Arquivo da Categoria: Ecam

Cenário da mansonelose no AM é apresentado  a alunos da rede pública pela Fiocruz Amazônia

A dinâmica da doença que acomete o tecido linfático conhecida como filariose ou mansonelose (elefantíase) foi apresentada ontem (22/11), pelo biólogo Yago Serra, aluno do Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

A palestra foi prestigiada por alunos do ensino médio da Escola Estadual Gilberto Mestrinho, localizada, no bairro Colônia Antônio Aleixo. A atividade fez parte da programação da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) promovida pelo ILMD em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), no Espaço da Cidadania Ambiental (Ecam), no Manauara Shopping.

Apesar de estar quase erradicada no País, a doença tem registros de incidência em municípios amazonenses como Lábrea, São Gabriel da Cachoeira, Coari e Tefé. Segundo o pesquisador, a doença é transmitida principalmente pelo mosquito conhecido como “pium” ou “borrachudo” (Simullium spp), mas também pelo “mosquito pólvora” (Cullicoides spp). Serra explicou que o tratamento é simples e disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

Yago Serra considera a SNCT fundamental para a educação científica. “É muito importante porque estamos falando com jovens que futuramente podem ser meus colegas de profissão e cientistas que se interessem por essa área e são, sobretudo, excelentes divulgadores porque estão nas redes sociais, conversam com seus pais e podem divulgar essa informação”, frisou.

Segundo o pesquisador, mansonelose é uma doença endêmica da nossa região e muito pouco conhecida. A doença pode ser transmitida por dois parasitas, a Mansonella ozzardi, que é originária das Américas, e a Mansonella perstans, originária do continente africano. Em sua investigação Yago pretende avaliar a influência do perfil genético das pessoas em relação a suscetibilidade a infecção por mansonelose em São Gabriel da Cachoeira, Lábrea e Coari.

OPINIÃO DE QUEM FOI

A aluna do 1º ano do Ensino Médio, Alice Silva, 15 anos, participou tanto da palestra sobre ‘Filarioses na Amazônia’ quanto da mostra de microscopia (bactérias e fungos) apresentado no Ecam para o grande público. “Esta foi uma excelente oportunidade para conhecer mais sobre a ciência na prática e também para mim foi uma grande novidade saber sobre a Filariose, doença que eu não tinha conhecimento”, disse.

Na opinião de Pedro Vitor Lima, 15 anos, aluno da Escola Estadual Gilberto Mestrinho, a atividade contribuiu bastante para seu aprendizado. “Eu amo ciências e este dia ficará marcado pelas novidades que me foram apresentadas. Assim, posso também informar aos meus vizinhos, amigos e família sobre o que aprendi”, comemorou.

PROGRAMAÇÃO

As atividades da 14ª SNCT acontecem em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed). A entrada em todas as atividades é gratuita e aberta ao público.

A programação do evento ocorre em dois locais: no Ecam,  no Shopping Manauara (das 10h às 16h) e no Salão Canoas, auditório do ILMD/Fiocruz Amazônia (Rua Teresina, 476, Adrianópolis), das 19h às 21h.

Nesta quinta-feira, 23/11, a pesquisadora Edilene Martins vai ministrar palestra sobre a ‘Malária no Brasil’, das 10h às 12h, e pela tarde o pesquisador André Corado falará sobre ‘Epidemiologia Molecular do HIV 1’, das 14h às 16h. Sobre ‘Infecção hospitalar em números’, Paula Taquita, ministrará palestra, no Salão Canoas, das 19h às 21h.

Na programação de sexta-feira, 24/11, das 10h às 12h, acontecerá palestra no Espaço Ecam, com a pesquisadora Luiza Garnelo, intitulada ‘Desigualdades Sociais na Amazônia’. No período da tarde, das 14h às 16h, a palestrante Laissa Barroso, falará sobre ‘Dermatófitos’. À noite, das 19h às 21h, no Salão Canoas, o público poderá assistir a palestra sobre a ‘Pesquisa no diagnóstico e controle da malária’, com as estudantes de pós-graduação Juliana Glória e Késsia Caroline Alves.

SERVIÇO

O quê? Atividades da Fiocruz Amazônia na 14ª. SNCT

Quando? 21 a 24 de novembro de 2017

Onde? Espaço Ecam (Manauara Shopping) e Salão Canoas  (sede do ILMD/Fiocruz Amazônia)

Que horas? 10h às 16h (Espaço Ecam) e das 19h às 21h (ILMD/Fiocruz Amazônia).

Por Cristiane Barbosa
Edição: Marlúcia Seixas
Fotos: Cristiane Barbosa

Cenário da mansonelose no AM é apresentado  a alunos da rede pública pela Fiocruz Amazônia

A dinâmica da doença que acomete o tecido linfático conhecida como filariose ou mansonelose (elefantíase) foi apresentada ontem (22/11), pelo biólogo Yago Serra, aluno do Programa de Pós-Graduação em Biologia da Interação Patógeno-Hospedeiro (PPGBIO-Interação), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

A palestra foi prestigiada por alunos do ensino médio da Escola Estadual Gilberto Mestrinho, localizada, no bairro Colônia Antônio Aleixo. A atividade fez parte da programação da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) promovida pelo ILMD em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), no Espaço da Cidadania Ambiental (Ecam), no Manauara Shopping.

Apesar de estar quase erradicada no País, a doença tem registros de incidência em municípios amazonenses como Lábrea, São Gabriel da Cachoeira, Coari e Tefé. Segundo o pesquisador, a doença é transmitida principalmente pelo mosquito conhecido como “pium” ou “borrachudo” (Simullium spp), mas também pelo “mosquito pólvora” (Cullicoides spp). Serra explicou que o tratamento é simples e disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

Yago Serra considera a SNCT fundamental para a educação científica. “É muito importante porque estamos falando com jovens que futuramente podem ser meus colegas de profissão e cientistas que se interessem por essa área e são, sobretudo, excelentes divulgadores porque estão nas redes sociais, conversam com seus pais e podem divulgar essa informação”, frisou.

Segundo o pesquisador, mansonelose é uma doença endêmica da nossa região e muito pouco conhecida. A doença pode ser transmitida por dois parasitas, a Mansonella ozzardi, que é originária das Américas, e a Mansonella perstans, originária do continente africano. Em sua investigação Yago pretende avaliar a influência do perfil genético das pessoas em relação a suscetibilidade a infecção por mansonelose em São Gabriel da Cachoeira, Lábrea e Coari.

OPINIÃO DE QUEM FOI

A aluna do 1º ano do Ensino Médio, Alice Silva, 15 anos, participou tanto da palestra sobre ‘Filarioses na Amazônia’ quanto da mostra de microscopia (bactérias e fungos) apresentado no Ecam para o grande público. “Esta foi uma excelente oportunidade para conhecer mais sobre a ciência na prática e também para mim foi uma grande novidade saber sobre a Filariose, doença que eu não tinha conhecimento”, disse.

Na opinião de Pedro Vitor Lima, 15 anos, aluno da Escola Estadual Gilberto Mestrinho, a atividade contribuiu bastante para seu aprendizado. “Eu amo ciências e este dia ficará marcado pelas novidades que me foram apresentadas. Assim, posso também informar aos meus vizinhos, amigos e família sobre o que aprendi”, comemorou.

PROGRAMAÇÃO

As atividades da 14ª SNCT acontecem em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed). A entrada em todas as atividades é gratuita e aberta ao público.

A programação do evento ocorre em dois locais: no Ecam,  no Shopping Manauara (das 10h às 16h) e no Salão Canoas, auditório do ILMD/Fiocruz Amazônia (Rua Teresina, 476, Adrianópolis), das 19h às 21h.

Nesta quinta-feira, 23/11, a pesquisadora Edilene Martins vai ministrar palestra sobre a ‘Malária no Brasil’, das 10h às 12h, e pela tarde o pesquisador André Corado falará sobre ‘Epidemiologia Molecular do HIV 1’, das 14h às 16h. Sobre ‘Infecção hospitalar em números’, Paula Taquita, ministrará palestra, no Salão Canoas, das 19h às 21h.

Na programação de sexta-feira, 24/11, das 10h às 12h, acontecerá palestra no Espaço Ecam, com a pesquisadora Luiza Garnelo, intitulada ‘Desigualdades Sociais na Amazônia’. No período da tarde, das 14h às 16h, a palestrante Laissa Barroso, falará sobre ‘Dermatófitos’. À noite, das 19h às 21h, no Salão Canoas, o público poderá assistir a palestra sobre a ‘Pesquisa no diagnóstico e controle da malária’, com as estudantes de pós-graduação Juliana Glória e Késsia Caroline Alves.

SERVIÇO

O quê? Atividades da Fiocruz Amazônia na 14ª. SNCT

Quando? 21 a 24 de novembro de 2017

Onde? Espaço Ecam (Manauara Shopping) e Salão Canoas  (sede do ILMD/Fiocruz Amazônia)

Que horas? 10h às 16h (Espaço Ecam) e das 19h às 21h (ILMD/Fiocruz Amazônia).

Por Cristiane Barbosa
Edição: Marlúcia Seixas
Fotos: Cristiane Barbosa

Matemática na saúde: Fiocruz Amazônia divulga nova programação da Semana Nacional de C&T

Com o tema ‘A matemática na saúde’, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) dará continuidade, no período de 21 a 24 de novembro, às atividades da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), que acontecem em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A programação do evento ocorrerá em dois locais: no Espaço da Cidadania Ambiental (Ecam), localizado no Shopping Manauara (das 10h às 16h) e no Salão Canoas, auditório do ILMD/Fiocruz Amazônica (Rua Teresina, 476, Adrianópolis, das 19h às 21h).

O vice-diretor de Pesquisa e Inovação do ILMD, Felipe Naveca, informou que essas ações objetivam levar a ciência para a sociedade com uma linguagem simplificada, mostrando o que a Fiocruz Amazônia faz no nosso Estado, chamando a atenção, principalmente, das crianças, jovens e adolescentes para o papel da ciência no cotidiano. “A proposta também é de mostrar para eles como a matemática auxilia os pesquisadores e gestores da área de saúde em suas atividades. A partir da análise dos números, podemos identificar surtos, epidemias, locais com maior frequência de ocorrência de uma doença”, frisou.

PROGRAMAÇÃO

A programação do evento de divulgação científica iniciará na terça-feira, 21/11, no Espaço Ecam, às 10h, com a palestra ‘Diarreia e suas causas’, com a mestranda Alessandra Cavalcante. No horário das 14h às 16h, a pesquisadora Joyceana Matsuda falará sobre ‘O que é tuberculose?’. À noite, das 19h às 21h, o palestrante Yuri Oliveira Chaves vai falar sobre a ‘Pesquisa no ILMD’, no Salão Canoas.

Na quarta-feira, 22/11, o público poderá conferir uma palestra com Yago Santos sobre ‘Filarioses na Amazônia’, das 10h às 12h, no Espaço Ecam – Manaura Shopping. Pela tarde, no mesmo espaço, das 14h às 16h, é a vez da palestra ‘Onde está o DNA?”, com Victor Souza. Na programação noturna, no Salão Canoas, do ILMD/Fiocruz Amazônia, ocorrerá a apresentação do Programa de Iniciação Científica (PIC), com a pesquisadora Stefanie Lopes.

Já na quinta-feira, 23/11, a pesquisadora Edilene Martins vai ministrar palestra sobre a ‘Malária no Brasil’, das 10h às 12h, e pela tarde o pesquisador André Corado falará sobre ‘Epidemiologia Molecular do HIV 1’, das 14h às 16h. Com o tema ‘Infecção hospitalar em números’, a palestrante Paula Taquita, apresentará a palestra no Salão Canoas, das 19h às 21h.

Na programação de sexta-feira, 24/11, das 10h às 12h, ocorrerá uma palestra no Espaço Ecam, com a pesquisadora Luiza Garnelo intitulada ‘Desigualdades Sociais na Amazônia’. No período da tarde, das 14h às 16h, a palestrante Laissa Barroso, falará sobre ‘Dermatófitos’. À noite, das 19h às 21h, no Salão Canoas, o público poderá assistir a palestra sobre a ‘Pesquisa no diagnóstico e controle da malária’, com as estudantes de pós-graduação Juliana Glória e Késsia Caroline Alves.

SERVIÇO

O quê? Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Quando? 21 a 24 de novembro de 2017

Onde? Espaço Ecam (Manauara Shopping) e Salão Canoas  (sede do ILMD/Fiocruz Amazônia)

Que horas? 10h às 16h (Espaço Ecam) e das 19h às 21h (ILMD/Fiocruz Amazônia).

14ª SNCT

As atividades da 14ª. Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovidas pelo ILMD/Fiocruz Amazônia, iniciaram no dia 31/10, no Espaço Ecam, e ocorreram em parceria com a coordenação do Programa Ocas do Conhecimento Ambiental, da Semed.

Na ocasião, aproximadamente 40 alunos da Escola Municipal Villa Lobos, estiveram no espaço para participar das atividades e foram recepcionados pela equipe do ILMD/FIOCRUZ Amazônia e seu diretor, Sérgio Luz, além do juiz da Vara Especializada em Meio Ambiente e Questões Agrárias (Vemaqa), Adalberto Carim.

Para Sérgio Luz, a SNCT é uma grande promotora da popularização da ciência no Brasil, e visa também estimular o espírito investigativo em crianças, jovens e adultos.  “A ciência e a tecnologia estão presentes em praticamente todos os contextos das nossas vidas: na saúde, na alimentação, no vestuário, na educação, na comunicação e em muitos outros, daí a importância dessas ações para levar à população informações sobre o trabalho cientifico no País”.

 Por Cristiane Barbosa
Fotos: Eduardo Gomes
Edição: Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia promove atividades referentes à 14ª SNCT

Exposições, jogos e palestras marcaram o início das atividades referentes à 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovidas pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia). A abertura aconteceu no Espaço da Cidadania Ambiental (ECAM), localizado no mezanino do Manauara Shopping, zona centro-sul de Manaus.

O evento foi realizado pela Fiocruz Amazônia, em parceria com a coordenação do Programa Ocas do Conhecimento Ambiental, da Secretaria Municipal de Educação (Semed). Pela manhã, aproximadamente 40 alunos da Escola Municipal Villa Lobos, estiveram no espaço para participar das atividades e foram recepicionados pelo Diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, e pelo juiz da Vara Especializada em Meio Ambiente e Questões Agrárias (Vemaqa), Adalberto Carim, que ressaltaram a importância do estudo científico e do contato dos jovens com esse tipo de conhecimento.

Na oportunidade, Sérgio Luz, ressaltou a importância do evento, e destacou exemplos para os alunos sobre a relevância da ciência na vida cotidiana. “Tem uma grande importância a semana de ciência e tecnologia na vida de cada um de nós, porque tudo hoje em dia é ciência, desde a comida que você come, a roupa que você veste, tudo é feito a partir de ciência.”

Os estudantes puderam assistir as palestras “Saúde Ecossistêmica”, ministrada pela pesquisadora Alessandra Nava, e “Ferramenta de detecção de aglomerados de doença”, ministrada pelo pesquisador Antônio Balieiro. Além disso, os alunos puderam acompanhar uma exposição sobre o trabalho do médico Carlos Chagas, responsável pela descoberta da doença de chagas.

Confira a galeria de fotos

“Temos uma exposição sobre as doenças transmitidas por insetos, onde os alunos podem visualizar os insetos que transmitem doenças como dengue e malária, com o auxílio de microscópios e lupas. E temos também um espaço de jogos sobre saúde e alimentação, no qual apresentamos questões de saúde e alimentação saudável”, explicou Luz.

Carim destacou que a iniciativa promovida pela Fiocruz Amazônia se encaixa perfeitamente na proposta do espaço Ecam. “É uma oportunidade única que a gente tenha os jovens, que são nosso futuro, imergindo na ciência de maneira lúdica. Eles vão exercitar esse lado do conhecimento, vão se aprofundar de uma forma espontânea e divertida. E quando a gente percebe que esse espaço se presta a isso, a gente percebe que acertamos, pois a ideia era essa”, disse.

Para o gestor da Escola Municipal Villa Lobos, Enery Cavalcante, poder proporcionar esse tipo de atividade para os estudantes é fundamental. Ele informou que além de levar os alunos para atividades fora da escola, também pretende realizar esse tipo de trabalho dentro da unidade de ensino.

“Nós vamos realizar uma ação científica no dia 22 de novembro, chamada Bioexatas, onde vamos trabalhar diversos temas voltados para a Amazônia, acima de tudo, envolvendo geografia, ciências e matemática”, conclui.

SOBRE A SNCT

“A Matemática está em tudo” é o tema da 14ª SNCT, em 2017. A escolha deste tema se baseia Biênio da Matemática Gomes de Souza (2017-2018). Na Fiocruz Amazônia, as atividades terão continuidade entre os dias 21 e 24 de novembro.

A SNCT é realizada sempre no mês de outubro, sob a coordenação do MCTIC, por meio da Coordenação-Geral de Popularização e Divulgação da Ciência (CGPC/SEPED) e conta com a colaboração de secretarias estaduais e municipais, agências de fomento, espaços científico-culturais, instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas, escolas, órgãos governamentais, empresas de base tecnológica e entidades da sociedade civil.

A ideia é aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o País, criando uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da Ciência, além de aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema.

Ascom ILMD, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

Estudantes do PCE expõem trabalhos em shopping de Manaus

Três projetos do PCE envolvendo sustentabilidade, jogos lúdicos e na área da saúde foram apresentados ao público na última segunda-feira (30)

Três projetos desenvolvidos no âmbito do Programa Ciência na Escola (PCE) participaram na última segunda-feira (30) de uma exposição realizada no Espaço Cultural da Cidadania Ambiental (Ecam), no Manauara Shopping.  Produtos feitos a partir de materiais reciclados, jogos lúdicos para o  ensino da disciplina da Geografia e cuidados com a saúde foram os trabalhos apresentados ao público pelos bolsistas de alfabetização científica do programa.

O programa é desenvolvido pelo Governo do Amazonas via a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas, em parceria com as Secretarias Estadual e Municipal de ensino, e permite a produção da ciência dentro do espaço escolar por meio do desenvolvimento de projetos de pesquisa que oportunizam a formação acadêmica e a transformação do pensar, fazer e entender ciência pelo cidadão.

O projeto intitulado ‘Jovens empreendedores: artesanato sustentável’, realizado na Escola Municipal Vicente de Paula, no bairro Japiim, mostrou os produtos desenvolvidos na escola a partir das ações da educação ambiental e reaproveitamento dos materiais como garrafa pet e caixas de leite, que antes teriam como o destino o lixo.

FOTO 1

Bolsistas do PCE reaproveitam materiais descartados e transformam em produtos sustentáveis em Manaus

A atividade é realizada com alunos do 6º ano do ensino fundamental. De acordo com a coordenadora do projeto, Socorro Brelaz, a ideia de trabalhar essa ação na escola surgiu ao ver a grande quantidade lixo jogado nas ruas.

Na prática, os alunos aprendem sobre a reciclagem e a importância da sustentabilidade na preservação do meio ambiente.

“Os alunos se tornaram multiplicadores deste conhecimento, eles fazem as coletas dos materiais que serão usados para confeccionar os produtos. Utilizamos caixas de leite, CD, garrafas plásticas e retalhos de tecidos que são transformados em jogos, enfeites natalinos, objetos de decoração para casa e utilidades”, disse a professora.

A bolsista do projeto Lívia Oliveira contou que já aprendeu muito sobre quais  produtos podem ser criados a partir do reaproveitamento de materiais, além de saber a importância da reciclagem e como tudo isso impacta no meio ambiente.

Para a Lorena Flávia, que também participa do projeto, a atividade traz benefício não apenas aos estudantes da escola, mas para toda sociedade.

“Isso nos ajuda fazer com que as pessoas entendam sobre o que é reciclagem, um incentivo para não descartarem o lixo em qualquer lugar”, destacou.

Jogos Lúdicos

 Os jogos lúdicos utilizados por estudantes da Escola Municipal Antonina Borges de Sá, no bairro São José, também foram expostos no Ecam. O projeto intitulado ‘Os Jogos Lúdicos no Ensino-Aprendizagem nas Aulas de Geografia’ trabalha com alunos do 8º ano do ensino fundamental e mostrou como os jogos têm influenciado e melhorado o desempenho dos alunos na disciplina.

Amarelinha, jogo da velha, trilha dos países, caça palavras, quebra-cabeça, roleta magnética e dominó são alguns exemplos de jogos trabalhados na escola. De acordo com a coordenadora do projeto, Raquel Vieira, a atividade desperta e aumenta o interesse dos estudantes pela disciplina de Geografia.

FOTO 3

Jogos lúdicos têm aumentado o interesse e desempenho de alunos na disciplina de Geografia

“Sabemos que os alunos adoram jogar. Fizemos uma pesquisa para saber se eles gostavam das aulas com jogos lúdicos e o resultado foi positivo. Os dados mostram que eles acham as aulas dinâmicas mais atrativas e, consequentemente, auxilia na aprendizagem” conta Raquel.

 Saúde

Na área da saúde, os bolsistas do PCE do ensino de Educação de Jovens e Adultos (EJA) realizaram aferição de pressão, tudo supervisionado pelo coordenador do projeto, o professor da disciplina de Ciências Arthur Castro.

FOTO 2

Projeto do PCE desenvolvido na área da saúde  tem objetivo de fazer um  pré-diagnóstico verificando a pressão dos alunos e funcionários da escola

O projeto intitulado ‘Pré-diagnóstico da Hipertensão Arterial’ desenvolvido na Escola Municipal Madre Tereza de Calcutá, no bairro Jorge Teixeira, tem o objetivo de desenvolver ações de rastreamento de possíveis hipertensos inseridos na escola.

“Queremos fazer um pré-diagnóstico para verificar pressão dos alunos e funcionários. Todos os alunos da escola estão envolvidos na atividade. Eles têm mostrado um desempenho muito bom dentro do projeto, aprendendo todo dia e na prática como é realizada a pesquisa científica” disse o professor.

A estudante Adriana Campos informou que esta é a primeira vez que participa de um projeto que envolve pesquisa científica. Ela informou que por essa experiência tudo indica que seguirá carreira na área da saúde.

“Com esse incentivo tenho a oportunidade de crescer e adquirir mais conhecimento. É um trabalho em conjunto que permitirá eu chegar na graduação mais preparada, no que diz respeito a pesquisa”, disse Adriana.

FOTO 4

 

Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

Fotos – Decon

O post Estudantes do PCE expõem trabalhos em shopping de Manaus apareceu primeiro em FAPEAM.