD/Fiocruz Amazônia, Instituto Oswaldo Cruz – IOC/Fiocruz, Institut de Recherche Pour le Développement (IRD) e pesquisadores da Universidade Nacional da Colômbia – Sede Amazônia (UN), em Letícia (COL), para compartilhar informações sobre ações institucionais e possíveis estratégias para a saúde na fronteira.

Participaram da mesa de abertura do evento, o diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, o diretor da Universidade Nacional da Colômbia – Sede Amazônia (UNAL), Germán I. Ochoa, o coordenador de pesquisa da UNAL, Carlos Zarate, e o secretário de saúde Departamental do Amazonas da Colômbia, Jose Hernan Espejo.

Para Sérgio Luz, o intercâmbio de informações sobre as pesquisas na área da saúde, realizadas na tríplice fronteira entre Brasil Colômbia e Peru, é de grande relevância para a colaboração entre os países. “Hoje estamos aqui para discutir temas de saúde importantes para esses países. A intenção é que esse simpósio retroalimente a ideia inicial da colaboração. Tivemos importantes falas sobre os problemas de saúde durante o evento, para que esse entendimento comece a crescer, e a gente consiga alcançar um objetivo maior de construir conhecimento e relações nesse território, que precisa ser visto como um território único”, disse.

 

No primeiro dia de evento, a vice-diretora de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz Amazônia, Claudia Rios, realizou uma apresentação institucional sobre a Unidade da Fiocruz em Manaus, destacando a importância da formação, e apresentando os programas de pós-graduação e cursos de especialização. Na ocasião, foi abordada também a promoção do Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, oferecido pela Fiocruz Amazônia, em formato presencial em Tabatinga (AM).

O Vice-Diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, apresentou o projeto “Vigilância genômica de vírus emergentes e reemergentes na Amazônia ocidental brasileira”. Já o pesquisador Lee Crainey, apresentou o projeto “Doenças filariais na Amazônia brasileira”.

Representando Sérgio Luz, coordenador do projeto “Controle de Aedes Spp. Com Estações Disseminadoras de Larvicida em Tabatinga (Brasil) e Leticia (Colombia)”, o pesquisador José Joaquim, abordou a implantação do projeto na tríplice fronteira. O estudo iniciou em 2014 nas cidades de Manaus e Manacapuru, no Amazonas. Atualmente, está sendo testado em outras cidades brasileiras e tem apresentado resultados animadores mesmo em diferentes paisagens geográficas e escalas.

Confira a programação do evento

Durante o evento, outros pesquisadores apresentaram trabalhos, representando a Fiocruz Amazônia: Sully Sampaio, do Laboratório de Situação de Saúde e Gestão do Cuidado de Populações Indígenas e outros grupos vulneráveis (SAGESPI), apresentou o projeto “Atenção diferenciada: a formação técnica de agentes Indígenas de saúde do alto rio negro”. Bernardino Albuquerque, coordenador do curso de Especialização em “Vigilância em Saúde na Atenção Básica”, em Tefé, abordou “A importância da implantação de uma sala de situação em Saúde na tríplice fronteira”.

SALA DE SITUAÇÃO EM SAÚDE

Representando a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), José Juan Cortez, apresentou as “Experiência da Organização Pan-americana de Saúde com sala de situação”.  A Sala de Situação em Saúde do Ministério da Saúde, tem por objetivo disponibilizar informações, de forma executiva e gerencial, para subsidiar a tomada de decisão, a gestão, a prática profissional e a geração de conhecimento. Além disso, demonstra a atuação governamental no âmbito do SUS, fornece referencial para projeções e inferências setoriais, além de contribuir para a transparência acerca das ações desenvolvidas na área da saúde.

A sala é dividida em quatro módulos: O socioeconômico apresenta aspectos socioeconômicos, demográficos e territoriais que permitem identificar a situação conjuntural brasileira. Reúne dados políticos de estados e municípios, bem como as representações no poder Legislativo e sua atuação na área da saúde, por meio de emendas e convênios. Já o módulo “Ações em saúde”, possibilita o acompanhamento das metas físicas, coberturas e repasses financeiros relacionados às principais ações e programas do Ministério da Saúde.

“Situação de saúde” é o módulo que disponibiliza indicadores epidemiológicos e operacionais relacionados a doenças e agravos caracterizados como problema de saúde pública, além de auxiliar na elaboração de análises contextuais, utilizadas na formulação de políticas e na avaliação de intervenções específicas no campo da saúde.

Outro setor importante é o de “Gestão em saúde”, que aborda a execução orçamentária do Ministério da Saúde, por unidade orçamentária, programas e ações. Informa os limites financeiros por empenho e por fontes de recurso. Detalha a situação de convênios e apresenta as transferências fundo a fundo, particularizando os repasses financeiros. Exibe informações sobre estabelecimentos e profissionais de saúde em atuação no SUS. Através da sala é possível mostrar indicadores de processo e resultados do monitoramento do Pacto pela Saúde.

“Participamos com muito agrado deste simpósio, para podermos conhecer e apoiar em todas as políticas que estão sendo planejadas e desenvolvidas, a partir de uma experiência que temos vivenciado em outros cenários, também de fronteira. Esperamos estar contribuindo, para fortalecermos dessas políticas através de nossas experiências”, destacou Juan José Cortez Escalante, representante da OPAS.

Ascom – ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Fotos: Eduardo Gomes

Potencial de plantas amazônicas é abordado durante palestra na Fiocruz Amazônia

Na manhã desta segunda-feira, 21/10, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promoveu a palestra “Histórico de uso das plantas amazônicas”, ministrada por Fabiana Frickmann, gestora das RedesFito Amazônia. A atividade faz parte da programação da 16a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), cujo tema na Instituição é “Fiocruz Amazônia e você na semana de C&T (2ª edição): Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”.

A palestra ocorreu na sede da Fiocruz Amazônia e contou, na abertura, com a presença da coordenadora do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIC), Priscila Aquino, da assessora da diretoria, Maria Olívia Simão, e da vice-diretora de Ensino, Informação e Comunicação, Claudia Ríos.

Na abertura do evento, Maria Olívia falou da importância da divulgação científica para o esclarecimento da sociedade sobre assuntos relacionados a ciência e tecnologia, e pediu aos participantes que falem mais sobre ciência com as pessoas no seu entorno, com a finalidade de disseminar a importância da pesquisa para a obtenção de novos saberes. Como convite aos presentes, Dra. Claudia María Ríos Velásquez, ressaltou a intensa agenda de atividades da SNTC da Fiocruz Amazônia.

Pesquisadores, técnicos e bolsistas de iniciação científica participaram da atividade, que teve como principal objetivo capacitar e disseminar informações sobre o histórico da Bioeconomia na Região Amazônica, bem como as possibilidades de plantas medicinais como potenciais fármacos, propriedades industriais e intelectuais.

“Quando se desenvolve uma tecnologia, não se deve ficar guardada. Estratégias de políticas públicas podem ser usadas para isso. O processo evolutivo como se deu e, a partir disso, aprender e fazer de uma forma melhor e mais inovadora. Toda ciência deve ser feita para saúde e prosperidade, correndo o risco de ser utilizada para fins negativos. Mas por isso ninguém mais vai inventar? Não. Mesmo que possa ser utilizada para o mal, o pesquisador tem que estar focado no bem social dessa inovação”, afirmou a pesquisadora.

Durante a palestra, uma linha cronológica foi apresentada, começando em 1835, com as plantas produtoras de látex extraídas da Amazônia para a Malásia, até 2019, com novos produtos com indicação geográfica amazônica, selos de comprovação com o intuito de proteger a natureza das espécies, como a farinha do Vale do Juruá e o abacaxi do Novo Remanso.

Além disso, foram apresentados exemplos de potenciais consolidados de Bioecomia na região, como o caso da Borracha (Hevea brasiliensis), Guaraná de Maués (Paullinia cupana) e Pau-rosa (Aniba rosaeodora). Fabiana ressaltou a importância de engajamento dos estudantes como possíveis pesquisadores do assunto, focando em estudos sobre manejo e pesquisa, a fim de evitar a extração desenfreada e o risco de extinção das espécies.

SOBRE A PALESTRANTE

Fabiana é professora Visitante do Programa de Pós Graduação em Biotecnologia (PPG-BIOTEC/BIONORTE) da Universidade Federal do Amazonas, Doutora em Biotectologia Vegetal (UFRJ), 2012. Atuou como Coordenadora das RedesFito, Professora e orientadora da Pós-Graduação do Curso de “Gestão em Inovação de Fitomedicamentos”. Desenvolve projetos nas áreas de: prospecção biotecnológica, etnoecologia, sustentabilidade socioambiental e gestão nas áreas de Ciência, Tecnologia, Inovação & Saúde. 

Atualmente trabalha na área de Gestão da inovação de produtos de origem natural, ecologia e biotecnologia Vegetal da RedesFito Amazônia.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Fotos: Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia oferece curso de atualização em Organização de Ações de Vigilância, Prevenção e Controle de Agravos Notificáveis para agentes de saúde de Manaus

A primeira turma do curso de atualização em Organização de Ações de Vigilância, Prevenção e Controle de Agravos Notificáveis promovida pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) iniciou as aulas nesta segunda-feira, 30/9, e vai até sexta-feira, 4/10. O curso acontece na sede da Fiocruz no Amazonas, no Salão Canoas, bairro de Adrianópolis, de 8h às 17h.

Participam desta primeira turma Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate a Endemias (ACE) de Manaus. O curso é desenvolvido no âmbito do QualificaSUS, projeto do ILMD/Fiocruz Amazônia para qualificar trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), visando a prestação de um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS,.

Durante a abertura do curso, o diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, falou do desafio de se promover capacitação para todo o Amazonas. “O QualificaSUS surge com a perspectiva de oferecer cursos na área de saúde para todo o Amazonas. Esta é uma turma piloto que contará com os facilitadores, que são nossos apoiadores e que foram selecionados entre mais de 700 pessoas, para ministrar este curso. Eles foram treinados e capacitados para nos ajudar nesse grande desafio: qualificar os profissionais de saúde dos municípios do estado do Amazonas”.

Na oportunidade, Luciana Fabrício, gerente do Distrito de Saúde Rural da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa) disse estar muito feliz com a parceria com a Fiocruz Amazônia e com a oportunidade da capacitação das equipes do Distrito Rural, que são os primeiros a receberem essa qualificação. “Receber esse curso como os primeiros é uma honra e uma grande satisfação. Eu quero agradecer por essa oportunidade, sabemos que não é fácil trazer todos para este curso, mas as nossas ações não param e não podemos relaxar com relação ao nosso trabalho na  endemia. Conseguimos trazer o máximo de agentes para participar do curso”.

Para o pesquisador visitante sênior da Fiocruz Amazônia, Bernardino Albuquerque, a proposta do QualificaSUS, de abrangência dos 62 municípios do estado do Amazonas não é fácil, principalmente para quem conhece o interior. “No entanto, nós vamos ter o apoio e participação efetiva dos nossos facilitadores nesse curso; são profissionais que realmente já estão preparados para desenvolver essa missão. Exatamente eles que vão passar três semanas no interior e uma semana aqui em Manaus e voltar novamente para o interior. Vai ser um trabalho muito duro”, concluiu.

O curso está sendo ministrado por profissionais selecionados na Chamada Pública Nº 006/2019, para atuarem como facilitadores do curso de atualização em Organização de Ações de Vigilância, Prevenção e Controle de Agravos Notificáveis, que será ministrado em todo o Amazonas, para agentes de saúde do SUS.

VAGAS ABERTAS PARA OS MUNICÍPIOS

O ILMD/Fiocruz Amazônia está com inscrições abertas desde o dia 19/9 para o curso de atualização em Organização de Ações de Vigilância, Prevenção e Controle de Agravos Notificáveis, a ser realizado em municípios do Amazonas.

O curso é dirigido aos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate a Endemias (ACE), vinculados às secretarias municipais de saúde dos municípios, e que desempenham suas funções e/ou atividades no cuidado primário à saúde da população.

Confira o Edital Aqui

O curso possui os seguintes objetivos: Conhecer tópicos da dinâmica de transmissão passíveis de intervenções pela atenção básica; Sensibilizar a atenção básica à incorporação de estratégias e ações destinadas à prevenção e controle das doenças de transmissão vetorial; Conhecer ferramentas utilizadas pela educação em saúde para a prevenção e controle das doenças de transmissão vetorial; e, Construir plano de trabalho frente às diferentes realidades na esfera municipal.

As inscrições são gratuitas.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotam modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos estão sendo ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e parceria do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM).

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas 

Palestra abordará importância da Iniciação Científica na vida acadêmica, durante abertura da 16ª Raic da Fiocruz Amazônia

Entre os dias 17 e 19 de junho, o Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realizará a 16ª Reunião Anual de Iniciação Científica (Raic), no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIC) da Fiocruz Amazônia de 2018/2019, com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A abertura do evento será realizada na próxima segunda-feira, 17/6, às 9h, com a palestra “Importância da Iniciação Científica na vida acadêmica: Cientista ou pesquisador?”, que será ministrada pela Dra. Maria das Graças Vale Barbosa, pesquisadora da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), e professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). As apresentações ocorrem no Salão Canoas, auditório da Instituição, situado à Rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Durante a programação, serão apresentados 27 trabalhos de graduandos de diferentes Instituições de Ensino de Manaus, divididos nas seguintes sessões temáticas: Microbiologia, Biotecnologia e Bioprospecção, Parasitologia, Entomologia, Saúde Coletiva e Epidemiologia.

SOBRE A PALESTRANTE

Maria das Graças é graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Amazonas, mestre e doutora em Ciências Biológicas (Entomologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). É pesquisadora da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), e professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Atuou como Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical da UEA/FMT-HVD, Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da UEA, Coordenadora do Departamento de Pesquisa da FMT-HVD.

Atua na área de Zoologia, com ênfase em Entomologia Médica especialmente sobre insetos vetores de parasitos causadores de doença de chagas, Leishmaniose, malária e dengue e reservatórios silvestres de Trypanosoma cruzi e Leishmania spp.

EDUCAÇÃO NA FIOCRUZ

Na terça-feira, 18/6, às 9h, o evento contará com a palestra “Desafios e perspectivas de educação na Fiocruz”, a ser ministrada pela Dra. Cristiani Vieira Machado, Vice-Presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Segundo a coordenadora do PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia, Stefanie Lopes, o objetivo da reunião é divulgar e avaliar os 27 projetos de pesquisa. “Isso é parte do processo de formação, uma experiência única que o aluno possui durante a graduação, muitas vezes é o desenvolvimento do seu primeiro projeto de pesquisa. A RAIC é um momento próprio para o desenvolvimento do aluno”, explicou.

SOBRE O PIC

O Programa de Iniciação Científica (PIC) do ILMD/Fiocruz Amazônia é desenvolvido em parceria com o CNPq e Fapeam, com o objetivo de despertar a vocação científica e incentivar novos potenciais entre estudantes de graduação, além de estimular pesquisadores a envolverem os estudantes em suas atividades científicas, tecnológicas e profissionais. “A ideia é apresentar o mundo científico para os estudantes de graduação de diferentes cursos, no âmbito da Fiocruz, por meio do desenvolvimento de projetos de pesquisa que possuem atuação frente ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou Stefanie Lopes.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Pinheiro

 

 

Seminário Alusivo ao Dia Mundial de Luta Contra a Malária

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) realiza amanhã e quinta-feira (24 e 25/4) o IV Seminário Estadual Alusivo ao Dia Mundial de Luta Contra a Malária, no auditório do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), localizado na avenida Pedro Teixeira, nº 2354, Dom Pedro, Manaus.

Durante o evento, especialistas compartilham suas experiências no combate, controle e tratamento da malária no Estado. O Dia Mundial de Luta Contra a Malária,   25 de abril,  foi  instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2007, com a finalidade de reconhecer o esforço global para o controle efetivo da doença.

Quando? 24 e 25 de abril

Hora?   8h às 18h

Local?  Dia 24/4 – Pré-evento: Oficinas – Local: Sede do Governo (Av. Brasil, 513 – Compensa) e Cetam (Av. Pedro Teixeira, nº 2354, Dom Pedro.

             Dia 25/04 –  Evento: IV Seminário Alusivo ao Dia Mundial de Luta contra a Malária – Local: Auditório Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) à  Av. Pedro Teixeira, nº 2354, Dom Pedro, Manaus – AM.

Confira a programação aqui.

Ascom-ILMD/Fiocruz Amazônia, com informações da FVS-AM
Imagem: Fiocruz Imagens, por Rodrigo Mexas

 

2ª Republicação de Chamada Pública: mestrado acadêmico em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) anuncia a 2ª Republicação da Chamada Pública Nº 002/2019, com alterações no anexo III, referentes ao cronograma do processo seletivo para o curso de mestrado acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA).

Para a republicação acesse http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

O curso é em regime integral e as aulas estão previstas para iniciar dia 9 de setembro deste ano. Ao final do mestrado, o egresso do curso receberá diploma de Mestre em Saúde Pública.

SOBRE O PPGVIDA

O Programa tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

Além disso, o PPGVIDA também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes