Arquivo da Categoria: Capes

Fapeam promove encontro sobre o novo sistema de avaliação da Capes

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) reuniu nesta quinta-feira (7/11) com docentes, coordenadores de cursos, pró-reitores e discentes de pós-graduação para tratar dos “Avanços no Processo de Avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (SNPG/Capes)”. O encontro ocorreu no auditório do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus.

07.11.2019 - PALESTRA CAPES   -  FOTOS ÉRICO X-17

Diretora de Avaliação da Capes, Sônia Báo.

O assunto foi abordado pela diretora de avaliação da Capes, Sônia Báo, que veio a Manaus a convite da Fapeam. Durante a palestra, Sônia apresentou o panorama da pós-graduação no Brasil e esclareceu pontos importantes sobre as alterações na avaliação da Capes.

A diretora comentou que o Sistema Nacional de Pós-Graduação atualmente conta com 4.593 programas e 6.947 cursos. A Região Norte possui 274 programas, sendo 59 do Amazonas. Ela lembrou ainda que ao final de cada ciclo avaliativo o sistema de avaliação passa pela revisão dos seus critérios e procedimentos de atualização das ferramentas, o que fez com que o conselho superior da Capes aprovasse, no dia 10 de outubro de 2018, a Proposta de Aprimoramento de Avaliação da Pós-graduação. Essa nova proposta visa contribuir para o aperfeiçoamento do sistema de avaliação e do processo de indução da qualidade da pós-graduação brasileira stricto sensu.

Sônia Báo disse ainda que 90% da pesquisa brasileira é feita atrelada à pós-graduação e são poucos os institutos de ensino e pesquisa que não têm os cursos. “Os que não possuem têm convênios que trabalham em conjunto com as universidades. A produção de conhecimento e pesquisa no país ocorre no seio das pós-graduações em sua grande maioria”, evidenciou.

PPGs do Amazonas

Na oportunidade, a diretora-presidente da Fapeam, Márcia Perales, reforçou que os Programas de Pós-Graduação (PPGs) do Amazonas  ocupam espaço estratégico para a formação de recursos humanos e que não é possível avançar sem pessoas capacitadas e qualificadas. Lembrou que atualmente 86% dos cursos ainda se concentram nos conceitos 3 e 4.

07.11.2019 - PALESTRA CAPES   -  FOTOS ÉRICO X-2

Márcia Perales- diretora-presidente da Fapeam

“Temos aqui 59 PPGs, 82 cursos de mestrado e doutorado. Esse número em anos anteriores era bem menor, temos um avanço a ser apresentado, mas um grande desafio a ser enfrentado e há um conjunto de condições para que possamos avançar. Essa é uma das razões de estarmos reunidos. Temos convergências de objetivos e isso nos fortalece, porque queremos melhorar os conceitos dos cursos e consolidar a pesquisa. Temos resultados e impactos muitos bons, mas precisamos avançar mais para fortalecer a nossa política pública de CT&I e, com isso, contribuir no desenvolvimento socioeconômico do Estado”, pontuou.

Vale destacar o esforço do Governo do Amazonas e seu real compromisso com área CT&I, especialmente com a formação de recursos humanos e apoio aos programas de pós-graduação. Foram provisionados mais de R$85 milhões em 2019 e desse total 50,7% foram destinados à formação e capacitação de recursos humanos, ainda desse percentual, 72% foram investimentos exclusivos para PPGs, por meio do Programa Institucional de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu, Programa de Apoio à Publicação de Artigos Científicos (Papac) e Programa de Bolsas de Pós-Graduação em Instituições fora do Estado do Amazonas (PROPG-Capes/Fapeam).

Oportunidade

07.11.2019 - PALESTRA CAPES   -  FOTOS ÉRICO X-50

Da esquerda para a direita- Tatiana Schor – secretaria executiva de CT&I, Jório Albuquerque- secretário da Sedecti; José Pinheiro- de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do Ifam

O Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Jório de Albuquerque Veiga Filho, destacou que o encontro foi de extrema importância, uma vez que a CT&I exerce papel importante desde a pesquisa básica até a aplicada com a transformação disso em produtos e serviços para a sociedade. “A Avaliação mais ampla faz com que todos queiram progredir nos cursos e nos resultados e esse é grande objetivo do encontro. Temos que estar no mesmo nível e altura das demais regiões do Brasil”, disse, enfatizando que a diferença regional não pode ser um obstáculo para o progresso.

Representando o reitor do Instituto Federal do Amazonas (Ifam), o pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação, José Pinheiro, disse que o sistema de avaliação da Capes há muitos anos dá o tom da pós-graduação no Brasil e reforçou a necessidade da revisão para avanços no cenário. “As questões que a doutora Sônia Báo colocou são interessantes, mas outras são preocupantes devido às assimetrias regionais. Nossos programas de pós-graduação são novos e a maioria ainda estão com nota 3 e 4, alguns critérios de avalição podem não olhar para a questão regional a qual passamos, mas isso é um processo e vamos ter que amadurecer com o tempo e nos acomodar nesse novo tipo de avaliação. O importante é que as regras sejam claras para que possamos atuar fortemente e elevar a qualidade dos nossos programas no Estado” comentou.

Para o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), em parceria a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Wuelton Monteiro, o encontro, viabilizado pela Fapeam, possibilitou o entendimento, de forma mais ampla, em relação ao processo de avaliação.   “Os Pró-reitores e coordenadores têm muitas dúvidas em relação à nova forma de avaliação dos cursos de mestrado e doutorado no Brasil. Esse encontro foi uma oportunidade para tirar várias dúvidas e saber como que a Capes está procedendo nesse sentido”, disse.

07.11.2019 - PALESTRA CAPES   -  FOTOS ÉRICO X-47

Para o diretor do Instituto Lêonidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Sérgio Luz, a iniciativa da Fapeam é importante perante o cenário atual, onde se vê grandes discussões sobre o financiamento da pós-graduação, e o cenário político que vem sendo mostrado. “Vale lembrar, que basicamente esse sistema de proposta de avaliação dos nossos programas de pós-graduação não é uma coisa que começou agora, é algo que já vem sendo anunciado há um tempo, sendo trabalhado dentro da Capes e pelas instituições. Temos que acompanhar esse processo e obter informações diretamente com as coordenações de avaliação, para que possamos sugerir, tirar dúvidas, confrontar os questionamentos e as posições para, de forma mais clara, vermos as transformações dos novos apontamentos que estão sendo reportados”, disse.

Por: Esterffany Martins

Fotos: Érico Xavier

 

O post Fapeam promove encontro sobre o novo sistema de avaliação da Capes apareceu primeiro em FAPEAM.

Diretora da Capes vem a Manaus para falar do processo de avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação

O novo processo de avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG/Capes) foi assunto de encontro promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas (Fapeam) nesta quinta-feira, 7/11. O evento reuniu público formado por mais de 120 professores, coordenadores e gestores de instituições de ensino e pesquisa do Amazonas.

Para falar sobre “Os avanços no processo de avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação”, a Fapeam convidou Sônia Báo, diretora de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O evento contou com a participação de professores, coordenadores, vice-diretora de Ensino, Informação e Comunicação (VDEIC) e diretor do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Sérgio Luz.

Na abertura do evento, Marcia Perales, falou da importância da “Reunião Interinstitucional sobre os Avanços no Processo de Avaliação do SNPG/Capes”, para que professores, coordenadores e as instituições que oferecem cursos de pós-graduação no Amazonas possam estar preparados para essa verificação, que deve ocorrer no ano que vem.

Na oportunidade, ela lembrou que o Governo do Amazonas disponibilizou para 2019 mais de 85 milhões para serem aplicados em CT&I, desse valor 50.7% foram destinados à formação e capacitação de recursos humanos para CT&I, e deste percentual, 72% foram aplicados na pós-graduação.  “Todos esses investimentos foram aplicados para fortalecer o sistema de CT&I do Amazonas. Em 2019, 20 editais foram lançados pela Fapeam, alguns em parceria com outras instituições”, disse Perales.

Para Sérgio Luz, “a iniciativa da Fapeam é importante perante o cenário atual, onde se vê grandes discussões sobre o financiamento da pós-graduação, e o cenário político que vem sendo mostrado. É também um ótimo momento para se propiciar essas discussões e trazer as instituições para esse debate. Vale lembrar, que basicamente esse sistema de proposta de avaliação dos nossos programas de pós-graduação não é uma coisa que começou agora, é algo que já vem sendo anunciado há um tempo, sendo trabalhado dentro da Capes e pelas instituições. Temos que acompanhar esse processo e obter informações diretamente com as coordenações de avaliação, para que possamos sugerir, tirar dúvidas, confrontar os questionamentos e as posições para, de forma mais clara, vermos as transformações dos novos apontamentos que estão sendo reportados”, comentou.

AVALIAÇÃO

Sônia Báo falou da importância da atualização do sistema de avaliação da Capes, lembrou que 90% das pesquisas feitas no Brasil estão atreladas a cursos de pós-graduação.  “Está na hora de se repensar o sistema de pós-graduação no Brasil”, disse. Comentou ainda que o novo sistema de avaliação está sendo construído, considerando as especificidades regionais, o que de certa forma é defendido pelos coordenadores e professores desses cursos.

Após a apresentação da diretora de avaliação da Capes, foi aberto a professores e coordenadores de cursos de pós-graduação, espaço para perguntas e considerações. O evento ocorreu no auditório do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas, na avenida Pedro Teixeira, no bairro Dom Pedro, em Manaus.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: Érico Xavier (Fapeam)

Alunos com bolsa de doutorado concedida pela Fapeam ou Capes podem concorrer a intercâmbio na Alemanha

Alunos que cursam doutorado e possuem bolsas concedidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) ou Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) podem realizar intercâmbio científico na Alemanha. Os interessados têm até o dia 2 dezembro para fazer a inscrição e participar do programa do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), que concede auxílio para estadias de pesquisa para estudantes de doutorado com bolsa no Brasil.

O objetivo do programa é viabilizar a permanência de estudantes brasileiros de doutorado em universidades, institutos de pesquisa, laboratórios ou bibliotecas na Alemanha para pesquisas específicas, relevantes para o desenvolvimento da tese de doutorado, por dois a seis meses, sem interrupção da vigência da bolsa cedida pela Fapeam.

A estadia será para o período de 01/05/ 2020 e 31/01/2021. Dentre os benefícios do programa por parte do DAAD estão: auxílio mensal de EUR 650,00, auxílio para passagem aérea de EUR 1.575,00 (depositado na Alemanha junto com a primeira mensalidade do auxílio), seguro-saúde por parte da Fapeam, manutenção da bolsa nacional sem alteração do valor e do prazo de duração. Vale destacar que esses valores podem sofrer alterações.

Requisitos

Bolsa de doutorado da Capes e Fapeam, em modalidade que permita o afastamento para estudos no exterior por até seis meses sem interrupção de financiamento. O aluno deve estar com a matrícula regular no curso de doutorado em uma universidade brasileira. É necessário carta de recomendação do orientador brasileiro e aceite do orientador da instituição alemã.

Quem já recebeu auxílio ou uma bolsa de doutorado sanduíche do DAAD pode se candidatar novamente desde que não seja no ano de vigência da primeira estadia.  O doutorado não pode ter sido iniciado há mais de três anos, contando do momento da submissão da candidatura. No momento da inscrição, os candidatos não podem estar residindo há mais de 15 meses na Alemanha.

É necessário registrar-se no portal do DAAD online, escolher o programa 57378178 Co-financed ShortTerm Research Grant Brazil 2019 e fazer o upload dos documentos indicados. Após realizar o upload, é necessário enviar a versão impressa do formulário online e a carta de recomendação por correio para o Escritório Regional do DAAD no Rio de Janeiro.

Outras informações

Site: www.daad.org.br

E-mail: auxilio@daad.org.br

Por: Departamento de Difusão do Conhecimento-Decon

 

O post Alunos com bolsa de doutorado concedida pela Fapeam ou Capes podem concorrer a intercâmbio na Alemanha apareceu primeiro em FAPEAM.

Manifesto na Fiocruz Amazônia alerta sobre os riscos da possível fusão entre Capes e CNPq

Durante esta semana, a equipe do ministro da Educação, Abraham Weintraub, encaminhou ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) uma proposta de texto de medida provisória para fundir em uma mesma instituição a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O Ministério da Educação (MEC) quer transformar as duas agências em uma fundação, que seria gerenciada pela mesma pasta. A fusão é criticada no meio acadêmico e científico, além de gerar diversas manifestações. Nesta quarta-feira, 16/10, pesquisadores, bolsistas, pós-graduandos e comunidade científica do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) realizaram um abraço simbólico na sede da Instituição, como forma de protesto e alerta sobre os riscos e prejuízos da possível junção das agências de fomento, nesse processo de desmantelamento do Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia.

Para o diretor da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, falta clareza nas informações sobre os motivos para a execução desta fusão entre entidades que necessitam de olhares distintos. “A gente não consegue enxergar qual o benefício que essa fusão pode trazer, tanto ao sistema de pós-graduação no Brasil, quanto ao sistema de pesquisa e inovação tecnológica. CNPq e Capes andam juntos, mas precisam ter seus sistemas diferenciados, como apoios específicos aos programas de pós-graduação, e também ao desenvolvimento científico e tecnológico. Falta um planejamento e uma clareza maior sobre como vai ser feito isso, qual o motivo pelo qual essa fusão vai ocorrer e de que maneira isso vai ser implementado”, explicou.

A Capes é ligada ao Ministério da Educação, enquanto o CNPq está vinculado à pasta de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Os dois órgãos têm atribuições de fomento à pesquisa, mas atuam com objetivos distintos. Responsável pela avaliação e coordenação da pós-graduação, a Capes financia bolsas de pesquisa com foco na qualificação do pessoal de nível superior. Já o CNPq tem foco maior no fomento de atividades de pesquisa e tecnologia. Também fornece bolsas, mais voltadas à pesquisa científica e inovação.

De acordo com a vice-diretora Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz Amazônia, Claudia María Ríos Velásquez, essa junção apresenta impacto direto nas atividades da Instituição. “Nós estamos sendo diretamente prejudicados pelo corte de bolsas, os editais para pesquisa já são muito poucos, então a pesquisa e a pós-graduação estão sendo diretamente afetadas. Essa fusão implica nas nossas atividades, pois haverá um único orçamento e isso significa menos recursos para nossos projetos”, destacou.

O plano de fusão avança em meio a uma crise financeira que ameaça o pagamento de bolsas e a continuidade de grande projetos científicos. 11 entidades da comunidade científica e tecnológica, como a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a Academia Brasileira de Ciências e o Conselho Nacional de Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa, divulgaram uma carta, enviada ao governo federal e a chefes de Poderes, na qual repulsam a fusão das duas agências.

Para Edilene Martins, aluna do Programa de Doutorado em Ciências – Cooperação IOC-ILMD, a possibilidade de cortes refletirá diretamente no resultado de pesquisas e no retorno dessas descobertas científicas para a sociedade. “Nós desenvolvemos um trabalho que na maioria dos casos é desenvolvido em continuidade, que apresentam resultados com tempo. O corte de bolsas no futuro implica na parada de diversos projetos, na continuação das pesquisas. Esse cenário é muito ruim para a ciência, pois existem projetos excelentes, que no futuro irão gerar retorno positivo para a sociedade, e que correm o risco de parar”, pontuo.

Ascom/ ILMD Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Fotos: Eduardo Gomes

 

 

 

Desafios para programas de pós-graduação será tema de palestra na Fiocruz Amazônia

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia) promove na próxima terça-feira, 21/5, às 9h, a palestra “Desafios para os programas de pós-graduação e estratégias de integração e cooperação”, a ser ministrada pelo professor, Jose Roberto Mineo, coordenador da área de ciências biológicas 3, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A conferência acontecerá no Salão Canoas, auditório da Instituição, situado à rua Teresina, 476, Adrianópolis, em Manaus. A palestra é aberta ao público

SOBRE O PALESTRANTE

Mineo é graduado em ciências biológicas – modalidade médica pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina, mestre em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina, e doutor em Microbiologia e Imunologia pela Universidade de São Paulo – Instituto de Ciências Biomédicas.

Atualmente, é professor titular de Imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas, da Universidade Federal de Uberlândia e coordenador da área Ciências Biológicas III da Capes, compreendendo as seguintes áreas do conhecimento: Microbiologia, Imunologia e Parasitologia.

Possui experiência na área de imunologia, com ênfase em imunologia aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: biologia celular e molecular do Toxoplasma gondii; fatores de virulência associados aos genótipos de T. gondii e outros parasitos filogeneticamente relacionados; caracterização da resposta imune em modelos experimentais de infecções por microrganismos intracelulares; imunodiagnóstico da toxoplasmose aguda em gestantes e recém-nascidos, e da reativação desta infecção em pacientes imunodeprimidos; imunodiagnóstico de infecções congênitas em outras protozooses que acometem a espécie humana e animais domésticos.

ILMD/ Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Foto: Eduardo Gomes

Pesquisa que analisou modelo de fábricas chinesas instaladas em Manaus recebe menção honrosa em Prêmio Capes

Investigar o estilo gerencial das fábricas chinesas instaladas em Manaus foi objetivo da pesquisa desenvolvida, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), pelo amazonense, Cleiton Ferreira Maciel Brito. O estudo realizado durante seu curso de doutorado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), em São Paulo, recebeu Menção Honrosa no Prêmio Capes de Tese 2018, na área de Sociologia, pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A tese intitulada Made in China/produzido no polo industrial da Zona Franca de Manaus: o trabalho nas fábricas chinesas” publicada em revistas acadêmicas, buscou compreender a forma da organização do trabalho e o tipo de gestão implantado em quatro fábricas chinesas instaladas na Zona Franca de Manaus (ZFM).

Segundo o pesquisador, o estudou mostrou como as fábricas chinesas vêm operando na região e a mudança da ZFM com a chegada da China.

“Tentei investigar como a ZFM se comporta nesse contexto de ascensão da China. Pode se compreender que ela não é mais a Zona Franca de anos atrás. Um exemplo bem nítido é que boa parte dos celulares, que antes tinha produção local, hoje com o barateamento dos componentes da China, as empresas começaram a importar, ou seja, atualmente, 90% são importados, as máquinas vão montando os celulares com todas as peças importadas”, explicou.

Dr. Cleiton Brito Fotos Erico X._-25

Cleiton Brito, recebeu o prêmio de menção honrosa em Prêmio Capes 2018

O estudo também constatou que os chineses trabalham com formas organizacionais peculiares.

“As empresas chinesas têm organização de trabalho baseada em uma gestão mais técnica e menos participativa. Os chineses chamam essa política de no feelings. Nesse sentido, no lugar de uma política de produção de colaboradores, que vinha sendo realizado nas fábricas sob influência da gestão japonesa, os chineses introduziram a produção de operadores. Ao invés da produção de “colaboradores”, as companhias chinesas vêm desenvolvendo a “produção de operadores”. Eles não incentivam conversas, diálogos, o famoso  “almoço” com o chefe, funcionário do mês, premiações, somente são realizadas sob iniciativa dos brasileiros, porque os chineses não adotam esse tipo de política na empresa”, detalhou.

Conforme Brito, outro ponto observado é que existe interesse do país na própria Amazônia e no que ela pode oferecer como incentivo à expansão asiática na região.

“As conversas com gestores chineses e com diretores da ZFM revelaram que as fábricas se instalam na região, mas desembarca também toda uma burocracia chinesa que vem prospectar oportunidades de investimentos na área mineral, madeireira, na piscicultura, na esfera naval e até mesmo no agronegócio no Sul da região amazônica. O que quero dizer é que as fábricas são uma forma também de se adentrar na Amazônia e colocá-la como objeto útil na rota econômica e geopolítica da China,” relata.

Competitividade

Brito ressalta que a influência que a China tem, pode impactar nas outras fábricas. Devido à concorrência, de algum modo as outras fábricas podem adotar o modelo chinês, assim como adotaram em outros tempos  o modelo japonês.

“O peso que os chineses começam a ter no mundo pode fazer com que sua política de salários e benefícios se torne nova régua para o mercado de trabalho local. Não que eles estejam distantes do que fazem outras empresas, mas um player do tamanho da China, em processo de competição, faz com que outras empresas tenham de seguir certas padronizações de preço, de salários para poderem competir,” afirma.

Dr. Cleiton Brito Fotos Erico X._-12

O estudo buscou investigar o estilo gerencial das fábricas chinesas instaladas em Manaus

Apoio

O estudo contou com apoio da Fapeam, por meio do programa RH-Doutorado-Fluxo Contínuo, edital N°005/2012. A tese foi defendida sob a orientação do professor doutor, Jacob Carlos Lima, do Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFSCAR.

“Foi uma alegria e ao mesmo tempo uma recompensa. O reconhecimento por meio da Capes nos encheu de orgulho. Eu falo “nos encheu” porque a pesquisa é um trabalho coletivo. A transformação do pensamento em análise somente tem sucesso em função de instituições, ambiente e pessoas que concorrem para isso”, disse.

Criado em 2005, o Prêmio CAPES de Tese é oferecido anualmente às melhores teses de doutorado de cada uma das 49 áreas do conhecimento. Os critérios de premiação devem considerar a originalidade do trabalho, sua relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação, o valor agregado pelo sistema educacional ao candidato.

Oportunidades

O programa RH-Doutorado foi substituído pelo Programa de Bolsas de Pós-Graduação em Instituições fora do Estado do Amazonas (PROPG-Capes/Fapeam), que concede bolsas de doutorado a profissionais interessados em realizar curso de pós-graduação stricto sensu, em cursos recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em outros Estados da Federação.

O PROPG/Capes/Fapeam está com edital aberto e recebe propostas até o dia 13 de maio. Outras informações sobre o programa acesse o portal Fapeam.

Por Jessie Silva

Fotos: Érico Xavier

 

O post Pesquisa que analisou modelo de fábricas chinesas instaladas em Manaus recebe menção honrosa em Prêmio Capes apareceu primeiro em FAPEAM.

Capes recebe propostas de projetos para concorrerem ao PROCAD-Amazônia e ao PVNS-Amazônia

As inscrições podem ser feitas até o dia 16 de julho por meio eletrônico no site da Capes

Programas de Pós-Graduação (PPGs) de instituições de ensino superior (IES) implantadas na região Norte podem ser beneficiados com os editais do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica na Amazônia (PROCAD-Amazônia) e do Programa Professor Visitante Nacional Sênior (PVNS-Amazônia). De iniciativa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), os dois programas receberão propostas de projetos conjuntos de ensino e pesquisa até o dia 16 de julho.

A finalidade dos programas é o aprimoramento da formação de pós-graduação no Norte do País (com extensão para o Estado do Maranhão) de maneira a contribuir com a melhoria do nível de qualidade dos Programas de Pós-graduação (PPGs) instalados na região e ainda propiciar o desenvolvimento de estudos por pesquisadores de larga experiência e reconhecimento na área científica.

Por meio do PROCAD-Amazônia, pretende-se incentivar a criação de redes de cooperação acadêmica por meio do uso de capital intelectual e de infraestrutura vinculados a instituições participantes. Por seu lado, o PVNS-Amazônia visa ao apoio a execução de estudos capitaneados por Professor Visitante Nacional Sênior, possibilitando desta maneira a melhoria do nível de qualidade das pesquisas na região.

Estão previstas no PROCAD-Amazônia, as seguintes modalidades de bolsas: Estágio pós-doutoral no País, Professor Visitante no Exterior Júnior e Sênior, Doutorado Sanduíche no Exterior e Jovem Talento com Experiência no Exterior. Cada projeto contará necessariamente com três equipes que devem pertencer a PPGs de diferentes instituições. O custeio é de até R$ 40 mil para projetos da Linha 1 e R$ 60 mil para projetos da Linha 2. O repasse será feito anualmente.

banner_capes

Os projetos terão vigência de cinco anos, sendo que o cronograma de atividades deve ser planejado para contemplar quatro anos de execução e o quinto ano, quando necessário, será destinado, exclusivamente, para a finalização das atividades dos projetos em que tenham ocorrido eventuais atrasos.

No caso do Programa Professor Visitante Nacional Sênior, estão previstas até 36 bolsas de Professor Visitante Nacional Sênior-Amazônia, com o limite de até quatro bolsas por projeto institucional. Podem participar do processo de seleção Professores/pesquisadores doutores, há pelo menos dez anos, que estejam aposentados ou oficialmente licenciados para participar do programa. O candidato deve ter sido docente ou pesquisador de reconhecida competência em sua área, com produção científica relevante.

A submissão das propostas deverá ser feita pelo proponente/coordenador, por meio eletrônico, à CAPES por meio do Formulário Online, que pode ser acessado no seguinte link:  https://inscricao.capes.gov.br/individual.

Departamento de Difusão do Conhecimento – Decon

O post Capes recebe propostas de projetos para concorrerem ao PROCAD-Amazônia e ao PVNS-Amazônia apareceu primeiro em FAPEAM.

Inscrições para o Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa encerram nesta quarta-feira

Cada autor premiado receberá premiação no valor de R$ 31.045,24, além de troféu, certificado de premiação e bolsa de até 12 meses

Encerram nesta quarta-feira (27) as inscrições para a edição 2018 do Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa. A premiação será concedida as duas melhores teses de Doutorado desenvolvidas com foco em Inovação e Pesquisa.

Os estudos inscritos devem contemplar as áreas de Saúde Humana ou Ética/Bioética no Brasil, Medicina, Odontologia, Farmácia, Enfermagem e Biotecnologia ou de Ciências Biomédicas. Esta última pode compreender as subáreas Genética; Fisiologia, Bioquímica, Farmacologia; Imunologia, Microbiologia, Parasitologia e Biologia Celular.

Os critérios de análise a serem levados em consideração são inovação e pesquisa na área de saúde humana ou ética/bioética no  Brasil; originalidade e relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social, bem como, demonstração, mesmo que parciais, de dados de conceito. Além disso, as teses devem atender aos seguintes critérios de elegibilidade: terem sido aprovadas nos cursos de pós-graduação adimplentes e reconhecidos no Sistema Nacional de Pós-Graduação, no ano de 2017; estarem disponíveis na Plataforma Sucupira da CAPES, quando da submissão ao prêmio; terem sido defendidas no Brasil, mesmo em casos de cotutela ou outras formas de dupla diplomação; e ainda, terem sido defendidas em Programa de Pós-Graduação com, no mínimo, três teses de doutorado defendidas no ano anterior ao do edital.

banner_interfarma (1)

Cada autor premiado receberá premiação no valor de R$ 31.045,24, além de troféu, certificado de premiação e bolsa de até 12 meses para realização de estágio pós-doutoral em instituição nacional.

Orientadores, co-orientadores e programas em que foram defendidas as teses receberão Certificado de premiação. O orientado receberá ainda um prêmio adicional no valor de R$ 3 mil para participação em Congresso Nacional.

Departamento de Difusão do Conhecimento – Decon

O post Inscrições para o Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa encerram nesta quarta-feira apareceu primeiro em FAPEAM.

Inscrições para o Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa encerram nesta quarta-feira

Cada autor premiado receberá premiação no valor de R$ 31.045,24, além de troféu, certificado de premiação e bolsa de até 12 meses

Encerram nesta quarta-feira (27) as inscrições para a edição 2018 do Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa. A premiação será concedida as duas melhores teses de Doutorado desenvolvidas com foco em Inovação e Pesquisa.

Os estudos inscritos devem contemplar as áreas de Saúde Humana ou Ética/Bioética no Brasil, Medicina, Odontologia, Farmácia, Enfermagem e Biotecnologia ou de Ciências Biomédicas. Esta última pode compreender as subáreas Genética; Fisiologia, Bioquímica, Farmacologia; Imunologia, Microbiologia, Parasitologia e Biologia Celular.

Os critérios de análise a serem levados em consideração são inovação e pesquisa na área de saúde humana ou ética/bioética no  Brasil; originalidade e relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social, bem como, demonstração, mesmo que parciais, de dados de conceito. Além disso, as teses devem atender aos seguintes critérios de elegibilidade: terem sido aprovadas nos cursos de pós-graduação adimplentes e reconhecidos no Sistema Nacional de Pós-Graduação, no ano de 2017; estarem disponíveis na Plataforma Sucupira da CAPES, quando da submissão ao prêmio; terem sido defendidas no Brasil, mesmo em casos de cotutela ou outras formas de dupla diplomação; e ainda, terem sido defendidas em Programa de Pós-Graduação com, no mínimo, três teses de doutorado defendidas no ano anterior ao do edital.

banner_interfarma (1)

Cada autor premiado receberá premiação no valor de R$ 31.045,24, além de troféu, certificado de premiação e bolsa de até 12 meses para realização de estágio pós-doutoral em instituição nacional.

Orientadores, co-orientadores e programas em que foram defendidas as teses receberão Certificado de premiação. O orientado receberá ainda um prêmio adicional no valor de R$ 3 mil para participação em Congresso Nacional.

Departamento de Difusão do Conhecimento – Decon

O post Inscrições para o Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa encerram nesta quarta-feira apareceu primeiro em FAPEAM.

Programa concede bolsas de mestrado e doutorado para fora do Amazonas

Programa irá conceder até 25 bolsas para mestrado e 25 para doutorado. A submissão de propostas pode se feita até o dia 24 de maio 

Investir na formação de recursos humanos em áreas estratégicas nas quais o Amazonas ainda não possui programas de pós-graduação em nível de mestrado ou doutorado é objetivo do Programa de Bolsas de Pós-Graduação em Instituições fora do Estado do Amazonas (PROPG-Capes/Fapeam) lançado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Para participar é preciso residir no Amazonas, há no mínimo quatro anos, e estar matriculado em curso de pós-graduação Stricto Sensu, em Programa de Pós-Graduação recomendado pela Capes em outros Estados da Federação. Além de não ter recebido bolsa da Fapeam ou de outra agência de fomento para estudos no mesmo nível.

A submissão de proposta para concorrer à bolsa pode ser feita até o dia 24 de maio. Ao todo, o programa irá conceder até 25 bolsas para mestrado e 25 para doutorado. A previsão é que o resultado seja divulgado no mês de junho e a implementação das bolsas no mês de agosto deste ano.

BANNER_PPG

 A bolsa de mestrado corresponde ao valor de R$1,5 mil, com o prazo estipulado de, no máximo, 24 meses.  Para doutorado o valor sobe para R$ 2,2 mil, com vigência por, no máximo, 48 meses. As duas modalidades de bolsas serão pagas a partir do mês de implementação.

Conforme especificado no edital, não serão concedidas bolsas referentes aos meses já cursados anteriormente ao mês da implementação.

 Submissão de Proposta

 As propostas deverão ser apresentadas em Formulário online específico e enviadas por meio eletrônico, via Sistema de Gestão da Informação da Fapeam (SIGFapeam), disponível no endereço eletrônico: http://www.fapeam.am.gov.br.

 Para acessar o formulário o proponente deverá utilizar seu login e senha previamente cadastrados. Novos usuários deverão realizar o cadastro no banco de pesquisadores da Fapeam. Além do envio do Formulário on line, a submissão da proposta requer a apresentação da documentação complementar a ser anexada ao sistema SIGFapeam, como detalhado no edital.

 Não serão aceitas propostas que não foram submetidas via internet. Após o prazo final para recebimento das propostas, nenhuma proposta nova será recebida, examinada e julgada.

Para acessar o edital Clique Aqui

Departamento de Difusão do Conhecimento- Decon

O post Programa concede bolsas de mestrado e doutorado para fora do Amazonas apareceu primeiro em FAPEAM.