Palestra sobre coronavírus reúne 150 pessoas na Fiocruz Amazônia

Aproximadamente 150 pessoas, entre profissionais de saúde, estudantes, pesquisadores e público em geral compareceram a palestra “COVID-19: situação atual e perspectivas”, na última sexta-feira, 6/3, promovida pelo Centro de Estudos do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

A palestra foi ministrada pelo médico Bernardino Claudio de Albuquerque, professor assistente da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), pesquisador adjunto da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), pesquisador visitante sênior e coordenador do curso de pós-graduação lato sensu em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde do ILMD/Fiocruz Amazônia, que acontece no município de Tefé (AM).

Para o pesquisador e Vice-Diretor de Pesquisa e Inovação da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca, a iniciativa de debater temas de interesse popular vai de encontro ao compromisso da Instituição. “A gente está mostrando o nosso trabalho. A população está preocupada, está vindo atrás dessa informação. Todo mundo está falando de coronavírus. É um papel nosso, é um compromisso nosso levar essa informação para a população”, destacou.

O debate abordou a situação epidemiológica no mundo e no Brasil, a produção do conhecimento e aspectos relacionados a prevenção e controle do novo coronavírus. Para responder alguns questionamentos do público, Bernardino falou ainda sobre algumas orientações do Ministério da Saúde para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus.

Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Loren Anselmo, professora de Epidemiologia, da Universidade Paulista (Unip) programou uma aula diferente, trazendo os alunos para conhecerem a instituição e participar da atividade. “A proposta era trazer os alunos para um Instituto de pesquisa e fazer com que eles ouvissem de uma pessoa muito experiente na área de controle epidemiológico, notícias reais e não aquelas que são muito veiculadas. Inclusive, foi enfatizado durante a palestra de hoje, o combate às fake news, informações exageradas. Trazer os alunos para uma conversa real sobre a epidemiologia que tanto se altera, muitas vezes da noite para o dia, foi muito relevante. Eles ficaram muito felizes em participar, principalmente com a apresentação do brilhante Dr. Bernardino, que tanto contribuiu”, relatou.

Em entrevista, Priscila Aquino, pesquisadora e coordenadora do Centro de Estudos avaliou a atividade de forma muito positiva. “Foi algo realmente super relevante para a Instituição e para o Centro de Estudos. Isso nos deixa muito felizes, enquanto coordenação, até mesmo para pensar nas próximas edições, pois a gente está conseguindo chegar em público maior e divulgar um pouco mais temas de relevância para a saúde, para a população em geral, para que a comunidade tenha acesso a essas e outras informações”, pontuou.

SOBRE O PALESTRANTE

Bernardino é graduado em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas, especialista em Medicina do Trabalho pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e em Auditoria em Serviços de Saúde e Mestre em Medicina (Doenças Infecciosas e Parasitárias) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Atualmente, é professor assistente IIV na Ufam, Pesquisador Adjunto da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e Coordenador do curso de pós-graduação lato sensu em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde, que acontece no município de Tefé.

Possui experiência na área de Medicina, com ênfase em Doenças Infecciosas e Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: Doenças Endêmicas da Amazônia, Controle e Epidemiologia.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos são gratuitos e ocorrem às sextas-feiras. As atividades são destinadas a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes
Imagem: Mackesy Nascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *