Todos os artigos de Marlúcia Almeida

Fiocruz Amazônia promove Seminário Interno de Avaliação Institucional da Pesquisa

Pesquisadores e alunos de programas de pós-graduação do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) participam hoje e amanhã (16 e 17/4) do Seminário Interno de Avaliação Institucional da Pesquisa. O evento acontece no Salão Canoas, na sede do Instituto, no bairro de Adrianópolis, em Manaus, de 9h às 17h.

Durante a abertura do evento, o pesquisador e diretor da unidade da Fiocruz no Amazonas, Sérgio Luz, falou da importância do evento especialmente por conta do compartilhamento de informações entre os laboratórios, o que pode estimular a realização de estudos e pesquisas em parceria entre os mesmos.

“Nossa intenção é avançar numa gestão mais participativa e mais equilibrada da pesquisa, por isso a ideia do seminário, para que cada laboratório se apresente e com isso todos tenham dimensão das áreas em que são desenvolvidas pesquisas na Fiocruz Amazônia”, explicou o diretor.

Uma linha do tempo até a realização do Seminário Interno foi apresentada, demonstrando que essa atividade teve início com a realização das jornadas de pesquisa, depois com a análise dos indicadores institucionais, até o atual momento, de avaliação institucional da pesquisa.

Para a pesquisadora Ormezinda Fernandes, do Laboratório Diversidade Microbiana da Amazônia com Importância para a Saúde (DMAIS/Fiocruz Amazônia), eventos como o Seminário Interno de Avaliação Institucional da Pesquisa são muito importantes para a instituição, pois demonstram a necessidade dos pesquisadores saberem mais sobre o que seus pares estão fazendo.

“Comungo com a ideia de que existem projetos de pesquisa que devem ser institucionalizados, que não sejam apenas de um ou de outro laboratório, mas que sejam abraçados pela instituição. No laboratório DMAIS temos profissionais com expertise em micologia, bacteriologia e parasitologia, e somos agraciados com profissionais que atuam na epidemiologia, que desenvolvem suas ações nessa relação entre saúde, ambiente e o homem. Nesse contexto queremos fortalecer nosso laboratório com a ideia de uma saúde global, que envolve o homem e o ambiente e, nesse ambiente, vamos encontrar os animais, que podem ser vetores ou hospedeiros intermediários de determinadas doenças”, explica Ormezinda.

O SEMINÁRIO

Amanhã, 17/4, a programação do seminário constará de apresentação dos indicadores institucionais da pesquisa, bem como das diretrizes da pesquisa no ILMD/Fiocruz Amazônia (2018-2020).

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Reunião entre Fiocruz Amazônia e Cosems marca a possibilidade de nova parceria em projeto de qualificação para o interior do Amazonas

Em articulação para o desenvolvimento de projeto de qualificação para trabalhadores da gestão da Saúde nos municípios do Amazonas, o diretor do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Sérgio Luz e equipe reuniram-se nesta quinta-feira, 11/4, com membros do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM), com a finalidade de discutir estratégias para essa ação, que deve ter início ainda neste ano.

Sérgio Luz adiantou que os cursos estão sendo delineados para aprimorar o desempenho profissional dos trabalhadores da saúde, para atuarem de acordo com as políticas e diretrizes, de modo a propiciar um gerenciamento integrado dos processos de trabalho e impulsionar o espírito inovador, alinhando ensino e aplicação prática, por meio do uso de tecnologias, métodos e instrumentos que auxiliem na gestão e nas práticas em saúde.

O projeto de qualificação da Fiocruz Amazônia, Projeto Qualifica SUS, será destinado a profissionais que desempenham suas funções ou atividades no nível da gestão e técnico-operacional, em secretarias municipais de saúde e em órgãos parceiros.

Durante o encontro, alguns ajustes ao projeto foram recomendados pela comitiva do Cosems. Segundo Januário da Cunha Neto, presidente do Conselho, esse momento foi muito especial para que o projeto possa atingir seus objetivos e metas. Ele reconheceu a importância de se ouvir os secretários municipais de saúde, para que todos contribuam para o melhor desempenho do projeto.

Outra reunião sobre o assunto ficou agendada para a próxima quinzena, e depois disso será feita a formalização de acordos de cooperação entre a Fiocruz Amazônia e possíveis parceiro do projeto.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Foto: Eduardo Gomes

Feira de Produtos Orgânicos na Fiocruz Amazônia, nesta quinta-feira, 11/4 

Nesta quinta-feira, 11/4, de 8h30 às 13h, na calçada do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) será realizada mais uma edição da Feira de Produtos Orgânicos, evento promovido pelo Laboratório Território, Ambiente, Saúde e Sustentabilidade (Tass), em parceria com a Asfoc-AM.

A atividade visa sensibilizar trabalhadores da Fiocruz Amazônia e comunidade do entorno para a importância da adoção de uma dieta livre de agrotóxicos, além de estimular o consumo de plantas alimentícias não-convencionais (Pancs).

O quê? Feira de Produtos Orgânicos na Fiocruz Amazônia

Quando? Quinta-feira, 11/4/2019

Horário? 8h30 às 13h

Onde? Rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus-AM

A FEIRA

Participam da Feira de Produtos Orgânicos, agricultores da Associação dos Agricultores São Francisco de Assis – Ramal da Cachoeira, entidade ligada à  Rede Maniva de Agroecologia do Amazonas (Rema).

Dentre os produtos agrícolas orgânicos comercializados estão hortaliças, frutos regionais de época, plantas medicinais e plantas comestíveis não convencionais, entre outros. Artesanato, alimentos feitos a partir de produtos orgânicos e mudas de plantas também estão na feira.

SOBRE ORGÂNICOS

Os produtos orgânicos são cultivados sem o uso de adubos químicos ou agrotóxicos. São considerados produtos limpos e saudáveis e que respeitam o meio ambiente e contribuem para a preservação dos recursos naturais.

 

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: Mackesy Nascimento

Funasa e Fiocruz Amazônia discutem parcerias para melhoria da qualidade da água em comunidades rurais e ribeirinhas do Amazonas

SALTA-z é uma tecnologia usada pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa), do Ministério da Saúde, para promover a saúde e melhorar a qualidade de vida das pessoas, a partir do suprimento de água potável para as comunidades rurais e ribeirinhas do Amazonas, que não têm acesso à água potável.

Para ajudar a tornar esse projeto uma realidade no Estado, a direção do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) recebeu na segunda-feira, 8/4, a visita de equipe da Funasa para a formação de parcerias que vão permitir ampliar o fornecimento de água potável em comunidades rurais do Amazonas.

“A Funasa tem essa missão de instalar as SALTA-z nas comunidades que necessitam da tecnologia, mas precisamos do apoio da Fiocruz para nos ajudar com expertise, laboratórios, equipe técnica e insumos, para darmos continuidade ao projeto. Por isso, estamos hoje aqui, para conversarmos sobre essa possibilidade de formação de parceria”, explicou Wenderson Monteiro, superintendente da Funasa no Amazonas.

Sérgio Luz, diretor do ILMD/ Fiocruz Amazônia, ressaltou a importância do trabalho da Funasa em levar água de qualidade para as comunidades do Amazonas e lembrou que a parceria entre as duas instituições, Funasa e Fiocruz, sempre existiu. “Agora, sob um novo entendimento, estamos tentando construir uma nova parceria para a questão da melhoria da qualidade da água para as populações do Estado, o que será muito importante não só para as instituições, mas especialmente para as comunidades atendidas pelo projeto, pois podemos contribuir com a avaliação da água, a partir do uso da SALTA-z”, disse.

A partir desse encontro, novas possibilidades de parcerias institucionais foram cogitadas, bem como com a inserção de outros órgãos que possam contribuir para a saúde e melhoria da qualidade de vida das populações rurais do Amazonas.

Sobre a SALTA-Z

É uma tecnologia social, usada como alternativa para o tratamento de água em comunidades rurais, que utiliza processo convencional, de fácil aplicação, para tratar a água, por meio do uso de filtros e dosadores de características artesanais.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

 

Fiocruz Amazônia seleciona bolsista para atuar com programação de sistemas web

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) seleciona bolsista para atuar como programador de sistemas web. Para concorrer à vaga o candidato precisa ter concluído o ensino superior em ciência da computação, ou em sistemas de informação ou em áreas afins.

O candidato selecionado vai atuar no Serviço de Gestão de Tecnologia da Informação – SeGTI da Fiocruz Amazônia, onde irá executar programação de sistemas, realizar pesquisas, verificar e examinar demandas, além de propor e cumprir cronograma de execução de trabalhos, dentre outras atividades.  Para tanto, espera-se que o interessado tenha conhecimento em tecnologias PHP, JAVASCRIPT, HTML5, CSS3; Banco de dados MySQL , e em servidores Linux Debian.

A carga horária é de 40h semanais. O valor da bolsa varia de acordo com tempo de experiência profissional de R$ 2.156,00 a R$ 3.440,00. Os interessados devem enviar currículo ao e-mail segti.ilmd@fiocruz.br com cópia para segti.ilmd@gmail.com até o dia 17/4/2019, indicando no assunto: “Seleção de Programador ILMD – e o nome do candidato”.

A bolsa é por 12 meses, podendo ser prorrogada. O início das atividades está previsto para o próximo dia 1º de maio. A seleção será feita por meio de análise curricular e provas objetiva e prática.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia seleciona bolsista da área de biológicas para atuar em projeto de controle do Aedes

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) seleciona bolsista da área de ciências biológicas para atuar em projeto de controle do Aedes. Os interessados têm até sexta-feira, 12/4, para enviarem currículo lattes para os seguintes e-mails: jose.carvajal@fiocruz.br e carla.depaula@fiocruz.br.

O candidato selecionado vai atuar no projeto “Controle vetorial de Aedes aegypti e Ae. albopictus com Estações  Disseminadores de Larvicida”. Para concorrer à vaga, é necessário ter graduação em ciências biológicas ou áreas afins, ter cursado ou estar cursando mestrado em saúde pública, medicina tropical ou áreas afins, com a comprovação de experiência em biologia e ecologia de vetores e/ou entomologia médica e análises de dados.

A bolsa tem vigência de 6 meses, podendo ser prorrogável por mais 6 meses. O valor mensal é de R$ 3.520,00. A carga horária de trabalho é de 40h semanais.

O candidato aprovado vai trabalhar como apoio à coordenação técnica do projeto, prestando auxílio na supervisão do trabalho de campo, supervisão do trabalho no laboratório/ insetário, supervisão e análise dos dados, e emissão de relatórios.

Saiba mais sobre o projeto:

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: Mackesy Nascimento

 

Fiocruz Amazônia abre vagas para curso de atualização sobre caracterização de proteínas por métodos biofísicos

Estão abertas as inscrições para o curso “Caracterização de proteínas por métodos biofísicos: proteômica – modelagem molecular – biologia molecular”, uma atividade promovida pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) em parceria com a Fiocruz Ceará e com a Rede de Plataformas Tecnológicas da Fiocruz.

O curso é  de atualização, destinado a alunos de graduação e pós-graduação das áreas de Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde, e será realizado no período de 22 a 25 de abril, das 9h às 17h, na sede da Fiocruz Amazônia, à Rua Teresina, 476, Adrianópolis, Manaus.

A atividade visa apresentar aos alunos a fundamentação teórica necessária para a caracterização de proteínas por proteômica, biologia molecular e modelagem molecular, além de oferecer aos alunos informações (princípios, ferramentas e aplicações) sobre diferentes temas associados ao estudo de proteína, que possibilitem aplicabilidade desse conhecimento.

As aulas serão expositivas e participativas, utilizando metodologias ativas que combinam apresentação de conceitos, acompanhadas de discussões de artigos ou resultados encontrados, com exercícios dos conteúdos apresentados.

O curso é gratuito e tem carga horária de 25h. Estão sendo oferecidas 30 vagas. As inscrições são feitas pelo Campus Virtual da Fiocruz.

Para se inscrever, clique.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Imagem: Mackesy Pinheiro

Fiocruz Amazônia recebe inscrições para mestrado até segunda-feira,  1º de abril

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) oferece 17 vagas para o curso de mestrado acadêmico do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA). As inscrições podem ser feitas até 1º de abril, segunda-feira.

As vagas são divididas em duas linhas de pesquisa: Fatores sociobiológicos no processo saúde-doença na Amazônia, com onze vagas; e Processo Saúde-Doença e Organização da Atenção a populações indígenas e outros grupos em situações de vulnerabilidade, com seis vagas.

O curso é em regime integral e as aulas estão previstas para iniciar em agosto deste ano.

As inscrições são feitas pela internet por meio da Plataforma Siga, da Fiocruz. O candidato deve preencher o formulário de inscrição nesta plataforma, anexar os documentos solicitados e pagar a taxa de inscrição.

Para mais informações, consulte o edital na Plataforma Siga.

SOBRE O CURSO

O curso de mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia tem como objetivo capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos, capazes de subsidiar pesquisas em saúde, apoiar o planejamento, execução e gerenciamento de serviços e ações de controle e o monitoramento de doenças e agravos de interesse coletivo e do Sistema Único de Saúde na Amazônia.

O PPGVIDA também visa planejar, propor e utilizar métodos e técnicas para executar investigações na área de saúde, mediante o uso integrado de conceitos e recursos teórico-metodológicos advindos da saúde coletiva, biologia parasitária, epidemiologia, ciências sociais e humanas aplicadas à saúde, comunicação e informação em saúde e de outras áreas de interesse acadêmico, na construção de desenhos complexos de pesquisa sobre a realidade amazônica.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas

Fiocruz Amazônia recebe curso de Levantamento de Custos e Precificação para suas plataformas tecnológicas

Pesquisadores e demais profissionais que atuam nas Plataformas Tecnológicas do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e da Fiocruz Rondônia participam, em Manaus, do curso de Levantamento de Custos e Precificação: Projeto de Sustentabilidade da Rede de Plataformas Tecnológicas, que está sendo oferecido pela Vice-Presidência de Produção e Inovação em Saúde (VPPIS), por meio do Núcleo Técnico de Suporte à Pesquisa (NUTP).

A atividade que iniciou ontem, e encerra hoje, 26/3, tem como objetivo capacitar a equipe da Fiocruz no tema de precificação de serviços técnicos, para apoiar no levantamento de custos e preços desses serviços para clientes internos e externos. O curso está sendo ministrado pelo professor Daniel Elói Santos, da Pris Inovação que Simplifica.

‘Com curso esperamos que os pesquisadores e equipes da Fiocruz tenham consciência da estrutura de custo das plataformas, tentando entender o que eles têm internamente, para oferecer mais para o mercado, como soluções em equipamentos e expertises que possam ser interessantes para outras instituições de pesquisa e empresas”, explicou Daniel Elói.

Para a tecnologista em saúde pública da Fiocruz Amazônia, Michele Silva de Jesus, o curso está sendo uma nova experiência, que aborda a realidade sob um aspecto diferente. “Estamos começando a ver a precificação das atividades que realizamos nas plataformas, e são várias as soluções que oferecemos para a área de pesquisa. Antes, não tínhamos noção dos custos de nossas atividades, e o curso vem nos mostrar o quanto gastamos com insumos, recursos humanos, tempo, luz e equipamento. É um novo olhar para nossas atividades”, comentou.

A Fiocruz Amazônia possui cinco plataformas tecnológicas, a saber: Bioensaios Biotecnológicos (RPT11H), Bioprospecção (RPT10C), Citometria de Fluxo (RPT08J), Sequenciamento AM – Genômica (RPT01H), e  PCR em Tempo Real (RPT09G), que prestam serviços para pesquisadores, tecnologistas, técnicos, estudantes de graduação e pós-graduação, bolsistas de iniciação científica e pesquisadores colaboradores.

ILMD/FIOCRUZ Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

Orgânicos e PANCs foram assuntos na Fiocruz Amazônia

Você já ouviu falar em “mato de comer” ou em Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs)?

A Feira de Produtos Orgânicos, evento promovido pelo Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia,  por meio do Laboratório Território, Ambiente, Saúde e Sustentabilidade (Tass) e da Asfoc-AM, recebeu na última edição, ocorrida no dia 14/3, um reforço na sensibilização para uma alimentação saudável, a palestra “Momento PANC”.

Organizada pela Coordenação da Regional Norte da Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (Obsma) e ministrada pela chef de cozinha Thábita Cunha, a palestra abordou os seguintes assuntos: O que é PANC? Por que consumir PANC?  A importância da escolha do alimento; PANC é cultura; Consumo de PANC na feira; e Apresentação das espécies da mesa PANC.

Participaram do encontro trabalhadores da Fiocruz Amazônia e produtores rurais que comercializam na Feira de Orgânicos.

A maioria do público, pouco ou quase nada sabia sobre PANCs, mesmo os produtores rurais disseram ter pouca informação de como se pode consumir algumas plantas.

Thábita Cunha disse sentir-se feliz quando usam a expressão “mato de comer”, pois remete a uma alimentação saudável, acessível e cuja produção não afeta o meio ambiente, principalmente em se tratando de plantas nativas. No entanto, ela alerta para que se tenha cautela no preparo desses alimentos e aconselha os interessados no consumo de PANCs a buscarem informações sobre o produto que desejam consumir, e evitar plantas que possam apresentar toxidade.

Acompanhe algumas receitas oferecidas pela  chef:

A Feira de Produtos Orgânicos da Fiocruz Amazônia acontece uma vez por mês e visa sensibilizar trabalhadores da Fiocruz Amazônia e comunidade do entorno para a importância da adoção de uma dieta livre de agrotóxicos. Os produtos orgânicos são considerados limpos, saudáveis e respeitam o meio ambiente, além de contribuírem para a preservação dos recursos naturais.

A próxima edição da feira será no dia 11 de abril.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes