Arquivo da Categoria: bolsistas

Estudantes do PCE expõem trabalhos em shopping de Manaus

Três projetos do PCE envolvendo sustentabilidade, jogos lúdicos e na área da saúde foram apresentados ao público na última segunda-feira (30)

Três projetos desenvolvidos no âmbito do Programa Ciência na Escola (PCE) participaram na última segunda-feira (30) de uma exposição realizada no Espaço Cultural da Cidadania Ambiental (Ecam), no Manauara Shopping.  Produtos feitos a partir de materiais reciclados, jogos lúdicos para o  ensino da disciplina da Geografia e cuidados com a saúde foram os trabalhos apresentados ao público pelos bolsistas de alfabetização científica do programa.

O programa é desenvolvido pelo Governo do Amazonas via a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas, em parceria com as Secretarias Estadual e Municipal de ensino, e permite a produção da ciência dentro do espaço escolar por meio do desenvolvimento de projetos de pesquisa que oportunizam a formação acadêmica e a transformação do pensar, fazer e entender ciência pelo cidadão.

O projeto intitulado ‘Jovens empreendedores: artesanato sustentável’, realizado na Escola Municipal Vicente de Paula, no bairro Japiim, mostrou os produtos desenvolvidos na escola a partir das ações da educação ambiental e reaproveitamento dos materiais como garrafa pet e caixas de leite, que antes teriam como o destino o lixo.

FOTO 1

Bolsistas do PCE reaproveitam materiais descartados e transformam em produtos sustentáveis em Manaus

A atividade é realizada com alunos do 6º ano do ensino fundamental. De acordo com a coordenadora do projeto, Socorro Brelaz, a ideia de trabalhar essa ação na escola surgiu ao ver a grande quantidade lixo jogado nas ruas.

Na prática, os alunos aprendem sobre a reciclagem e a importância da sustentabilidade na preservação do meio ambiente.

“Os alunos se tornaram multiplicadores deste conhecimento, eles fazem as coletas dos materiais que serão usados para confeccionar os produtos. Utilizamos caixas de leite, CD, garrafas plásticas e retalhos de tecidos que são transformados em jogos, enfeites natalinos, objetos de decoração para casa e utilidades”, disse a professora.

A bolsista do projeto Lívia Oliveira contou que já aprendeu muito sobre quais  produtos podem ser criados a partir do reaproveitamento de materiais, além de saber a importância da reciclagem e como tudo isso impacta no meio ambiente.

Para a Lorena Flávia, que também participa do projeto, a atividade traz benefício não apenas aos estudantes da escola, mas para toda sociedade.

“Isso nos ajuda fazer com que as pessoas entendam sobre o que é reciclagem, um incentivo para não descartarem o lixo em qualquer lugar”, destacou.

Jogos Lúdicos

 Os jogos lúdicos utilizados por estudantes da Escola Municipal Antonina Borges de Sá, no bairro São José, também foram expostos no Ecam. O projeto intitulado ‘Os Jogos Lúdicos no Ensino-Aprendizagem nas Aulas de Geografia’ trabalha com alunos do 8º ano do ensino fundamental e mostrou como os jogos têm influenciado e melhorado o desempenho dos alunos na disciplina.

Amarelinha, jogo da velha, trilha dos países, caça palavras, quebra-cabeça, roleta magnética e dominó são alguns exemplos de jogos trabalhados na escola. De acordo com a coordenadora do projeto, Raquel Vieira, a atividade desperta e aumenta o interesse dos estudantes pela disciplina de Geografia.

FOTO 3

Jogos lúdicos têm aumentado o interesse e desempenho de alunos na disciplina de Geografia

“Sabemos que os alunos adoram jogar. Fizemos uma pesquisa para saber se eles gostavam das aulas com jogos lúdicos e o resultado foi positivo. Os dados mostram que eles acham as aulas dinâmicas mais atrativas e, consequentemente, auxilia na aprendizagem” conta Raquel.

 Saúde

Na área da saúde, os bolsistas do PCE do ensino de Educação de Jovens e Adultos (EJA) realizaram aferição de pressão, tudo supervisionado pelo coordenador do projeto, o professor da disciplina de Ciências Arthur Castro.

FOTO 2

Projeto do PCE desenvolvido na área da saúde  tem objetivo de fazer um  pré-diagnóstico verificando a pressão dos alunos e funcionários da escola

O projeto intitulado ‘Pré-diagnóstico da Hipertensão Arterial’ desenvolvido na Escola Municipal Madre Tereza de Calcutá, no bairro Jorge Teixeira, tem o objetivo de desenvolver ações de rastreamento de possíveis hipertensos inseridos na escola.

“Queremos fazer um pré-diagnóstico para verificar pressão dos alunos e funcionários. Todos os alunos da escola estão envolvidos na atividade. Eles têm mostrado um desempenho muito bom dentro do projeto, aprendendo todo dia e na prática como é realizada a pesquisa científica” disse o professor.

A estudante Adriana Campos informou que esta é a primeira vez que participa de um projeto que envolve pesquisa científica. Ela informou que por essa experiência tudo indica que seguirá carreira na área da saúde.

“Com esse incentivo tenho a oportunidade de crescer e adquirir mais conhecimento. É um trabalho em conjunto que permitirá eu chegar na graduação mais preparada, no que diz respeito a pesquisa”, disse Adriana.

FOTO 4

 

Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

Fotos – Decon

O post Estudantes do PCE expõem trabalhos em shopping de Manaus apareceu primeiro em FAPEAM.

Acolhida: novos bolsistas de iniciação científica começam suas atividades no ILMD

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebeu nesta quarta-feira, 2/8, trinta e dois novos bolsistas do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIC/2017-2018). A programação da acolhida incluiu palestra, oficina e um café da manhã.

Para a coordenadora do PIC-ILMD, Stefanie Lopes, “a acolhida é um momento que permite aos alunos conhecerem a instituição, seus colegas e pesquisadores da Casa; oportunidade também para lhes mostrar a importância de seus papeis no desenvolvimento da ciência, e a primeira atividade da iniciação científica”.

A mesa de abertura foi composta pelo diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz; pelo diretor Técnico-Científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Dércio Reis; pela vice-diretora substituta de Ensino, Informação e Comunicação e chefe do Serviço de Pós-graduação do ILMD, Rosana Parente; pela coordenadora PIC/ILMD, Stefanie Lopes; e pela coordenadora do curso QBA/On-line – Sensibilização em Gestão da Qualidade, Biossegurança e Ambiente, do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), Mônica Jandira dos Santos.

Sérgio Luz ressaltou a importância do evento para os estudantes que estão iniciando no fazer científico e também a necessidade de parcerias institucionais para a realização do PIC/ILMD. “Hoje é um dia especial pra gente aqui na Fiocruz, é a reabertura de mais um ano da Iniciação Científica, que acontece graças à parceria com a Fapeam, a partir de muita persistência e de um toque de teimosia nosso. Que tenhamos um programa cada vez mais forte, e que isso possa se refletir em resultado, pois a pesquisa e a ciência brasileira precisam disso”, disse o diretor.

ATIVIDADES

Biomedicina, farmácia, medicina, ciências sociais e engenharia de processos são alguns dos cursos dos novos bolsistas de iniciação científica.

Segunda a coordenadora do PIC/ILMD, os bolsistas do Programa deverão desenvolver seus projetos de pesquisa, participar de treinamentos, da jornada de biossegurança e das atividades do Centro de Estudos do ILMD.

Como orientação, Stefanie Lopes indica que os estudantes sejam organizados, conversem com seus pares, peçam ajuda de seus colegas e orientadores, obedeçam os prazos e leiam muito sobre os seus e outros trabalhos.

PALESTRA

“O impacto da iniciação científica na carreira acadêmica” foi o tema da palestra ministrada pelo médico, pesquisador do ILMD/Fiocruz Amazônia e diretor de Ensino e Pesquisa da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Marcus Vinícius Lacerda.

Sob uma perspectiva motivacional Marcus Lacerda falou de sua trajetória na pesquisa e as experiências que foram determinantes para seu conhecimento e profissionalização. Para ele, “a pesquisa faz com que o aluno enxergue o caminho para a vida”.

Como ferramentas ao jovem pesquisador na área da saúde ele indica: a estatística, a epidemiologia, o contato com o serviço de saúde, a experiência de bancada e a participação em eventos científicos.

O palestrante já orientou mais de 50 estudantes de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado, e tem aproximadamente 100 publicações científicas em revistas indexadas. É pesquisador 1D do CNPq e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical de 2015 a 2017.

DESTAQUES

Na oportunidade, bolsistas do PIC/ILMD 2016-2017 que se destacaram com suas pesquisas  na XIV Reunião Anual de Iniciação Científica do ILMD, receberam certificados de Honra ao Mérito Científico. Orientadores, coorientadores e demais bolsistas também recebem certificados nesta edição do Programa.

Foram destaques:

BIOSSEGURANÇA

Na parte da tarde os novos bolsistas participaram da oficina “QBA/On-line: sensibilização em gestão da Qualidade, Biossegurança e Ambiente”, ministrada por Mônica Jandira dos Santos (IOC/Fiocruz).

QBA/On-line é uma ferramenta de ensino que oferece orientações básicas sobre a condução de atividades de trabalho no que se refere à qualidade, biossegurança e gestão da qualidade.

Para Mônica Jandira, a palavra biossegurança se define: segurança da vida, portanto a formação para os novos bolsistas é essencial ao desempenho de suas tarefas nos laboratórios.

A sensibilização dos novos alunos será de fluxo contínuo e outras atividades devem nessa temática devem ocorrer durante a permanência deles no ILMD/ Fiocruz Amazônia.

SOBRE O PIC

O PIC/ILMD é desenvolvido em parceria com a Fapeam e a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec).

O PIC/ ILMD visa despertar a vocação científica e incentivar novos talentos potenciais entre estudantes de graduação, além de contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa e inovação tecnológica nos Determinantes Socioculturais, Ambientais e Biológicos do Processo Saúde-Doença-Cuidado para a melhoria das condições sociossanitárias na Amazônia;  estimular pesquisadores produtivos a envolverem estudantes de graduação em suas atividades científicas, tecnológicas e profissionais;   e proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensamento científico, da criatividade e estímulo à inovação, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas estudados ou alvo da pesquisa.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes