Arquivo da Categoria: Amazonas

Com apoio da Fapeam, pesquisador defende tese sobre movimentos sociais amazônicos no contexto de grandes projetos, na Unicamp

Estudo foi desenvolvido via o Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós- Graduados para o Interior do Estado do Amazonas

Na próxima sexta-feira (23) o doutorando em Educação e professor do curso de Comunicação Social – Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas em Parintins (Ufam/Parintins), Lucas Milhomens, defende a tese de doutorado “Movimentos Sociais e Redes de Mobilização na Amazônia: O Caso da Hidrelétrica de Belo Monte”, na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo.

O estudo conta com apoio do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) via programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados para o Interior do Estado do Amazonas (Proint). O programa concede bolsa de mestrado e doutorado para profissionais graduados, residentes no interior do Estado do Amazonas há no mínimo quatro anos ou que mantenham relação de trabalho ou emprego com alguma instituição municipal, estadual ou federal sediada ou com unidade permanente no interior do Estado do Amazonas, interessados em realizar curso de pós-graduação stricto sensu, em programa credenciado pela Capes, em instituições no Estado do Amazonas, localizadas em município diferente do de residência ou em outro Estado da Federação.

A pesquisa de doutorado aponta a importância dos movimentos sociais amazônicos na luta contra grandes projetos e seus impactos socioambientais. O estudo analisou os fatores históricos e socioculturais que viabilizaram o surgimento de uma série de grupos e movimentos sociais organizados, atuante na região, em especial em cidades como Altamira (PA).

“O município é permeado por uma sobreposição de conflitos sociais que datam desde o início do Governo Civil-Militar nos anos de 1960, onde foram planejados grandes projetos de infraestrutura que geraram uma série de impactos sociais, econômicos e ambientais, atingindo uma série de grupos, sobretudo povos tradicionais e populações indígenas. Como foi o caso da construção da rodovia Transamazônica nos anos de 1970 e a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, inaugurada em 2016”, disse.

Cacique Raoni Kaiapó no Acampamento Terra Livre 2017

Cacique Raoni Kaiapó no Acampamento Terra Livre 2017 (foto: Lucas Milhomens)

 

Outro ponto abordado na tese do pesquisador diz respeito a centralidade dos movimentos sociais amazônicos, que além de visibilizar pautas pouco difundidas na opinião pública nacional (como os impactos gerados a diversas populações atingidas pela construção de usinas hidrelétricas e projetos mineradores) atuam.

Segundo o professor, sob o formato de “redes de mobilização”, um esquema onde diversos grupos e atores sociais fazem uso de um complexo repertório que vai desde a utilização contínua da Internet e seus inúmeros recursos comunicacionais (como sites de compartilhamento de vídeos, blogs, redes sociais etc.) até uma articulação global com parceiros nacionais e internacionais através de redes solidárias, visando apoiar e divulgar as bandeiras dos movimentos que lutam contra os grandes projetos na Amazônia e seus diversos impactos socioambientais.

Segundo o pesquisador, o estudo foi orientado pela professora da Unicamp, a doutora Maria da Glória Gohn, considerada uma das maiores especialistas em movimentos sociais da América Latina.

Lucas Milhomens defende a tese de doutorado na Faculdade de Educação da Unicamp

Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

 

 

O post Com apoio da Fapeam, pesquisador defende tese sobre movimentos sociais amazônicos no contexto de grandes projetos, na Unicamp apareceu primeiro em FAPEAM.

Com apoio da Fapeam, pesquisador defende tese sobre movimentos sociais amazônicos no contexto de grandes projetos, na Unicamp

Estudo foi desenvolvido via o Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós- Graduados para o Interior do Estado do Amazonas

Na próxima sexta-feira (23) o doutorando em Educação e professor do curso de Comunicação Social – Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas em Parintins (Ufam/Parintins), Lucas Milhomens, defende a tese de doutorado “Movimentos Sociais e Redes de Mobilização na Amazônia: O Caso da Hidrelétrica de Belo Monte”, na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo.

O estudo conta com apoio do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) via programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados para o Interior do Estado do Amazonas (Proint). O programa concede bolsa de mestrado e doutorado para profissionais graduados, residentes no interior do Estado do Amazonas há no mínimo quatro anos ou que mantenham relação de trabalho ou emprego com alguma instituição municipal, estadual ou federal sediada ou com unidade permanente no interior do Estado do Amazonas, interessados em realizar curso de pós-graduação stricto sensu, em programa credenciado pela Capes, em instituições no Estado do Amazonas, localizadas em município diferente do de residência ou em outro Estado da Federação.

A pesquisa de doutorado aponta a importância dos movimentos sociais amazônicos na luta contra grandes projetos e seus impactos socioambientais. O estudo analisou os fatores históricos e socioculturais que viabilizaram o surgimento de uma série de grupos e movimentos sociais organizados, atuante na região, em especial em cidades como Altamira (PA).

“O município é permeado por uma sobreposição de conflitos sociais que datam desde o início do Governo Civil-Militar nos anos de 1960, onde foram planejados grandes projetos de infraestrutura que geraram uma série de impactos sociais, econômicos e ambientais, atingindo uma série de grupos, sobretudo povos tradicionais e populações indígenas. Como foi o caso da construção da rodovia Transamazônica nos anos de 1970 e a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, inaugurada em 2016”, disse.

Cacique Raoni Kaiapó no Acampamento Terra Livre 2017

Cacique Raoni Kaiapó no Acampamento Terra Livre 2017 (foto: Lucas Milhomens)

 

Outro ponto abordado na tese do pesquisador diz respeito a centralidade dos movimentos sociais amazônicos, que além de visibilizar pautas pouco difundidas na opinião pública nacional (como os impactos gerados a diversas populações atingidas pela construção de usinas hidrelétricas e projetos mineradores) atuam.

Segundo o professor, sob o formato de “redes de mobilização”, um esquema onde diversos grupos e atores sociais fazem uso de um complexo repertório que vai desde a utilização contínua da Internet e seus inúmeros recursos comunicacionais (como sites de compartilhamento de vídeos, blogs, redes sociais etc.) até uma articulação global com parceiros nacionais e internacionais através de redes solidárias, visando apoiar e divulgar as bandeiras dos movimentos que lutam contra os grandes projetos na Amazônia e seus diversos impactos socioambientais.

Segundo o pesquisador, o estudo foi orientado pela professora da Unicamp, a doutora Maria da Glória Gohn, considerada uma das maiores especialistas em movimentos sociais da América Latina.

Lucas Milhomens defende a tese de doutorado na Faculdade de Educação da Unicamp

Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

 

 

O post Com apoio da Fapeam, pesquisador defende tese sobre movimentos sociais amazônicos no contexto de grandes projetos, na Unicamp apareceu primeiro em FAPEAM.

Fiocruz Amazônia abre inscrições para mestrado acadêmico em Condições de Vida e Situações de Saúde

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) abre inscrições para o curso de mestrado acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA).

O período de inscrições ocorre de 13 a 29 de março de 2018.  Serão oferecidas 17 vagas divididas em duas linhas de pesquisa: Fatores sócio biológicos no processo saúde-doença na Amazônia, com seis vagas; e Processo Saúde-Doença e Organização da Atenção a populações indígenas e outros grupos em situações de vulnerabilidade, com onze vagas.

Poderão participar do processo de seleção candidatos que até a data da matrícula, completarem curso de graduação de duração plena devidamente reconhecido pelo MEC. O curso é em regime integral e as aulas estão previstas para iniciar dia 10 de setembro deste ano. Ao final do mestrado, o egresso do curso receberá diploma de Mestre em Saúde Pública.

As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet por meio da Plataforma Siga, que somente poderá ser acessada pelo navegador Internet Explorer. O candidato tem que preencher o formulário de inscrição nesta plataforma e anexar documentos de identificação com foto (carteira de identidade, carteira militar ou de conselho de classe), CPF, RNE (Registro Nacional de Estrangeiros) ou passaporte para candidatos estrangeiros e pagar a taxa de R$ 100,00. A divulgação das inscrições homologadas será no dia 10 de abril.

Para mais informações, consulte a chamada pública.

topo_materia_ppgvida_820x350

Fonte: Fiocruz Amazônia

O post Fiocruz Amazônia abre inscrições para mestrado acadêmico em Condições de Vida e Situações de Saúde apareceu primeiro em FAPEAM.

Corante natural a partir de fungos encontrados em frutos amazônicos

Pesquisa analisa fungos encontrados no buriti, tucumã, pupunha e de ambientes como solo e água para produção de pigmentos naturais

Os fungos encontrados em frutos de espécies nativas da Região Amazônica como buriti, tucumã e pupunha estão sendo analisados com objetivo de serem utilizados como fonte produtora de pigmentos naturais, ou seja, para serem usados como colorantes mais que possuam ação antioxidante ou atividade  pró-vitamínica A. Os pigmentos poderão ser aplicados nos setores alimentício, farmacêutico e cosmético.

A pesquisa desenvolvida na Universidade de São Paulo (USP) conta com apoio do Governo do Amazonas, via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), no âmbito do Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós Graduandos do Estado do Amazonas (PROPG-AM).

Segundo a doutoranda em Biotecnologia Industrial Daiana Torres, para o crescimento dos microrganismos serão utilizados resíduos provenientes do processamento da mandioca, com objetivo de reaproveitar e destinar de forma adequada os resíduos, uma vez que o volume de produção e processamento da mandioca é alto na Região.

Fungos foram encontrados em frutos amazônicos e  ambientes como solo e água. Pesquisa finaliza em 2019

 

A pesquisa iniciou em 2015 e tem previsão para terminar no primeiro semestre de 2019 com a defesa da Tese de Doutorado. A avaliação antioxidante e da atividade pró-vitamínica desses pigmentos ainda estão na análise.

“A pesquisa traz diversos benefícios como a obtenção de pigmentos naturais e com propriedades químicas benéficas ao organismo humano, que poderá ser utilizado tanto pelas indústrias alimentícias, farmacêuticas ou cosméticas. Podemos destacar também o reaproveitamento dos resíduos provenientes do processamento da mandioca, que é uma das culturas de maior volume de produção na Região Norte, o que pode agregar valor a este subproduto agrícola�, destacou.

A pesquisadora explicou ainda que os pigmentos naturais já encontram aplicação na indústria alimentícia, onde são utilizados para realçar a cor de alguns alimentos, como por exemplo, do salmão.

“Além de pigmentar ou realçar a cor em alimentos os carotenoides podem possuir características muito interessantes para a indústria farmacêutica e de cosméticos, pois como já foi dito, eles podem possuir atividade antioxidante, que protegem as células sadias do nosso corpo contra as lesões e os demais danos causados pelo excesso de radicais livres, e ainda apresentam como potenciais fontes de vitamina A�, acrescentou.

Isolamento

 A pesquisa está sendo desenvolvida na Escola de Engenharia de Lorena (EEL\USP), onde estão sendo realizadas as atividades de processos fermentativos para a produção dos pigmentos a partir de fungos isolados e cultivadas nos resíduos de mandioca pré-tratados. E no Laboratório Micologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), onde foram realizados os isolamentos e a identificação dos fungos.

Daiana disse que como pré-requisito para o isolamento foi definido que apenas as leveduras (fungos) que apresentassem coloração seriam de fato isoladas, assim, foi proposto inicialmente, o isolamento de fungos a partir dos frutos de espécies nativas da Região Amazônica, como o buriti, tucumã e pupunha, coletados em área de Reserva Florestal em Manaus, porém, não foi possível isolar leveduras coloridas de todos os frutos coletados, sendo assim, incorporadas leveduras isoladas de outros ambientes, como água e solo.

Leveduras preparadas para serem armazenadas. Pesquisa é realizada durante o curso  de doutorado

 

“Isolar, significa cultivar (crescer) as leveduras fora do seu ambiente natural, ou seja, em meio de crescimento sintético que simula o ambiente natural. Assim, as leveduras utilizadas neste trabalho serão leveduras que crescem naturalmente na superfície de frutos, e que a partir de técnicas laboratoriais específicas serão retiradas dessas superfícies e transferidas para placas de Petri (vidraria de laboratórios), contendo o meio de cultivo que possui substâncias importantes para o crescimento destas leveduras�, disse.

PROPG-AM

O programa concede bolsas de mestrado e doutorado a profissionais graduados, residentes no Estado do Amazonas há, no mínimo, quatro anos, interessados em realizar curso de pós-graduação stricto sensu, em Programa de Pós-Graduação recomendado pela CAPES em outros Estados da Federação.

 “A Fapeam tem apoiado o desenvolvimento desta pesquisa, a partir da concessão da bolsa auxílio, que permite minha manutenção e estadia na cidade de Lorena – SP, para realizar as atividades referentes à Pesquisa. O que também possibilita a troca de informação e de conhecimento com profissionais experientes e com grande conhecimento na área de estudo, podendo firmar entre pesquisadores da Região Sul e Norte do Brasil, a fim de promover o desenvolvimento científico no Amazonas�, finalizou.

Texto – Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

Fotos- Acervo do pesquisador

 

 

 

O post Corante natural a partir de fungos encontrados em frutos amazônicos apareceu primeiro em FAPEAM.

Programas internacionais da Capes têm últimos dias de inscrições abertas

Os programas de Professor Visitante (PVE), Pós-doutorado e Doutorado-pleno, chamadas, que contemplam bolsas no exterior pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), estão nos últimos dias para inscrição. Os interessados que cumprirem os requisitos descritos em cada edital terão até 21 de fevereiro para se candidatarem. Não haverá prorrogação do prazo.

Professor Visitante
O Programa tem como objetivo oferecer bolsa no exterior para a realização de estudos avançados após o doutorado e destina-se a pesquisadores ou docentes que possuam vínculo empregatício com instituição brasileira de ensino ou pesquisa. São duas categorias de bolsa: Júnior, para professor ou pesquisador, com vínculo empregatício, que possua até doze anos de doutoramento; ou Sênior, para professor ou pesquisador, com vínculo empregatício, que possua mais de doze anos de doutoramento.

Serão concedidas até 200 bolsas, sendo 100 para cada categoria. A duração da bolsa será definida na concessão, com base na duração aprovada pelas instituições de origem e de destino e o cronograma de execução do projeto proposto, podendo variar entre quatro e 12 meses, prorrogáveis por até seis meses, sem ônus para a CAPES, desde que autorizado pela instituição empregadora e pela Capes.

Pós-doutorado
O Programa oferta bolsas para a realização de estudos avançados fora do Brasil posteriores à obtenção do título de doutor e destina-se a pesquisadores ou docentes com menos de oito anos de formação doutoral e que não possuam vínculo empregatício. Não são aceitas inscrições de estudantes em fase de conclusão de curso.

Para essa modalidade, serão concedidas até 100 bolsas. A duração da bolsa será definida na concessão com base na duração aprovada pela instituição de destino e o cronograma de execução do projeto proposto, podendo variar de seis a 12 meses, prorrogáveis por até seis meses, sem ônus para a Capes., desde que autorizado pela instituição empregadora e pela Capes..

Doutorado-pleno
O Programa tem a finalidade de oferecer bolsas de doutorado-pleno como alternativa complementar às possibilidades ofertadas pelo conjunto dos programas de pós-graduação no Brasil. Este edital ofertará até 100 bolsas incialmente concedidas por um período de, no máximo, 12 meses. A renovação da concessão é condicionada ao desempenho acadêmico satisfatório do(a) estudante. A duração total da bolsa de doutorado-pleno no exterior será definida com base na duração aprovada pela instituição de destino e cronograma de execução do projeto proposto, não podendo ultrapassar 48meses, com vigência até o mês de defesa da tese.

Para os(as) candidatos(as) selecionados(as) que já estejam realizando o doutorado no exterior, será deduzido da duração total da bolsa o tempo já cumprido com o curso antes da concessão da bolsa, considerando o início das atividades acadêmicas informadas pela instituição à qual estão vinculados. Caso o doutorado não seja concluído dentro do período de concessão, poderá ser requerida pelo bolsista a extensão da permanência no exterior, sem ônus para a Capes., por no máximo 12 meses. O requerimento será analisado, desde que devidamente fundamentado, e a autorização excepcional da agência para permanência no exterior dependerá de comunicação expressa ao bolsista nesse sentido.

Todos os editais têm previsão de início dos estudos a partir de agosto a novembro de 2018.

Confira o cronograma:

Cronograma

Etapas Datas previstas
Inscrições Até 21 de fevereiro de 2018
Resultado Preliminar A partir de 7 de maio de 2018
Resultado final A partir de 14 de junho de 2018
Complementação de Documentos Até 60 dias antes da viagem
Início dos estudos no exterior Agosto a Novembro de 2018

Acesse aqui os editais:
Edital 45/2017 – Professor Visitante no Exterior
Edital 46/2017 – Pós-doutorado no Exterior
Edital 48/2017 – Doutorado-pleno no Exterior

Fonte: CCS CAPES

O post Programas internacionais da Capes têm últimos dias de inscrições abertas apareceu primeiro em FAPEAM.

Dispositivo que reproduz a condição de soldagem em serviço oferecerá segurança para profissionais da área metalúrgica

Pesquisa quer determinar os melhores conjuntos de parâmetros da soldagem a fim de evitar a perfuração durante a execução da soldagem em serviço

Um dispositivo capaz de simular, computacionalmente, o processo de soldagem em serviço está em desenvolvimento pelo pesquisador e doutorando em Engenharia Metalúrgica e de Materiais, Antonio Alves. O equipamento reproduz a condição de soldagem em serviço utilizando a água como fluido que retira calor da chapa soldada. A pesquisa quer determinar os melhores conjuntos de parâmetros da soldagem a fim de evitar a perfuração durante a execução da soldagem.

A pesquisa desenvolvida na Universidade de São Paulo (USP), conta com apoio do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), é realizada no âmbito do Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduandos do Estado do Amazonas (PROPG-AM).

Segundo Alves, a soldagem em serviço é uma a técnica utilizada quando as tubulações que transportam os combustíveis, geralmente, fabricadas em aço, na sua maioria estão “enterradas�. Com o passar do tempo sob a ação do solo, acontece o processo de corrosão da parede do duto, ou seja, o duto começa a ficar mais fino, perde espessura, e se não houver uma intervenção para reparo, essa corrosão se agrava e pode ocorrer a perfuração da tubulação, provocando assim vazamento, com consequências drásticas do ponto de vista econômico e principalmente ambiental.

“Por exemplo, se um profissional realiza a soldagem que envolve uma fonte extremamente concentrada de calor, em uma parede de tubo já deteriorada pela corrosão, a principal preocupação é não perfurar o tubo, evitando assim uma explosão�, detalhou.

IMG-20170622-WA0004

O pesquisador explicou que o dispositivo, projetado e executado dentro do laboratório do Grupo de Pesquisa em Soldagem e Junção (GPSJ), reproduz a condição de soldagem em serviço, no que diz respeito à retirada de calor do fluido transportado.  A parte da simulação computacional é agora um dos pontos importantes analisados na pesquisa.

“Este estudo irá trazer um conjunto de parâmetros seguros, dentro de um mapa operacional que irá proporcionar maior segurança na hora da execução da soldagem em serviço, pois dentro deste mapa operacional o soldador poderá acessar de forma fácil e inteligível os parâmetros de soldagem adequada para diferentes espessuras de tubo e condição de retirada de calor� afirma o doutorando.

O pesquisador destaca também que o estudo irá trazer resultados positivos para o Amazonas na produção de conhecimento por meio da tecnologia como ferramenta do planejamento estratégico para o Estado.

“Dentro de um contexto amazônico, a médio e longo prazo a tubulação do gasoduto Coari – Manaus, assim como a rede dutoviária dentro do perímetro urbano da cidade de Manaus necessitará de reparo, haja vista a conhecida acidez do nosso soloâ€�, explicou.

 Internacional

 A pesquisa foi apresentada durante o Congresso Internacional de Soldagem promovido pela  American Welding Society – AWS, em Chicago, Illinois –USA, no mês de novembro de 2017.

“A participação foi excelente, foi a minha primeira vez fora do Brasil, primeiro congresso internacional. Uma experiência surpreendente compartilhar do mesmo espaço com as maiores referências mundial da área de soldagem. Foi possível participar de várias apresentações de trabalhos na área principalmente de simulação computacional de processos de soldagem. Fui acompanhado com o professor Sérgio Duarte Brandi, meu orientador, foi uma surpresa perceber que éramos os únicos brasileiros a representar uma universidade brasileira, no caso a USP�, disse.

IMG-20180131-WA0052

PROPG-AM

O programa concede bolsas de mestrado e doutorado a profissionais graduados, residentes no Estado do Amazonas há, no mínimo, quatro anos, interessados em realizar curso de pós-graduação stricto sensu, em Programa de Pós-Graduação recomendado pela CAPES em outros Estados da Federação.

Texto – Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

Fotos- Divulgação

O post Dispositivo que reproduz a condição de soldagem em serviço oferecerá segurança para profissionais da área metalúrgica apareceu primeiro em FAPEAM.

Dispositivo que reproduz a condição de soldagem em serviço oferecerá segurança para profissionais da área metalúrgica

Pesquisa quer determinar os melhores conjuntos de parâmetros da soldagem a fim de evitar a perfuração durante a execução da soldagem em serviço

Um dispositivo capaz de simular, computacionalmente, o processo de soldagem em serviço está em desenvolvimento pelo pesquisador e doutorando em Engenharia Metalúrgica e de Materiais, Antonio Alves. O equipamento reproduz a condição de soldagem em serviço utilizando a água como fluido que retira calor da chapa soldada. A pesquisa quer determinar os melhores conjuntos de parâmetros da soldagem a fim de evitar a perfuração durante a execução da soldagem.

A pesquisa desenvolvida na Universidade de São Paulo (USP), conta com apoio do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), é realizada no âmbito do Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduandos do Estado do Amazonas (PROPG-AM).

Segundo Alves, a soldagem em serviço é uma a técnica utilizada quando as tubulações que transportam os combustíveis, geralmente, fabricadas em aço, na sua maioria estão “enterradas�. Com o passar do tempo sob a ação do solo, acontece o processo de corrosão da parede do duto, ou seja, o duto começa a ficar mais fino, perde espessura, e se não houver uma intervenção para reparo, essa corrosão se agrava e pode ocorrer a perfuração da tubulação, provocando assim vazamento, com consequências drásticas do ponto de vista econômico e principalmente ambiental.

“Por exemplo, se um profissional realiza a soldagem que envolve uma fonte extremamente concentrada de calor, em uma parede de tubo já deteriorada pela corrosão, a principal preocupação é não perfurar o tubo, evitando assim uma explosão�, detalhou.

IMG-20170622-WA0004

O pesquisador explicou que o dispositivo, projetado e executado dentro do laboratório do Grupo de Pesquisa em Soldagem e Junção (GPSJ), reproduz a condição de soldagem em serviço, no que diz respeito à retirada de calor do fluido transportado.  A parte da simulação computacional é agora um dos pontos importantes analisados na pesquisa.

“Este estudo irá trazer um conjunto de parâmetros seguros, dentro de um mapa operacional que irá proporcionar maior segurança na hora da execução da soldagem em serviço, pois dentro deste mapa operacional o soldador poderá acessar de forma fácil e inteligível os parâmetros de soldagem adequada para diferentes espessuras de tubo e condição de retirada de calor� afirma o doutorando.

O pesquisador destaca também que o estudo irá trazer resultados positivos para o Amazonas na produção de conhecimento por meio da tecnologia como ferramenta do planejamento estratégico para o Estado.

“Dentro de um contexto amazônico, a médio e longo prazo a tubulação do gasoduto Coari – Manaus, assim como a rede dutoviária dentro do perímetro urbano da cidade de Manaus necessitará de reparo, haja vista a conhecida acidez do nosso soloâ€�, explicou.

 Internacional

 A pesquisa foi apresentada durante o Congresso Internacional de Soldagem promovido pela  American Welding Society – AWS, em Chicago, Illinois –USA, no mês de novembro de 2017.

“A participação foi excelente, foi a minha primeira vez fora do Brasil, primeiro congresso internacional. Uma experiência surpreendente compartilhar do mesmo espaço com as maiores referências mundial da área de soldagem. Foi possível participar de várias apresentações de trabalhos na área principalmente de simulação computacional de processos de soldagem. Fui acompanhado com o professor Sérgio Duarte Brandi, meu orientador, foi uma surpresa perceber que éramos os únicos brasileiros a representar uma universidade brasileira, no caso a USP�, disse.

IMG-20180131-WA0052

PROPG-AM

O programa concede bolsas de mestrado e doutorado a profissionais graduados, residentes no Estado do Amazonas há, no mínimo, quatro anos, interessados em realizar curso de pós-graduação stricto sensu, em Programa de Pós-Graduação recomendado pela CAPES em outros Estados da Federação.

Texto – Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

Fotos- Divulgação

O post Dispositivo que reproduz a condição de soldagem em serviço oferecerá segurança para profissionais da área metalúrgica apareceu primeiro em FAPEAM.

PAREV recebe propostas até o dia 19 de fevereiro

Programa apoia a realização de eventos de cunho científico e tecnológico ocorrentes no período de julho a dezembro de 2018

Os interessados em submeter projeto na 2ª chamada do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (PAREV) têm até o dia 19 de fevereiro de 2018  para submeter propostas no programa.  O PAREV tem como objetivo  divulgar os resultados de pesquisas científicas e contribuir para a promoção do intercâmbio científico e tecnológico.

Esta chamada apoia a realização de eventos de cunho científico e tecnológico ocorrentes no período de julho a dezembro de 2018. Os eventos devem estar relacionados à Ciência, Tecnologia e Inovação como: congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclo de palestras, conferências e oficinas de trabalho.

A segunda chamada do PAREV conta com um investimento na ordem de R$750 mil. O programa  é uma ação do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Um dos requisitos para participar do edital é ter vínculo empregatício com instituição de pesquisa e ensino superior, centros de pesquisas, órgãos públicos sediados ou com unidade permanente no Amazonas, a partir de agora denominados instituição executora do evento e ter título de doutor. Conforme o edital, a publicação com os resultados das propostas serão divulgadas em março 2018.

A proposta deverá ser apresentada em versão eletrônica por intermédio do formulário contido no Sistema de Gestão da Informação da Fapeam (SIGFapeam), disponível na página eletrônica da instituição. Para acessar o formulário eletrônico, o proponente deverá utilizar seu login e senha previamente cadastrados.

Novos usuários deverão realizar o cadastramento no banco de pesquisadores da Fapeam, no endereço supracitado. Além do envio do Formulário on line, via SIGFapeam, a submissão da proposta requer também a apresentação da Documentação Complementar a ser anexada ao sistema SIGFapeam, como especificado no edital.

Acesse o edital clique aqui

banner_parev

Texto e fotos – Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

 

O post PAREV recebe propostas até o dia 19 de fevereiro apareceu primeiro em FAPEAM.

Programas de cooperação entre França e países da América do Sul selecionarão até dez projetos

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulgou na última  terça-feira (6) os novos editais para seleção de projetos conjuntos de pesquisa para os programas CAPES/MATH-AmSud e CAPES/STIC-AmSud. As inscrições vão até o dia 31 de maio. Serão selecionados até dez projetos de pesquisa para início em 2019.

Os programas são iniciativas de cooperação entre a França, Argentina, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai e têm como objetivo fortalecer a colaboração e a criação de redes de pesquisa, no domínio da matemática (MATH) e das ciências e tecnologias da informação e da comunicação (STIC) entre sul-americanos e franceses.

Cada projeto deverá planejar suas atividades considerando a duração máxima de dois anos. O financiamento compreenderá a realização de missões de pesquisa (missões de trabalho e missões de estudos) entre os grupos participantes.

Acesse os editais: STIC-AmSud e MATH-AmSud

banner_capes2

Fonte: CCS/CAPES

O post Programas de cooperação entre França e países da América do Sul selecionarão até dez projetos apareceu primeiro em FAPEAM.

Pesquisa testa se o medicamento Gabapentina é capaz de controlar a dor de pacientes no pós-operatório

Estudo pioneiro no Amazonas é feito com pacientes submetidos à cirurgia de cabeça e pescoço na FCecon

O medicamento Gabapentina, utilizado na área neurológica para tratar convulsões e dor neuropática, está sendo testado com objetivo de descobrir se ele pode ser usado no controle da dor pós-operatória em pacientes submetidos à cirurgia de cabeça e pescoço na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon).

A pesquisa que conta com apoio do Governo do Amazonas, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) no âmbito do Programa de Apoio à Iniciação Científica (PAIC), é desenvolvida pela graduanda em Medicina, Amanda Puigcerver, que está no 5° período do curso na Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Segundo a estudante o benefício da pesquisa é saber mais sobre a Gabapentina, um medicamento considerado muito comum no país, mas que ainda não é comumente utilizado para essa finalidade.

“No Brasil, um estudo científico envolvendo pacientes submetidos à cirurgia oncológica igual a esse ainda não foi realizado. Se os resultados apontarem o bom desempenho da Gabapentina existe a alternativa de colocarmos como um medicamento fixo na anestesia�, disse.

IMG_3256

Pesquisa é desenvolvida pela graduanda em Medicina, Amanda Puigcerver, da UEA no âmbito do PAIC

 

Aplicação

Conforme Amanda, para saber os efeitos da Gabapentina está sendo realizado um estudo duplo-cego com o paciente, onde o grupo de pesquisa atua com duas medicações, sendo um a Gabapentina e o outro Pregabalina, que são colocados em envelopes denominados como A e B. Os medicamentos são administrados nos pacientes sem que o grupo de pesquisa e os pacientes saibam a medicação ingerida. A identificação de cada um: A ou B é descrita apenas no prontuário de cada paciente.

“No estudo é dado o envelope A ou B para os pacientes e pedimos para eles tomem a medicação antes de se preparar para a cirurgia. Após isso, seguem para a preparação anestésica e fazem a cirurgia. Mas, antes da cirurgia verificamos numa escala de 0 a 10 o grau de dor que eles estão sentindo. Além disso, após a cirurgia, fazemos o acompanhamento com os pacientes no período de 24h e 48h  para saber o grau de  dor que ele ainda sente�, explicou.

O estudo, que começou em setembro de 2017, já analisou 20 pacientes. A previsão é que o número aumente e alcance no mínimo 80 pacientes até o fim do projeto previsto para finalizar no segundo semestre deste ano.

A estudante explicou que no fim do estudo a equipe irá analisar a medicação A e B e descobrir qual medicamento foi mais eficiente nos relatos dos pacientes para diminuir a dor.

“A partir dos resultados, vamos saber se a Gabapentina é realmente eficiente para o tratamento anestésico�, disse.

Os resultados parciais da pesquisa científica serão divulgados durante o Congresso de Iniciação Científica no FCecon no mês de fevereiro.

PAIC

 O programa visa disseminar o conhecimento científico por meio do envolvimento das instituições, pesquisadores e estudantes de graduação em todo o processo de investigação, proporcionando principalmente aos alunos a experiência prática e o desenvolvimento de habilidades em pesquisas.

 

IMG_3264

 

Texto e fotos – Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon)

O post Pesquisa testa se o medicamento Gabapentina é capaz de controlar a dor de pacientes no pós-operatório apareceu primeiro em FAPEAM.