Arquivo da Categoria: Micologia

Infecções fúngicas e potencial biotecnológico dos fungos são abordados durante 9ª edição do Congresso Brasileiro de Micologia

A programação do 9º Congresso Brasileiro de Micologia, que iniciou na última segunda-feira, 24/6, em Manaus, conta com diversos minicursos, simpósios, conferências e mesas-redondas. Coordenada pela pesquisadora, Ormezinda Celeste Fernandes, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), a mesa-redonda “Potencial biotecnológico dos fungos” abordou as seguintes temáticas: “Produção de asparaginase por Fungos”, “Produção de enzimas industriais por Trichoderma SP”, e “La tecnología que acompaña nuestro futuro podría estar bio-inspirada em la micodiversidad nativa: una plétora de actividades promisorias al hacer micoprospección en Manaus, Amazonas”.

As apresentações foram realizadas pelos pesquisadores, Adalberto Pessoa Junior (USP/SP), Ines Fariña (PROIMI/CONICET) da Argentina, Ayla Sant’Ana da Silva (INT/MCTIC), Kamila Tomoko Yuyama (Embrapa Amazônia Ocidental). “Coordenamos uma mesa-redonda sobre a importância biotecnológica dos fungos, onde a gente consegue ver essa parceria que existe entre os Institutos, através de trabalhos apresentados sobre a nossa biodiversidade, mostrando o potencial que estes microorganismos possuem, cada vez mais fortalecendo a pesquisa no país”, explicou Ormezinda Fernandes.

INFECÇÕES FÚNGICAS E POTÊNCIAL BIOTECNOLÓGICO

Os pesquisadores Manoel Marques Oliveira, do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), e Ziadir Coutinho, médico dermatologista do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Farias da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/FIOCRUZ), fizeram parte da mesa-redonda “Infecções fúngicas versus notificação compulsória”. Manoel abordou o tema “Esporotricose: perfil de virulência das espécies e epidemiologia molecular dessa doença de notificação compulsória”, e Ziadir falou sobre “A face oculta da criptococose: mortalidade no Brasil (2000-2012)”.

Para Manoel Oliveira, é de fundamental importância que a abordagem tenha ocorrido em uma região como a Amazônia, onde os relatos de casos de esporotricose são poucos. “Foi uma ótima oportunidade para conversarmos sobre esporotricose, em uma região que a gente ainda tem poucos relatos de caso, mas que acreditamos já existir uma expansão para a região norte. Através desta oportunidade é importante criarmos novas redes de trabalho, possibilitando aumentar esse diagnóstico de esporotricose, nos ajudando a entender melhor esses fatores de virulência dessas espécies, e incentivando o desenvolvimento de ações de saúde pública”, destacou.

SELO POSTAL

Durante o primeiro dia de evento, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos promoveu o lançamento da Coleção Emissão Postal Especial – Série Mercosul: Diversidade de Fungos. A emissão ilustra a diversidade dos fungos e é composta por 6 selos. Os fungos retratados são a Gaiola-de-bruxa-amarela (Clathrus chrysomycelinus), a Gaiola-de-bruxa-de-colunas (Clathrus columnatus), a Estrela-da-terra-violeta (Geastrum violaceum), o Leque-de-anjo (Hydnopolyporus fimbriatus), a Galinha-da-mata (Laetiporus gilbertsonii) e o Fungo-de-porcelana (Oudemansiella cubensis).

De acordo com a equipe, todas as espécies de fungos, representadas nos selos, são decompositores de matéria orgânica que contribuem com a reciclagem de nutrientes e manutenção dos ecossistemas terrestres. Ao todo, foram lançados 240 mil selos exemplares divididos em seis grupos, vendidos a R$ 1,60 cada. A coleção faz parte da série Mercosul, e as peças estarão disponíveis nas agências de todo o país e também na loja virtual dos Correios.

RECURSOS BIOLÓGICOS

Nesta terça-feira, 25/6, Manuela da Silva, assessora da Vice-presidência de Pesquisa e Coleções Biológicas (VPPCB/Fiocruz) palestrou sobre “Rede Brasileira de Centros de Recursos Biológicos”, durante a mesa-redonda “Coleções de culturas fúngicas no Brasil: Tendências e potencialidades”. Na quinta-feira, 27/6, ela palestrará sobre “Lei da biodiversidade: (Lei 13.123/15 e decreto 8.772/16): impactos nas atividades P&D e atualizações, em edição especial do centro de estudos da Fiocruz Amazônia.

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde. Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras, na sede da Fiocruz Amazônia. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

PÚBLICO

O evento é destinado a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores, técnicos de nível médio e superior, profissionais liberais (médicos, odontólogos, farmacêuticos, biólogos, biomédicos, veterinários entre outros), representantes da área industrial, e gestores relacionados a políticas públicas em saúde, ciência e tecnologia.

PARCEIROS

O IX Congresso Brasileiro de Micologia tem como realizadores a Sociedade Brasileira de Micologia (SBMy), o ILMD/Fiocruz Amazônia, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), a Embrapa-Amazônia Ocidental, e a Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). Conta com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da  Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp),  da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) e da Fapeam.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

 A 9ª edição do Congresso Brasileiro de Micologia começou hoje em Manaus

Começou o hoje, 24/6,  em Manaus,  o IX Congresso Brasileiro de Micologia. O evento é promovido pela Sociedade Brasileira de Micologia (SBMy) e acontece até quinta-feira, 27/6, no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques, na avenida Constantino Nery, bairro de Flores.

Durante a abertura, Maria Aparecida de Jesus, presidente da Comissão Organizadora do evento, falou da importância da realização do Congresso Brasileiro de Micologia em Manaus, uma conquista que já vinha sendo almejada há alguns anos pelos pesquisadores da Região.

Segundo a vice-presidente do evento e pesquisadora do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Ani Beatriz Matsuura, o Congresso é uma ótima oportunidade de se reunir no Amazonas um grande número de pesquisadores brasileiros e de outros países para discutirem o que está acontecendo hoje área de micologia. “Estamos na expectativa de termos um ótimo evento. A Fiocruz tem vários pesquisadores participando da programação, tanto na área de micologia médica quanto para falar sobre o Sistema Nacional de Gestão do Patrimônio Genético e do Conhecimento Tradicional Associado (SisGen)”.

Sérgio Luz, diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, ressaltou a importância do evento, especialmente por abordar a micologia, uma das áreas de estudo da Fiocruz. “Os fungos têm diversos potenciais, não só biotecnológicos, mas também para a área da saúde. Então, este evento torna possível divulgar-se o que vem sendo trabalhado na parte de biotecnologia, de produção de insumos para a saúde, e de estudos com fungos que causam doenças. Além disso, permite uma integração maior entre as instituições brasileiras que atuam nessa área”.

Para Marcia Perales, diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas  (Fapeam), apoiar um evento da magnitude do Congresso de Micologia para que ele seja realizado em Manaus é relevante para os estudantes da área, para os pesquisadores,  instituições de ciência, tecnologia e inovação e para a população. “É um importante evento que fortalece uma das linhas de sustentação da Fapeam, que é a difusão e popularização da ciência. Então, isso permite diálogos, discussões, interlocuções, e faz com que a ciência fique mais perto da sociedade, por meio dos resultados que são divulgados”.

Na programação do evento estão minicursos, incursões micológicas, conferencias, apresentações de trabalhos, concurso de fotografia, Prêmio Augusto Chaves Batista, e apresentações de pôsteres.  Acesse a programação no site www.cbmicologia2019.com.br, ou clique.

PÚBLICO

O evento é destinado a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores, técnicos de nível médio e superior, profissionais liberais (médicos, odontólogos, farmacêuticos, biólogos, biomédicos, veterinários entre outros), representantes da área industrial, e gestores relacionados a políticas públicas em saúde, ciência e tecnologia.

PARCEIROS

O IX Congresso Brasileiro de Micologia tem como realizadores a Sociedade Brasileira de Micologia (SBMy), o ILMD/Fiocruz Amazônia, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), a Embrapa-Amazônia Ocidental, e a Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). Conta com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da  Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp),  da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) e da Fapeam.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Érico Xavier (Fapeam)

Micologia e diversidade dos fungos serão temas de congresso em Manaus

Estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores, e demais profissionais da área de saúde podem se preparar para importante evento que este ano será realizado em Manaus. Trata-se do IX Congresso Brasileiro de Micologia, que acontece no período de 24 a 27 de junho, no Centro de Convenções do Amazonas – Vasco Vasques, no bairro de Flores, zona centro-oeste da cidade.

O Congresso é promovido pela Sociedade Brasileira de Micologia, e é um importante evento científico que reúne programação extensa para abordar micologia e a diversidade dos fungos e dos ecossistemas amazônicos. abrangendo oito eixos temático

São parceiros da Sociedade Brasileira de Micologia neste evento, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Universidade do Estado do Amazonas (UEA),  Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Embrapa-Amazônia Ocidental, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A Comissão organizadora do evento tem como presidente, Maria Aparecida de Jesus (Inpa), 1ª vice-presidente, Ani Beatriz Matsuura (ILMD/Fiocruz Amazônia), e 2 ª vice-presidente, Jânia Lilia Bentes (Ufam).

SUBMISSÃO DE TRABALHOS

A submissão de trabalhos será online, e os resumos devem ser enviados até o dia 25 de março, nas seguintes áreas temáticas: Micologia ambiental e aplicada; Micologia Biológica; Micologia Industrial; e Micologia Médica. Os resumos aceitos serão divulgados no dia 30 de abril.

Saiba mais sobre o formato dos resumos e elaboração de pôsteres aqui

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

Palestras, minicursos, mesas-redondas, apresentação de trabalhos e incursões a campo estão programadas para o evento. A conferência de abertura Severe fungal infection: this is often not a pathogen, será ministrada por Sybren de Hoog, do Westerdijk Fungal Biodiversity Institute, da Holanda.

Confira a programação completa.

Acesse o site do evento para mais informações sobre IX Congresso Brasileiro de Micologia.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas