Arquivo da Categoria: Fiocruz

Projeto da Fiocruz Amazônia estimula vocações científicas entre meninas e mulheres

Em celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), por meio do  Laboratório Território, Ambiente, Saúde e Sustentabilidade na Amazônia (TASS), recebeu nesta terça-feira, 11/2, meninas entre 7 e 14 anos, oriundas do movimento popular de moradia urbana, e de ações de assistência aos imigrantes venezuelanos em Manaus, para um ciclo de atividades promovidas pelo projeto “Numiô-Momôro: Meninas cientistas da Amazônia”.

As atividades promovidas pelo projeto do ILMD/Fiocruz Amazônia, possuem como foco central a promoção de atividades educativas e a aproximação das meninas ao universo científico. Durante o evento, as meninas puderam participar de dinâmicas, jogos e rodas de conversas, além de conhecer a trajetória de pesquisadoras que atuam na área de ciência, tecnologia e inovação, visando fomentar vocações científicas entre meninas e adolescentes através do conhecimento.

O projeto “Numiô-Momôro: Meninas cientistas da Amazônia” foi aprovado na chamada interna da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz): ”Mais meninas na Fiocruz”, que tem por objetivo incentivar e fortalecer o papel fundamental que mulheres desempenham nas áreas de pesquisas científicas e tecnológicas.

Tais ações reafirmam o empenho da Instituição e a importância da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (ONU / 2015), que tem como estratégia principal a adoção de objetivos e metas universais para “proteger os direitos humanos e promover a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres e meninas em todos os níveis”.

Sérgio Luz, diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia destacou a importância da promoção de diversas atividades fomentadas pela Fiocruz em todo o país. “Hoje, todas as unidades da Fiocruz no Brasil estão promovendo ações de reflexão, de conversa, para que possamos falar sobre isso. É importante que essas meninas e mulheres possam se apropriar, prestar atenção e crescer com esse orgulho de serem mulheres que podem atuar na área científica, fazendo uma ciência ainda melhor para o cuidado da nossa população”, ressaltou.

O PROJETO NUMIÔ-MOMÔRO

Numiô-Momôro é uma expressão do idioma indígena Ye’pâ Masa (conhecido na literatura como Tukano, falado pelo povo de mesmo nome, habitante da região do Alto Rio Negro, no noroeste da Amazônia) e significa “Menina -Borboleta”. As palavras remetem a ideia de transformação que o projeto busca fomentar, proporcionando o estímulo de vocações científicas entre meninas e adolescentes.

“A ideia principal é estimular meninas e mulheres a terem esse contato com o mundo científico. Houve um esforço da Instituição, para desta vez trazermos crianças que possuem uma série de dificuldades em acessar esse universo. A Fiocruz assumiu isso como um compromisso institucional nacionalmente, esperamos que futuras ações do projeto tenham uma acolhida ainda maior por parte dos pesquisadores e novos apoiadores”, destacou Fabiane Vinente, coordenadora do projeto.

MULHERES E MENINAS NA CIÊNCIA

O Dia foi instituído pela Assembleia das Nações Unidas, em 22 de dezembro de 2015, com objetivo de propiciar ações que possam vir a contribuir para a promoção do acesso integral e igualitário da participação de mulheres e meninas na ciência, tecnologia e inovação.

A data é um movimento liderado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pela Organização das Nações Unidas (ONU Mulheres). Outras atividades também serão promovidas em diversas unidades da Fiocruz, celebrando a data e confirmando o compromisso da Fundação em propiciar espaços para a discussão sobre gênero, ciência e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que compõem a Agenda 2030.

Rayssa Lima da Rocha, 14, avaliou a experiência de maneira positiva. “Achei muito legal a conversas com as pesquisadoras, até me senti mais estimulada a estudar mais e quem sabe me tornar uma cientista. Achei muito curioso as apresentações sobre os mosquitos, o que eles transmitem, eu nem fazia ideia. Acho que serei uma cientista”, disse.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes e Diovana Rodrigues

 

Reunião na Fiocruz Amazônia aborda fortalecimento da rede laboratorial de saúde pública no país

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebeu, na última sexta-feira (7/2), a visita de uma comitiva do projeto “Fortalecimento da Rede de Laboratórios de Saúde Pública para Atendimento às Emergências em Vigilância em Saúde”, formada por representantes da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) Brasília e do representante do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), órgão americano responsável por investigar doenças infecciosas.

O projeto tem como objetivo o fortalecimento da rede laboratorial de saúde pública no país, com o foco para atendimento às emergências. A comitiva formada pelos técnicos da Fiocruz-Brasília, Mariana Verotti, Thais Minuzzi e Maria Helena Cunha e do CDC, Leonard Peruski, visitou outros dez laboratórios de saúde pública espalhados no Brasil.

O Vice-Diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca, apresentou as atribuições do Instituto, a produção, e pesquisas desenvolvidas. Os consultores também puderam visitar os laboratórios para conhecerem os processos e infraestrutura do Instituto. Durante uma visita guiada, a comitiva conheceu ainda futuras instalações onde serão desenvolvidos estudos realizados por pesquisadores da instituição.

SOBRE O ILMD/FIOCRUZ AMAZÔNIA

O ILMD/Fiocruz Amazônia é a unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz no Amazonas, que visa contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas, integrando pesquisa, educação e ações de saúde pública. Para o desenvolvimento de suas ações conta com instituições parceiras que apoiam projetos de caráter multidisciplinar e interinstitucional, gerando conhecimentos essenciais para a criação de políticas públicas, que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

 

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Projeto “Numiô-Momôro” da Fiocruz Amazônia promove ciclo de atividades no Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

Na próxima terça-feira, 11/2, às 13h30, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), por meio do  Laboratório Território, Ambiente, Saúde e Sustentabilidade na Amazônia (TASS), promove um ciclo de atividade do projeto “Numiô-Momôro: Meninas cientistas da Amazônia”, em celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência.

O evento é aberto ao público e será realizado no Salão Canoas, auditório da Fiocruz Amazônia, que fica situada à Rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona Centro-sul de Manaus. A atividade é realizada em parceria com o Movimento Orquídeas e o coletivo feminista amazonense Instituto Mana.

Participarão da atividade meninas entre 7 e 14 anos, oriundas do movimento popular e moradia urbana e de ações de assistência aos imigrantes venezuelanos em Manaus.

Confira a programação AQUI

Durante o evento, estão previstas dinâmicas, jogos e rodas de conversas com mulheres que atuam na área de ciência, tecnologia e inovação, visando fomentar vocações científicas entre meninas e adolescentes através do conhecimento sobre carreira e vida de pesquisadoras em atuação na Fiocruz Amazônia.

As atividades promovidas pelo projeto do ILMD/Fiocruz Amazônia, no Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, possuem como foco central a promoção de atividades educativas e a aproximação das meninas ao universo científico.

Tais ações reafirmam o empenho da Instituição e a importância da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (ONU / 2015), que tem como estratégia principal a adoção de objetivos e metas universais para “proteger os direitos humanos e promover a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres e meninas em todos os níveis”.

SOBRE O PROJETO NUMIÔ-MOMÔRO

O projeto “Numiô-Momôro: Meninas cientistas da Amazônia” foi aprovado na chamada interna da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz): ”Mais meninas na Fiocruz”, que tem por objetivo incentivar e fortalecer o papel fundamental que mulheres desempenham nas áreas de pesquisas científicas e tecnológicas.

Numiô-Momôro é uma expressão do idioma indígena Ye’pâ Masa (conhecido na literatura como Tukano, falado pelo povo de mesmo nome, habitante da região do Alto Rio Negro, no noroeste da Amazônia) e significa “Menina -Borboleta”. As palavras remetem a ideia de transformação que o projeto busca fomentar, proporcionando o estímulo de vocações científicas entre meninas e adolescentes.

“Historicamente, as mulheres sempre estiveram envolvidas com a ciência, temos grande nomes de cientistas que fizeram e fazem história até hoje, mas há uma sub-representação das mulheres no meio científico. É muito importante que a Fiocruz tenha essa iniciativa, pois ajuda a mudar esse quadro, aproximando essas meninas do fazer científico”, destacou Fabiane Vinente, coordenadora do projeto.

MULHERES E MENINAS NA CIÊNCIA

O Dia foi instituído pela Assembleia das Nações Unidas, em 22 de dezembro de 2015, com objetivo de propiciar ações que possam vir a contribuir para a promoção do acesso integral e igualitário da participação de mulheres e meninas na ciência, tecnologia e inovação.

A data é um movimento liderado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pela Organização das Nações Unidas (ONU Mulheres). Outras atividades também serão promovidas em diversas unidades da Fiocruz, celebrando a data e confirmando o compromisso da Fundação em propiciar espaços para a discussão sobre gênero, ciência e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que compõem a Agenda 2030.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Estudo da Fiocruz Amazônia comprova transmissão de leishimaniose visceral por novo vetor

Você sabe o que é leishmaniose? Uma enfermidade antes restrita a zonas rurais, mas que com as alterações ambientais, como desmatamento e queimadas, tornou-se também um problema dos espaços urbanos.

A leishmaniose pode ser definida como uma doença infecciosa não contagiosa, causada pelo protozoário do gênero Leishmania, essa doença é transmitida pelo inseto hematófago, flebotomíneo. Mas, no dialeto popular, é conhecida como ferida brava ou calazar. “Aquela ferida que não sara nunca, que se você não tomar a medicação correta, não vai ter cura, vai se espalhar pelo corpo ou vísceras. Uma parasitose,  que pode ocorrer no corpo todo”, explica Eric Marialva, mestre em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro, pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), que abordou a temática durante a realização de sua dissertação de mestrado.

Para compreender mais sobre a leishmaniose visceral, em especial sobre o protozoário Leishmania infantum chagasi e as formas de transmissão da doença, Eric Marialva, sob orientação do pesquisador Felipe Arley Costa Pessoa, desenvolveram o estudo “Bionomia de Migonemyia migonei (Diptera, Psychodidae, Phlebotominae) em condições experimentais”.

O estudo teve como principais resultados, a comprovação de um novo vetor de Leishmania infantum chagasi, novos métodos de criação em massa de Migonemyia migonei em laboratório e redescrição das fases imaturas desse vetor, que pode está causando  preocupações à saúde básica por transmitirem doenças viscerais no Brasil e na Argentina.

As  oito espécies de Leishmania catalogadas que causam enfermidades à humanos no Brasil são: Leishmania (V) braziliensis, Leishmania (V) guyanensis, Leishmania (V) lainsoni, Leishmania (L) amazonenses, Le.(V) shawi, Le. (V) naiffi e Le. (V) lindenbergi, sendo essas sete causadoras da forma tegumentar   e Leishmania (L) chagasi, da forma visceral

PESQUISA

A pesquisa de Eric Marialva enfatizou mais um vetor para se tomar cuidado no combate, já que o inseto Migonemyia migonei está vivendo ao mesmo tempo com a outra espécie já conhecida das pessoas, o Lutzomyia longipalpis. Então, as duas espécies preocupam e exigem para seu controle, cuidados com a limpeza do ambiente, para evitar a proliferação desses mosquitos.

O estudo definiu características morfológicas das larvas do flebotomíneo, para destacar aspectos como a taxonomia (classificação, descrição e identificação dos organismos), filogenia (relação evolutiva entre grupos de organismos) e a evolução.

Outra importante descoberta está relacionada às condições de colonização de Migonemyia migonei em laboratório, com o intuito de verificar informações relevantes sobre o inseto, como ciclo de vida, fertilidade, fecundidade, longevidade e preferência de oviposição (deposição de ovos por fêmeas de animais invertebrados). Essas informações serviram para auxiliar na colonização em massa dessa espécie em condições laboratoriais.

O estudo verificou ainda, o desenvolvimento do modelo de transmissão de Leishmania infantum chagasi, através da picada de indivíduos colonizados. “Um dos experimentos realizados foi a infecção de Migonemyia migonei com Leishmania infantum chagasi. Após sete dias era feita a transmissão para um vertebrado em modelo murino. Conseguimos fazer a  transmissão em vivo”, relata Eric Marialva, sobre os métodos e experiências utilizadas no estudo.

Com esse estudo, foi possível incriminar mais um vetor de Leishmania infantum chagasi na América Latina. Essa informação aciona um alerta para a Vigilância em Saúde, pois mais um vetor é capaz de transmitir a leishmaniose.

Para saber mais sobre a pesquisa, acesse aqui o artigo na íntegra.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Fotos / Imagens: Acervo EDTA/ILMD Fiocruz Amazônia

 

 

PPGVIDA e PPGBIO-Interação abrem inscrições para vagas de aluno especial

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) informa a abertura de vagas para inscrição de aluno especial em disciplinas dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) e em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação), para o 1° semestre de 2020.

Para se inscrever, os candidatos devem preencher formulário de inscrição, disponível no site institucional, tanto para o PPGVIDA, como para o PPGBIO-Interação. Após preenchimento, o formulário deverá ser impresso, assinado pelo candidato e anexado juntamente com outros documentos estabelecidos no edital.

Os candidatos devem enviar os documentos solicitados em chamada pública, para o e-mail alunoespecial.ilmd@fiocruz.br nos dias 10 e 11 de fevereiro de 2020. O envio da inscrição será considerado até as 21h59 (horário de Manaus) do último dia.

A seleção dos candidatos ocorrerá no período de 14 a 19 de fevereiro de 2020.

Para saber mais, confira na Plataforma SIGA, as disciplinas ofertadas, o formulário de inscrição, o edital e demais informações, para aluno especial do PPGVIDA e para aluno especial do PPGBIO – Interação.

QUEM PODE SE INSCREVER:

  • Alunos de outros cursos de pós-graduação stricto sensu da Fiocruz;
  • Alunos de outros cursos de pós-graduação stricto sensu de outras instituições públicas e/ou privadas;
  • Alunos de curso de pós-graduação lato sensu da Fiocruz;
  • Alunos de outros cursos de pós-graduação lato sensu de outras instituições públicas e/ou privadas;
  • Candidatos com curso de pós-graduação lato sensu concluído, que não estejam no momento da inscrição fazendo outro curso de lato sensu ou cursando stricto sensu.

DISCIPLINAS OFERTADAS:

As disciplinas ofertadas no PPGVIDA e a quantidade de vagas, respectivamente, são: Tópicos especiais em saúde coletiva: Geografia da Saúde (6); Microbiologia em Saúde Pública (10); Tópicos especiais em saúde coletiva: Alimentação e nutrição das populações amazônicas (6); APS e Redes de Saúde em Cenários Amazônicos (15); Epidemiologia II (6).

Para o PPGBIO – Interação, as disciplinas ofertadas para aluno especial, são: Interação da Relação Patógeno Hospedeiro I (3); The art of reading a paper (4); Metodologia da Pesquisa (3); Interação da Relação Patógeno Hospedeiro II (5).

SOBRE O PPGVIDA

O curso de mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos, capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O PPGVIDA também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

SOBRE O PPGBIO-INTERAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro é curso strictu sensu que tem como essência a dinâmica de transmissão das doenças e as interações moleculares e celulares da relação patógeno-hospedeiro no âmbito da maior biodiversidade mundial.

O curso se enquadra na grande área em Parasitologia devido a pesquisa e ensino terem ênfase na eco-epidemiologia e biodiversidade de micro-organismos e vetores; fatores de virulência, mecanismos fisiopatológicos e imunológicos associados na interação parasito-hospedeiro.

Estes diversos aspectos são os principais delineadores para escolha da área de concentração da Ciências Biológicas III, por esta ser uma área multidisciplinar e baseada no eixo bioquímica, genética, biológico, celular e molecular. Os alunos recebem uma formação em áreas estratégicas por sua importância e que precisam ser desenvolvidas no Estado.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Imagem: Mackesy Nascimento

PPGVIDA convoca alunos estrangeiros para matrícula institucional

Os candidatos estrangeiros aprovados no processo seletivo, para ingresso no Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) devem realizar a matrícula institucional nos dias 27 e 28 de fevereiro.

A convocação de matrícula para alunos estrangeiros está disponível na Plataforma Siga,  da Fiocruz, em  http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

Os aprovados devem comparecer munidos dos documentos necessários, conforme descritos na Chamada Pública n° 007/2019 e republicações, de 8h às 12h e de 13h às 16h, na Secretaria Acadêmica (SECA), da Fiocruz Amazônia, situada à Rua Teresina, 476 – bairro Adrianópolis, Manaus – AM.

O candidato que, no prazo destinado a matrícula institucional, não comparecer para efetivar a matrícula ou não cumprir as exigências de documentação anteriormente especificadas, não poderá se matricular. Neste caso, o próximo em lista de espera, de acordo com a ordem de classificação e linha de pesquisa, se houver, será convocado.

Para saber mais, acesse Chamadas Públicas do ILMD/ Fiocruz Amazônia.

SOBRE O PPGVIDA

O curso de Mestrado de Condições de vida e situações de saúde na Amazônia tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos, capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O programa também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

Ascom/ILMD Fiocruz Amazônia, por Diovana Rodrigues
Imagem: Mackesy Nascimento

Fiocruz Amazônia convoca aprovados no PPGBIO-INTERAÇÃO para matrícula institucional

Candidatos aprovados no processo seletivo, para ingresso no Curso de Mestrado Acadêmico  do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biologia da lnteração Patógeno Hospedeiro – (PPGBIO-INTERAÇÃO) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) devem realizar a matrícula institucional entre os dias 17 e 19 de fevereiro.

Os convocados devem comparecer munidos dos documentos necessários, conforme descritos na Chamada Pública de Seleçâo – n N.008/2019, de 8h às 12h e de 13h às 16h, na Secretaria Acadêmica (SECA), da Fiocruz Amazônia, situada à Rua Teresina, 476 – bairro Adrianópolis, Manaus – AM.

As aulas terão início no dia 2 de março de 2020, às 8h, no Salão Canoas da Instituição

SOBRE O PPGBIO-INTERAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação) tem como essência a dinâmica de transmissão das doenças e as interações moleculares e celulares da relação patógeno-hospedeiro, no âmbito da maior biodiversidade mundial.

O PPGBIO-Interação se enquadra na grande área em Parasitologia devido a pesquisa e ensino terem ênfase na ecoepidemiologia e biodiversidade de micro-organismos e vetores; fatores de virulência, mecanismos fisiopatológicos e imunológicos associados na interação parasito-hospedeiro.

Para mais informações, consulte a chamada pública por meio da Plataforma Siga. Para esclarecimento de dúvidas, o candidato poderá ligar (092) 3621-2302 ou encaminhar e-mail para seca.ilmd@fiocruz.br

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Fiocruz Amazônia abre inscrições para cursos de atualização em 39 municípios do Amazonas

Iniciam nesta terça-feira, 21/1, as inscrições para o processo de seleção pública simplificada de candidatos, para ingresso nos Cursos de Atualização em Organização de Ações de Vigilância, Prevenção e Controle de Agravos Notificáveis e/ou Organização de Ações de Monitoramento de Agravos Imunopreveníveis, em parceria com o Conselho Dos Secretários Municipais De Saúde Do Amazonas – COSEMS-AM e a Prefeitura Municipal de cada um dos municípios apresentados no Edital, através das respectivas Secretarias Municipais de Saúde.

A capacitação é voltada aos Agentes Comunitários de Saúde – ACS e Agentes de Combate a Endemias – ACE, dos municípios do interior do estado, apresentados nesta Chamada Pública, vinculados às Secretarias Municipais de Saúde dos respectivos municípios, e que desempenham suas funções e/ou atividades no cuidado primário à saúde da população do município. No município de Manaus, serão dirigidos unicamente aos ACE’s.

Confira AQUI o Edital

Os cursos serão de 40 horas e as vagas para cada um desses municípios, estão dispostas em turmas de até 50 (cinquenta) alunos cada. Os cursos, cujas vagas são oferecidas nesta Chamada Pública, ocorrerão na sede de cada um dos municípios participantes.

Para esta Chamada Pública, estão sendo oferecidas 3.000 vagas (três mil), em 39 (trinta e nove) municípios, como parte da meta de agentes dos municípios do estado do Amazonas. Os cursos serão ministrados em período integral (matutino e vespertino), em cinco dias corridos, nas datas estabelecidas no Edital.

Os egressos desses cursos receberão certificado de Atualização, desde que assegurado o cumprimento de, no mínimo, 75% de presença às atividades do Curso.

INSCRIÇÕES

Será de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde dos municípios listados no Anexo I e II e do COSEMS-AM, a inscrição e a seleção desses profissionais para participação no curso de Atualização, cabendo ao ILMD/Fiocruz Amazônia o acompanhamento do estrito cumprimento aos critérios de seleção definidos nesta Chamada Pública.

Na cidade de Manaus, a inscrição será unicamente para os ACE’s e a responsabilidade da seleção será da Escola de Saúde Pública de Manaus, situada na Av. Professor Nilton Lins, 3259, Bloco D – Parque das Laranjeiras. Para inscrição, o ACE ou ACS deverá apresentar à Secretaria de Saúde do Município, os documentos solicitados no edital.

RESULTADO

A divulgação da lista de candidatos selecionados, será publicada no site do ILMD/Fiocruz Amazônia, no seguinte endereço  ( https://amazonia.fiocruz.br/?page_id=28031 ) e na sede da Secretaria Municipal de Saúde do município, no caso do município de Manaus, no site da ESAP (www.semsa.manaus.am.gov.br).

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

 

 

 

Estudo sobre o primeiro sequenciamento completo de genoma do sarampo na América Latina está na lista Top 10 Accessed do Memórias do IOC

Pesquisa sobre  sequenciamento completo do primeiro genoma de uma amostra selvagem do vírus do sarampo obtida na América Latina está lista Top 10 Accessed do periódico científico Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, volume 114, sob o título Molecular characterisation of the emerging measles virus from Roraima state, Brazil, 2018.

O estudo foi realizado por pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), da Secretaria de Estado da Saúde de Roraima e do Ministério da Saúde. O vírus foi obtido a partir da urina de um paciente, da cidade de Boa Vista, em Roraima.

A reconstrução filogenética agrupou o genoma estudado com amostras da Austrália (2015), Coréia do Sul (2016) e Itália (2017). Os dados obtidos fortalecem o conhecimento atual sobre a epidemiologia molecular do sarampo e permitem aprofundar a compreensão dinâmica da doença, a partir do sequenciamento completo do vírus.

Os dados obtidos fortalecem o conhecimento atual sobre a epidemiologia molecular do sarampo e permitem aprofundar a compreensão dinâmica da doença, a partir do sequenciamento completo do vírus.

São autores da pesquisa Cátia Alexandra Ribeiro Meneses, Valdinete Alves do Nascimento, Victor Costa de Souza, Rodrigo Melo Maito, Marconi Aragão Gomes, Claudeth Rocha Santa Brígida Cunha, Ilma de Aguiar Antony, Maria Eliane Oliveira e Silva, Daniela Palha de Souza Campos, André de Lima Guerra Corado, Karina Pinheiro Pessoa, Dana Cristina da Silva Monteiro, Osnei Okumoto, Marília Coelho Cunha, Flávia Caselli Pacheco, e Felipe Gomes Naveca.

SARAMPO NO AMAZONAS

Segundo dados da edição 43, do Boletim Epidemiológico de Surto de Sarampo no Amazonas, de 26 de fevereiro de 2019, da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), referente ao período da Semana Epidemiológica 06/2018 a 08/2019, foram notificados 11.422 casos suspeitos de sarampo provenientes de 50 municípios no Estado, desses,  9.804  foram confirmados, sendo a maioria (82,2%) provenientes da capital Manaus.

SOBRE O SARAMPO

O sarampo é considerado uma doença infecciosa grave, que pode evoluir para óbito. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, no entanto é evitável por meio de vacina. Segundo a FVS-AM, o comportamento endêmico/epidêmico do sarampo varia de um local para outro e depende, basicamente, da relação entre o grau de imunidade/suscebilidade da população e da circulação do vírus na área.

CONCLUSÃO

Segundo os pesquisadores, a principal conclusão da análise de inferência filogenética a partir do conjunto de dados estudados foi que a sequência descrita estudada não se agrupa com as sequências obtidas durante o surto de sarampo em Pernambuco, em 2013. Esse resultado sugere que os vírus do sarampo que causaram os surtos no Brasil em 2013 e 2018 não tiveram a mesma origem. Por outro lado, a falta de sequências de nucleotídeos disponíveis de outras amostras de sarampo D8 dificultam uma análise mais detalhada da transmissão local desse genótipo de sarampo no Brasil e na América Latina.

O estudo foi financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Capes), Departamento de Ciência e Tecnologia, do Ministério da Saúde (Decit/MS) e Fiocruz.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: Eduardo Gomes

 

Inscrições para curso de especialização em Gestão das Organizações Públicas de Saúde são prorrogadas até 20/1

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) prorrogou até o dia 20/01, as inscrições para o processo seletivo do curso de pós-graduação lato sensu em Gestão das Organizações Públicas de Saúde, que será realizado no município de Maués (AM).

Confira aqui a republicação do edital.

O curso é gratuito e podem participar da seleção profissionais com nível superior, que atuam no município de Maués e arredores, desempenhando atividades na área de gestão da Atenção Básica da Saúde.

A especialização é promovida pelo ILMD/Fiocruz Amazônia e acontece no âmbito do Projeto QualificaSUS. Para esta ação, a Fiocruz Amazônia conta com parceria do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-AM).

Para o curso estão sendo ofertadas 50 vagas. A especialização tem duração de 12 meses, tempo em que o aluno deverá cursar 400 horas em disciplinas e realizar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Esclarecimentos sobre os documentos e envio da inscrição podem ser solicitados somente através do endereço eletrônico duvidaslato.ilmd@fiocruz.br. Para se inscrever, o candidato deve apresentar a documentação solicitada no edital. A inscrição é feita apenas por e-mail. Para efetivar sua inscrição, o candidato deve enviar toda documentação exigida, digitalizada em um único arquivo, no formato “pdf” de até 10MB, para o endereço eletrônico inscricaolato.ilmd@fiocruz.br

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores que atuam gestão e no atendimento das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São oferecidos cursos de atualização, especialização e mestrado que adotam modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do trabalhador, entendido como sujeito das práticas desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos estão sendo ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com recursos oriundos de emenda parlamentar da bancada do Amazonas. Atualmente, a Fiocruz Amazônia, por meio do Projeto QualificaSUS, realiza um curso de mestrado profissional, em Manaus,  mais 3 cursos  de pós-graduação lato sensu, que acontecem nos municípios de Tabatinga, Itacoatiara e Tefé, além de 33 cursos de atualização para profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS) nos municípios do Amazonas.

Para acessar este edital e demais chamadas públicas da Fiocruz Amazônia, clique.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento