Arquivo da Categoria: Fiocruz Amazônia

Fiocruz Amazônia celebra 25 anos de trajetória com programação cultural e sessão solene na ALEAM

Instituído oficialmente por meio da Portaria Fiocruz nº 195, de 19 de agosto de 1994, como Escritório Técnico da Amazônia (ETA-Fiocruz), o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) completou na última segunda-feira seus 25 anos.

Eventos científicos, de popularização da ciência e de geração e difusão do conhecimento científico e tecnológico, voltados para a promoção da saúde, qualidade de vida, meio ambiente, sustentabilidade e cidadania marcam as comemorações do jubileu, que vão ocorrer até 2020.

No dia 22/8, a Fiocruz Amazônia assinará um acordo de cooperação entre a Unidade e o Comando Militar da Amazônia (CMA). Ainda durante a tarde, na sede do governo, ocorrerá a assinatura do protocolo de cooperação entre a Fiocruz Amazônia e o Governo do Estado do Amazonas.

No mesmo dia, às 20h, pesquisadores, bolsistas, técnicos, alunos dos cursos de pós-graduação prestigiam, no Teatro Amazonas, o concerto especial da Orquestra Amazonas Filarmônica, um oferecimento da Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas. Na sexta-feira, 23/8, às 9h30, Nísia Trindade, presidente da Fiocruz estará no ILMD para o evento que marcará o início das atividades e recepção dos novos bolsistas do Programa de Iniciação Científica (PIC), intitulada “Conversa com a Presidente”.

ALEAM

Numa propositura da autoria da deputada estadual Alessandra Campelo, no dia 23, às 13h, uma Sessão Especial, a ser realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), marcará o jubileu do ILMD/Fiocruz Amazônia, com o reconhecimento parlamentar da importância da instituição para o Amazonas.

A Sessão Especial será realizada no Plenário Ruy Araujo, na Av. Mario Ypiranga Monteiro, 3.950 – Parque 10. O evento é aberto ao público. Na ocasião será lançada a 4ª edição da Fiocruz Amazônia Revista, uma publicação de divulgação científica do ILMD, que numa edição especial trará um resgate histórico da Unidade.

SELO 25 ANOS

O jubileu do ILMD/Fiocruz Amazônia vem sendo pensado desde o início deste ano e, com o apoio da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), um selo foi criado especialmente para este aniversário.

Durante a última reunião do conselho Deliberativo do ILMD/Fiocruz Amazônia, ocorreu o lançamento do selo comemorativo em homenagem aos 25 anos da implantação do Instituto. O selo foi desenvolvido pela equipe da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), em parceria com técnicos do Instituto e será aplicado em todas as peças editoriais e gráficas da instituição ao longo do ano do jubileu.

MOSTRA DE FILMES

As celebrações do jubileu deram início em junho, com a mostra de filmes de “Adrian Cowell – Um olhar sobre a Amazônia”, que abordou questões socioambientais e políticas da Amazônia Brasileira. O evento aconteceu entre os dias 12 e 14 de junho, no Casarão de Ideias, que fica localizado no Centro de Manaus.

SOBRE A FIOCRUZ AMAZÔNIA

Unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz no Amazonas, o ILMD visa contribuir para a melhoria das condições de vida e saúde das populações amazônicas e para o desenvolvimento científico e tecnológico regional do País, integrando a pesquisa, a educação e ações de saúde pública.

Para o desenvolvimento de suas ações conta com instituições parceiras que apoiam projetos de caráter multidisciplinar e interinstitucional, gerando conhecimentos essenciais para a criação de políticas públicas, que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da sociedade.

A produção de conhecimento científico no ILMD/Fiocruz Amazônia também ocorre por meio das ações de cooperação técnica, realizadas através da assessoria técnico-científica desenvolvida junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), com foco especial no conhecimento das realidades sócio-sanitárias e epidemiológicas da Amazônia.

O ILMD/Fiocruz Amazônia estabelece cooperação com instituições nacionais e internacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (CT&IS), por meio de Acordos de Cooperação Técnico-Científica em Saúde com as demais unidades da Fiocruz, com instituições da Amazônia, nacionais e de outros países.

EDUCAÇÃO

Os programas de pós-graduação, cursos e atividades de ensinos desenvolvidos pelo ILMD/Fiocruz Amazônia têm por finalidade: capacitar profissionais para funções especializadas nos campos das ciências e tecnologias em saúde, necessários à sociedade, bem como aprofundar conhecimentos e habilidades, voltando-se prioritariamente para a área de Saúde Coletiva e afins, promovendo atualização sobre os avanços de conhecimentos nesse campo e a ampliação das competências profissionais dos discentes.

A Fiocruz tem longa história na formação de mestres e doutores no país. Nas últimas décadas a instituição empreendeu um processo dirigido de expansão de suas unidades técnico científicas, com a presença de cursos de pós-graduação e centros de pesquisa voltados para o campo da saúde. A criação do ILMD/Fiocruz Amazônia, expressa o compromisso da Fiocruz em contribuir com a expansão da produção de conhecimento e do ensino pós-graduado na região amazônica.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Edição especial do Centro de Estudos vai abordar caracterização do promotor do gene de quitinase intestinal de Lutzomyia longipalpis

Nesta quarta-feira, 21/8, às 14h, uma edição especial do Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove a palestra “Caracterização do promotor do gene de quitinase intestinal de Lutzomyia longipalpis”, a ser ministrada pelo pesquisador, Antonio Jorge Tempone, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz).

Segundo o pesquisador, a palestra vai abordar o estudo dos mecanismos envolvidos na regulação da expressão do gene da enzima quitinase intestinal de Lutzomyia longipalpis. Gene de expressão tecido e estimulo específicos. A apresentação ocorrerá na Sala de aula 1, no prédio anexo, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

Antonio é graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Santa Úrsula, mestre em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutorado em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é pesquisador do Instituto Owaldo Cruz.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

 

Fiocruz Amazônia abre inscrições para Curso de Atualização em Histopatologia e Imuno-histoquímica

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) abre inscrições até 13/9, para o curso de atualização em Histopatologia e Imuno-histoquímica (Teoria e Prática). O curso é gratuito e aulas acontecerão no período de 23 a 26 de setembro, em horário integral, no Laboratório de Doenças Infecciosas em Imunologia (1º Andar, Bloco ICB-FCA / Pós-Graduação, MINICAMPUS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Serão 30h de atividades. Estão sendo oferecidas 20 vagas cujo preenchimento obedece às condições da chamada publicada em: https://campusvirtual.fiocruz.br/gestordecursos/hotsite/histopatologia-ILMD2019/apresentaaao/2091

O curso tem por objetivo promover a atualização de profissionais de nível superior da área de saúde que atuam ou desejam atuar na área de anatomia patológica sobre as técnicas de histopatologia e imuno-histoquímica voltadas para o diagnóstico histopatológico com ênfase em doenças infecciosas e crônicas em seres humanos e animais.

As aulas serão ministradas pelos professores Luís Ferreira, Oscar Costa, Cristina Andrade, Misael Silva e Monique Freire, sob coordenação do professor Pritesh Lalwani.

Podem se inscrever alunos de pós-graduação e profissionais da área de saúde que atuam ou desejam atuar na área de anatomia patológica de humanos ou camundongos. As inscrições podem ser feitas de 19 de agosto a 13 de setembro, no Campus Virtual da Fiocruz, em: https://campusvirtual.fiocruz.br/gestordecursos/hotsite/histopatologia-ILMD2019/formulario

Os nomes dos selecionados para fazerem o curso serão divulgados no dia 18 de setembro de 2019, no site e por e-mail, a ser enviado aos selecionados.

CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO

Alunos regularmente matriculados em Cursos de Pós-Graduação (declaração de matrícula ou documento comprove vínculo com o curso) – 5,0 pontos;

Profissionais da área de Saúde ou Professores ou pesquisadores (declaração de vínculo, documento do SIGEPE, Foto do Crachá, cabeçalho do contra-cheque ou documento que comprove) – 3,0 pontos;

Profissionais Graduados com interesse na área (informar o link do currículo Lattes) – 2,0 pontos;

Justificativa para realizar o curso – A justificativa será utilizada como critério de desempate (no máximo 100 palavras).

Justifique o seu interesse em realizar o curso, explicitando projeto na área, conhecimento no tema, recomendação do orientador ou outra motivação que considerar pertinente.

Mais informações no Campus Virtual da Fiocruz

ILMD/Fiocruz Amazonia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Projeto Sonora é destaque durante Feira de Produtos Orgânicos da Fiocruz Amazônia

Você já visitou um museu imaginário? Uma dupla de artistas de São Paulo que criam uma espécie de imersão sonora sobre a biodiversidade da floresta estiveram ontem, 15/8, apresentado o “projeto sonora”, durante mais uma edição da Feira de Produtos Orgânicos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia).

O Sonora é uma organização independente e sem fins lucrativos que desenvolve museus imaginários, que atuam como ferramenta de ensino e aprendizagem para promover acesso a conhecimentos sobre ciência, conservação, mobilidade urbana, sustentabilidade e justiça social.

As atividades de imersão sonora se utilizam de som e palavra para comunicar ideias, pesquisas e narrativas. A intenção é proporcionar elementos que instigam o repertório individual dos participantes através de um território de co-imaginação. O ILMD/Fiocruz Amazônia recebeu para esta edição os alunos da Escola Estadual Angelo Ramazzotti e do Instituto Batista Ida Nelson.

Vendados os estudantes ouviam a voz suave do músico Bruno Garibaldi narrando a aventura, interpelada pela sonoplastia amazônica, manejada eletronicamente pela também artista Luisa Puterman. Criado em 2016, o projeto usa o som como ferramenta de deslocamento imaginativo, apresentando-se em escolas, hospitais, penitenciárias e outros espaços, a dupla ativa a capacidade imaginativa de quem se dispõe a fechar os olhos.

Garibaldi, um dos coordenadores do projeto, conta que a equipe escolheu a Amazônia por diversos fatores, como falar sobre biodiversidade, aspectos da biologia, zoologia, da botânica, além da possibilidade de criar museus imaginários de história natural do Amazônia. “Trabalhar com um imaginário da Amazônia é muito profundo no tecido social brasileiro, usar da Amazônia para estimular esse imaginário, também vinculado ao exercício do pensamento científico, ainda mais no contexto político que nos encontramos hoje, onde a Amazônia está com seu futuro correndo perigo, com o pensamento científico sendo desvalorizado, o projeto vem justamente para democratizar e fazer essa ponte entre a sociedade e a ciência”, destacou.

Em atividades pela cidade de Manaus, o Projeto Sonora desenvolve ações que fazem parte do projeto Imersão Amazônia, uma atividade de divulgação científica que visa produzir e apresentar experiências de imersão com o apoio do Instituto Serrapilheira e colaboração com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) e o LABVERDE.

A cada edição da Feira de Produtos Orgânicos da Fiocruz Amazônia, são realizadas palestras que visam incorporar questões de agendas públicas que precisam de visibilidade nos espaços públicos.

SOBRE A FEIRA

O evento é promovido pelo Laboratório Território, Ambiente, Saúde e Sustentabilidade (Tass) do ILMD/Fiocruz Amazônia, em parceria com a Coordenação Regional Norte da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente da Fiocruz (Obsma), com apoio da coordenação regional Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública  (Asfoc-AM).

Participam da Feira de Produtos Orgânicos, agricultores da Associação dos Agricultores São Francisco de Assis – Ramal da Cachoeira, entidade ligada à Rede Maniva de Agroecologia do Amazonas (Rema).

Dentre os produtos agrícolas orgânicos comercializados, estão hortaliças, frutos regionais de época, plantas medicinais e plantas comestíveis não convencionais, entre outros. Artesanato, alimentos feitos a partir de produtos orgânicos e mudas de plantas também estão na feira. São produtos orgânicos os cultivados sem o uso de adubos químicos ou agrotóxicos, portanto produtos considerados limpos e saudáveis, que respeitam o meio ambiente e contribuem para a preservação dos recursos naturais.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Iniciação científica em políticas atuais será tema do Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia

Na próxima sexta-feira, 16/8, às 10h, o Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove a palestra “Iniciação Científica em políticas atuais; temos de ser polímatas? O vai e volta de políticas públicas para o Brasil para ciência e cultura?”, a ser ministrada pelo pesquisador, Felipe Arley Costa Pessoa, da Fiocruz Amazônia.

Segundo Pessoa, o processo de implantação da carreira de cientista e de formação do conhecimento de cunho acadêmico nacional não foi um processo contínuo. “Políticas de formação de base como a iniciação científica é algo relativamente novo. Nessa palestra serão abordados tópicos sobre a história da iniciação científica, conceitos, impactos na vida do bolsista de IC, mudanças de paradigmas e retorno de algumas formas de condução de pensamento científico no país”, destacou.

A apresentação ocorrerá no Sala de aula 1, no prédio anexo, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

Felipe Pessoa é biólogo graduado pela Universidade Federal do Ceará, Mestre e Doutor em Ciências Biológicas (Entomologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Atualmente é Pesquisador Titular em Saúde Pública, da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, no Centro de Pesquisa Leônidas & Maria Deane, Amazônia, em Manaus .

Possui experiência na área de Parasitologia, com ênfase em entomologia médica (ecologia, epidemiologia, sistemática e filogenia). É orientador nos cursos de Condições de Vida e Situações de saúde na Amazônia; Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro, ambos sediados no Instituto Leônidas e Maria Deane, AM, no PPG entomologia do INPA e como colaborador no curso de Biodiversidade em Saúde do Instituto Oswaldo Cruz, RJ.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Fiocruz Amazônia abre vagas para o Curso de Atualização em Validade e Confiabilidade de Instrumento de Pesquisa

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) informa que estão abertas até o dia 30 de agosto as inscrições para o Curso de Atualização em Validade e Confiabilidade de Instrumento de Pesquisa. O curso é destinado a estudantes de pós graduação e de graduação da área da saúde e afins, assim como para profissionais do campo da saúde, que pretendam aprimorar seus conhecimentos.

O curso tem como objetivos compreender os aspectos teóricos gerais da validação e confiabilidade de instrumentos de aferição na pesquisa epidemiológica; discutir os principais critérios de validade de instrumentos de aferição em pesquisa epidemiológica; apresentar os principais estimadores de confiabilidade, sua utilização e interpretação; e identificar os aspectos básicos da adaptação transcultural de instrumentos de pesquisa.

As aulas serão ministradas pela Professora Odaleia Barbosa de Aguiar, docente na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, e acontecerão no período de 16 a 20 de setembro, horário matutino, totalizando a carga horária de 20h. O curso será realizado na sede da Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus.

Para inscrição acesse a plataforma do Campus Virtual da Fiocruz.

As inscrições estão sendo feitas pelo Campus Virtual da Fiocruz, por meio de Formulário disponível para este fim. Ao preencher o Formulário de Inscrição o candidato deve inserir o link do seu Currículo Lattes, no local indicado.

Estão sendo ofertadas 40 vagas cujo preenchimento obedecerá às condições dispostas no processo seletivo. Haverá cadastro reserva para o caso de desistência de algum aluno no primeiro dia do curso.

SOBRE A CERTIFICAÇÃO

Receberão certificados os alunos que tiverem assegurada, pelo menos, 75% (setenta e cinco por cento) de frequência no Curso de Atualização em Validade e Confiabilidade de Instrumento de Pesquisa.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Pesquisadores da Fiocruz Amazônia discutem melhorias para o SUS durante 16ª Conferência Nacional de Saúde

Com o tema “Democracia e Saúde, trabalhando três eixos: Saúde como Direito, Consolidação do SUS e Financiamento Adequado do SUS”, gestores, profissionais de saúde, pesquisadores, representantes de movimentos sociais, conselheiros de saúde e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) de todas as regiões do Brasil participaram, entre os dias 4 e 7 de agosto, da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8), realizada em Brasília.

O evento é um espaço de participação social e diálogo entre o governo e a população, em que foram propostas diretrizes para políticas públicas de saúde do país. Dada a importância do evento para a saúde, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também participou da Conferência, atuando em diferentes frentes.

Mais de 80 pessoas de todas as unidades da Fiocruz participaram do evento em diferentes modalidades: delegados, convidados, relatores e monitores de pesquisa. A programação contou com plenárias, comissões, mesas temáticas, oficinas, grupos de trabalho e um ato em defesa do SUS. O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) esteve presente nos debates, representado pelos pesquisadores Marcílio Medeiros e Jessem Orellana.

Para Jessem, os pontos de debates mais relevantes e polêmicos da conferência foram as discussões sobre as tendências de privatização do sistema, além das reflexões e apontamentos sobre as conseqüências da aprovação da Emenda Constitucional Nº 95, que segundo ele, reflete diretamente nos indicadores de saúde do Brasil

“A gente vê que as taxas de mortalidade infantil, de internação hospitalar por várias doenças tem aumentado, a estratégia de saúde da família diminuindo, o fim do Programa Mais Médicos, que era uma possibilidade de milhões de brasileiro acessarem o sistema médico, em especial consultas médicas sem tantos problemas. De uma forma geral foi muito interessante, pois este tipo de evento reúne atores de todas as camadas da sociedade brasileira que lutam pelo Sistema Único de Saúde”, destacou Orellana.

O relatório do evento, consolidado após amplas discussões que percorreram o Brasil em mais de três mil conferências preparatórias, vai nortear as ações do Ministério da Saúde (MS) para o Sistema Único de Saúde (SUS) pelos próximos anos. A realização do maior evento participativo do país é garantida pela Constituição de 1988. Além disso, foram aprovadas 56 moções que marcaram o posicionamento do evento em relação a diversos temas ligados à saúde. Entre eles, garantia de direitos, medicamentos, assistências integrais, financiamento adequado e fortalecimento do SUS.

Segundo Marcílio Medeiros, os debates tiveram amplo alcance, para além das propostas sobre melhorias da qualidade do SUS. “Muitas das proposições foram de salvaguardar o direito constitucional, o que talvez esteja muito diferente das anteriores, cuja preocupação maior era avançar sobre a qualidade, a integralidade e a busca da intersetorialidade. Uma das novidades foi a realização de uma pesquisa coordenada pela Rede Unida, sobre o sentimento dos delegados a respeito da 16ª Conferência. Penso que o debate revelará o perfil de quem são, quais interesses e entendimentos sobre sua atuação em defesa ao SUS”, destacou o pesquisador.

O relatório final da 16ª Conferência será divulgado ainda este ano, após o trabalho de compilação das propostas feito pela Comissão de Relatoria. A 16ª Conferência trouxe o tema Democracia e Saúde, trabalhando três eixos: Saúde como Direito, Consolidação do SUS e Financiamento Adequado do SUS.

8ª + 8

A 8ª Conferência Nacional de Saúde foi realizada em 1986, sendo considerada um marco para a democracia participativa, para o SUS, para a reforma sanitária e para o controle social. Este foi o primeiro evento nacional de participação social na saúde aberto ao público, resultando em bases para a construção do SUS na Constituição Brasileira de 1988.

A 16ª CNS foi um resgate à 8ª Conferência, sendo chamada de 8ª+8, e trouxe para o debate os mesmos eixos temáticos:  Saúde como Direito, Consolidação dos Princípios do SUS e Financiamento do SUS. Entre as principais manifestações discutidas durante o evento: defender os princípios básicos do SUS, a saúde pública como direito de todos e a democracia brasileira.

SOBRE A 16ª CONFERÊNCIA

A 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8) é organizada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) é realizada pelo Ministério da Saúde (MS). Considerada o maior espaço de participação social do Brasil, o evento reúne mais de cinco mil pessoas de todo o país para propor melhorias ao Sistema Único de Saúde (SUS), sendo um resgate à 8ª Conferência, realizada em 1986, responsável por definir as bases para construção do SUS na Constituição de 1988. O relatório final do evento vai gerar subsídios para a elaboração do Plano Plurianual 2020- 2023 e do Plano Nacional de Saúde.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
*Com informações do CNS

Palestra do Centro de Estudos irá abordar limitação funcional em vítimas de acidentes ofídicos

Na próxima sexta-feira, 9/8, às 10h, o Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove a palestra “Limitação funcional em vítimas de acidentes ofídicos: uma estimativa da incidência, impacto e fatores associados à incapacidade física em diferentes contextos no Amazonas, Brasil”, a ser ministrada pelo pesquisador, Fernando Fonseca de Almeida e Val, da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

Segundo Val, a região norte apresenta a mais elevada proporção de casos de ofidismo com relação à população. A dificuldade de acesso das populações ribeirinhas e indígenas aos centros de saúde faz com que o número de casos registrados seja provavelmente inferior à realidade.

De acordo com análise de dados fornecidos pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS) mostrou que entre os anos de 2007 e 2014, foram registrados 12.687 casos de acidentes com serpentes no Estado, dos quais 11.692 casos evoluíram com manifestações locais e 2.403 casos, com manifestações sistêmicas diversas; 635 casos apresentaram infecção secundária, 121 síndrome compartimental, 143 necrose extensa, 15 amputação e 119 déficit funcional.

A apresentação ocorrerá no Sala de aula 1, no 1º andar, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

 SOBRE O PALESTRANTE

Fernando é graduado em Fisioterapia pela Universidade de São Paulo (FMRP-USP) e doutor em doenças tropicais e infecciosas pelo Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical da Universidade do Estado do Amazonas em convênio com a FMT-HVD.

Se dedicou um ano à prática clínica e pesquisa na área de Reabilitação Cardiovascular junto ao Laboratório de Fisiologia do Exercício da Divisão de Cardiologia do Hospital das Clínicas (HCFMRP-USP).

Trabalha como fisioterapeuta na UTI da Unidade Hospitalar da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) em Manaus, com pacientes acometidos por doenças infecto-contagiosas.

É também membro colaborador do Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB) atuando em projetos de pesquisa com cooperação nacional e internacional. Atua ainda como membro do corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical (FMT-HVD/UEA) e Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (UFAM).

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Fiocruz Amazônia divulga resultado final do processo seletivo para o curso de especialização em Vigilância em Saúde

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) divulgou nesta terça-feira 6/8, o resultado final do processo seletivo da Chamada Pública Nº004/2019 – para o Curso de Especialização em Vigilância em Saúde na Rede de APS, realizado em Tabatinga (AM).

O curso é modular e será realizado em Tabatinga(AM). Para esta edição estão sendo oferecidas 50 vagas, distribuídas entre profissionais de saúde do Brasil, Peru, Colômbia e Equador. As vagas destinadas aos candidatos estrangeiros são de responsabilidade exclusiva da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde doo Ministério da Saúde (Aisa-MS).

Acesse o resultado AQUI

Os candidatos aprovados devem, no primeiro dia de aula, apresentar os documentos originais, conforme solicitado no item 8 do edital, para conferência e autenticação. As aulas iniciam no dia 19/8.

A oferta do curso integra as ações de Educação definidas no Projeto QualificaSUS, do ILMD/Fiocruz Amazônia, e nesta atividade conta com em parceria da Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Evento promovido pela Fiocruz Amazônia em parceria com a Susam reunirá parteiras indígenas em São Gabriel da Cachoeira

Um total de 45 parteiras de diferentes etnias indígenas, estarão reunidas na comunidade Uaretê, de São Gabriel da Cachoeira, nos dias 6 e 7 de agosto, para a realização da 15ª oficina de troca de saberes do projeto “Redes vivas e práticas populares de saúde: conhecimento tradicional das parteiras e a educação permanente em saúde para o fortalecimento da rede de atenção à saúde da mulher no Estado do Amazonas”.

O projeto é desenvolvido pelo Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), por meio do Laboratório de História, Políticas e Saúde na Amazônia (Lahpsa), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) e conta com aporte financeiro do Ministério da Saúde (MS).

Com apoio do Distrito Sanitário Especial de Saúde Indígena (DSEI) de São Gabriel da Cachoeira, durante os dois dias, parteiras, gestores e profissionais de saúde do município participarão de atividades para explorar os aspectos de atuação, localização e forma de cuidado com gestantes e recém-nascidos.

Para o coordenador do projeto e pesquisador do Lahpsa/ILMD/Fiocruz Amazônia, Júlio Cesar Schweickardt, além de ser uma prática de assistência ao parto, as parteiras atuam como lideranças e referência nos seus locais e contextos comunitários. “Conhecer e reconhecer o trabalho das parteiras tradicionais, principalmente as indígenas, significa valorizar as ações dessas mulheres no campo da saúde, garantindo o seu lugar junto às equipes de saúde nas comunidades”, salientou.

Segundo uma das coordenadoras do projeto e coordenadora da Saúde da Mulher da Susam, Sandra Cavalcante, a Secretaria reconhece a importância das parteiras tradicionais na Amazônia e vem sistematicamente trabalhando com essas mulheres desde 2008, com muitas ações para o fortalecimento dessa categoria.

ATIVIDADES DO PROJETO

A cada oficina realizada, o grupo de pesquisa ajuda as parteiras a escrever uma Carta de Demanda que será encaminhada à gestão das secretarias de saúde, Distrito Sanitária Especial de Saúde Indígena (DSEI) e maternidades.

O projeto tem como área de abrangência nove regiões de saúde do Amazonas e as comunidades indígenas. As oficinas já foram realizadas em Manaus, Itacoatiara, Parintins, Borba, Maués, Nova Olinda do Norte, Tefé (duas oficinas), Tabatinga (três oficinas), Belém do Solimões, Boa Vista dos Ramos e Jutaí.

O projeto ainda desenvolve ações de educação permanente e popular em saúde, produção do conhecimento com as parteiras tradicionais, preparação de material pedagógico e produção de material de divulgação.

SERVIÇO

O quê: Oficina Troca de Saberes Parteiras do Amazonas

Quando: Terça e quarta-feira, 6 e 7 de agosto

Horário: 08h às 17h

Onde: Comunidade Uaretê, de São Gabriel da Cachoeira

Lahpsa / ILMD Fiocruz Amazônia, por Mirineia Nascimento
Foto: Arquivo Lahpsa