Arquivo da Categoria: Centro de Estudos

Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia irá abordar o uso das mídias sociais na divulgação científica

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 17/5, às 10h, a palestra “Compartilhe! o uso de mídias sociais na divulgação científica”, a ser ministrada por Monique Freire dos Reis, pesquisadora da Fundação Centro de Controle de Oncologia (FCECON).

A palestra irá abordar a utilização de mídias sociais como ferramentas de divulgação científica, estratégia que vem sendo utilizada por vários pesquisadores para alcançar um número maior de pessoas e dar visibilidade aos estudos e descobertas, de forma mais acessível.

A apresentação ocorrerá na sala de aula 101, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

Monique Reis é graduada em Medicina pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), especialista em Saúde da Família pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e residência médica em Patologia, pelo Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV).

Atualmente é pesquisadora da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas, e doutoranda do Programa de pós-graduação em Medicina Tropical da UEA em parceria com a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado.

Possui experiência na área de Medicina, com ênfase em Patologia, atuando principalmente nos seguintes temas: HIV/Aids, câncer de colo do útero e controle de qualidade em laboratórios de Patologia.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia vai abordar revisões sistemáticas e metanálise

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 10/5, às 10h, a palestra “Revisões Sistemáticas e Metanálise”, a ser ministrada por Fernando Herkrath, pesquisador do Laboratório de Situação de Saúde e Gestão do Cuidado de Populações Indígenas e outros grupos vulneráveis (SAGESPI), da Fiocruz Amazônia.

“Iremos abordar um tipo de estudo que tem por objetivo sintetizar a literatura disponível, para produzir a melhor evidência científica. A intenção é apresentar o modelo para os alunos, visto que muitos não conhecem, e dar ferramentas para que eles possam desenvolver este tipo de estudo, principalmente os alunos de pós-graduação”, explicou Herkrath.

A apresentação ocorrerá na sala de aula 101, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

Fernando Herkrath é graduado em odontologia pela Faculdade de Odontologia de Bauru, da Universidade de São Paulo, especialista em ortodontia pelo Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, da Universidade de São Paulo, especialista em bioestatística pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, mestre em Saúde, Sociedade e Endemias na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), e doutor em Saúde Coletiva, área de concentração Epidemiologia, pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Atualmente é Pesquisador em Saúde Pública na Fiocruz Amazônia e professor adjunto da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia vai abordar pesquisas em parasitologia de primatas silvestres da Amazônia

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 3/5, às 10h, a palestra “Pesquisas em parasitologia de primatas silvestres da Amazônia”, a ser ministrada pelo pesquisador, David Conga, da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).

A apresentação ocorrerá na sala de aula 101, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

David Conga é graduado em Medicina Veterinária pela Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Lima-Perú, mestre no Programa de Pós-Graduação em Saúde e Produção Animal na Amazônia, pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Doutor em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários na Universidade Federal do Pará – (UFPA).

Atualmente é pesquisador de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Saúde e Produção Animal na Amazônia da Universidade Federal Rural da Amazônia. Trabalha em pesquisa de patologias associadas a infecções parasitarias em animais silvestres da Amazônia Peruana e Brasileira.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

 

Formulação da pergunta na pesquisa científica é tema do Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 26/4, às 9h, a palestra “Narrow down research question”, a ser ministrada pelo pesquisador, Antonio Luiz Boechat, professor adjunto da disciplina de imunologia médica e psiconeuroimunologia, no Instituto de Ciências Biológicas e coordenador do Programa de Imunologia Básica e Aplicada (PPGIBA) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

A palestra irá abordar um dos importantes pontos no planejamento da pesquisa científica: a delimitação das questões a serem investigadas. Os interessados em participar desta edição do Centro de estudos devem baixar o texto “Selection of the Questions: Finding the Research Question”, leitura obrigatória indicada pelo palestrante.

A apresentação ocorrerá na sala de aula 1, prédio anexo, na sede da Fiocruz Amazônia, situada à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus.

SOBRE O PALESTRANTE

Antônio Boechat é graduado em Medicina pela Ufam, especialista em clinica médica e medicina de urgência pela Sociedade Brasileira de Clinica Médica, e em reumatologia pela Sociedade Brasileira de Reumatologia, doutor em Biotecnologia na Universidade Federal do Amazonas (área de concentração: biotecnologias para saúde).

Atualmente é professor adjunto da disciplina de imunologia médica e psiconeuroimunologia no Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Amazonas. Possui experiência em reumatologia clínica, desenvolvendo pesquisas nas áreas de imunogenética, biologia molecular das doenças autoimunes e infecciosas, modelos experimentais de inflamação e autoimunidade, farmacologia das drogas antiartríticas e imunobiológicas, além de aspectos cardiovasculares da artrite reumatóide.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Centro de Estudos vai abordar desenvolvimento, ativação e diferenciação de linfócitos B por agonistas de TLRs

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 12/4, a partir de 10h, na Sala de aula 1, prédio anexo da Unidade, a palestra “Desenvolvimento, ativação e diferenciação de linfócitos B por agonistas de TLRs”, a ser ministrada pela pesquisadora Bárbara Baptista, do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (PROCAD/ PPGBIO/ Fiocruz Amazônia).

SOBRE A PALESTRANTE

Bárbara é graduada em biotecnologia pela Universidade Estadual da Zona Oeste (UEZO), mestre e doutora em Ciências (Microbiologia e Imunologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Atua na área de Imunologia, com ênfase em Imunologia Celular e Humoral, produção e repertório de anticorpos, e na área de Microbiologia. Foi pós-doutoranda no laboratório Interdisciplinar de Pesquisas Médicas da Fundação Oswaldo Cruz, onde desenvolveu pesquisa sobre a imunopatologia de pacientes com Leishmaniose.

Atualmente, é bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (PNPD – CAPES – 2019) pelo ILMD/Fiocruz Amazônia, onde atua em pesquisas com Imuno – Ánálise de pacientes acometidos por Malária e HIV. Possui experiência em Citometria de Fluxo.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

“Adesividade e imunogenicidade na Malária Vivax” será tema do Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 5/4, a partir de 10h, na Sala de aula 101, primeiro andar da Unidade, a palestra “Adesividade e imunogenicidade na Malária Vivax”, a ser ministrada pela pesquisadora Letusa Albrecht, do Instituo Carlos Chagas (ICC/ Fiocrux Paraná).

SOBRE A PALESTRANTE

Letusa Albrecht é graduada em Ciencias Biologicas pela Universidade do Vale do Itajaí e doutora em Ciências (Biologia da Relação Patógeno-Hospedeiro) pela Universidade de São Paulo.

Possui experiência na área de Parasitologia, Imunologia e Biologia Molecular com ênfase em Protozoologia. Investiga o processo de formação de rosetas em malaria, com foco em Plasmodium vivax. Atua principalmente nos seguintes temas: malária, variação antigênica candidatos vacinais, mapeamento de epitopos, e rosetas.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Centro de Estudos vai abordar “Estudo da translocação nuclear do receptor EGFR em células tumorais”

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 29/3, a partir de 10h, na Sala de aula 1, prédio anexo da Unidade, a palestra “Estudo da translocação nuclear do receptor EGFR em células tumorais”, a ser ministrada pela pesquisadora Jerusa Araújo Quintão, professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

SOBRE A PALESTRANTE

Jerusa é graduada em Bioquímica e mestre em Bioquimica Agricola, pela Universidade Federal de Viçosa, doutora em Bioquímica e Imunologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, com período sandwich no Departamento de Medicina Interna – Yale University.

Atualmente é professora de Bioquímica no Departamento de Ciências Fisiológicas/ ICB da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Possui experiência na área de Bioquímca com ênfase em Biologia Celular e Molecular, atuando principalmente em estudos funcionais em linhagens celulares.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

 

“Lutzomyia longipalpis – Leishmania: um relacionamento complicado” será tema do Centro de Estudos da Fiocruz Amazônia

O Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 22/3, a partir de 10h, na Sala de aula 1, prédio anexo da Unidade, a palestra “Lutzomyia longipalpisLeishmania: um relacionamento complicado”, a ser ministrada pela pesquisadora Yara Traub-Cseko, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/ Fiocruz).

SOBRE A PALESTRANTE

Yara é doutora em Biologia Molecular, pela Columbia University, e pesquisadora titular da Fundação Oswaldo Cruz, Instituto Oswaldo Cruz. Possui experiência na área de parasitologia, com ênfase em biologia molecular de parasitos e vetores, atuando principalmente nos seguintes temas: Leishmania, Lutzomyia longipalpis, imunidade inata, interação parasita-vetor.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Imagem: Mackesy Nascimento

Centro de Estudos vai abordar o uso de modelos teóricos na pesquisa científica

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promove na próxima sexta-feira, 13/4, a partir de 9h, no Salão Canoas, auditório da Instituição, a palestra “Uso de modelos teóricos na pesquisa científica”, a ser ministrada pela pesquisadora Maria Jacirema Gonçalves, docente do Programa de Pós-graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA/ Fiocruz Amazônia).

Segundo a pesquisadora, a reflexão possibilita observar e entender melhor importantes etapas da pesquisa científica, que antecipam a prática. “Os modelos teóricos auxiliam na organização do pensamento científico, para que a partir de uma reflexão teórica possamos pensar a realidade e quais aspectos possuem relação com tal realidade. A ideia é levar o pesquisador a essa reflexão antes de estrutura sua pesquisa”, pontuou.

SOBRE A PALESTRANTE

Maria Jacirema Gonçalves é graduada em enfermagem e obstetrícia pela Escola de Enfermagem de Manaus, mestre em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e doutora em Saúde Coletiva, pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

É Pesquisadora em Saúde Pública na Fiocruz-Amazônia, e docente do Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA/Fiocruz Amazônia). Atua como professora da Universidade Federal do Amazonas nas disciplinas de saúde coletiva, terapias alternativas e complementares, vigilância em saúde e informática em saúde. Desenvolve pesquisas na área de epidemiologia de doenças infecciosas.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes

Como preencher e incrementar seu currículo Lattes?

Apesar da grande utilização no meio acadêmico, especialmente para quem deseja dar continuidade aos seus estudos através de cursos de mestrado e doutorado, ou por aqueles que desde a graduação se interessam por pesquisa e fazem iniciação científica, muitas pessoas ainda não sabem exatamente o que é o currículo Lattes, ou quando sabem, têm dificuldade para preenchê-lo ou atualizá-lo.

O currículo é uma ferramenta criada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por meio da Plataforma Lattes, com o objetivo de integrar as bases de dados, organizar e padronizar os currículos do território nacional.

Com o tema “Como preencher e incrementar seu currículo Lattes”, a pesquisadora Elizabeth Teixeira, professora do Centro Universitário Luterano de Manaus (CEULM/Ulbra), apresentou nesta sexta-feira, 6/4, no Salão Canoas, auditório do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), palestra com sugestões e dicas sobre o currículo Lattes.

A palestra foi organizada pelo Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia, núcleo que oportuniza encontros, conferências, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa, ensino e promoção da saúde.

Acompanhe a entrevista com Elizabeth Teixeira:

Fiocruz Amazônia: Qual a importância do Lattes no meio acadêmico?

Elizabeth – O Lattes vai começar a espelhar a trajetória da pessoa, vai revelar o que ela tem feito, o que tem buscado, as participações, as movimentações interinstitucionais e extrainstitucionais. Quando se está num campo acadêmico é preciso se preparar para um campo profissional, e o lattes é um elemento representador, um cartão de visitas, um retrato profissional e acadêmico, sem falar nos processos seletivos. Durante a graduação a pessoa pode desejar tornar-se um bolsista de iniciação científica, de um programa ou projeto e o processo seletivo é realizado inicialmente pela análise do Lattes.

Fiocruz Amazônia: Qual a melhor maneira elaborar o resumo do Lattes?

Elizabeth – O resumo pode ser automático, cedido pela própria plataforma Lattes, extremamente quantitativo. Eu sugiro que as pessoas façam seus próprios textos, na primeira pessoa, apresentando sua trajetória em uma ordem cronológica. Na medida que você vai caminhando, você vai ter outros elementos para destacar, mas não precisa colocar nesse texto a quantidade de coisas que faz, pois o lattes já faz essa tabulação. O resumo é um texto descritivo qualitativo.

Fiocruz Amazônia: Quais as principais dificuldades encontradas no preenchimento do Lattes?

Elizabeth – Como a gente possui uma tendência de acumular, muito certificado, muito papel, e pouco tempo para atualizar, a pessoa acaba ficando parada na mesma tela e não descendo com o cursor, com isso preenche apenas as opções que são obrigatórias para o Lattes. Palavras-chaves não são obrigatória, outras informações também não, o campo das grandes áreas não é obrigatório, e acabam ficando todos em branco. A gente sugere que periodicamente, com maior regularidade, o usuário da plataforma Lattes a atualize, para não acumular papel e querer inserir vários itens de uma só vez.

Fiocruz Amazônia: Como delimitar um bom perfil profissional dentro da plataforma?

Elizabeth – O que vai definir o perfil é a palavra-chave, pois nesse campo você constrói a tendência.

Fiocruz Amazônia: Que eventos devem ser considerados como “formação complementar” e como diferenciá-los do campo  de“participação em eventos”?

Elizabeth – Formação complementar é quando o pesquisador está se formando, podendo ser a institucional formal, e a complementar é a que você pode fazer participando de oficinas, cursos, processos de atualização. Hoje, neste encontro, cada um que aqui esteve fez uma formação complementar, ou seja, são os cursos onde  se aluno ou estudante. No entanto, se durante um evento apresenta-se trabalhos, tipo resumos, pôsteres, banners, neste caso é participação em eventos. É importante salientar que na mesma oportunidade pode-se ter as duas ações.

Fiocruz Amazônia: Como você analisa a presença dos tópicos “inovação” e “popularização da ciência e tecnologia dentro da plataforma?

Elizabeth – Acredito que nos tópicos de inovação e popularização da ciência e tecnologia, nós ainda estamos muito tímidos. As pessoas tendem a imaginar que inovação é apenas quanto se patenteia algo, da mesma forma que imaginam sobre o que é a popularização. Se eu estou em um evento apresentando um trabalho, eu não estou popularizando ciência e tecnologia? É claro que eu estou. Nós precisamos quebrar essas representações que colocam tudo muito longe de nós.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Foto: Eduardo Gomes