Arquivo da Categoria: Fiocruz Amazônia

Programa de Iniciação Científica da Fiocruz Amazônia prorroga inscrições até 17/6

A coordenação do Programa de Iniciação Científica do Instituto Leônidas & Maria Deane (PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia) prorrogou até 15h, da próxima segunda-feira, 17/6, as inscrições de estudantes de graduação interessados em desenvolver projetos de iniciação científica.

Podem participar estudantes de cursos de graduação de instituições de ensino superior públicas ou privadas reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). O candidato deve estar regularmente matriculado e ter Coeficiente de Rendimento Acumulado (CRA) com valor igual ou maior que 7,0 (no caso de bolsa nova) e não ter reprovação em disciplinas afins às atividades do projeto de pesquisa que pretende desenvolver, além de outras condições, conforme edital.

Os estudantes interessados devem buscar a área de interesse no site da instituição, www.amazonia.fiocruz.br, e verificar as linhas de pesquisa e orientadores que trabalhem nessas áreas. Depois, entrar em contato com o próprio pesquisador ou com a secretaria do PIC, através do e-mail pic.ilmd@fiocruz.br , para saber da disponibilidade de vaga.

Acesse aqui o edital do PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia.

As bolsas serão concedidas por um período de 12 meses, de 1º.  de agosto de 2019 até 30 de julho de 2020, com possibilidades de renovação.

O PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia é desenvolvido em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e com Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec/Fiocruz).

SOBRE O PIC

O Programa de Iniciação Científica da Fiocruz Amazônia tem como objetivos despertar a vocação científica e incentivar novos talentos potenciais entre estudantes de graduação; contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa e inovação tecnológica nos Determinantes Socioculturais, Ambientais e Biológicos do Processo Saúde-Doença-Cuidado para a melhoria das condições sociossanitárias na Amazônia;  estimular pesquisadores produtivos a envolverem estudantes de graduação em suas atividades científicas, tecnológicas e profissionais; e proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensamento científico e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas estudados ou alvo da pesquisa.

As bolsas são pagas diretamente aos bolsistas, mediante depósito mensal em conta bancária. O valor da mensalidade é estipulado pelo Conselho Diretor da Fapeam e pela Fiotec, conforme a vinculação da bolsa.

ILMD/Fiocruz Amazônia por Eduardo Gomes
Foto: Eduardo Gomes

Novas abordagens para descoberta de alvos moleculares contra malária serão apresentadas no Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 14/6, às 10h, a palestra “Novas abordagens para descoberta de alvos moleculares contra malária”, a ser ministrada pelo pesquisador, Fábio Trindade Maranhão Costa, professor associado do Instituto de Biologia (IB) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

A apresentação ocorrerá no Salão Canoas, auditório da Instituição, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

Fábio é biólogo graduado pela Universidade de Brasília, mestre e doutor em microbiologia, imunologia e parasitologia pela Universidade Federal de São Paulo e livre docente em Parasitologia pela Universidade Estadual de Campinas.

Atualmente é professor associado do Instituto de Biologia (IB) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), onde desenvolve pesquisa translacional em doenças tropicais, com ênfase no entendimento de aspectos imunopatológicos da Malária e ZIKA, bem como na descoberta de novas drogas. É coordenador de ações internacionais do IB, membro da coordenação de área Saúde IV da FAPESP e Editor acadêmico das revistas PLoS One e Frontiers in Immunology.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Palestra abordará importância da Iniciação Científica na vida acadêmica, durante abertura da 16ª Raic da Fiocruz Amazônia

Entre os dias 17 e 19 de junho, o Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) realizará a 16ª Reunião Anual de Iniciação Científica (Raic), no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIC) da Fiocruz Amazônia de 2018/2019, com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A abertura do evento será realizada na próxima segunda-feira, 17/6, às 9h, com a palestra “Importância da Iniciação Científica na vida acadêmica: Cientista ou pesquisador?”, que será ministrada pela Dra. Maria das Graças Vale Barbosa, pesquisadora da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), e professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). As apresentações ocorrem no Salão Canoas, auditório da Instituição, situado à Rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Durante a programação, serão apresentados 27 trabalhos de graduandos de diferentes Instituições de Ensino de Manaus, divididos nas seguintes sessões temáticas: Microbiologia, Biotecnologia e Bioprospecção, Parasitologia, Entomologia, Saúde Coletiva e Epidemiologia.

SOBRE A PALESTRANTE

Maria das Graças é graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Amazonas, mestre e doutora em Ciências Biológicas (Entomologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). É pesquisadora da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), e professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Atuou como Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical da UEA/FMT-HVD, Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da UEA, Coordenadora do Departamento de Pesquisa da FMT-HVD.

Atua na área de Zoologia, com ênfase em Entomologia Médica especialmente sobre insetos vetores de parasitos causadores de doença de chagas, Leishmaniose, malária e dengue e reservatórios silvestres de Trypanosoma cruzi e Leishmania spp.

EDUCAÇÃO NA FIOCRUZ

Na terça-feira, 18/6, às 9h, o evento contará com a palestra “Desafios e perspectivas de educação na Fiocruz”, a ser ministrada pela Dra. Cristiani Vieira Machado, Vice-Presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Segundo a coordenadora do PIC-ILMD/Fiocruz Amazônia, Stefanie Lopes, o objetivo da reunião é divulgar e avaliar os 27 projetos de pesquisa. “Isso é parte do processo de formação, uma experiência única que o aluno possui durante a graduação, muitas vezes é o desenvolvimento do seu primeiro projeto de pesquisa. A RAIC é um momento próprio para o desenvolvimento do aluno”, explicou.

SOBRE O PIC

O Programa de Iniciação Científica (PIC) do ILMD/Fiocruz Amazônia é desenvolvido em parceria com o CNPq e Fapeam, com o objetivo de despertar a vocação científica e incentivar novos potenciais entre estudantes de graduação, além de estimular pesquisadores a envolverem os estudantes em suas atividades científicas, tecnológicas e profissionais. “A ideia é apresentar o mundo científico para os estudantes de graduação de diferentes cursos, no âmbito da Fiocruz, por meio do desenvolvimento de projetos de pesquisa que possuem atuação frente ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou Stefanie Lopes.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Pinheiro

 

 

Feira de Produtos Orgânicos na Fiocruz Amazônia, nesta quinta-feira, 13/6

Nesta quinta-feira, 13/6, de 8h30 às 13h, na calçada do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) será realizada mais uma edição da Feira de Produtos Orgânicos, evento promovido pelo Laboratório Território, Ambiente, Saúde e Sustentabilidade (Tass), em parceria com a Asfoc-AM.

A atividade visa sensibilizar trabalhadores da Fiocruz Amazônia e comunidade do entorno para a importância da adoção de uma dieta livre de agrotóxicos, além de estimular o consumo de plantas alimentícias não-convencionais (Pancs).

OFICINA DE PÃO

Na oportunidade, será promovida a palestra “Oficina de Pão: uma proposta para o pão nosso de cada dia”, evento que acontece como parte da Feira de Produtos Orgânicos, às 10h, no Salão Canoas, auditório da Fiocruz Amazônia. A palestra será apresentada pelos produtores de pães com fermentação natural, Eduardo Fernandes e Amable Alves.

Segundo os organizadores da feira, o objetivo da palestra é dar voz ao produtor orgânico e de produção natural. Os produtores falarão de seus produtos, vantagens de consumo e processos de produção. A idéia é mostrar as vantagens do pão com fermentação natural, ou seja, sem utilização de químicos, para a saúde, tipos e dicas para uma produção caseira.

O quê? Feira de Produtos Orgânicos na Fiocruz Amazônia

Quando? Quinta-feira, 13/6/2019

Horário? 8h30 às 13h

Onde? Rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus-AM

A FEIRA

Participam da Feira de Produtos Orgânicos, agricultores da Associação dos Agricultores São Francisco de Assis – Ramal da Cachoeira, entidade ligada à Rede Maniva de Agroecologia do Amazonas (Rema).

Dentre os produtos agrícolas orgânicos comercializados estão hortaliças, frutos regionais de época, plantas medicinais e plantas comestíveis não convencionais, entre outros. Artesanato, alimentos feitos a partir de produtos orgânicos e mudas de plantas também estão na feira.

SOBRE ORGÂNICOS

Os produtos orgânicos são cultivados sem o uso de adubos químicos ou agrotóxicos. São considerados produtos limpos e saudáveis e que respeitam o meio ambiente e contribuem para a preservação dos recursos naturais.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Estratégia de controle de mosquitos da Fiocruz Amazônia chega a Recife

Recife recebe projeto de controle de aedes de pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).  Trata-se do projeto que utiliza como estratégia as Estações Disseminadoras de Larvicida. Na cidade, elas serão instaladas nos bairros Casa Amarela, Jordão, Ibura 3, Agua Fria 1, Cajueiro, Campina de Barreto, Fundão e IPSEP.

O treinamento das equipes locais para implantação do projeto acontece nos dias 10 e 11/6. Em seguida, nos dias 12, 13 e 14/6 serão instaladas as estações nos bairros.

O projeto avalia a eficácia das Estações Disseminadoras de Larvicida  (EDs) como alternativa no controle de mosquitos Aedes aegypti e Ae. albopictus, transmissores dos vírus da dengue, zika e chikungunya.

Como tática o projeto usa os mosquitos para levarem larvicida aos seus criadouros e assim eliminar suas larvas e pupas. Uma das vantagens do uso dos mosquitos na disseminação do larvicida é que eles podem alcançar criadouros presentes em locais de difícil acesso como calhas de telhados, terrenos baldios, casas abandonadas, etc. O larvicida utilizado nas Estações é o pyriproxyfen, que não apresenta riscos à saúde humana ou a de animais domésticos

ESTAÇÕES DISSEMINADORAS

As Estações Disseminadoras de Larvicida são simples baldes plásticos, cobertos com pano preto impregnados de larvicida e que para funcionarem necessitam de uma certa quantidade de água para atrair os mosquitos.

Ao pousarem na superfície da Estação, partículas do larvicida são aderidas às pernas e corpos dos mosquitos, que acabam levando o produto para outros criadouros e, com isso, conseguem matar suas larvas e pupas, ocasionando o controle da circulação desses vetores.

Clique aqui e saiba como funciona o projeto.

Vale lembrar que o apoio da população é imprescindível para o projeto, portanto a instalação das Estações nos imóveis depende da aceitação dos responsáveis pelos imóveis.

Outra orientação é importante é que as Estações fiquem em ambientes de sombra e protegidas da chuva como áreas de serviço, varandas, garagens e fora do alcance de crianças e animais domésticos (se necessário, suspenda a Estação com um arame).

SOBRE O PROJETO

Este estudo iniciou em 2014 com experimentos feitos nas cidades de Manaus e em Manacapuru, no Amazonas. O resultado inicial foi bastante animador, o que levou, com apoio do Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia, e do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Decit & Devit/MS), da Organização Pan-Americana da Saúde-Organização Mundial da Saúde (Opas-OMS), e das secretarias municipais e estaduais de Saúde, o projeto para outras cidades, para que os ensaios ocorressem em diferentes regiões do Brasil, visando avaliar a eficácia da tática do uso das Estações Disseminadoras de Larvicida para o controle do Aedes aegypti e A. albopictus, em diferentes paisagens geográficas e escalas.

Além dos bairros anunciados para receberem as Estações Disseminadoras, outros terão acompanhamento do projeto para controle, são eles: Imbiribeira 2 e 3, Ponto da Parada, Hipódromo, Encruzilhada, Ibura 1 e 2, Dois Unidos 2 e Linha de Tiro.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: Eduardo Gomes

Mostra de filmes marcará abertura de atividades do Jubileu de prata da Fiocruz Amazônia

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), em parceria com a Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) promove entre os dias 12 e 14 de junho, no Casarão de Ideias, a mostra de filmes “Adrian Cowell – Um olhar sobre a Amazônia”, que abordará questões socioambientais e políticas da Amazônia Brasileira. O evento marcará a abertura das atividades, em comemoração aos 25 anos de atuação da Fiocruz na Amazônia.

A mostra exibirá os filmes “Matando por terras”, “O destino dos Uru Eu Wau Wau” e “Batida na floresta”, obras do documentarista, registradas durante suas experiências pelo Brasil, acompanhando o processo de desenvolvimento da Amazônia, o impacto dos grandes projetos, avanços da agricultura e pecuária, projetos de colonização, construção de estradas e hidrelétricas, retratando suas conseqüências no cotidiano das pessoas que vivem na região: populações indígenas, seringueiros, madeireiros, garimpeiros e outros.

Os documentários contribuem para o debate político e cultural que envolve a Amazônia e constituem a memória dos povos da floresta, promovendo férteis discussões, no sentido de compatibilizar o desenvolvimento socioambiental e o uso sustentável dos recursos naturais. Após a exibição dos filmes, serão realizados debates sobre os temas apresentados.

Para Stella Oswaldo Cruz Penido, curadora da mostra, é de grande relevância a abertura de debates sobre os aspectos históricos ambientais da Amazônia, presentes em importantes debates da atualidade. “É incrível essa possibilidade de parceria entre a COC, a Fiocruz Amazônia e o Casarão de Ideias, pois com essas ações reuniremos um público específico para este tipo de debate aqui no Amazonas. O acervo chegou ao Brasil em 2008, já se passaram mais de 10 anos, mas faz todo sentido trazer os filmes do Adrian, nesse momento, mostrando os aspectos históricos dessas questões sobre Amazônia. É muito importante atualizarmos o debate sobre essas questões ambientais, com pessoas que estão atuando, militando nessa agenda ambiental em 2019, discutindo esses filmes”, destacou.

A entrada para assistir aos filmes e participar dos debates da mostra “Adrian Cowell – Um olhar sobre a Amazônia” será gratuita. O Casarão de Ideias fica localizado na Rua Barroso, 279, no Centro de Manaus.

SOBRE ADRIAN COWELL

Adrian Cowell foi um documentarista chinês, naturalizado britânico, estudou na Austrália e na Inglaterra. Graduou-se em história pela Universidade de Cambridge em 1955. Entre 1955 e 1956, foi com a Oxford & Cambridge Far Eastern Expedition de Londres até Singapura, fazendo uma série de três programas, de 26 minutos para a BBC, intitulados “Travellers Tales“.

Entre 1957 e 1958, esteve pela primeira vez no Brasil, quando a Oxford & Cambridge Expedition veio à América do Sul, para a produção de quatro programas de 26 minutos, para a série “Adventure” da BBC. A convite dos irmãos Villas Bôas, Adrian filmou, de 1967 a 1969, a expedição para contatar a tribo de índios isolados Panará. Os filmes realizados neste período “The Tribe that Hides From Man” (A Tribo Que Se Esconde do Homem) e “Kingdom in the Jungle” (O Reinado na Floresta), foram produzidos para a ATV.

No Brasil, ele se tornou amigo de Chico Mendes. Produziu diversos filmes sobre a Amazônia, nos quais ele retrata a difícil situação dos índios e as injustiças sociais existentes no local. O Acervo Adrian Cowell é constituído de filmes 16 mm, fitas de vídeo, slides e diários de campo sobre a Amazônia. São 50 anos de trabalhos que documentam a história, por meio das imagens registradas por Adrian Cowell e equipe, acompanhando o processo de desenvolvimento da região.

Confira a sinopse dos filmes que serão exibidos:

  • Dia 12/6 – ”MATANDO POR TERRAS” (52 min / 1990)

Filmado em 1986 na fronteira leste da Amazônia, ao longo da rodovia Belém Brasília, período em que foram assassinadas mais de 100 pessoas. Grandes fazendeiros, prestes a perder benefícios adquiridos durante o governo militar, contratam pistoleiros para expulsar grupos de sem-terra acampados. Casas queimadas, assassinatos, famílias expulsas: fatos que levam à retaliação dos sem-terra com queimadas de pastos e protestos, forçando os pistoleiros a abandonar o local.

Contudo, a eficácia de tais medidas só dura até o assassinato de mais dois sem-terra e de uma criança de três anos. Nem mesmo a polícia ousa enfrentar os assassinos e a justiça libera os mandantes do crime por falta de evidências. Uma entrevista com o pistoleiro mais famoso da região, conhecido por ter assassinado mais de 300 pessoas, deixa evidente que a justiça não alcança pistoleiros e latifundiários. Primeira versão brasileira (2011).

Debatedor: Felipe Milanez (UFBA)

Debatedor: Vicente Rios (PUC-GO)

Mediadora: Stella Oswaldo Cruz Penido (COC- Fiocruz)

  • Dia 13/6 – “O DESTINO DOS URU EU WAU WAU” (52min / 1999)

Este filme faz parte da Trilogia “Os Últimos Isolados”. Três décadas depois de “Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau”, Adrian Cowell reencontra alguns dos personagens. Descobrimos que o líder Tari, que raptou a criança branca de “Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau”, teve sua própria irmã raptada, por brancos, quando tinha 6 anos. O filme proporciona um encontro inesperado dos irmãos e nos mostra como os Uru Eu Wau Wau puderam lidar com as transformações em seu mundo, ao longo dessas décadas.

Debatedora: Elaíze Farias (Jornalista / Portal Amazônia Real)

Debatedor: André Fernando Baniwa (Organização Indígena da Bacia do Içana OIBI)

Mediadora: Selda Vale da Costa (UFAM)

  • Dia 14/6 – “BATIDA NA FLORESTA” (59min / 2005)

A luta de Walmir de Jesus, gerente do IBAMA em Ji-Paraná, para conter o desmatamento desenfreado da Amazônia em Rondônia. O filme mostra Walmir combatendo a extração e a venda ilegal de madeira, corrupção na política e no funcionalismo público local, desemprego e invasões em áreas de Parques Nacionais e de índios isolados.

Debatedor: Phillip Fearnside (Instituto Nacional de Pesquisas na Amazônia – INPA)

Mediador: Felipe Milanez (UFBA)

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagens: Mackesy Pinheiro

 

 

 

 

Obsma promove ações de conscientização e educação ambiental em Manaus

A educação ambiental é fundamental para a conscientização das pessoas em relação ao mundo em que vivem, para que se possa ter cada vez mais qualidade de vida sem desrespeitar o meio ambiente. Pensando nisso, em referência ao Dia Mundial do Meio ambiente, data comemorada no dia 5 de junho, a Coordenação Regional Norte da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma), realiza em Manaus, durante toda a semana, uma série de atividades de promoção e conscientização ambiental.

Para a coordenadora Regional Norte da Obsma, Rita Bacuri, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) a união de esforços dos parceiros é de grande importância para garantir o resultado positivo das atividades. “Neste dia reunimos todos os esforços, parceiros e apoiadores, na luta em defesa da natureza que é, em sentido amplo, uma luta solidária em defesa da vida. Vida do local, vida da região, vida do país e vida do planeta”, explicou.

Na ultima quarta-feira, 5/6, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação (SEDUC-AM), a Gerência de Manutenção (DEINFRA/ Seduc – AM), a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e a Escola Estadual Altair Severiano Nunes, a Obsma promoveu a atividade “Lixeira Viciada a Canteiro/Jardim – Uma experiência educativa e solidária”, ação originada a partir de uma demanda e insatisfação dos alunos, professores e direção da escola, em relação ao lixo despejado diariamente em uma das calçadas do estabelecimento de ensino, localizada no bairro Parque 10 de Novembro.

Segundo a gestora, Adriane Paula de Freitas, a ação que visa potencializar a mudança de hábito nos comunitários, foi idealizada por ser um problema antigo enfrentado pela escola. “A escola estava com uma lixeira viciada na esquina da rua, onde os comunitários jogavam lixo constantemente. Isso gerou uma inquietação antiga, para que pudéssemos resolver o caso dessa lixeira. Como é que uma escola, que prega aos alunos o ensino de uma educação ambiental, consegue conviver com o lixo que uma comunidade próxima despeja, poluindo esse ambiente em que nós estamos inseridos? ”, pontuou.

Na ocasião, também foram realizadas as seguintes atividades: Oficina de desenho: “Chão é para plantar sementes”; Jogo do Tapetão dos ODS´s, atividade com foco na divulgação e discussão dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 20/30; Elaboração do painel de arte do Graffiti, realizado pela artista plástica na arte do grafite, Deborah Lemos, além de um planfetaço realizado pelos alunos e professores, com a presença do personagem “Oswaldinho”, mascote da Fiocruz Amazônia, em referência ao cientista, patrono da Instituição, Oswaldo Cruz.

Graziele de Oliveira Batista, aluna do 8º ano do ensino fundamental, alertou para a importância de pautar a comunidade e analisou de forma positiva as atividade desenvolvidas no Dia Mundial do Meio Ambiente.“Esperamos ter conscientizado as pessoas que moram aqui no bairro, para que elas consigam entender que aqui é um local que pode ser explorado de maneira positiva”, concluiu.

A programação da Obsma em Manaus segue até o dia 10/6, no Parque Estadual Sumaúma, onde ocorrerão as ultimas atividades: “Panfletaço do Oswaldinho: O que é a Obsma?” e “Produção do Álbum Olímpico – Ensaio fotográfico”.

AMIGOS DA TERRA

As ações de conscientização foram realizadas com base no conhecimento adquirido pelos alunos, através do projeto “Amigos da Terra”, coordenado pelas professoras Josete Albuquerque e Jenifer Oliveira. “Nós professores precisamos ter essa iniciativa de conscientizar, ensinar, mostrar para os alunos que a diferença parte de cada um de nós”, disse Oliveira.

O projeto conta com o apoio dos estudantes do 5º período, do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da EUA. Segundo os alunos, as ações de “Plantio de mudas” e “coleta seletiva” vieram de encontro ao que é proposto na universidade, através da disciplina “Estágio I”, que aborda o tema Educação Ambiental.

SOBRE A OBSMA

A Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente é um projeto educativo bienal promovido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para estimular o desenvolvimento de atividades interdisciplinares nas escolas públicas e privadas de todo o país. Dentre os principais objetivos da Obsma, destacam-se o reconhecimento do trabalho desenvolvido por professores e alunos nas escolas e a cooperação com a divulgação de ações governamentais, criadas em prol da educação, da saúde e do meio ambiente.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Cursos de mestrado da Fiocruz Amazônia oferecem vagas para candidatos externos

Os cursos de mestrado dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), e em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação) do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) estão oferecendo vagas para interessados em cursar disciplinas como aluno especial.

As inscrições devem ser feitas por meio da plataforma SIGA, tanto para o PPGVIDA quanto para o PPGBIO-Interação . O período de inscrições para cursar as disciplinas ofertadas pelo PPGVIDA ocorre nos dias 6 e 7/6.

Para o PPGBIO-Interação as inscrições ocorrem entre os dias 6 e 10/6. Vale lembrar que a plataforma SIGA só pode ser acessada através do navegador lnternet Explorer.

Confira o edital em: http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=120

QUEM PODE SE INSCREVER?

Alunos de outros cursos de pós-graduação stricto sensu da Fiocruz.

Alunos de outros cursos de pós-graduação stricto sensu de outras instituições públicas e/ou privadas.

Alunos de curso de pós-graduação loto sensu da Fiocruz.

Alunos de outros cursos de pós-graduação loto sensu de outras instituições públicas e/ou privadas.

Candidatos com curso de pós-graduação lato sensu concluído, que não estejam no momento da inscrição fazendo outro curso de lato sensu ou cursando stricto sensu.

Para mais informações sobre disciplinas oferecidas, documentação e inscrição acesse o edital. A lista dos candidatos selecionados será divulgada no dia 26 de junho de 2019, na Plataforma SIGA e no site da Fiocruz Amazônia.

SOBRE O PPGVIDA

O curso de mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos, capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O PPGVIDA também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

SOBRE O PPGBIO-INTERAÇÃO

O Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro é curso strictu sensu que tem como essência a dinâmica de transmissão das doenças e as interações moleculares e celulares da relação patógeno-hospedeiro no âmbito da maior biodiversidade mundial.

O curso se enquadra na grande área em Parasitologia devido a pesquisa e ensino terem ênfase na eco-epidemiologia e biodiversidade de micro-organismos e vetores; fatores de virulência, mecanismos fisiopatológicos e imunológicos associados na interação parasito-hospedeiro.

Estes diversos aspectos são os principais delineadores para escolha da área de concentração da Ciências Biológicas III, por esta ser uma área multidisciplinar e baseada no eixo bioquímica, genética, biológico, celular e molecular. Os alunos recebem uma formação em áreas estratégicas por sua importância e que precisam ser desenvolvidas no Estado.

LMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Palestra na Fiocruz Amazônia abordará pesquisas sobre serpentes peçonhentas, antivenenos, tratamentos alternativos e imunodiagnóstico

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 7/6, às 10h, a palestra “Serpentes peçonhentas, antivenenos, tratamentos alternativos e imunodiagnóstico”, a ser ministrada por Maria Cristina dos Santos, professora Titular da Universidade Federal do Amazonas

A apresentação ocorrerá na sala de aula 101, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

Maria Cristina é graduada em Ciências Biológicas pela Universidade de Santo Amaro, mestre em Bioquímica e Imunologia pela Universidade Federal de Minas Gerais e Doutora em Imunologia pela Universidade de São Paulo.

Atualmente é professora Titular da Universidade Federal do Amazonas e ministra disciplinas na Graduação (Imunologia Médica e Psiconeuroimunologia) e na Pós-graduação nos seguintes Programas: Biotecnologia, Ciências Pesqueira nos Trópicos e Imunologia Básica e Aplicada.

Possui experiência na área de Imunologia, com ênfase em Imunologia Aplicada e Imunoquímica, atuando principalmente nos seguintes temas: caracterização das atividades biológicas dos venenos de serpentes e de arraias Amazônicas; validação de espécies vegetais utilizadas com antiofídicas; produção experimental de imunobiológicos para o tratamento de acidentes por animais peçonhentos; Ofidismo na Amazônia. É uma das idealizadoras e Editora da Revista Eletrônica Scientia Amazonia.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Obsma divulga programação voltada para o dia Mundial do Meio Ambiente

Nas vésperas de sua 10ª edição, a Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma) traz para reflexão, na interface dos temas Saúde e Meio Ambiente, o compromisso institucional com a divulgação e discussão dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 20/30.

Nesta quarta-feira, 5/6, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), através da Regional Norte da Obsma, em parceria com o Departamento de Política e Programas Educacionais (DEPP/SEDUC), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas, promove ações educativas em defesa da vida nas escolas, parques e centros culturais da cidade de Manaus, visando comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Para a coordenadora Regional Norte da Obsma, Rita Bacuri, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) a ação possibilita ampla reflexão sobre as questões ambientais e sua interação com a sociedade. “O dia Mundial do Meio Ambiente é uma data mais que especial para Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente – Obsma. Neste dia reunimos todos os esforços, parceiros e apoiadores, na luta em defesa da natureza que é, em sentido amplo, uma luta solidária em defesa da vida. Vida do local, vida da região, vida do país e vida do planeta”, explicou.

SOBRE A OBSMA

A Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente é um projeto educativo bienal promovido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para estimular o desenvolvimento de atividades interdisciplinares nas escolas públicas e privadas de todo o país. Dentre os principais objetivos da Obsma, destacam-se o reconhecimento do trabalho desenvolvido por professores e alunos nas escolas e a cooperação com a divulgação de ações governamentais, criadas em prol da educação, da saúde e do meio ambiente.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO

 

Data: 5/6

Local: Escola Estadual Altair Severiano Nunes

Atividades:

Oficina de desenho: “Chão é para plantar sementes”;

Panfletaço do Oswaldinho: O que é a Obsma!;

Jogo do Tapetão dos ODS´s;

Elaboração do painel de arte do Graffiti;

De “Lixeira Viciada” a Canteiro/Jardim – Uma experiência educativa e solidária.

Data: 6/6

Local: Centro Cultural Aníbal Bessa

Atividades:

Projeção de vídeos Olímpicos;

Panfletaço do Oswaldinho: O que é a Obsma!;

Jogo do Tapetão dos ODS´s.

Data:  7/6

Local: Igarapé do 40

Atividades:

De Olho no Ambiente às Margens do Igarapé do Quarenta: Foco na Saúde!

Caminhada Ambiental – O ambiente e sua relação com a saúde;

Plantio de mudas frutíferas nas três escolas do entorno;

Planfletaço do Oswaldinho: O que é a Obsma!

 

Data: 10/6

Local: Parque Estadual Sumaúma

Atividades:

Panfletaço do Oswaldinho: O que é a Obsma!

Produção do Álbum Olímpico – Ensaio fotográfico

 

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes