Tecnologias Sociais do Inpa são apresentadas na 68ª Conferência da Sociedade Civil da ONU

A conferência permite o compartilhamento de projetos e experiências de agências de pesquisa, como forma de apresentar os desafios de sustentabilidade na região Amazônica do Brasil

 

Da Redação – Inpa e Ivy Koek (SGI)

Fotos: Acervo Denise Gutierrez

 

Tecnologias voltadas para promover o desenvolvimento inclusivo e sustentável na Amazônia foram apresentadas pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia na 68ª Conferência da Sociedade Civil da Organização das Nações Unidas (ONU). A missão internacional ficou a cargo da coordenadora de Tecnologia Social do Inpa, Denise Gutierrez, a convite da organização Soka Gakkai International (SGI).

Na oportunidade, Gutierrez participou do Workshop “Relatório da Linha de Frente da Amazônia - Desafios e Parcerias para a Sustentabilidade em Manaus, Amazonas, Brasil”, no qual foram mostrados cases de desafios e sucessos em Manaus, além de maneiras de desenvolver tecnologias sociais que atendem a população local e ajudem a conservar a floresta amazônica.

 

INPAnaONUFotoAcervoDeniseGutierrez site

 

 

Na oportunidade foram apresentados três exemplos concretos de tecnologia social desenvolvidos em conjunto com a população local. Um é o aplicativo Giulia Mão que Falam, que permite o acesso de pessoas com deficiência auditiva a informações dos atrativos de visitação do Bosque da Ciência sem necessidade de intérpretes, outro aplicativo é o Marai - Instrumento para diagnóstico de águas superficiais – que possibilita que as pessoas avaliem a qualidade da água. A terceira tecnologia é uma ferramenta – a Palmhaste - que permite que indivíduos envolvidos na colheita de frutos de palmeiras o façam com segurança e mais produtividade, sem precisar subir nas árvores e correr o risco de acidentes graves.

“Todas essas possibilidades foram criadas com as comunidades, ouvindo suas demandas e necessidades, o que veem, o que querem, caso contrário nada funcionará. Todos nós sabemos disso”, disse Gutierrez, enfatizando a importância de promover e apoiar a liderança da juventude.

O workshop foi coorganizado por diversos parceiros: movimento budista Soka Gakkai International (SGI), Inpa, Centro de Estudos e Pesquisas Ambientais da Amazônia (Cepeam) e a Vara Especializada do Meio Ambiente e Questões Agrárias do Amazonas (Vemaqa/TJA-AM). O evento aconteceu de 26 a 28 de agosto, em Salt Lake City, cidade mais populosa do estado norte americano de Utah, e discutiu sobre como construir cidades e comunidades inclusivas e sustentáveis.

Visita

O convite para Gutierrez participar da conferência foi feita a partir de uma visita do reitor e fundador da Universidade Soka ao Inpa, Yoshihisa Baba, filósofo, escritor, poeta laureado, fotógrafo e líder da Organização Soka Gakkai International (SGI). Na ocasião estiveram presentes na comitiva da Universidade Soka do Japão (SUJ), diretoria da Brasil Soka Gakkai Internacional (BSGI), repórteres do jornal Seikyo Shimbun e do Brasil Seikyo.

Durante a visita, Gutierrez apresentou o Inpa e as tecnologias desenvolvidas a partir das pesquisas. Houve troca de ideias sobre possíveis parcerias como de intercâmbio na Amazônia. Para conhecer de perto o trabalho realizado no Instituto, Yoshihisa fez ainda um passeio guiado no Bosque da Ciência, um fragmento florestal anexo ao Instituto onde são desenvolvidos ações e projetos de educação ambiental e popularização da ciência, além de ser um destino turístico de Manaus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *