Arquivo da Categoria: laboratório

Fiocruz Amazônia realiza o Seminário Final do Programa Institucional de Estruturação dos Laboratórios

Na última sexta-feira, 6/3, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realizou o Seminário Final do Programa Institucional de Estruturação dos Laboratórios (LABsAMAZÔNIA), parceria realizada entre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A reunião contou com apresentações e compartilhamento de informações entre laboratórios, pesquisadores e alunos dos cursos de pós graduação da unidade, com o intuito de prestação de contas dos projetos em execução da Instituição. Além disso, foram apresentados os 8 editais lançados da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), com temática de interiorização e oportunidades de capacitação externa.

Conheça mais sobre os seis projetos em execução do ILMD/Fiocruz Amazônia:

Consolidação do Laboratório de Diagnóstico e Controle de Doenças Infecciosas da Amazônia

O Projeto “Consolidação do Laboratório de Diagnóstico e Controle de Doenças Infecciosas da Amazônia”, do laboratório de Diagnóstico e Controle e Doenças Infecciosas da Amazônia (DCDIA), coordenado por Patricia Orlandi e vice-coordenado por Paulo Nogueira.

O objetivo principal do projeto é estruturar e solidificar as competências e objetivos de pesquisas trabalhadas em torno da grande área temática de “Resistência de patógenos de importância na Amazônia: da Vigilância a Novos Tratamentos”, com três enfoques principais: controle da malária, bacteriologia e virologia.

O grupo publicou 80 artigos, sendo 11,2% com co-autoria dentro do laboratório.

Projeto Integral do Laboratório Território, Ambiente, Sustentabilidade e Saúde

O Projeto Integral do Laboratório Território, Ambiente, Sustentabilidade e Saúde (TASS), coordenado por Flor Ernestina Martinez Espinosa.

Os objetivos do projeto envolvem: contribuição com o fortalecimento do Programas de Pós-graduação (PPGs) do ILMD Fiocruz Amazônia; elaboração de um projeto estruturante do Laboratório; incentivo da formação continuada e permanente dos membros do laboratório, participando de congressos para divulgação dos resultados das pesquisas.

Dinâmica de Doenças Transmissíveis por Insetos na Amazônia: Aspectos epidemiológicos em áreas rurais e urbanas e interações parasito-hospedeiro

O Projeto “Dinâmica de Doenças Transmissíveis por Insetos na Amazônia: Aspectos epidemiológicos em áreas rurais e urbanas e interações parasito-hospedeiro”, do Laboratório Ecologia de Doenças Transmissíveis na Amazônia (EDTA), coordenado por Felipe Pessoa.

O objetivo principal é a consolidação, conclusão e complementação dos resultados dos projetos, coordenados por pesquisadores do laboratório, para serem concretizados em forma de publicações em revistas de alto impacto e em eventos científicos importantes nas áreas temáticas.

O laboratório atua como referência para Vigilância de vírus emergentes e reemergentes, principalmente na capacitação do Laboratório Central do Estado (LACEN), dos estados de Roraima (RR), Mato Grosso do Sul (MS) e Amazonas (AM), no diagnóstico molecular do vírus Oropouche, Mayaro, B19, sarampo e rubéola.

O grupo publicou 22 artigos, sendo em 14 revistas diferentes.

Estruturação do Laboratório de Diversidade Microbiana da Amazônia de Importância para a Saúde

O Projeto de “Estruturação do Laboratório de Diversidade Microbiana da Amazônia de Importância para a Saúde”, do Laboratório Diversidade Microbiana da Amazônia com Importância para a Saúde (DMAIS), coordenado por Ormezinda Fernandes.

O objetivo principal é a contribuição para a consolidação do laboratório juntamente ao Instituto Leônidas e Maria Deane, como um grupo de pesquisa multidisciplinar visando o desenvolvimento institucional.

O grupo submeteu 23 artigos, entre os quais 18 foram publicados.

Território Líquido e as Políticas Públicas de Saúde na Amazônia:  Uma Análise da Atenção Básica em Áreas Rurais, Ribeirinhas, Indígenas, de Várzea e de Fronteira

O Projeto “O Território Líquido e as Políticas Públicas de Saúde na Amazônia:  Uma Análise da Atenção Básica em Áreas Rurais, Ribeirinhas, Indígenas, de Várzea e de Fronteira”, do Laboratório de História, Políticas Públicas e Saúde na Amazônia (LAHPSA), coordenado por Julio César Schweickardt.

O objetivo principal é a análise do desenvolvimento da política nacional da atenção básica em saúde nos territórios do Amazonas, além de fortalecer a produção de pesquisas na área de políticas públicas.

O grupo publicou quatro livros, com acesso livre, e participou de conferências municipais.

Estudo Exploratório das Condições de Vida, Saúde e Acesso aos Serviços de Saúde de Populações Rurais Ribeirinhas de Manaus e Novo Airão, Amazonas

O Projeto “Estudo Exploratório das Condições de Vida, Saúde e Acesso aos Serviços de Saúde de Populações Rurais Ribeirinhas de Manaus e Novo Airão, Amazonas”, do Laboratório de Situação de Saúde e Gestão do Cuidado de Populações Indígenas e outros grupos vulneráveis (SAGESPI), coordenado por Maria Luiza Garnelo.

O objetivo principal é a investigação das situações de saúde, perfil de acesso e uso de serviços de saúde de atenção primária à saúde de populações rurais do município de Manaus.

Os números do grupo contam com 20 artigos publicados e 8 submetidos, além de 12 mapas elaborados, 36 localidades, 5 UBSs e 287 domicílios georreferenciadas.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues

 

 

Com experimentos nos estudos de Química e Física, alunos produzem perfume em sala de aula

Muito comercializado na indústria de cosméticos, o perfume é usado por grande parte das pessoas e pode até marcar a vida delas, fazendo reviver emoções, pessoas e lugares. Agora, já imaginou aprender o processo de produção de um perfume? Essa foi a experiência que o professor Roberth José Pereira Fernandes colocou em prática entre seus alunos do Ensino Médio, ao utilizar o processo de extração de essências naturais para a produção de perfume como didática nas aulas de Química e Física.

PCE - PERFUME - FOTOS ÉRICO X._-2

O experimento fez parte de projeto desenvolvido com estudantes do 1º ao 3º ano do Ensino Médio da Escola Estadual de Tempo Integral Profª Lecita Fonseca Ramos, localizada no bairro Monte das Oliveiras, zona norte de Manaus. A iniciativa contou com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa Ciência na Escola (PCE).

 O professor destaca que a proposta foi a de contextualizar os conteúdos ministrados dentro de sala de aula, nas disciplinas de Química e Física, por meio da extração de essências das plantas encontradas na horta escolar para a produção de perfumes, utilizando práticas experimentais.

 “A iniciativa da produção de perfumes caseiros no laboratório de química com os alunos é uma forma de auxiliar no estudo de temas abordados e estudados na disciplina, como estruturas, misturas, soluções, densidade de uma solução e concentração, essências, visto que também são usados no processo de produção dos perfumes”, conta.

PCE - PERFUME - FOTOS ÉRICO X._-19

 Experiência – No projeto, o professor e os alunos construíram uma espécie de destilador artesanal, feito com materiais alternativos de baixo custo e fácil acesso, como panela de pressão, garrafão PET de 20 litros, cobre e torneiras. Os instrumentos foram utilizados na extração de essências naturais de plantas cultivadas dentro da horta escolar, como capim-limão, capim-cidreira, manjericão, hortelã, dentre outras.

 “Foram desenvolvidas técnicas de separação, medição de volume, densidade, concentração e massa de produtos químicos, para a produção dos perfumes, foram feitas a mistura das essências produzidas pelo destilador, e no fim foi feita uma avaliação de verificação dos conhecimentos científicos adquiridos durante o processo e desenvolvimento do projeto”, acrescentou.

 Aprendizado – Esta é a segunda vez que Vitória Lima Sampaio, participa de um projeto do PCE. A estudante está no 1° ano e comenta a importância da atividade que alia teoria e prática em sala de aula. “Assuntos ministrados dentro de sala de aula colocados em prática nos estimula bastante. Tive a oportunidade de aprender através da prática na produção de perfume e obter mais conhecimento”, disse.

 Paulo Gilberto Viana Junior, do 3° ano, destaca que o projeto proporcionou aprendizado e conhecimento único. “Pude perceber que o projeto me ajudou bastante. Eu, no caso, não tenho dificuldade nas disciplinas de Química e Física, porém a participação do projeto contribuiu ainda mais para o conhecimento dessas matérias. Tirei bom proveito desse experimento, e acho que utilizar o método de aula prática ajuda muito no aprendizado do aluno”, disse.

 Ciência na Escola – O Programa Ciência na Escola (PCE) é uma iniciativa da Fapeam, realizada em parceria com a Secretaria de Educação e Desporto, e Secretaria de Municipal de Educação (Semed). O programa visa a participação de professores e alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, da 1ª a 3ª série do Ensino Médio e suas modalidades: Educação de Jovens e Adultos, Educação Escolar Indígena, Atendimento Educacional Específico e Projeto Avançar, para despertar a vocação científica e incentivar talentos.

Por Jessie Silva

Fotos: Érico Xavier

O post Com experimentos nos estudos de Química e Física, alunos produzem perfume em sala de aula apareceu primeiro em FAPEAM.

Reunião na Fiocruz Amazônia aborda fortalecimento da rede laboratorial de saúde pública no país

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebeu, na última sexta-feira (7/2), a visita de uma comitiva do projeto “Fortalecimento da Rede de Laboratórios de Saúde Pública para Atendimento às Emergências em Vigilância em Saúde”, formada por representantes da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) Brasília e do representante do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), órgão americano responsável por investigar doenças infecciosas.

O projeto tem como objetivo o fortalecimento da rede laboratorial de saúde pública no país, com o foco para atendimento às emergências. A comitiva formada pelos técnicos da Fiocruz-Brasília, Mariana Verotti, Thais Minuzzi e Maria Helena Cunha e do CDC, Leonard Peruski, visitou outros dez laboratórios de saúde pública espalhados no Brasil.

O Vice-Diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca, apresentou as atribuições do Instituto, a produção, e pesquisas desenvolvidas. Os consultores também puderam visitar os laboratórios para conhecerem os processos e infraestrutura do Instituto. Durante uma visita guiada, a comitiva conheceu ainda futuras instalações onde serão desenvolvidos estudos realizados por pesquisadores da instituição.

SOBRE O ILMD/FIOCRUZ AMAZÔNIA

O ILMD/Fiocruz Amazônia é a unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz no Amazonas, que visa contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas, integrando pesquisa, educação e ações de saúde pública. Para o desenvolvimento de suas ações conta com instituições parceiras que apoiam projetos de caráter multidisciplinar e interinstitucional, gerando conhecimentos essenciais para a criação de políticas públicas, que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

 

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Fungos patogênicos no ambiente amazônico serão tema do Centro de Estudos de sexta, 21/7

Estudar a diversidade de microrganismos da Amazônia com importância para a saúde, tanto como causadores de doenças quanto como produtores de compostos bioativos e determinar o perfil epidemiológico de doenças causadas por microrganismos da Amazônia, assim como fazer a genotipagem e fenotipagem desses microrganismos são objetivos do Laboratório Diversidade Microbiana da Amazônia com Importância para a Saúde (DMAIS) do Instituto Leônidas e & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

Para falar sobre os avanços alcançados pelo grupo da Micologia do Laboratório (DMAIS/ILMD) em estudos para determinar a presença de fungos patógenos no ambiente Amazônico e sua caracterização, a pesquisadora Ani Beatriz Jackisch Matsuura vai ministrar nesta sexta-feira, 21/7, a palestra Fungos Patogênicos no Ambiente Amazônico.

A apresentação faz parte da programação do Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia e acontecerá no Salão Canoas, às 9h, na sede do Instituto, à rua Teresina, 476, Adrianópolis.

A pesquisadora explica que os fungos estão presentes em diversos tipos de substratos naturais devido a sua grande capacidade de adaptação. A maioria dos fungos são sapróbios, ou seja, decompõem matéria orgânica para nutrirem-se, no entanto, existem vários fungos patógenos (capazes de causar doenças).  “A Amazônia apresenta condições especiais de clima e de vegetação para o desenvolvimento dos fungos nesse ambiente; determinando onde há maior presença de fungos patógenos e conhecendo quais são, poderemos desenvolver medidas protetoras para evitar as infecções fúngicas no homem”, adianta Ani Jackisch Matsuura.

SOBRE A PALESTRANTE

Ani Beatriz Jackisch Matsuura é graduada em Biologia pela Universidade de Santa Cruz do Sul, mestre em Biologia de Fungos pela Universidade Federal de Pernambuco e doutora em Ciência de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente, é pesquisadora do ILMD/Fiocruz Amazônia.

Atua na área de Microbiologia, com ênfase em Micologia, especialmente em micologia médica, taxonomia, genotipagem e ecologia de fungos patogênicos.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: arquivo pessoal da pesquisadora