Arquivo da Categoria: Fiocruz

Palestra do Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia irá apresentar sobre câncer de colo de útero

Na próxima sexta-feira, 11/10, às 10h, o Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove a palestra “Câncer de colo de útero: Porquê e como temos que dar um “tiro para a Lua” (alcançar o impossível)?”, a ser por Katia  Luz Torres Silva, Diretora de Ensino e pesquisa da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (CECON).

Durante a palestra, será feita uma exposição da realidade epidemiologia do câncer de colo de útero em especial no Estado do Amazonas. A pesquisadora irá apresentar como se configura a história natural da doença e assim facilitar o entendimento de como podemos prevenir este câncer. “Todos terão o entendimento do que seria o “tiro para a Lua”, isto é, como será possível alcançar o que parece impossível. Iremos discutir o estado da arte das pesquisas voltadas para isso, contextualizando as pesquisas que estão sendo feitas no Amazonas”, disse.

A apresentação ocorrerá na Sala de aula 2, no prédio anexo, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE A PALESTRANTE

Katia é Doutora em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Faculdade de Medicina da USP-SP, Mestre em Biologia Parasitária pela Fundação Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro, Especialista em epidemiologia pela pela Fundação Oswaldo Cruz (1994), Graduação em Farmácia e habilitação em análises clínicas pela Universidade Federal do Amazonas.

Atualmente é Diretora de Ensino e pesquisa da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (CECON) e membro do Comitê de ética em Pesquisa em seres Humanos da Fundação CECON. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Biologia Molecular, atuando principalmente nos seguintes temas: tiragem sorológica de doadores de sangue, malária transfusional, epidemiologia molecular da Hepatite C, técnicas hemoterapicas e tecnologia molecular, epidemiologia molecular do HPV, oncogênese.

É também coordenadora de projetos financiados pela Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). (Texto informado pelo autor)

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Oficina de Comunicação Científica divulga acesso gratuito a informações na área de saúde nas Bibliotecas Virtuais de Saúde

O acesso gratuito e de qualidade a informações científicas sobre saúde foi a tônica da Oficina de Comunicação Científica – ComunicaCiência, realizada na manhã desta quarta-feira, 9/10, na sede do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), com a condução dos facilitadores Ycaro Verçosa e Cristiane Barbosa.

Bibliotecário do ILMD/Fiocruz Amazônia há 13 anos, Ycaro Verçosa compartilhou com o público presente sua vasta experiência em plataformas digitais de informação, destacando nesta Oficina as características e funcionalidades das Bibliotecas Virtuais em Saúde (BVSs) da Fiocruz, divididas por diversas temáticas, como Aleitamento Materno, Saúde Pública, Determinantes Sociais em Saúde, Doenças Infecciosas, Pensamento Social, Bioética e Diplomacia em Saúde, dentre outras.

O especialista em Gestão da Informação também expôs sobre repositórios, em especial o Arca. “Todas as produções científicas desenvolvidas dentro da instituição são publicadas nesse ambiente virtual e podem ser acessadas livremente e de forma gratuita por todos. Basta ter acesso à internet”, explicou ele.

Para o mestre em Biotecnologia, João Victor Verçosa, que participou da Oficina, o conteúdo foi muito esclarecedor e trouxe novas informações para o pesquisador. “Foi muito interessante conhecer essas Bibliotecas Virtuais que podem ser consultadas gratuitamente e com bastante dados na área de saúde”, relatou.

A acadêmica do 6º período do curso de Enfermagem da Faculdade Materdei, Karollyne Coutinho, aprovou a iniciativa da Fiocruz Amazônia na abordagem crucial para interessados na área. “Foi muito profundo todo o conteúdo apresentado por um profissional de alto nível. Quero atuar na pesquisa e essa oficina, sem dúvida, agrega para esse empoderamento do conhecimento”, opinou.

Sobre a ComunicaCiência

A Oficina “ComunicaCiência” faz parte das iniciativas do ILMD/Fiocruz Amazônia em dialogar com a sociedade por meio de estratégias variadas, preconizando que essas ações devam começar com o próprio pesquisador, que deve apresentar seus projetos e resultados, impulsionando a importância do Instituto para a sociedade, por meio das publicações de artigos em revistas e congressos de alta relevância.

A atividade também tem o objetivo de contribuir com o ILMD/Fiocruz Amazônia, visando atingir as metas propostas em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2018-2021), em especial o Programa de Consolidação e Excelência na Pesquisa (Proex-CIÊNCIA), que visa organizar as linhas de ação que sustentam e potencializam a realização de pesquisa de excelência na Unidade, por meio de suas parcerias e interação com a sociedade.

Sobre as Bibliotecas Virtuais em Saúde

As bibliotecas virtuais em saúde são um projeto liderado pelo Centro Latino-americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme / Opas), em conjunto com o Ministério da Saúde, para a ampliação do livre acesso à informação em saúde. O Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT) coordena bibliotecas virtuais em temas variados. A Biblioteca Virtual em Saúde Fiocruz (BVS Fiocruz) reúne o conteúdo de dez bibliotecas temáticas e de outras três biográficas

 ILMD/Fiocruz Amazônia, por Cristiane Barbosa
Fotos: Cristiane Barbosa

Fiocruz Amazônia prorroga inscrições para curso de especialização em Gestão das Organizações Públicas de Saúde, em Itacoatiara (AM)

Foram prorrogadas até o dia 14/10, as inscrições para o processo de seleção pública simplificada de candidatos, para ingresso no Curso de LatoSensu em Gestão das Organizações Públicas de Saúde, oferecido pelo Instituto Leônidas & Maria Deane – ILMD/Fiocruz Amazônia, em parceria com o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde -COSEMS, no âmbito do Projeto QUALIFICA SUS.

O curso tem por objetivo o aperfeiçoamento do processo de gestão, planejamento e orçamento público dos sistemas e serviços de saúde em qualquer nível de organização, uma  vez que este exige dos gestores o enfrentamento de novos paradigmas e um esforço de apropriação de informações relevantes para a melhoria do desempenho institucional.

Poderão participar do curso, profissionais com nível superior, do município de Itacoatiara (AM) e municípios vizinhos, que desempenham suas funções e/ou atividades na área de Gestão da Atenção Básica. O ingresso ao Curso de Especialização ocorrerá por meio de processo seletivo simplificado, que será realizado em duas etapas: Homologação das inscrições e análise documental.

Confira aqui a republicação do Edital

Para esta Chamada, serão oferecidas 50 vagas. As aulas ocorrem entre outubro de 2019 e setembro de 2020, com início previsto para 28/10/2019, na cidade de Itacoatiara, no horário de 08h às 12h e 14h às 18h, com oferta de uma disciplina por mês, em módulos com duração de uma semana.

As inscrições são gratuitas. Para se inscrever, o candidato deverá apresentar a documentação solicitada no Edital.

Após o preenchimento do formulário de inscrição, disponível no Anexo I da Chamada Pública, este deverá ser impresso, assinado pelo candidato e encaminhado juntamente com toda documentação exigida no subitem 2.2.1, que deve ser digitalizada em único arquivo, no formato “pdf” de até 10 MB. O arquivo deve ser anexado e enviado para o endereço eletrônico inscricaolato.ilmd@fiocruz.brInscrição

Ao longo de 12 meses, o aluno deverá cursar 400 horas em disciplinas e Trabalho de Conclusão de Curso – TCC. Os egressos do referido curso receberão certificado de Especialista em Gestão das Organizações Públicas de Saúde, considerando como requisitos obrigatórios para obtenção do título de especialista são os seguintes: cumprimento da carga horária total do curso; aprovação da defesa de Trabalho de Conclusão de Curso.

Esclarecimentos sobre os documentos e envio da inscrição poderão ser solicitados somente através do endereço eletrônico duvidaslato.ilmd@fiocruz.br

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria do Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Pinheiro

Fiocruz Amazônia promove ciclo de palestras sobre genômica em Escola Estadual do Amazonas

A equipe do Laboratório Ecologia De Doenças Transmissíveis Na Amazônia – EDTA, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), esteve na última sexta-feira, 4/10, na Escola Estadual Maria da Luz Calderaro, no bairro da Redenção, promovendo um ciclo de palestras sobre genômica. A atividade faz parte do Genomic Day, um evento científico de iniciativa do Laboratório de Biologia Computacional e Sistemas do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz-RJ), que acontece em diversas cidades do país.

Com o intuito de levar informações sobre a pesquisa, em especial no campo da genômica, a alunos do ensino médio, a equipe da Fiocruz Amazônia ofereceu as palestras: O que é genoma?, A genômica como ferramenta de diagnóstico, Traçando o caminho do vírus com a genômica,e O uso da genômica para o desenvolvimento de novas vacinas.

Para a gestora da escola, Juliana Rego, a iniciativa é de suma importância para expandir o conhecimento dos estudantes. “Essas parcerias são muito importantes para a escola, para que possamos receber gente de fora, ampliar a visão do alunos através da ciência”, disse.

O Genomic Day conta com 16 parceiros e acontece em 12 cidades do Brasil. Estão envolvidas na atividade: Instituto René Rachou (Fiocruz Minas), Escritórios da Fiocruz em Rondônia, Brasília e Mato Grosso do Sul, Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz), diferentes Instituições de ensino superior públicas, incluindo a Universidade de São Paulo (USP), as federais do Rio de Janeiro (UFRJ), Rural do Rio de Janeiro (UFFRJ), Fluminense (UFF), de Minas Gerais (UFMG), da Grande Dourados (UFGD), de Santa Catarina (USFC), além da Embrapa-Gado de Corte, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ) e do Instituto Federal do Acre (IFAC) e ILMD/Fiocruz Amazônia.

Segundo Denilson Luan, aluno do 3º ano do ensino médio, as palestras foram importantes para esclarecer dúvidas que surgem antes do vestibular. “Sempre tive interesse na área científica e essas palestras vieram para contemplar o que almejo na carreira acadêmica. Biotecnologia é minha primeira opção no vestibular, e ainda não tinha tido a oportunidade de conversar com profissionais, tirar dúvidas e entender melhor sobre as pesquisas”, destacou.

GENOMIC DAY

O Genomic Day tem como propósitos: divulgar conceitos de DNA, genomas e bioinformática para os alunos e professores do ensino médio, fornecendo assim uma atualização sobre estes temas; divulgar as diferentes pesquisas nestas áreas realizadas por professores/pesquisadores participantes do projeto; e promover a curiosidade científica nos jovens estudantes do ensino médio e motivar professores para se aperfeiçoarem nesta área.

De acordo com a palestrante Valdinete Alves do Nascimento, Doutoranda em Biologia Celular e Molecular – ILMD/IOC FIOCRUZ e Mestre em Saúde, Sociedade e Endemias na Amazônia – ILMD “essa é uma atividade muito importante, principalmente por tirar as pesquisas das paredes do laboratório, levando os resultados dos estudos para a população, aproximando a ciência da sociedade. Muito alunos não possuem a dimensão de como funciona o ambiente laboratorial, e desse forma a gente alcança diversos tipos de públicos, visto que os alunos também se tornam multiplicadores do conhecimento repassado”.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Fiocruz Amazônia promove Oficina de Comunicação Científica

Como o tema “Plataformas digitais de Comunicação Científica para a área da Saúde”, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realiza na próxima quarta-feira, 4/10, das 9h às 11h, a Oficina de Comunicação Científica “ComunicaCiência”, que terá como facilitadores o bibliotecário da Fiocruz Amazônia, Ycaro Verçosa e a Jornalista Cristiane Barbosa.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo e-mail: eventos.ilmd@fiocruz.br, por pesquisadores, graduandos e pós-graduandos interessados na temática. Na ocasião, o bibliotecário do ILMD/Fiocruz Amazônia irá abordar sobre as bibliotecas virtuais em saúde, destacando suas principais temáticas nesse campo de pesquisa.

O “ComunicaCiência” faz parte das iniciativas do ILMD/Fiocruz Amazônia em dialogar com a sociedade por meio de estratégias variadas, preconizando que essas ações devam começar com o próprio pesquisador, que deve apresentar seus projetos e resultados, impulsionando a importância do Instituto para a sociedade, por meio das publicações de artigos em revistas e congressos de alta relevância.

O ILMD/Fiocruz Amazônia articula de forma estratégica a formação de base para os discentes e pesquisadores na área de comunicação científica, ofertando uma sequência de oficinas temáticas denominada “ComunicaCiência: – Oficina de Comunicação Científica para pós-graduandos e bolsistas do ILMD/Fiocruz Amazônia”.

A atividade também visa contribuir com o ILMD/Fiocruz Amazônia, visando atingir as metas propostas em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2018-2021), em especial o Programa de Consolidação e Excelência na Pesquisa (Proex-CIÊNCIA), que visa organizar as linhas de ação que sustentam e potencializam a realização de pesquisa de excelência na Unidade, por meio de suas parcerias e interação com a sociedade.

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Queimadas na Amazônia causam forte impacto no SUS

A Fiocruz, em estudo coordenado pelo Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict), mapeou o impacto das queimadas para a saúde infantil na região amazônica. A pesquisa concluiu que, nas áreas mais afetadas pelo fogo, o número de crianças internadas com problemas respiratórios dobrou. Foram cerca de 2,5 mil internações a mais, por mês, em maio e junho de 2019, em aproximadamente 100 municípios da Amazônia Legal, em especial nos estados do Pará, Rondônia, Maranhão e Mato Grosso – o que acarretou custo excedente de R$ 1,5 milhão ao Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com pesquisas, viver em uma cidade próxima aos focos de incêndio aumenta em 36% o risco de se internar por problemas respiratórios.

O levantamento aponta ainda que em cinco dos nove estados da região houve aumento na morte de crianças hospitalizadas por problemas respiratórios. É o caso de Rondônia. Entre janeiro e julho de 2018, foram cerca de 287 mortes a cada 100 mil crianças com menos de 10 anos. No mesmo período, em 2019, esse número subiu para 393. Em Roraima, 1.427 crianças a cada 100 mil morreram internadas por problemas respiratórios, no primeiro semestre de 2018. No mesmo período de 2019, foram 2.398.

As informações integram um informe técnico do Observatório de Clima e Saúde, projeto coordenado pelo Icict/Fiocruz. Esse estudo contou também com cientistas da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). O objetivo do trabalho é alertar gestores e profissionais do SUS, de modo a se programarem para o atendimento à saúde das populações mais vulneráveis. Além disso, o levantamento apontou para a importância de reforçar a atenção básica e a busca ativa de casos em locais de maior concentração de queimadas e maiores níveis de poluição atmosférica, já que alguns grupos populacionais podem não ter acesso a hospitais.

INTERNAÇÕES QUINTUPLICARAM EM ALGUMAS CIDADES

Os dados chamam atenção para as cidades de Santo Antônio do Tauá, Ourilândia do Norte e Bannach, no Pará; Santa Luzia d’Oeste, em Rondônia; e Comodoro, no Mato Grosso, onde o número de internações foi mais de cinco vezes maior do que o esperado. Mas o chamado “material particulado” – resíduo tóxico gerado por queima – pode também alcançar grandes cidades situadas a centenas de quilômetros dos focos de queimadas, devido ao transporte de poluentes pelos ventos.

Desde sua fundação, em 2010, o Observatório de Clima e Saúde vem acompanhando a evolução das queimadas e seus efeitos sobre a saúde das populações na Amazônia e no Cerrado. É a primeira vez que um estudo reúne, quase que em tempo real, informações tão abrangentes sobre a correlação entre as queimadas e seus efeitos para a saúde na região da Amazônia Legal.

Os pesquisadores reuniram dados do Sistema de Informações Hospitalares (SIH), do DataSUS, entre os meses de maio e junho – último período disponível -, e aplicaram sobre eles uma técnica de “varredura espacial” chamada Satscan, de modo a detectar conjuntos de municípios que possuem taxas de internação por doenças respiratórias acima do valor esperado. Foram usados também dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e dos sistemas BDQueimadas e Prodes Desmatamento, ambos produzidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Os dados obtidos, porém, são preliminares, uma vez que nem todas as internações do período estudado já estão cadastradas no sistema. Por isso, é possível que os índices sejam ainda mais graves.

As imagens obtidas por satélite e usadas no estudo mostram ainda como focos de fogo se encontram nas bordas de terras indígenas, que ainda parecem desempenhar um papel de proteção contra as queimadas e o desmatamento. Os pesquisadores chamam atenção para o fato de que as populações indígenas também devem estar sendo afetadas pela poluição do ar – no entanto, ainda não é possível avaliar a incidência de doenças nessas áreas.

CRIANÇAS MAIS SUSCETÍVEIS

O Observatório levou em consideração que as queimadas acontecem no que é chamado de Arco do Desmatamento, que compreende os estados do Acre, Amapá, Amazonas, parte do Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins, em geral de maio a outubro. Durante o período de seca na região – que coincide com a diminuição das chuvas regionais, a queda dos índices de umidade e o período de queimadas – já é registrado, normalmente, um aumento no número de casos de afecções respiratórias, por conta do aumento da emissão de poluentes e a concentração de gases tóxicos na atmosfera, comprometendo a saúde da população. A situação, porém, se agravou muito com as queimadas recentes.

Nas cidades analisadas houve um total de 5.091 internações por mês, quando o valor esperado seria de 2.589. Estes resultados sugerem um excesso de 2,5 mil internações de crianças nos municípios mais impactados pelas queimadas.

Considerando o perfil médio das internações de crianças por problemas respiratórios no SUS, estas internações teriam gerado um custo excedente de R$ 1,5 milhão e 9.750 leitos-dia de ocupação nos hospitais públicos e conveniados com o SUS.

A queima de madeira pode gerar uma grande diversidade de gases e aerossóis, vários destes prejudiciais à saúde, principalmente pelo seu pequeno diâmetro e capacidade de penetrar no aparelho respiratório inferior. “Crianças são mais sensíveis a fatores externos, como a poluição”, explica o pesquisador Christovam Barcellos, do Icict/Fiocruz. “Seu sistema imunológico ainda está em desenvolvimento e o aparelho respiratório, em formação. São mais suscetíveis a alergias”. Além disso, crianças passam mais tempo ao ar livre do que os adultos e, assim, inalam mais poluentes. Durante exercício físico, a deposição de partículas no pulmão aumenta cinco vezes, afirma Sandra Hacon, pesquisadora da Ensp/Fiocruz.

APENAS UMA PARTE DO PROBLEMA

Barcellos alerta que o estudo usou as internações em crianças como indicadores de risco. Porém, adultos – e principalmente aqueles com doenças crônicas e idosos – podem ser afetados pela poluição das queimadas. “Por usarmos somente as internações pagas pelo SUS, isto é, sem considerar os dados do sistema privado de saúde, avaliamos apenas uma parte do problema. Além disso, muitas crianças podem não ter conseguido chegar aos hospitais. Na região amazônica as distâncias são enormes. Muitas pessoas podem ter tido episódios de bronquite e asma, entre outros, sem atenção médica”, completa o pesquisador.

“As queimadas na Amazônia representam um grande risco à saúde da população”, assegura o texto do informe técnico. “Os poluentes emitidos por estas queimadas podem ser transportados a grande distância, alcançando cidades distantes dos focos de queimadas. Dentre os poluentes, encontram-se o material particulado fino (PM2.5), CO (monóxido de carbono), NO2 (dióxido de nitrogênio) e compostos orgânicos voláteis (VOCs) que podem causar o agravamento de quadros de cardiopatia, inflamação das vias aéreas, inflamação sistêmica e neuroinflamação, disfunção endotelial, coagulação, aterosclerose, alteração do sistema nervoso autônomo, e danos ao DNA, com potencial carcinogênico”.

As mortes e internações hospitalares são os aspectos mais graves e evidentes dos problemas de saúde causados pelas queimadas, mas não os únicos: “Outros eventos adversos de saúde, como atendimentos de emergência e limitações funcionais do sistema respiratório são fenômenos mais frequentes, mas de difícil detecção pelos sistemas de informação de saúde”, alerta o estudo.

Fonte: AFN Notícias / ICICT Fiocruz

Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia irá promover palestra sobre ética, justiça e equidade no acesso aos cuidados de saúde

Na próxima sexta-feira, 4/10, às 10h, o Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove a palestra “Ética, justiça e equidade no acesso aos cuidados de saúde”, a ser ministrada ministrada por Plínio José Cavalcante Monteiro, professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Sobre a abordagem da palestra, o pesquisador explicou que, “garantir adequado acesso aos cuidados de saúde é missão nuclear no funcionamento dos sistemas de saúde. Políticas públicas podem promover ou violar direitos humanos, dependendo da forma como são concebidas e/ou executadas. Discriminações e iniquidades no acesso aos cuidados de saúde são eticamente inaceitáveis, haja vista que violam o direito à saúde.”

A apresentação ocorrerá na Sala de aula 2, no prédio anexo, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE A PALESTRANTE

Plínio é graduado em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas, e em Direito pelo Centro Universitário Nilton Lins, especialista em Homeopatia pela Universidade Federal de Uberlândia, especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria, em Administração Hospitalar e Gestão de Sistemas de Saúde pela Fundação Getúlio Vargas. É Mestre em Ensino em Ciências da Saúde (Bioética) pela Universidade Federal de São Paulo, e doutorado em Bioética pela Universidade de Brasília.

Atualmente é Professor Assistente do Departamento de Patologia e Medicina Legal (DPML) da Faculdade de Medicina (FM) e Vice-coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Getúlio Vargas (CEP/HUGV) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atua principalmente nas seguintes áreas: Pediatria, Ética Médica, Bioética e Direito Médico e da Saúde.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

 

 

Fiocruz Amazônia abre inscrições para especialização em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, em Tefé

De 2 a 16 de outubro estão abertas as inscrições para o processo de seleção pública simplificada de candidatos, para ingresso no Curso de Lato Sensu em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, oferecido pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), em parceria com o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde – COSEMS-AM, no âmbito do Projeto QUALIFICASUS. O curso será realizado no município de Tefé (AM).

O curso é gratuito e destina-se a profissionais com nível superior das Secretarias Municipais de Saúde de Tefé e municípios vizinhos, que desempenham suas funções e/ou atividades na área de Vigilância em Saúde. Para esta Chamada, serão oferecidas 50 vagas. O período de realização do curso será: novembro de 2019 a outubro de 2020.

Confira o edital AQUI

O ingresso ao Curso de Especialização será mediante Processo Seletivo, que será realizado em duas etapas: 1ª Etapa – Homologação das inscrições; e 2ª Etapa – Análise documental para efeito de pontuação (as etapas são eliminatórias). Ao longo de 12 meses, o aluno deverá cursar 460 horas em disciplinas e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

O curso será realizado em período integral (matutino e vespertino), em sistema modular, uma semana por mês, de segunda a sábado, em local a ser definido pela Secretaria Municipal de Saúde do município.

O objetivo do curso é qualificar profissionais que atuam em cuidados primários de saúde para implantação e desenvolvimento de ações de Vigilância em Saúde no plano territorial-local, promovendo a integração entre oferta de cuidados de APS e ações de vigilância na rede básica de serviços de saúde.

Para se inscrever, o candidato deverá apresentar a documentação solicitada no edital. A inscrição ocorrerá apenas por e-mail. Para efetivar sua inscrição, o candidato deverá enviar toda documentação exigida, digitalizada em um único arquivo, no formato “pdf” de até 10MB para o endereço eletrônico inscricaolato.ilmd@fiocruz.br

O horário limite para envio da inscrição será 15h (horário de Manaus/AM) do último dia de inscrição definido no Cronograma. Documentos enviados após o período da inscrição não serão aceitos para avaliação pela Comissão de Seleção.

Sobre o ‘QualificaSUS’

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com recursos oriundos de emenda parlamentar da bancada do Amazonas e com parceria do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM).

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Pinheiro

PPGVIDA divulga novo calendário de qualificações e defesas

A Secretaria Acadêmica (SECA) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) informa novas datas de defesa, do curso de Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro (PPGBIO-Interação).

As apresentações acontecem na sede da Fiocruz Amazônia, situada à Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus.

 

QUALIFICAÇÃO DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

 

Aluna:  Márcia Larissa Pereira de Menezes

Título do Projeto: Exposição Domiciliar ao Histoplasma em Pacientes com AIDS atendidos em Unidade de Referência no Amazonas.

Data: 04/10/2019

Horário:  14h30

Local: Sala de aula 2 – anexo, ILMD-FIOCRUZ – Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus-AM CEP 69057 070

 

Aluna:  Ana Elizabeth Sousa Reis

Título do Projeto: Acesso e fluxos da população ribeirinha aos serviços de saúde em Parintins – AM

Data: 07/10/2019

Horário:  8h

Local: Salão Canoas, Térreo – ILMD-FIOCRUZ – Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus-AM CEP 69057 070

 

Aluno:  Uriel Madureira Lemos

Título do Projeto: Acesso e Uso de Serviços de Saúde por Populações Rurais Ribeirinhas sob a Perspectiva das Desigualdades Sociais

Data: 10/10/2019

Horário:  10h

Local: Salão Canoas, Térreo – ILMD-FIOCRUZ – Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus-AM CEP 69057 070

 

Aluno:  Matheus Vasconcelos Torres

Título do Projeto: Gestão de serviços de atenção primária à saúde em área rural: um estudo sobre estratégias gerenciais e organizacionais no distrito de saúde rural de Manaus

Data: 10/10/2019

Horário:  14h

Local: Salão Canoas, Térreo – ILMD-FIOCRUZ – Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus-AM CEP 69057 070

 

Aluna:  Laísa Arruda Pinheiro Duarte

Título do Projeto: Acesso aos serviços de saúde mental das populações rurais de Manaus e Novo Airão, Amazonas: o olhar do usuário e do profissional de saúde

Data: 17/10/2019

Horário:  14h

Local: Salão Canoas, Térreo – ILMD-FIOCRUZ – Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus-AM CEP 69057 070

 

Aluna:  Maria Rosineide Gama Feitosa

Título do Projeto: A formação dos trabalhadores do subsistema de saúde indígena para a atuação intercultural: reflexões a partir das falas dos profissionais do Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Negro/AM

Data: 29/10/2019

Horário:  14h

Local: Salão Canoas, Térreo – ILMD-FIOCRUZ – Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus-AM CEP 69057 070

 

DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

 

Aluna:  Priscilla Cabral Correia

Título da Dissertação: Sistema de autoatenção, itinerário terapêutico e vivências da gestação em uma comunidade rural ribeirinha do Amazonas.

Data: 29/10/2019

Horário: 9h

Local: Sala de Aula 101, 1º andar – ILMD-FIOCRUZ – Rua Teresina, 476, Adrianópolis/ Manaus-AM CEP 69057 070

 

Ascom ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Inscrições para Mestrado Profissional em Saúde da Família (ProfSaúde) iniciam nesta quarta-feira, 2/10.

Com o objetivo de formar profissionais aptos a atuarem como preceptores para graduação e residência médica em Saúde da Família, a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançaram novo edital de seleção para o Mestrado Profissional em Saúde da Família (ProfSaúde). As inscrições para o processo seletivo iniciam nesta quarta-feira, 2/10.

De acordo com o presente edital, 210 vagas serão distribuídas entre as 22 instituições que fazem parte da rede ProfSaúde, divididas nas seguintes categorias: Enfermeiros (as), Médicos (as) e Odontólogos (as). Para o Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), foram disponibilizadas sete vagas, correspondentes a candidatos dos estados do Amazonas e Amapá.

Confira o Edital AQUI.

INSCRIÇÕES

A inscrição dos candidatos para a Fiocruz será realizada através do preenchimento do formulário de inscrição disponível na plataforma SIGA: www.sigass.fiocruz.br. É importante que no campo “Área de Concentração”, que consta no formulário de inscrição do referido link, seja informado o polo da Fiocruz ao qual estará se candidatando.

No campo “Linha de Pesquisa”, informar para qual vaga está concorrendo (Medicina, Enfermagem ou Odontologia). A documentação exigida no item 4.2 dessa Chamada Pública deverá ser enviada através de Correios (via SEDEX), para a secretaria da respectiva Instituição Associada, pelo candidato ou seu procurador legalmente constituído, dentro do prazo de inscrição.

PROCESSO DE SELEÇÃO

A seleção dos candidatos para o ProfSaúde/ MPSF constará de 3 (três) etapas: 1ª Etapa – Prova de Inglês (eliminatória); 2ª Etapa – Prova escrita de conhecimentos (eliminatória e classificatória); 3ª Etapa – Análise curricular, análise de carta de intenção e prova oral (eliminatória e classificatória). Em cada etapa, o candidato receberá nota na escala de 0,0 (zero) a 10,0 (dez), com aproximação de até uma casa decimal.

O candidato deverá: ser portador de diploma de curso superior em Medicina, Enfermagem ou Odontologia, devidamente registrado no Ministério da Educação; possuir registro no respectivo Conselho Regional e Federal. Além de atender a uma das seguintes situações: ser docente da graduação e/ou residência em Medicina de Família e Comunidade ou Multiprofissional em Saúde da Família de instituições públicas de ensino superior; ser preceptor e/ou tutor de residências multiprofissionais e/ou da graduação em uma das três áreas em instituições públicas de ensino superior; ser profissional com atuação na atenção básica, nas equipes de saúde da Estratégia de Saúde da Família do Sistema Único de Saúde.

O curso, resultado da parceria entre Abrasco e Fiocruz, conta com o apoio da Associação Brasileira de Educação Médica (Abem), da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) e dos ministérios da Saúde e da Educação. O ProfSaúde visa potencializar as atividades de ensino, pesquisa e extensão em Saúde da Família, tanto na academia, quanto nos serviços de saúde.

O resultado do Processo seletivo será divulgado no dia 6/3/2020. O início das aulas está previsto para abril de 2020.

LINHAS DE PESQUISA

O ProfSaúde/ MPSF está dividido nas seguintes linhas de pesquisa: Atenção integral aos ciclos de vida e grupos vulneráveis; Atenção à saúde, acesso e qualidade na atenção básica em saúde; Educação e saúde: tendências contemporâneas da educação, competências e estratégias de formação profissional; Gestão e avaliação de serviços na Estratégia de saúde da família/atenção básica; Informação e saúde; Pesquisa Clínica: interesse da atenção básica; Vigilância em Saúde.

SOBRE O PROFSAÚDE

O ProfSaúde/ MPSF é um programa de pós-graduação stricto sensu em Saúde da Família, reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Ministério da Educação.

O curso visa formar profissionais aptos a atuarem como preceptores para graduação e residência médica em Saúde da Família, com o intuito de contribuir para a melhoria do atendimento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), fortalecer as atividades educacionais de produção do conhecimento e de gestão na Saúde da Família nas diversas regiões do país e estabelecer uma relação integradora entre o serviço de saúde, os trabalhadores, os estudantes na área de saúde e os usuários.

O ProfSaúde/ MPSF é semipresencial, com oferta nacional, realizado na modalidade de ensino a distância com previsão de 9 encontros presenciais. As instituições de Ensino Superior (IES) que integram a Rede Nacional do ProfSaúde/ MPSF são denominadas Instituições Associadas, e são responsáveis pela execução do curso.

ASCOM – ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes