Todos os artigos de Assessoria de Comunicação

Inpa abre inscrições para o Programa Institucional de Iniciação Científica

A quantidade de bolsas não está definida, por depender da liberação das agências de fomento (CNPq e Fapeam)

 

Por Wérica Lima- Inpa

Banner: Lailla Pontes

 

Estão abertas a partir desta segunda (18) as inscrições para o Programa Institucional de Iniciação Científica (2019-2020) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), em parceria com Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). As inscrições seguem até 18 de abril e devem ser feitas pelo pesquisador orientador exclusivamente pela internet, por meio do Sistema Eletrônico de Informação (SEI) https://sei.mctic.gov.br.

 

Podem participar do programa estudantes regularmente matriculados em Instituições de Ensino Superior (IES) da cidade de Manaus, públicas e privadas, de cursos compatíveis com as áreas de abrangência informada no edital.

 

O objetivo do programa é proporcionar aos estudantes, por meio do contato direto com os problemas da pesquisa, a aprendizagem de técnicas e métodos científicos, estimulando o desenvolvimento do pensar crítico e da criatividade para a formação de pessoas qualificadas para um futuro ingresso nos programas de pós-graduação.

 

A quantidade de bolsas não está definida, por depender da liberação das agências de fomento (CNPq e Fapeam). Em 2018, foram 176 bolsas. Para saber os documentos necessários, basta acessar o edital disponível na página do Inpa http://portal.inpa.gov.br, aba Capacitação- Oportunidades e bolsas- PIBIC e também no SEI.

 

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (92) 3643-3147/ 3145/ 3367 e e-mail inscricao.inpa@inpa.gov.br

Maior soltura de peixes-bois da Amazônia será neste fim de semana na reserva Piagaçu-Purus

A soltura de peixes-bois é a última etapa dentro do Programa de Reintrodução de Peixes-bois do Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia, que é patrocinado pela Petrobras e devolve animais resgatados e reabilitados aos rios da Amazônia 

 

Por Fernanda Farias – Ascom Ampa

Fotos: Luceite Pedrosa - Acervo Inpa

 

Doze peixes-bois da Amazônia serão reintroduzidos neste fim de semana na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus, próximo ao Município de Beruri e 173 km de Manaus. Esta será a maior soltura de peixes-bois da Amazônia já realizada na história. A ação, que inicia nesta sexta-feira e encerra na próxima segunda-feira (25), é realizada pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), em parceria com o Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia e o Museu na Floresta.

 

O Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia é patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, e executado pela Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa) em parceria com o Projeto Museu na Floresta, uma cooperação com a Universidade de Quioto (Japão).

 

Os animais que serão devolvidos à natureza foram vítimas de caça ilegal ou captura acidental, explica o responsável pelo Programa de Reintrodução de Peixes-bois, biólogo Diogo de Souza. “Os peixes-bois filhotes resgatados são reabilitados no Inpa em tanques de fibra. Geralmente, eles perdem a mãe para a caça ou são pegos em redes de pesca”, diz Souza, que é mestre em Biologia de Água Doce e Pesca Interior pelo Inpa.

 

 

PeixeBoi12FotoLucietePedrosa

 

 

A coordenadora do Projeto, a pesquisadora do Inpa Vera da Silva, alerta que o peixe-boi da Amazônia (Trichechus inunguis) é uma espécie ameaçada de extinção e por isso o Programa de Reintrodução é essencial para a conservação da espécie. “Eles são animais dóceis e com movimentos lentos, por isso acabam sendo alvos para a caça. E para restabelecer a população dessa espécie, que é muito importante para o equilíbrio dos ecossistemas aquáticos, a Ampa e o Inpa realizam o Programa de Reintrodução de Peixes-Bois há dez anos”, explica a pesquisadora que é doutora pela Universidade de Cambridge.

 

O Inpa já reintroduziu aos rios da Amazônia 23 peixes-bois. Desde 2016, eles são soltos na RDS Piagaçu-Purus, baixo rio Purus, onde as comunidades dessa unidade de conservação do estado do Amazonas são parceiras do Programa. A última soltura aconteceu em abril de 2018, quando foram reintroduzidos dez animais, cinco machos e cinco fêmeas. 

 

“Nossa ideia é levar de maneira recorde doze animais de uma só vez. O sucesso das solturas passadas com os animais se readaptando muito bem à natureza, nos permitiu acelerar o processo”, ressalta o responsável pelo programa de Reintrodução.

 

Readaptação à natureza

 

Após a reabilitação, os animais passam pela etapa de semicativeiro em uma Fazenda de piscicultura em Manacapuru durante um ano, antes de serem selecionados para serem soltos na natureza. Já na área de soltura, a várzea da Reserva Piagaçu-Purus, os animais estão aptos para se alimentar sozinhos, explica Souza.

 

 

ReintroducaoPeixeBOIAbri2017FotoLucietePedrosaINPA 

 

 

“Eles comem por dia o equivalente a cerca de 10% do seu peso e no cativeiro, em Manaus, são alimentados prioritariamente com vegetais cultivados e capim membeca. Na Reserva, estes animais terão uma diversidade na dieta de mais de 60 espécies de plantas aquáticas”, comenta.

 

Os animais selecionados têm idade entre três e 16 anos, pesam cerca de 120 quilos e medem em média 2 metros de comprimento. Os resultados clínicos foram satisfatórios e selecionados os doze animais mais aptos para a soltura (sete fêmeas e cinco machos). Os machos são o Terra Nova, Otinga, Piraporã, Manicoré e #183 (ainda sem nome); e as fêmeas Ayara, Poraquequara, Janã, Jaci, Maná, Anibá e Urucará.

 

Conforme Souza, os animais estão em boas condições de saúde, com peso e tamanho adequados. “Dos 12 animais, cinco receberão os cintos transmissores para monitoramento pós-soltura”, destaca o biólogo ao acrescentar que os outros sete serão soltos diretamente na natureza e não serão monitorados em razão de 100% de sucesso na adaptação dos outros indivíduos que já foram reintroduzidos. 

 

A operação

 

A equipe sairá da sede do Inpa, em Manaus, na madrugada da sexta-feira (22) e deverá chegar ao amanhecer no lago do semicativeiro, em Manacapuru. Lá, os doze peixes-bois selecionados deverão ser recapturados e retirados do lago um a um e transportados de caminhão até o barco, numa distância de 500 metros. 

 

O barco, ancorado as margens do rio Solimões, estará equipado com três piscinas de fibra para acondicionar os animais durante a viagem, que deverá durar 15 horas até a Reserva Piagaçu-Purus, localizada entre os interflúvios Purus-Madeira e Purus-Juruá.

 

Durante a viagem, os animais serão monitorados em tempo integral pela equipe do Laboratório de Mamíferos Aquáticos (LMA/Inpa), para avaliar o comportamento dos animais, verificar a frequência respiratória e troca de água das piscinas.

 

A chegada dos peixes-bois na Reserva está prevista para a manhã sábado (23), quando haverá uma atividade de educação ambiental com os moradores das comunidades da reserva para conscientizar sobre a importância da preservação do peixe-boi.  À tarde do mesmo dia, a expedição segue para o local de soltura, um lago de várzea na RDS Piagaçu-Purus.

 

 

Serão soltos na natureza oito animais no primeiro dia, e outros quatro no segundo dia, e iniciado o monitoramento por radiotelemetria. Após o encerramento das atividades, previsto para a tarde do dia 24 de março (domingo), a equipe retorna para a capital devendo chegar na manhã seguinte (25).

 

Projeto ATTO está com seleção aberta para um candidato

AttoFotoATTOINPA

A vaga (biólogo, micologista ou ecologista) é para trabalhar com comunidades criptogâmicas e seu papel no ciclo de bioaerossóis e gases traço na floresta Amazônica

 

Da Redação – LBA

 

O projeto Amazon Tall Tower Observatory (ATTO) está oferecendo uma vaga para biólogo / micologista / ecologista com mestrado ou doutorado. Com instalações exclusivas, centradas em torno da torre de 325 metros e duas torres de 80 metros a cerca de 150 km a nordeste de Manaus, o projeto ATTO fornece uma plataforma sem precedentes para estudar o papel da floresta tropical nos processos do sistema terrestre e clima.

 

A vaga é para trabalhar com comunidades criptogâmicas e seu papel no ciclo de bioaerossóis e gases traço na floresta Amazônica. Conhecimento sobre fungos tropicais ou comunidades criptogâmicas seria vantajoso. O/A cientista deverá residir desejavelmente em Manaus e ter disponibilidade para trabalho de campo, onde interagirá com grupos nacionais e internacionais envolvidos no projeto. Mais informações podem ser obtidas clicando aqui.

 

https://www.attoproject.org/

Missa em Ação de Graças e café da manhã marcam Dia Internacional da Mulher no Inpa

A atividade foi promovida pela Comissão de Eventos do Inpa, em parceria com a Comunidade Católica

 

Por Wérica Lima – Inpa

Foto: Cimone Barros

 

O Dia Internacional da Mulher no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) foi marcado pela celebração de uma Missa em Ação de Graças, um café da manhã e sorteio de brindes para servidoras e colaboradoras do Instituto. A atividade aconteceu nesta sexta-feira (08), no Auditório da Biblioteca.

 

A diretora do Inpa, Antonia Franco, parabenizou as mulheres que participam ativamente com garra, sabedoria e gratidão na construção de um Inpa melhor a cada dia, deixando uma mensagem motivadora de empoderamento. Franco é a primeira mulher a assumir o cargo de diretora titular do Inpa.

 

“Mulheres, ocupem e conquistem o seu espaço com competência, honestidade, dedicação, empenho e comprometimento”, disse Franco, que precisou sair mais cedo do evento por conta de uma agenda institucional no Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs).

 

Na celebração, o padre Martim Laumann deixou uma mensagem de direitos iguais entre homens e mulheres e ressaltou a importância da mulher na sociedade. “Devemos lutar por direitos iguais na sociedade machista”, destacou o padre.

 

Para a assistente administrativa da Fipecq Vida/Inpa, Eliana Silva, a mulher na sociedade moderna vem conquistando o seu lugar com cargos importantes, além de exercer em muitos casos o papel de pai/mãe. “A comemoração desse dia é uma valorização da mulher dentro do corpo social”, disse Silva, mãe de uma criança de dois anos.

 

A coordenadora de Ações Estratégicas e diretora substituta do Inpa, Hillandia Brandão, destacou a importância do reconhecimento da “dupla jornada” que a mulher exerce nos mais variados papeis.

 

“Precisamos reconhecer de todas as formas o desempenho das mulheres que se doam para suas vidas profissionais e familiares, a fim de que tenhamos não somente um dia para comemorar, mas vários outros neste momento que vemos tanta questão em relação ao feminicídio”, disse Brandão.

 

De acordo com a Coordenação de Gestão de Pessoas (Cogpe), o Instituto conta com 564 servidores, sendo 205 mulheres, equivalente a 36,3% que ocupam as mais diversas áreas. Das mulheres, 67 são pesquisadoras (32,6%); 19 tecnologistas (9,2%); 13 analistas (6,3%); 29 assistentes (14,1%); 75 técnicas (36,5%) e 2 servidoras requisitadas (0,9%).

Diretora Antonia Franco é palestrante da Aula Magna da Pós-Graduação do Inpa

Em 2019, entraram 117 alunos nos cursos de mestrado de nove Programas de Pós-Graduação da unidade de pesquisa

 

Por Victor Mamede – Inpa

Banner: Lailla Pontes

 

Na próxima segunda-feira (11), o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) realiza a Aula Magna dos Programas de Pós-Graduação da instituição. A aula inaugural será proferida pela diretora do Inpa, a pesquisadora Antonia Franco, bióloga com doutorado em biologia celular e molecular.

 

O tema da palestra será “O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia: Uma Instituição Fundamental ao Desenvolvimento e Transformação da Amazônia”.

 

Promovida pela Coordenação de Pós-Graduação (Copog/Cocap), a aula será realizada, às 16h, no Auditório da Ciência, que fica dentro do Bosque da Ciência do Inpa, com entrada pela rua Bem-te-vi, s/nº, Petrópolis, zona Sul de Manaus.

 

Atualmente o Inpa conta com 604 estudantes em nove programas de Pós-Graduação, sendo 372 de mestrado e 232 de doutorado. Desse total, 117 alunos entraram este ano para cursar mestrado e aproximadamente 15 para doutorado. De acordo com a Copog, o Inpa já titulou 2.780 profissionais desde 1973.

 

Em 2019, o programa de mestrado que mais recebeu alunos foi o de Mestrado Profissional em Gestão de Áreas Protegidas na Amazônia (PPG-MPGAP) com 20 alunos matriculados, seguido por Ciências de Florestas Tropicais (PPG-CFT) e Ecologia (PPG-ECO), ambos empatados com 19 estudantes.

 

Já a Entomologia (PPG-ENT) tem 14 calouros, Botânica (PPG-BOT) 13 estudantes, Biologia de Água Doce e Pesca Interior (PPG-Badpi) 10 e Agricultura no Tropico Úmido (PPG-ATU) oito novos alunos matriculados. Os programas de Clima e Ambiente (PPG-Cliamb/Inpa/UEA) e Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (GCBEV) estão com mais sete alunos.

Coordenações do Inpa apresentam à nova gestão ações e resultados obtidos

ApresentacaoCoordenacoesInpa

 

A abertura do encontro será feita pela diretora Antonia Franco, que fará uma apresentação para a Comunidade, no Auditório da Ciência

 

Por Cimone Barros - Inpa

Banner: Lailla Pontes

 

De terça a sexta-feira (12 a 15) da próxima semana, a Direção do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) fará um encontro setorial com cinco coordenações gerais para que cada uma mostre o andamento das atividades e resultados. A abertura será na terça, às 8h30, no Auditório da Ciência, com uma apresentação da diretoria Antonia Franco para a comunidade, seguida da Coordenação de Ações Estratégicas (COAES).

 

As demais apresentações das coordenações e suas unidades vinculadas ocorrerão no Auditório da Diretoria e serão internas. Conforme o cronograma, a Coordenação de Capacitação (Cocap) será na terça à tarde, a Coordenação de Pesquisas (Copes) na quarta e na quinta-feira, a Coordenação de Administração (Coadi) será na sexta-feira pela manhã e a Coordenação de Extensão (Coext) na sexta-feira à tarde.

 

“Estamos trabalhando e visando mudanças futuras. Como atual gestora, estou tomando conhecimento com maior detalhamento sobre a estrutura e organização do Inpa. Essas apresentações possibilitarão que os coordenadores gerais possam mostrar o que cada um está fazendo internamente, suas dificuldades e o que pode ser melhorado”, disse a diretora. “Aliado a isso, achei muito oportuno eu me apresentar como a nova gestora, de forma sucinta, à nossa comunidade interna”, ressaltou Franco, que há 19 anos é pesquisadora do Inpa.

 

Desde que assumiu no início de dezembro, Franco faz reuniões internas e visitas de cortesias a outras instituições para conhecer profundamente a situação do Inpa e ampliar as relações institucionais do Instituto, respectivamente. Franco adiantou que mudanças estão em curso e que está trabalhando para viabilizar no segundo semestre deste ano o planejamento estratégico do Inpa, incluindo discussão do organograma e consequente alteração no Regimento Interno.

Coleção de Peixes e ictiólogos do Inpa lamentam profundamente a morte de Javier Maldonado

O professor colombiano morreu no último sábado quando participava de uma expedição de coleta de peixes na bacia do rio Uaupés

 

Da Redação – Inpa

Banner: Universidad Javeriana

 

A Coleção de Peixes do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (COBio/Inpa/MCTIC) e ictiólogos do Instituto lamentam profundamente a morte do ictiólogo colombiano Javier Maldonado Ocampo, 42, professor da Pontificia Universidad Javeriana em Bogotá, na Colômbia. A voadeira em que Javier estava virou no último sábado (2), quando ele participava de uma expedição de coleta de peixes na bacia do rio Uaupés, próximo a Iauareté, fronteira com o Brasil.

 

Além de Maldonado, outras quatro pessoas estavam na voadeira. Apesar de machucados, todos se salvaram, exceto Maldonado, que foi visto nadando por um tempo e depois desapareceu. O corpo do icitiólogo foi encontrado na terça (5) pelas equipes de buscas colombianas e reconhecido pelo irmão. Houve colaboração do Exército brasileiro na busca.

 

JavierMaldonadoFotoUniversidaJaveriana2

 

De acordo com a curadora da Coleção de Peixes, a ictióloga Lucia Rapp Py-Daniel, Javier fez o doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro, sobre filogenia de peixes elétricos, com o Dr. Paulo Buckup como orientador. No Inpa, Maldonado colaborou com o Dr. José Gomes e trabalhou um tempo na Coleção de Peixes.

 

“Grande perda para a Ictiologia Neotropical. O Javier era muito ativo academicamente e tinha grande interesse na popularização da ciência no seu país. Nos últimos anos ele estava montando o maior banco de dados sobre peixes da Colômbia”, conta a pesquisadora do Inpa.

 

SegundoPy-Daniel, a sociedade ictiológica brasileira ficou bastante consternada, já que ele era um excelente colaborador e parceiro em pesquisas de peixes de água doce. Maldonado tinha 20 anos de experiência de campo e acadêmica e nos últimos anos dedicou-se em colaboração com profissionais de países da América Latina e da Europa no projeto Amazon Fish.

 

Ainda de acordo com Py-Daniel, a situação pela qual o Javier passou com seus alunos e piloteiros (2 indígenas) é uma situação comum às pessoas que trabalham em rios com corredeiras na Amazônia. Nem sempre se consegue um piloteiro experiente; nem sempre se usam coletes salva-vidas. E mesmo com essas precauções, ainda é um risco que se corre. Este infeliz acidente deveria servir de alerta para pesquisadores e estudantes que passam tanto tempo em trabalhos de campo nos nossos rios”, alertou.

Inpa apoia grande banquete em prol do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional

BanquetacoFotoCimoneBarrosINPA7

 

A atividade fará apresentação da alimentação saudável e adequada, com a oferta de preparações, como de torta de jaca verde, que serão servidas gratuitamente à população no Largo São Sebastião

 

Por Cimone Barros e Victor Mamede – Inpa

Fotos: Cimone Barros e Lailla Pontes

 

Nesta sexta-feira (27), acontecerá em cerca de 30 cidades brasileiras um movimento intitulado “Banquetaço” em prol da reinstalação do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea-Nacional), como instrumento de defesa ao direito à alimentação saudável e adequada. Em Manaus, a ação recheada de “comida de verdade” é coordenada por várias organizações, incluindo o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), e será realizada das 17h30 às 20h30, no Largo São Sebastião, no Centro de Manaus-AM.

 

A atividade ocorrerá na véspera da votação pelo Congresso Nacional da Medida Provisória nº 870/2019, que extinguiu o Conselho. Em todo o Brasil, o “Banquetaço” servirá mais de 15 mil refeições preparadas principalmente com produtos da agricultura familiar e agroecológicas.

 

Em Manaus, são esperadas de 600 a 1000 pessoas. Além da apresentação da alimentação saudável e adequada, haverá Roda de Conversa, atividades culturais e música regional.

 

Preparações

 

BanquetacoFotoCimoneBarrosINPA1

 

Entre as preparações feitas no Laboratório de Alimentos e Nutrição (Lan/Inpa) estão torta de jaca verde, ceviche pirarucu, pirarucu ao molho de tucupi, picles de pepino e quiabo, patê de pupunha, bolos de banana e de cenoura, brigadeiro de biomassa de banana verde, pão de espinafre amazônico (orelha de macaco), tortas de plantas alimentícias não convencionais (Panc) - cariru, espinafre amazônico, vinagreira, ora-pro-nóbis, semente abóbora.

 

Para beber, serão servidos sucos verdes a partir do limão galelo e do taiti, cariru, hortelã e couve, por exemplo, para quem levar o seu copo. A ideia é evitar a produção lixo e contribuir com a sustentabilidade. As preparações também seguem a mesma proposta, e serão servidas em folhas de bananeira e repolho, que utilizadas como se fossem pratinhos.

 

BanquetacoINPAFotoVictorMamedeINPA11

 

Papel do Consea

 

O Consea é um órgão que integra o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan). A sua principal função é o monitoramento e avaliação de políticas públicas de segurança alimentar e nutricional. Tem como visão promover o direito humano à alimentação adequada, em regime de colaboração com as demais instâncias do Sisan.

 

De acordo com a pesquisadora do Inpa, a nutricionista Dionísia Nagahama, o movimento visa dar visibilidade à importância do Consea, o qual vem exercendo papel importante no diálogo entre governo e sociedade civil, visando o planejamento, a execução e o monitoramento de programas e políticas públicas voltadas à segurança alimentar.

 

BanquetacoINPAFotoLaillaPontesINPA5

 

“É importante que permaneçam os debates sobre o direito à alimentação adequada e à segurança alimentar e nutricional, especialmente neste momento em que o país enfrenta um quadro epidemiológico desfavorável”, destacou Nagahama, que é representante do Inpa no Consea-AM, junto com a coordenadora de Tecnologia Social, a psicóloga Denise Gutierrez.

 

Ainda conforme a pesquisadora, esse quadro epidemiológico inclui a predominância da produção não sustentável de alimentos, do grande consumo de agrotóxicos, do aumento do consumo de ultraprocessados e do excesso de peso e prevalências alarmantes das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), que corresponde a cerca de 70% das causas de mortes, atingindo fortemente grupos vulneráveis.

 

Organização

 

BanquetacoFotoCimoneBarrosINPA6

 

No Amazonas, o “Banquetaço” é organizado pelo Consea-AM, Inpa, Slow Food, Rema, Sepror, ADS, Coletivo Caxxyri, CRN7, Raiz Artes e CSA Manaus.

Mestrado em Gestão de Áreas Protegidas divulga resultado final da seleção de candidatos

ResultadoFinalMPGAPINPA

 

Matrículas no mestrado profissionalizante do Inpa devem ser efetivadas de 11 a 22 de março

 

Da Redação – Inpa

 

O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Áreas Protegidas da Amazônia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) divulgou nesta terça-feira (19) o resultado final da seleção de candidatos com ingresso em 2019. Foram selecionados 18 candidatos.

 

As matrículas dos aprovados deverão ser efetuadas de 11 a 22 de março. As atividades do curso terão início em 22 de abril e a parte presencial obrigatória será ministrada até 28 de junho de 2019 em regime ininterrupto, incluindo excursões de campo.

 

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 92 3643-3119 ou pelo e-mail mpgap.am@inpa.gov.br (Secretaria do MPGAP).

 

Resultado Final

 

1 Simone Nogueira dos Santos 
2 Cristiano Neves de Oliveira 
3 Hevelise Dias Silva 
4 Caetano Lucas Borges Franco 
5 Daniel Rocha Cangussu Alves 
6 Carlos Renato Schneider 
7 Tarik Argentim 
8 Poliana Domingos Ferro 
9 Karen de Santis Campos 
10 Rene Luiz de Oliveira 
11 Gleidson Almeida Aranda 
12 Guilherme Azzolini Cavazzani  
13 Jéssica Maia Alves Pimenta 
14 Adriane da Silva Formigosa 
15 Leomar Indrusiak 
16 Mario Eugenio Rubbo Neto 
17 Joaquim Melo dos Santos Filho 
18 Luíza Machado 

Diretora Antonia Franco estreita interlocução com o titular da Seplancti

Visita INPA Seplancti Foto Cimone Barros 13

Visita de cortesia de Antonia Franco e Hillandia Brandão ao secretário Jório Veiga aconteceu na manhã desta sexta-feira

 

Por Cimone Barros (texto e fotos) - Inpa

 

Unir forças institucionais para desenvolver segmentos produtivos no Amazonas e melhorar a qualidade de vida do homem do interior. Essa foi a tônica da conversa da diretora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), Antonia Franco, com o titular da Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), Jório Veiga.

 

Com mais de 60 anos, o Inpa é uma instituição de excelência na Amazônia na construção do conhecimento sobre biodiversidade, mudanças climáticas e vem destacando-se na produção de tecnologias, a maioria produtos, que têm na sua base as pesquisas da Instituição e o desenvolvimento sustentável da região.

 

Para a diretora do Inpa, essa interlocução com a Seplancti e outras instituições é fundamental. “Temos um vasto conhecimento, mais de 70 tecnologias que podem ser transferidas e usadas para ajudar a desenvolver a região e melhorar a vida das nossas populações ribeirinhas, como é o caso do purificador de água (água box) e da criação de peixes em canais de igarapé”, destacou Antonia Franco.

 

De acordo com Veiga, o trabalho da Seplancti será pautado por seis eixos principais: turismo, bioeconomia, mineração, piscicultura, tecnologia da informação e o setor primário, sem se esquecer de “modernizar o Polo Industrial de Manaus (PIM)”. Atualmente, 82% da economia do Amazonas giram em torno do PIM, segundo Veiga, e mais de 90% da economia do Estado concentram-se em Manaus. “Isso a gente quer mudar”, adiantou o secretário.

 

Visita INPA Seplancti Foto Cimone Barros 11

 

“Estamos buscando unir forças, entender o que está disponível e como essas produções que foram feitas pelo Inpa podem ser levadas aos nossos irmãos do interior, nossos ribeirinhos que precisam tanto”, completou o secretário da Seplancti.

 

A diretora substituta do Inpa, Hillândia Brandão, também participou da visita de cortesia a Veiga, nesta sexta-feira (15), na sede do órgão estadual. Para ela, essa junção de parcerias do Inpa com instituições envolvidas com CT&I da Amazônia tem um potencial muito grande, e para o Inpa é uma possibilidade das tecnologias e patentes virarem produtos e soluções à disposição da população.

 

“Se eles têm demandas e nós as patentes isso pode convergir num projeto, apoiado pela Fapeam, que atenderá demandas da população amazônica”, disse Brandão.