Arquivo da Categoria: Fiocruz Amazônia

Projeto da Fiocruz Amazônia concorre ao Prêmio de Incentivo em CT&I para o SUS

O pesquisador Felipe Naveca, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), é um dos indicados ao Prêmio de Incentivo em Ciência, Tecnologia e Inovação para o SUS, edição XVI, promovido pela Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS).

A indicação do projeto “Desenvolvimento e avaliação de metodologias simplificadas, com potencial utilização pela rede básica de saúde, para o diagnóstico molecular de agravos importantes na região Amazônica” ao Prêmio foi feita pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas  (Susam).

Felipe Naveca recebeu com entusiasmo a indicação e disse que o projeto teve como objetivo principal avaliar e desenvolver alguns protocolos para detecção de patógenos de interesse da Região Norte, como tuberculose, dengue, malária e outros arbovírus.

“A ideia do projeto era desenvolver um protocolo que fosse o mais simples possível para ser utilizado em laboratórios com pouca estrutura, como por exemplo os laboratórios do interior do Amazonas, que têm uma estrutura menor; para isso trabalhamos com uma metodologia chamada LAMP, e junto com o Instituto Senai de Inovação e Microeletrônica, em Manaus, desenvolvemos o protótipo de um equipamento pensado com esse desafio de ser simples e capaz de nos dar as respostas que necessitamos. O ensaio é realizado dentro desse equipamento, que mantem a temperatura ideal, e o próprio equipamento faz a detecção se a amostra é positiva ou não.  O sistema foi todo desenvolvido pelas equipes da Fiocruz Amazônia e Senai”, explica Naveca.

O pesquisador revelou ainda que foi desenvolvido um aplicativo para celular que se comunica com o equipamento para que ele mostre os resultados, tornando-o mais simples e  fácil de ser levado para qualquer lugar.

O projeto foi financiado pelo Ministério da Saúde inscrito numa chamada do Programa Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde (PPSUS), através do Decit/SCTIE/MS e Fapeam.

A premiação ocorrerá em São Paulo, durante o evento “Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde: conectando pesquisas e soluções”, nos dias 29 e 30 de novembro, promovido pela Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS).

Além da entrega do Prêmio, estão previstas palestras, painéis,  feira de oportunidades e rodas de conversas para que os pesquisadores possam apresentar seus produtos/processos a empresas e a gestores como estratégia de investimento no desenvolvimento tecnológico em saúde.

Confira a programação em  http://portalsaude.saude.gov.br/ctis2017

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Pesquisadores da Fiocruz testam em BH alternativa de combate aos mosquitos transmissores da Dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela

Belo Horizonte é uma das capitais contempladas por projeto de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que avalia a eficácia de uma promissora alternativa no controle do Aedes aegypti e A. albopictu, transmissores dos vírus da Dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela.

O projeto dos pesquisadores Sérgio Luz e Elvira Zamora-Perea (do Instituto Leônidas & Maria Deane – ILMD/Fiocruz Amazônia) e Fernando Abad-Franch (do Instituto René Rachou – IRR/Fiocruz Minas) verifica a capacidade de utilização dos próprios mosquitos para disseminar o larvicida (pyriproxyfen) em criadouros, através do uso de um instrumento que eles denominam “estação disseminadora de larvicida”.

A pesquisa iniciou em Manaus e em Manacapuru, no Amazonas, onde apresentou resultados promissores na eliminação de larvas dos mosquitos, mesmo em ambientes adversos. Agora, com o apoio do Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia, e do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Decit & Devit/MS), da Organização Pan-Americana da Saúde-Organização Mundial da Saúde (Opas-OMS), e  com apoio de secretarias municipais e estaduais de Saúde, os ensaios ocorrerão em diferentes regiões do Brasil, visando avaliar a eficácia da tática do uso das estações disseminadoras de larvicida com pyriproxyfen para o controle do Aedes aegypti e A. albopictus, em diferentes paisagens geográficas e escalas.

Em BH as atividades iniciaram no último dia 2/10 com a capacitação dos agentes de endemias e implantação das estações disseminadoras de larvicida, em 3 mil imóveis localizados em três áreas da Regional Noroeste de Saúde.

Segundo Sérgio Luz, o trabalho de implantação será realizado até 11/10 e está sendo feito por equipe composta por técnicos do ILMD/Fiocruz Amazônia e IRR/Fiocruz Minas, atuando em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte. O controle será realizado pelo período de um ano.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: arquivo da pesquisa

ILMD prepara contribuições para o VIII Congresso Interno da Fiocruz

Nos dias 11, 12 e 13 de dezembro será realizada a plenária do VIII Congresso Interno da Fiocruz com o tema “A Fiocruz e o futuro do SUS e da democracia”. As contribuições à versão do documento apresentado pela comissão organizadora do Congresso serão recebidas até o próximo dia 30/10.

Em reunião do Conselho Deliberativo (CD) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) foi aprovado o modelo de discussões internas, que iniciaram nesta segunda-feira, 9/10, e se estendem até o dia 25/10. Nos dias 26 e 27 ocorrem as plenárias na Unidade.

Confira aqui o cronograma das discussões internas.

O Documento Base do VIII Congresso Interno está dividido em introdução, dinâmica e metodologia, contexto internacional e nacional, contexto institucional, questões estratégicas para a instituição, e nove teses para debates, cada uma tratando de um tema específico.

Após as discussões internas, as contribuições de cada unidade técnico-científica da Fiocruz serão encaminhadas à comissão organizadora do Congresso, para que componham a versão do Documento Base, que será deliberado pelo CD da Fiocruz, em novembro.

A eleição para delegados que vão participar do VIII Congresso Interno deve ocorrer de 13 a 23 de novembro.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes e Marlúcia Seixas

Alunos do ILMD são aprovados em Programa de Mobilidade Acadêmica da Fiocruz

A Coordenação Geral de Pós-graduação (CGPG) da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou lista dos candidatos aprovados para o Programa de Mobilidade Acadêmica da Instituição. Dos cinco alunos selecionados, três são do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia).

Thayana Cruz de Souza, aluna do Programa de Doutorado em Ciências – Cooperação IOC-ILMD, Eric Fabrício Marialva e Ismael Alexandre da Silva Nascimento, alunos do Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação) foram aprovados na chamada de seleção pública, oferecida para alunos de pós-graduação Stricto sensu, matriculados em programas de mestrado acadêmico, mestrado profissional ou doutorado da Fiocruz.

O objetivo do programa é selecionar alunos, que tenham interesse em desenvolver projetos de pesquisa em unidades ou escritórios da Fiocruz, distintas daquelas nas quais estão regularmente associados. A ideia é induzir a formação de profissionais da saúde, ampliando a possibilidade de capacitação técnico-cientifica dos pós-graduandos, além de amplificar as oportunidades de interdisciplinaridade.

PESQUISA E MOBILIDADE

Com o objetivo de estudar a biologia de L. migonei em condições de laboratório e sua interação com Leishmania infantum chagasi, o mestrando Eric Marialva desenvolverá no Instituto René Rachou (Fiocruz Minas), o estudo “Biologia experimental de Lutzomyia migonei (Diptera, Psychodidae, Phlebotominae): Aprimoramento de técnicas de criação em massa e modelo experimental para infecção e transmissão de Leishmania infantum chagasi.

Segundo Marialva, a Fiocruz Minas “possui expertise em modelos de transmissão experimental de diversos insetos vetores e agentes etiológicos, incluindo modelos flebótomos-leishmânias. Irei desenvolver na unidade: Infecção experimental de Lutzomyia migonei por Leishmania infantum chagasi e Le. braziliensis; transmissão de Leishmania pela picada de L. migonei e qPCR em tempo real para detecção e quantificação das leishmânias, sob a orientação e supervisão da Dra. Nagila Francinete Costa Secundino, entre outubro e dezembro de 2017”.

Sob orientação do Dr. Felipe Gomes Naveca, o mestrando Ismael Nascimento teve aprovado o projeto “Diversidade genética do vírus Chikungunya e sua relação com sintomatologia observada durante a circulação em dois estados da Amazônia Ocidental (Amazonas e Roraima). O objetivo principal do estudo é analisar a diversidade genética intra e inter-hospedeiro, processos evolutivos e manifestações da infecção, relacionados ao vírus Chikungunya circulante nos estados de Roraima e Amazonas, entre os anos de 2014 e 2017.

Segundo Nascimento, outro objetivo deste intercâmbio é o treinamento em ferramentas de bioinformática para a análise da história evolutiva e filogeográfica de agentes virais e análise de dados gerados por Sequenciamento de Nova Geração (NGS).

“As atividades serão desenvolvidas no Instituto Oswaldo Cruz (IOC), sob supervisão do Dr Gonzalo Bello, e compreenderão a inferência filogenética, entre sequências derivadas de genomas virais, reconstrução filogeográfica baseada nas sequencias de nucleotídeo e análises variadas de dados obtidos por NGS, como diversidade genética”, explicou.

A doutoranda Thayana Cruz está desenvolvendo o estudo “Identificação de proteases fibrinolíticas em bactérias e fungos da Coleção Biológica da Fiocruz Amazônia, sua expressão em E. coli, purificação e caracterização bioquímica”, sob coorientação da Dra Ormezinda Fernandes.

Parte da tese será desenvolvida no Laboratório de Genômica Funcional e Bioinformática (LAGFB) do IOC, sob orientação do Dr. Wim Degrave, e pretende identificar e selecionar proteases fibrinolíticas em bactérias e fungos estocados no acervo da Coleção Biológica da Fiocruz Amazônia, visando desenvolver biomoléculas com potencial terapêutico, expressando os mesmos sob forma recombinante em E. coli.

Ascom ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Fotos: Eduardo Gomes

 

 

 

Centro de Estudos vai abordar Lipofosfoglicano de Leishmania e seu papel na interação com vetores flebotomíneos

Em edição especial, o Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) oferece nesta quinta-feira 5/10, a partir de 14h, no Salão Canoas, auditório da Instituição, a palestra “Lipofosfoglicanos (LPGs) de Leishmania spp e seu papel na interação com vetores do Velho e Novo Mundo”, que será ministrada pelo Dr. Rodrigo Soares, do Laboratório de Parasitologia Celular e Molecular, do Instituto René Rachou (IRR/FIOCRUZ MG).

A palestra vai abordar sobre o Lipofosfoglicano (LPG) de Leishmania e seu papel na interação com vetores flebotomíneos, tanto do Novo quanto Velho Mundo. Segundo o palestrante, “serão enfocados os polimorfismos bioquímicos na molécula de LPG e como isso afeta a infeçcão no intestino médio dos vetores Lutzomyia longipalpis, Lutzomyia migonei, Lutzomyia umbratilis e Phlebotomus papatasi”.

SOBRE O PALESTRANTE

Rodrigo Soares é biólogo, Bacharel em Parasitologia do curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), mestre e doutor em Parasitologia pela UFMG.

Possui experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Entomologia e Protozoologia. Sua linha de pesquisa atual inclui a glicobiologia de espécies de Leishmania do Novo Mundo, estudando os lipofosfoglicanos (LPGs) e glicoinositolfosfolípides (GIPLs) e seu papel na interação com os hospedeiros vertebrado e invertebrado.

É membro da Sociedade Brasileira de Protozoologia (SBPz), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da International Society for Extracelullar Vesicles (ISEV). Atualmente é Líder do Grupo de Pesquisa Cadastrado no Diretório de Pesquisa do CNPq intitulado: Genômica Funcional e Glicobiologia de Leishmania spp. e Trypanosoma cruzi.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde. Os eventos ocorrem orifinalmente às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

Ascom ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Imagem: Acervo do pesquisador

Em Manaus, Seminário Internacional aborda Desenvolvimento, Governança Territorial e Saúde

Entre os dias 2 e 5 de outubro, Manaus sedia o Seminário Internacional Desenvolvimento, Governança Territorial e Saúde, e o Encontro Regional de Determinantes Sociais da Saúde nos estados da Região Norte. O evento que reúne convidados da sociedade civil, governos e especialistas nacionais e internacionais, acontece no Hotel Intercity Manaus, à rua Prof. Márciano Armond, 544 – Adrianópolis.

O objetivo do evento é contextualizar a discussão dos determinantes sociais da saúde nas dinâmicas locais, entendendo o quanto são específicos e quanto têm de universal, como um primeiro passo na mobilização regional para a realização da I Conferência Regional sobre Determinantes Sociais da Saúde da Região Norte.

O tema dos determinantes sociais da saúde (DSS) vem assumindo grande importância tanto a nível global como nacional, particularmente a partir da criação da Comissão sobre Determinantes Sociais da Saúde da Organização Mundial de Saúde, em 2005, da Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde (CNDSS), em 2006, e da realização da Conferência Mundial sobre Determinantes Sociais da Saúde (CMDSS) em outubro de 2011.

O Relatório Final da CNDSS informou a participação do Governo Brasileiro na CMDSS e posteriormente resultou na proposição de conferências regionais no país com o objetivo de contextualizar a abordagem dos DSS a luz das recomendações da Conferência, sendo a primeira realizada para a região Nordeste em 2013.

Em 2015, a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, através do seu Departamento de Articulação Interfederativa, elaborou, em parceria com o Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz (Cepi-DSS/Ensp/Fiocruz), o projeto Desenvolvimento, Governança Territorial e Saúde para a realização de atividades preparatórias a Conferência da Região Norte.

Participam da organização das atividades, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por meio do centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública (Cepi-DSS/Ensp) e do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), o Ministério da Saúde, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS-BRA), a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) e outros parceiros.

Nesta terça-feira, 3/10, a organização do evento realizaou o “World Café”, processo de criação com base em discussões organizadas em grupos pequenos, por meio de rodadas de conversas envolvendo todos os participantes. A contribuição dos convidados, a partir de suas experiências e leituras das realidades locais, estaduais ou regionais, e os diálogos serão sistematizados e apresentados em plenária, amanhã 4/10.

No dia 5, pela manhã, no encontro com convidados dos Estados na Região Norte, serão identificados problema e temas prioritários que subsidiarão a programação de uma futura “Conferência Regional sobre Determinantes Sociais da Saúde da Região Norte”.

Ascom ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Fotos: Eduardo Gomes

 

Fiocruz Amazônia recebe inscrições para evento sobre Criptococose

Estão abertas as inscrições para o I Encontro de Criptococose em Pacientes Imunocompetentes – Manaus/AM. O evento será  realizado pelo Instituto Leônidas & Maria Deane  (ILMD/Fiocruz Amazônia) e acontecerá no próximo dia 20/10, no Salão  Canoas, na sede do Instituto, à  rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

O Encontro tem como público-alvo pneumologistas, infectologistas, biomédicos, biólogos, profissionais da área da saúde e estudantes de graduação e pós-graduação. A organização  é das pesquisadoras do ILMD/Fiocruz Amazônia Joycenea Matsuda, Ormezinda Fernandes, e Ani Beatriz Matsuura.

A abertura do evento será 9h e, em seguida, haverá a palestra da médica e pesquisadora do Laboratório de Micologia do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), Márcia dos Santos Lazéra,  que abordará O Panorama da Criptococose no Brasil. Depois, haverá mesa-redonda sobre Cryptococcus sp. e Criptococose no Amazonas, e relatos de casos.

Acesse aqui a programação completa.

A atividade é gratuita e estão sendo oferecidas 60 vagas. Os interessados em participar do evento devem preencher o formulário e enviar para o e-mail joyce.matsuda@fiocruz.br

SOBRE A CRIPTOCOCOSE

A criptococose é uma micose causada pelo fungo cryptococcus, que apresenta duas variedades: neoformans e gattii. Este fungo possui tropismo, ou seja, movimentos de mudança de direção de crescimento que ocorrem em organismos vivos, ou suas partes, devido ao estímulo de um fator externo. Em geral, este crescimento acontece no sistema nervoso central,  sendo a principal responsável pelo seu surgimento a queda da imunidade celular (fonte: INI/Fiocruz).

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia promove II seminário de projetos de discentes do PPGVIDA

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) realizou entre os dias 26 e 28 de setembro, o II Seminário de Projetos de Discentes do Programa PPGVIDA.

O Seminário aconteceu sob coordenação dos pesquisadores seniores Bernardo Horta e Carlos Coimbra, além da pesquisadora e chefe do Serviço de pós-graduação do ILMD/ Fiocruz Amazônia, Rosana Parente. Na ocasião, foram apresentados 25 trabalhos de mestrandos das turmas de 2016 e 2017 do PPGVIDA.

Segundo o pesquisador, Carlos Coimbra, o objetivo do seminário “é expor os projetos desenvolvidos pelos alunos, para que o mestrando possa sair um pouco da zona de conforto, que é a relação entre ele, o orientador e os colegas mais próximos”. Além disso, a atividade possibilita que eventualmente os trabalhos possam receber sugestões, e apontamentos sobre questões que não estão muito claras.

Coimbra destacou a originalidade dos temas e a relevância das dissertações para a saúde coletiva. O pesquisador enfatizou que “trazer essas informações para um cenário maior, com participação da comunidade acadêmica, comunicólogos, jornalistas, visando ampliar e fazer circular essa informação, é uma enorme contribuição para a própria reflexão sobre os determinantes de saúde na região, no intuito de reduzir as desigualdades existentes no Amazonas e no Brasil”.

Para a mestranda, Priscilla Correia, a iniciativa foi de grande relevância para o desenvolvimento do projeto de pesquisa. “A realização do seminário foi muito importante para o delineamento e construção das pesquisas que serão desenvolvidas, a partir da contribuição dos pesquisadores. Conseguimos conhecer melhor o funcionamento do programa, das linhas de pesquisa e dos projetos em desenvolvimento, tendo como fim uma experiência muito positiva para nossa formação enquanto pesquisadores”, explicou.

SOBRE O PROGRAMA

O PPGVIDA tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde (SUS) na Amazônia.

O programa também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

Para mais informações sobre o Mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia, clique.

Ascom-ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Centro de Estudos vai apresentar software utilizado em pesquisa sobre vulnerabilidade climática

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) oferece nesta sexta-feira 29/9, a partir de 9h, no Salão Canoas, auditório da Instituição, a palestra “O sistema de vulnerabilidade climática (SisVuClima): apresentação da ferramenta e principais resultados”, que será ministrada pela Dra. Júlia Alves Menezes, uma das responsáveis pelo estudo no Amazonas.

O objetivo do encontro é apresentar os resultados do estudos, obtidos por meio de uma inovação tecnológica, um software, intitulado Sistema de Vulnerabilidade Climática (SisVuClima), que gera mapas temáticos, tabelas e gráficos sobre os 62 municípios do Amazonas.

A proposta da ferramenta é possibilitar o planejamento de ações a médio e longo prazo para reduzir os impactos das mudanças climáticas e aumentar a capacidade de adaptação da população a este novo cenário. O sistema é um produto do projeto Vulnerabilidade à Mudança do Clima, executado pela Fiocruz Minas em parceria com o Ministério do Meio Ambiente.

O SisVuClima gera 67 tipos de informações sobre os municípios amazonenses, incluindo dados sobre a ocorrência de desastres naturais. Segundo os resultados da pesquisa, as porções sul e sudeste do estado seriam as mais impactadas para este indicador.

O município de São Paulo de Olivença, por exemplo, seria o mais suscetível a lidar com deslizamentos decorrentes de fortes chuvas, enchentes, enxurradas, alagamentos, seca/estiagem e incêndios florestais. Boca do Acre, Canutama e Humaitá também seriam cidades mais vulneráveis a essas situações.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde. Os eventos ocorrem às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

SOBRE A PALESTRANTE

Júlia Menezes é Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Minas Gerais (FUNEDI/ UEMG). Mestre em Ciências da Saúde pelo Instituto René Rachou (Fiocruz), área de concentração Doenças Infecciosas e Parasitárias, doutora em Saúde Coletiva na mesma instituição na área de Epidemiologia.

Atua especialmente nas seguintes áreas: eco-epidemiologia das leishmanioses, mudanças climáticas e seus impactos sobre a saúde humana, vulnerabilidade socioambiental ao clima, e indicadores de vulnerabilidade humana ao clima.

ILMD/ Fiocruz Amazônia

 

 

Divulgado resultado das inscrições homologadas para curso de especialização em vigilância em saúde

Divulgado nesta quarta-feira, 27/9, o resultado das inscrições homologadas para o processo seletivo do Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de APS na Tríplice Fronteira do Alto Solimões, do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Vigilância em Saúde, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

O curso será realizado no município de Tabatinga (AM), localizado à margem esquerda do Rio Solimões, na fronteira com a Colômbia e o Peru. As aulas iniciam no próximo mês de outubro e ocorrem de 23/10 a 29/10/17.

Confira aqui as inscrições homologadas

O curso é resultado de parceria com Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas (Susam), Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM), ​Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde(Opas), Programa de Doenças Sexualmente Transmissíveis – Aids do Ministério da Saúde, e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Conforme o edital da Chamada Pública Nº 004/2017, estão sendo oferecidas 20 vagas. A carga horaria é de 440 horas, distribuídas em disciplinas e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), que ocorrerão em 12 meses, em período integral – matutino e vespertino – em sistema modular, uma semana por mês, de segunda a sábado.

PÚBLICO-ALVO

O curso é destinado aos profissionais de nível superior que desempenham suas funções e exerçam atividades em unidades básicas de saúde, unidades de saúde da família, ou equivalente, na microrregião do Alto Solimões.

O ILMD/Fiocruz Amazônia não concederá bolsa de estudo para os classificados.

Ascom/ ILMD Fiocruz Amazônia