Arquivo da Categoria: oficina

SNCT: Oficina incentiva popularização da ciência através de conteúdo audiovisual

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promoveu entre os dias 12 e 14/11, uma oficina gratuita de vídeos digitais para divulgar ciência. Intitulada Digiciência, a atividade reuniu pesquisadores, pós-graduandos e bolsistas de Iniciação Científica.

Em sua 2ª edição, a ação teve o objetivo de promover oficinas de comunicação com a finalidade de orientar os alunos de pós-graduação a desenvolverem a divulgação científica, de forma criativa e lúdica, utilizando a tecnologia e uso do smartphone no processo de comunicação da ciência.

A atividade faz parte da programação da Semana Estadual de Ciência & Tecnologia e conta com fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) por meio do Edital POP CT&I e com recursos do edital de Divulgação Científica da Fiocruz. As aulas foram ministradas pelo jornalista Rômulo Araújo.

“Foi bem interessante ver como eles se encantaram com a possibilidade de cumprir etapas de produção de um vídeo, para divulgar suas próprias pesquisas. Sairão daqui bons materiais, e creio que essa seja mais uma mídia que eles terão para divulgar seus estudos, e consequentemente fazer com que as pessoas envolvidas com o tema que eles atuam, possam ter conhecimento disso”, destacou Araújo.

Através das aulas, os participantes puderam conhecer e manipular softwares específicos para edição que permitem criar vídeos e disponibilizá-los nas plataformas digitais. Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia).

Para a coordenadora técnica da oficina, Cristiane Barbosa, a ideia é “preparar quem produz ciência para levar ao grande público as informações e resultados de pesquisas desenvolvidas nas instituições de pesquisa científica e tecnológica. Além de pós-graduandos e alunos de Iniciação Científica da Fiocruz, estão participando também pessoas que lidam com a ciência de outras instituições”, explicou.

SOBRE A OFICINA

A atividade apresentará possibilidades da utilização de vídeos como recurso tecnológico para popularizar a ciência junto ao público, produzidos pelo próprio aluno de pós-graduação. A ideia central é fornecer aos participantes, algumas ferramentas e estratégias que podem ser utilizadas na produção de conteúdos sobre as pesquisas, experimentos e estudos realizados por eles.

Na oportunidade, o palestrante apresentou também algumas técnicas de produção de vídeos digitais, iniciando pela elaboração do roteiro e elementos de pré-produção, passando pela gravação e pela edição até chegar ao produto final.

Posteriormente, os participantes do evento apresentarão os materiais produzidos (vídeos) a alunos de escolas da rede pública estadual em Manaus, Tabatinga e Presidente Figueiredo. Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia); eventos científicos; DVD com os vídeos para distribuição nos materiais institucionais.

“É um trabalho crucial, pois a construção de um vídeo digital, tem o potencial de instigar reflexões sobre o papel do pesquisador enquanto divulgador científico e ao mesmo tempo propiciar ao grande público, o acesso às pesquisas. Neste sentido, o uso da tecnologia do smartphone como ferramenta digital é essencialmente importante no processo criativo da geração de conteúdo de divulgação científica dos projetos desenvolvidos, visto que todo o material produzido será estrategicamente difundido por todos os meios de comunicação”, ressaltou Cristiane Barbosa.

SOBRE O PALESTRANTE

Rômulo Araújo é jornalista, mestrando em Sociedade e Cultura na Amazônia, com especialização em Design, Comunicação e Multimídia e em Divulgação e Jornalismo Científico na Amazônia. É editor de conteúdo na Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) da Prefeitura de Manaus e professor do curso de Jornalismo no Centro Universitário do Norte – UniNorte/Laureate.

Com dez anos de experiência na área de comunicação, foi videorrepórter, produtor e roteirista de um telejornal local, repórter e âncora de um programa universitário de rádio, bolsista de comunicação científica e freelancer de um portal nacional de notícias e de uma agência internacional de produção de conteúdos, além de autor de iniciativas de produção independe, como conteúdos audiovisuais em série.

Ascom – ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Fiocruz Amazônia oferece Oficina gratuita de vídeos digitais para divulgar ciência

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) está com as inscrições abertas para a 2ª edição da Oficina de Vídeos Digitais para Divulgar Ciência (DigiCiência). A atividade é gratuita e vai ocorrer nos dias 12, 13 e 14/11, das 8h às 12h, na sede do instituto, na Rua Teresina, 476, Adrianópolis. A oficina é voltada para o público externo e interno (pesquisadores, pós-graduandos e bolsistas de Iniciação Científica). Para os participantes, a atividade conta como 30 horas complementares no certificado.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo e-mail: eventos.ilmd@fiocruz.br, por pesquisadores, graduandos e pós-graduandos interessados em divulgar pesquisas em vídeos. Basta informar o nome, CPF, instituição.

O objetivo é de promover oficinas de comunicação com a finalidade de orientar os alunos de pós-graduação a desenvolverem a divulgação científica, de forma criativa e lúdica, utilizando a tecnologia e uso do smartphone no processo de comunicação da ciência.

A atividade faz parte da programação da Semana Estadual de Ciência & Tecnologia e conta com fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) por meio do Edital POP CT&I e com recursos do edital de Divulgação Científica da Fiocruz.

Na oportunidade, os participantes irão conhecer e manipular softwares específicos para edição que permitem criar vídeos e disponibilizá-los nas plataformas digitais. Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia).

SOBRE A OFICINA

A atividade apresentará possibilidades da utilização de vídeos como recurso tecnológico para popularizar a ciência junto ao público, produzidos pelo próprio aluno de pós-graduação.

Na sequência, serão apresentadas algumas técnicas de produção de vídeos digitais, iniciando pela elaboração do roteiro e elementos de pré-produção, passando pela gravação e pela edição até chegar ao produto final.

Serão apresentados softwares específicos para edição, que permitirão aos participantes criar vídeos e disponibilizá-los nas plataformas digitais. Em momento posterior, os participantes do evento apresentarão os materiais produzidos (vídeos) a alunos de escolas da rede pública estadual em Manaus, Tabatinga e Presidente Figueiredo.

Os vídeos produzidos serão disponibilizados também em canais de difusão: plataformas digitais (Youtube, Facebook da Fiocruz Amazônia); eventos científicos; DVD com os vídeos para distribuição nos materiais institucionais.

PROGRAMAÇÃO:

Dia: 12/11 – Local: Laboratório de Informática do ILMD/Fiocruz Amazônia: 8h  –   12h: Apresentação do plano de atividades da oficina; Introdução à linguagem de roteiro. À tarde: participantes deverão captar imagens para a edição do vídeo no dia seguinte.

Dia:13/11 – Local: Laboratório de Informática do ILMD/Fiocruz Amazônia: 8h     –     12h: Produção e edição do vídeo.

Dia: 14/11 – Apresentação dos vídeos e avaliação dos mesmos.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Cristiane Barbosa

Oficina de Comunicação Científica divulga acesso gratuito a informações na área de saúde nas Bibliotecas Virtuais de Saúde

O acesso gratuito e de qualidade a informações científicas sobre saúde foi a tônica da Oficina de Comunicação Científica – ComunicaCiência, realizada na manhã desta quarta-feira, 9/10, na sede do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), com a condução dos facilitadores Ycaro Verçosa e Cristiane Barbosa.

Bibliotecário do ILMD/Fiocruz Amazônia há 13 anos, Ycaro Verçosa compartilhou com o público presente sua vasta experiência em plataformas digitais de informação, destacando nesta Oficina as características e funcionalidades das Bibliotecas Virtuais em Saúde (BVSs) da Fiocruz, divididas por diversas temáticas, como Aleitamento Materno, Saúde Pública, Determinantes Sociais em Saúde, Doenças Infecciosas, Pensamento Social, Bioética e Diplomacia em Saúde, dentre outras.

O especialista em Gestão da Informação também expôs sobre repositórios, em especial o Arca. “Todas as produções científicas desenvolvidas dentro da instituição são publicadas nesse ambiente virtual e podem ser acessadas livremente e de forma gratuita por todos. Basta ter acesso à internet”, explicou ele.

Para o mestre em Biotecnologia, João Victor Verçosa, que participou da Oficina, o conteúdo foi muito esclarecedor e trouxe novas informações para o pesquisador. “Foi muito interessante conhecer essas Bibliotecas Virtuais que podem ser consultadas gratuitamente e com bastante dados na área de saúde”, relatou.

A acadêmica do 6º período do curso de Enfermagem da Faculdade Materdei, Karollyne Coutinho, aprovou a iniciativa da Fiocruz Amazônia na abordagem crucial para interessados na área. “Foi muito profundo todo o conteúdo apresentado por um profissional de alto nível. Quero atuar na pesquisa e essa oficina, sem dúvida, agrega para esse empoderamento do conhecimento”, opinou.

Sobre a ComunicaCiência

A Oficina “ComunicaCiência” faz parte das iniciativas do ILMD/Fiocruz Amazônia em dialogar com a sociedade por meio de estratégias variadas, preconizando que essas ações devam começar com o próprio pesquisador, que deve apresentar seus projetos e resultados, impulsionando a importância do Instituto para a sociedade, por meio das publicações de artigos em revistas e congressos de alta relevância.

A atividade também tem o objetivo de contribuir com o ILMD/Fiocruz Amazônia, visando atingir as metas propostas em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2018-2021), em especial o Programa de Consolidação e Excelência na Pesquisa (Proex-CIÊNCIA), que visa organizar as linhas de ação que sustentam e potencializam a realização de pesquisa de excelência na Unidade, por meio de suas parcerias e interação com a sociedade.

Sobre as Bibliotecas Virtuais em Saúde

As bibliotecas virtuais em saúde são um projeto liderado pelo Centro Latino-americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme / Opas), em conjunto com o Ministério da Saúde, para a ampliação do livre acesso à informação em saúde. O Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT) coordena bibliotecas virtuais em temas variados. A Biblioteca Virtual em Saúde Fiocruz (BVS Fiocruz) reúne o conteúdo de dez bibliotecas temáticas e de outras três biográficas

 ILMD/Fiocruz Amazônia, por Cristiane Barbosa
Fotos: Cristiane Barbosa

Fiocruz Amazônia promove Oficina de Comunicação Científica

Como o tema “Plataformas digitais de Comunicação Científica para a área da Saúde”, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realiza na próxima quarta-feira, 4/10, das 9h às 11h, a Oficina de Comunicação Científica “ComunicaCiência”, que terá como facilitadores o bibliotecário da Fiocruz Amazônia, Ycaro Verçosa e a Jornalista Cristiane Barbosa.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo e-mail: eventos.ilmd@fiocruz.br, por pesquisadores, graduandos e pós-graduandos interessados na temática. Na ocasião, o bibliotecário do ILMD/Fiocruz Amazônia irá abordar sobre as bibliotecas virtuais em saúde, destacando suas principais temáticas nesse campo de pesquisa.

O “ComunicaCiência” faz parte das iniciativas do ILMD/Fiocruz Amazônia em dialogar com a sociedade por meio de estratégias variadas, preconizando que essas ações devam começar com o próprio pesquisador, que deve apresentar seus projetos e resultados, impulsionando a importância do Instituto para a sociedade, por meio das publicações de artigos em revistas e congressos de alta relevância.

O ILMD/Fiocruz Amazônia articula de forma estratégica a formação de base para os discentes e pesquisadores na área de comunicação científica, ofertando uma sequência de oficinas temáticas denominada “ComunicaCiência: – Oficina de Comunicação Científica para pós-graduandos e bolsistas do ILMD/Fiocruz Amazônia”.

A atividade também visa contribuir com o ILMD/Fiocruz Amazônia, visando atingir as metas propostas em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2018-2021), em especial o Programa de Consolidação e Excelência na Pesquisa (Proex-CIÊNCIA), que visa organizar as linhas de ação que sustentam e potencializam a realização de pesquisa de excelência na Unidade, por meio de suas parcerias e interação com a sociedade.

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Fapeam encerra ciclo de oficinas do PCE para professores

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) encerrou nesta sexta-feira (17/5) o ciclo de oficinas preparatórias para elaboração de projetos do Programa Ciência na Escola (PCE). A última oficina foi realizada para professores de escolas estaduais de Manaus, no auditório do Centro de Formação Profissional Pe. José Anchieta (Cepan), da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc-AM), localizado bairro Japiim, zona Centro-Sul de Manaus.

Quase 300 professores  participaram da capacitação, cujo objetivo foi orientá-los sobre assuntos relacionados ao  novo edital  do PCE, que recebe propostas até o dia 29 de maio.

17.05.2019 - PALESTRA SEDUC - EDITAL PCE - FOTOS ÉRICO X._-8

Última oficina do PCE foi realizada para professores de escolas estaduais de Manaus. Foto: Érico Xavier

A oficina foi ministrada pela professora Maria Fulgência Bandeira, em conjunto com a professora Geisy Rebouças, e abordou temas como montar e executar um projeto de pesquisa e como submeter propostas ao programa, por meio do sistema da Fapeam, dentre outros assuntos.

“A ideia é fazer os docentes pensarem como professor cientista para orientar e estimular seus alunos à iniciação científica. Nas oficinas, os professores foram bem participativos e esclareceram dúvidas referentes ao  PCE. Os questionamentos são relacionados à parte técnica do edital, mas os professores também entendem que existe um rigor científico por parte do programa. Isso é algo muito bom, porque faz com que o professor busque algo além do que ele já faz na sala de aula”, comentou Maria Fulgência.

17.05.2019 - PALESTRA SEDUC - EDITAL PCE - FOTOS ÉRICO X._-62

Oficina tem objetivo de orientar os professores sobre assuntos relacionados ao novo edital do PCE. Foto: Érico Xavier

PCE

Desenvolvido pela Fapeam, em parceria com a Seduc/AM e Secretaria Municipal de Educação de Manaus (Semed), o programa tem como objetivo despertar a vocação científica e incentivar talentos entre os estudantes de ensino público, bem como contribuir para o processo de formação continuada dos professores.

O PCE apoia a participação de professores do 5º ao 9º ano do ensino fundamental, da 1ª à 3ª série do ensino médio e suas modalidades: Educação de Jovens e Adultos, Educação Escolar Indígena, Atendimento Educacional Específico e Projeto Avançar, em projetos de pesquisa a serem desenvolvidos em escolas públicas estaduais do Amazonas e municipais de Manaus.

Acesse o edital do Programa Ciência na Escola

Por Jessie Silva

O post Fapeam encerra ciclo de oficinas do PCE para professores apareceu primeiro em FAPEAM.

Professores do interior participam de oficina do Programa Ciência na Escola

Professores de 28 municípios do Amazonas assistiram a transmissão da oficina de elaboração e submissão de projeto ao Programa Ciência na Escola (PCE) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), que ocorreu nesta sexta-feira (10/5), por meio do Centro de Mídias da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino do Amazonas (Seduc-AM).

Durante a abertura, a diretora técnico-científica da Fapeam, Marne Vasconcellos, destacou a importância da oficina na orientação aos professores para elaboração de projetos criativos e de qualidade voltados ao PCE.

Marne Vasconcellos destacou também as novidades da edição 2019 do PCE, dentre essas o aumento no número de projetos que saltou de 540 para 600, e o aumento no valor das bolsas para estudantes que saiu de R$120 para R$150, além do aumento no valor das bolsas para professores que agora será de R$560.

“O PCE é um programa pioneiro no país, voltado para educação básica do Amazonas e que este ano completa 15 anos. Para comemorar teremos uma premiação para os melhores projetos do Programa, ao final desta edição”, disse.

10.05.2019 - Oficina PCE 2019  - Centro de Mídias   -- Fotos Érico Xavier._-12

Oficina de elaboração e submissão de projeto ao PCE ocorreu no Centro de Mídias da Seduc-AM

Segundo o coordenador institucional do PCE pela Seduc-AM, Mailson Rafael Ferreira, a oferta da oficina é um mecanismo de incentivo ao aumento das inscrições de projetos.

“As vagas são divididas por região e muitas vezes temos dificuldade em preencher as do interior. A oficina vem com objetivo de capacitar os professores e incentivá-los a submeter seus projetos. A expectativa é dobrar o número de projetos inscritos. Muitos professores esperam as orientações das oficinas para finalizarem seus projetos. Então, esperamos que depois dessa transmissão mais submissões sejam efetivadas”, comentou.

Oficinas do PCE

As oficinas são voltadas para professores de escolas estaduais do Amazonas e de escolas municipais de Manaus interessados em participar e concorrer ao edital do PCE, que recebe propostas até o dia 29 de maio.

No Centro de Mídias, a oficina foi ministrada pela professora Maria Fulgência Bandeira, em conjunto com a professora Geisy Rebouças. Na ocasião, foi orientado como montar e executar um projeto de pesquisa, bem como detalhados pontos do edital do PCE como: passo a passo para submeter propostas ao programa,  requisitos exigidos no edital, critérios usados para seleção e avaliação, compromissos do coordenador e bolsista, entre outros assuntos.

“Na oficina explicamos, por exemplo, como executar uma pesquisa para ter sucesso e orientamos como preencher o formulário de projeto de pesquisa, sua execução e a importância de ter um relatório final, como produto do que foi feito ao longo do programa”, disse Maria Fulgência.

O professor José Roberto Azevedo, da Escola Estadual Suzana de Jesus Azedo, em Parintins, assistiu a transmissão da oficina. Ele afirma que o momento foi importante para esclarecer dúvidas em relação ao edital do PCE.

José Roberto participou do PCE na edição de 2017 e pretende submeter proposta este ano ao programa.

Para o professor Mikail Queiroz, da Escola Estadual Professora Mirtes Rosa de Mendonça Lima, em Itacoatiara, a oficina ajudou com as orientações feitas de forma direta e simples, o que facilitou aprendizado.

“Toda oficina feita com objetivo de melhorar, incentivar e esclarecer as dúvidas sobre o PCE é de grande valia e importância. A oficina proporcionou aos professores incentivo e uma facilidade na elaboração e submissão de seus projetos ao programa”, disse.

A próxima oficina será realizada no dia 17/5 para professores de escolas estaduais de Manaus, no  Centro de Formação Profissional Pe. José Anchieta (Cepan) da Seduc/AM, no bairro Japiim II, zona Sul de Manaus.

PCE

Desenvolvido pela Fapeam, em parceria com a Seduc/AM e Secretaria Municipal de Educação de Manaus (Semed), o programa tem como objetivo despertar a vocação científica e incentivar talentos entre os estudantes de ensino público, bem como contribuir para o processo de formação continuada dos professores.

O PCE apoia a participação de professores do 5º ao 9º ano do ensino fundamental, da 1ª à 3ª série do ensino médio e suas modalidades: Educação de Jovens e Adultos, Educação Escolar Indígena, Atendimento Educacional Específico e Projeto Avançar, em projetos de pesquisa a serem desenvolvidos em escolas públicas estaduais do Amazonas e municipais de Manaus.

Acesse o edital do Programa Ciência na Escola

Por Esterffany Martins e Mariana  Filizola

O post Professores do interior participam de oficina do Programa Ciência na Escola apareceu primeiro em FAPEAM.

Oficina de elaboração e submissão de projeto no edital do PCE

Professores de municípios do Amazonas serão os primeiros a receberem a oficina de orientação sobre elaboração e submissão de projeto no Programa Ciência na Escola (PCE) que ocorre nesta sexta-feira,10/5,  por meio do Centro de Mídias da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino do Amazonas (Seduc/AM).

Durante a oficina ministrada pela professora doutora, Maria Fulgência Bandeira, será feito um panorama sobre o edital, desde objetivo do PCE, bem como apresentado aos professores o passo a passo para submeter propostas ao programa. Também serão reforçados pontos como requisitos exigidos no edital, critérios usados para seleção e avaliação, além de compromissos do coordenador e bolsista.

Desenvolvido pela Fapeam, em parceria com a Seduc/AM e Secretaria Municipal de Educação de Manaus (Semed), o PCE está com edital aberto e recebe propostas até o dia 29 de maio. O programa tem o objetivo de despertar a vocação científica e incentivar talentos entre os estudantes de ensino público, bem como contribuir para o processo de formação continuada dos professores.

A próxima oficina será realizada no sábado, 11/5, para professores de escolas municipais de Manaus na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM)/ Gerência de Tecnologia Educacional (GTE),  no bairro Nossas Senhoras da Graças.

PCE

 A nova edição do PCE estima apoiar até 600 projetos, sendo até 200 projetos de escolas estaduais e municipais de Manaus e 400 projetos de escolas estaduais do interior do Amazonas.

Pioneiro no país, o PCE completa 15 anos de criação em 2019. Em comemoração a data haverá premiação para os melhores projetos deste ano. No final do programa os professores também poderão publicar artigos científicos em revista especial do PCE.

 O PCE apoia a participação de professores do 5º ao 9º ano do ensino fundamental, da 1ª à 3ª série do ensino médio e suas modalidades: Educação de Jovens e Adultos, Educação Escolar Indígena, Atendimento Educacional Específico e Projeto Avançar, em projetos de pesquisa a serem desenvolvidos em escolas públicas estaduais do Amazonas e municipais de Manaus.

 

Acesso o edital do Programa Ciência na Escola

Por Esterffany Martins

O post Oficina de elaboração e submissão de projeto no edital do PCE apareceu primeiro em FAPEAM.

Fapeam promove capacitação sobre processos administrativos para seus colaboradores

Baseada na Lei Estadual N° 2.794/2003, que regula o processo administrativo no âmbito da Administração Pública Estadual, os colaboradores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) participam da 1ª Oficina de Processos Administrativos (Composição e Tramitação). O treinamento ocorre  de 25 a 27/02,  na sede da instituição, no bairro Flores, zona Centro-Sul de Manaus.

A oficina ministrada pelo assessor jurídico da Fapeam, José Dantas Cyrino Junior, tem o objetivo de orientar os colaboradores sobre a regulamentação dos processos administrativos da Fundação, de acordo com as exigências e normas gerais estabelecidas pela lei, visando, em especial, a proteção dos direitos dos administrados e o melhor cumprimento do interesse público

Primeira Oficina de Processos Adminst. da Fapeam - Fotos Érico X-11

Oficina ministrada pelo assessor jurídico da Fapeam, José Dantas Cyrino Junior para os colaboradores

“A importância dessa orientação é para dar celeridade na tramitação dos processos administrativos da Fapeam, bem como segurança jurídica nos atos praticados nos referidos processos”, explicou Cyrino.

Para a diretora-presidente da Fapeam, Márcia Perales, a capacitação é importante para que os colaboradores possam desenvolver da melhor forma possível o trabalho, conforme a responsabilidade e competência atribuída a cada um.

“Na oficina vamos orientar sobre questões inerentes à legislação vigente para evitar erros e reafirmar esforços e acertos” disse.

Para a servidora Deborah Batista, da Gerência de Orçamentos (Geor), as oficinas estão sendo importantes para ampliar o conhecimento do corpo técnico e também para  propiciar oportunidades de melhorias em cada setor.

Para que todos os setores da Fundação possam se beneficiar com a oportunidade de ampliação de conhecimentos dos seus colaboradores, foram distribuídos por turmas.

Por Jessie Silva 

Fotos:  Érico Xavier e Barbara Brito

O post Fapeam promove capacitação sobre processos administrativos para seus colaboradores apareceu primeiro em FAPEAM.

PPGVIDA promove oficina para discentes sobre publicações científicas

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) realizou entre os dias 11 e 15 de dezembro, a oficina Publicações Científicas, voltada para discentes do programa. A atividade foi ministrada pelos pesquisadores sêniores do ILMD, Bernardo Horta, da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), e Carlos Coimbra, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Segundo a coordenadora do PPGVIDA, Maria Luiza Garnelo, a oficina visa apoiar os discentes que concluíram o mestrado, no intuito de agilizar as publicações que expressarão produtos do processo formador no PPGVIDA, e que também são requisito de avaliação do programa na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Para Horta, o trabalho de construção junto aos alunos tem o objetivo principal de desenvolver produtos que possam ser publicados em periódicos da área. “A ideia é trabalhar com os alunos que já concluíram o mestrado a transformação das dissertações em artigos, para que sejam submetidos a periódicos científicos. Estamos trabalhando com eles aspectos relacionado a como escrever um artigo”, explicou Horta.

Indexação, país da revista, classificação no Qualis da CAPES para a área de Saúde Coletiva, foram alguns dos temas abordados durante a oficina, em relação ao maior questionamento dos discentes: Em qual revista publicar? “Conversamos para que eles saibam o que é, como funciona, mas deixando aberto para que eles possam fazer suas escolhas”, salientou Coimbra.

O Qualis Periódicos é uma das ferramentas utilizadas para a avaliação dos programas de pós-graduação no Brasil. Tem como função auxiliar os comitês de avaliação no processo de análise e de qualificação da produção bibliográfica dos docentes e discentes dos programas de pós-graduação credenciados pela CAPES. Ao lado do sistema de classificação de capítulos e livros, o Qualis Periódicos é um dos instrumentos fundamentais para a avaliação do quesito produção intelectual, agregando o aspecto quantitativo ao qualitativo.

Coimbra destacou ainda que a iniciativa do programa é de grande relevância nesse processo acadêmico. “Essas oficinas são importantes, pois o tempo do mestrado raramente é suficiente para os alunos defenderem, cumprirem com todos os créditos e ter um artigo publicado, visto que esse é um processo que demora muito. Alguns estão escrevendo o primeiro artigo científico, então essa oportunidade que está sendo oferecida para os alunos aqui do ILMD é extremamente relevante, pois abre portas para estimular os alunos a tornem público os resultados dos seus estudos.

SOBRE O PPGVIDA

O Programa tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O PPGVIDA visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

 

 

PPGVIDA promove oficina para discentes sobre publicações científicas

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) realizou entre os dias 11 e 15 de dezembro, a oficina Publicações Científicas, voltada para discentes do programa. A atividade foi ministrada pelos pesquisadores sêniores do ILMD, Bernardo Horta, da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), e Carlos Coimbra, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Segundo a coordenadora do PPGVIDA, Maria Luiza Garnelo, a oficina visa apoiar os discentes que concluíram o mestrado, no intuito de agilizar as publicações que expressarão produtos do processo formador no PPGVIDA, e que também são requisito de avaliação do programa na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Para Horta, o trabalho de construção junto aos alunos tem o objetivo principal de desenvolver produtos que possam ser publicados em periódicos da área. “A ideia é trabalhar com os alunos que já concluíram o mestrado a transformação das dissertações em artigos, para que sejam submetidos a periódicos científicos. Estamos trabalhando com eles aspectos relacionado a como escrever um artigo”, explicou Horta.

Indexação, país da revista, classificação no Qualis da CAPES para a área de Saúde Coletiva, foram alguns dos temas abordados durante a oficina, em relação ao maior questionamento dos discentes: Em qual revista publicar? “Conversamos para que eles saibam o que é, como funciona, mas deixando aberto para que eles possam fazer suas escolhas”, salientou Coimbra.

O Qualis Periódicos é uma das ferramentas utilizadas para a avaliação dos programas de pós-graduação no Brasil. Tem como função auxiliar os comitês de avaliação no processo de análise e de qualificação da produção bibliográfica dos docentes e discentes dos programas de pós-graduação credenciados pela CAPES. Ao lado do sistema de classificação de capítulos e livros, o Qualis Periódicos é um dos instrumentos fundamentais para a avaliação do quesito produção intelectual, agregando o aspecto quantitativo ao qualitativo.

Coimbra destacou ainda que a iniciativa do programa é de grande relevância nesse processo acadêmico. “Essas oficinas são importantes, pois o tempo do mestrado raramente é suficiente para os alunos defenderem, cumprirem com todos os créditos e ter um artigo publicado, visto que esse é um processo que demora muito. Alguns estão escrevendo o primeiro artigo científico, então essa oportunidade que está sendo oferecida para os alunos aqui do ILMD é extremamente relevante, pois abre portas para estimular os alunos a tornem público os resultados dos seus estudos.

SOBRE O PPGVIDA

O Programa tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O PPGVIDA visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes