Projeto QualificaSUS da Fiocruz Amazônia inicia especialização em Saúde em Tabatinga (AM)

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) iniciou no dia 19/8, o primeiro curso realizado pelo Projeto QualificaSUS. Trata-se da pós-graduação Lato Sensu em Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde voltado para profissionais de nível superior que atuam na tríplice fronteira Brasil – Colômbia – Peru, região do Alto Solimões.

Esta é a segunda turma do curso de especialização em Tabatinga. A nova turma inicia com 53 alunos dos três países, sendo 22 brasileiros e 31 estrangeiros. O curso acontece nas dependências do Instituto Federal do Amazonas (Ifam).

São parceiros do ILMD/Fiocruz Amazônia nesta atividade a Assessoria de Assuntos Internacionais de Saúde do Ministério da Saúde (Aisa-MS), Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Organização Panamericana de Saúde (Opas), o Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Amazonas  (Cosems-AM) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

‘Nosso sentimento é de agradecimento a todas as instituições que contribuem para criar condições para que a gente tenha melhorias na saúde no Amazonas. Este curso inaugura uma série de outros cursos que estão sendo viabilizados por meio do Projeto QualificaSUS, da Fiocruz Amazônia, uma ação que permitirá a realização de cursos em todos os 62 municípios, entre cursos de atualização, especialização e mestrado, este, a acontecer em Manaus. O curso de Vigilância em Saúde na Rede de Atenção Primária à Saúde une profissionais de saúde que atuam nessa região de fronteira para capacitá-los a agir e pensar na resolução dos problemas de saúde enfrentados nessa região, portanto, sejam todos bem-vindos”, disse Sérgio Luz, diretor do ILMD/Fiocruz Amazônia durante a abertura do curso.

Para Rawlinson Dias Rodrigues, chefe da Divisão de Cooperação Internacional da AISA-MS, “o sistema nacional de saúde na região de fronteira não pode pensar única e exclusivamente pelo nosso lado, haja vista que a doença não tem fronteira, então, realizar pela segunda vez um curso nessa região é uma importante iniciativa para que os sistemas de saúde dos países possam dar o passo subsequente que é o de melhoria da saúde nessa área. Fico muito feliz porque é a Fiocruz que está fazendo isso aqui, uma instituição que tem essa capacidade de desenvolver esse tipo de atividade em caráter regional”.

Participaram da mesa de abertura do curso, o presidente do Cosems-AM, Januário Carneiro da Cunha Neto, o secretário municipal de saúde de Tabatinga, Marlen Riglison Silva Ferreira, o secretário de saúde Departamental do Amazonas da Colômbia, Jose Hernan Espejo, os representantes do Hospital de Guarnição de Tabatinga, Major Marcelo dos Santos Storch, do Ifam-Campus Tabatinga, Geasi Pavão Soares, a diretora vice-diretora de Ensino Comunicação e Informação do ILMD/Fiocruz Amazônia, Claudia Ríos Velasquez e a coordenadora do curso, Maria Luiza Garnelo, além de Rawlinson Dias Rodrigues e Sérgio Luz.

 

NOVA TURMA

Alunos egressos do curso prestigiaram o evento e aproveitaram para encorajar a nova turma a seguir em frente, pois o curso lhes proporcionou conhecimentos que são aplicados no dia a dia de trabalho, além da integração entre os profissionais de saúde dos países da tríplice fronteira.

Para o médico peruano Róger Reátegui Gomes, que atua na atenção primaria à saúde em Loreto-Peru, a expectativa com o curso é adquirir novos conhecimentos com os profissionais de saúde da Colômbia e do Brasil. “A parte da atenção primária à saúde, a preventiva e de gestão nos interessam bastante para fortalecer a capacidade que temos que ter todos os médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde”, disse o novo aluno.

Sonia Valencia Rodrígues, bacterióloga, laboratorista clínica e epidemióloga da Colômbia, destacou que pretende adquirir muitos conhecimentos sobre atenção primária à saúde. “Todos que viemos da Colômbia trabalhamos com saúde pública e queremos fortalecer nossos conhecimentos e alcançar novos para aplicá-los em nossas atividades diárias”, comentou.

Da mesma forma, a enfermeira brasileira, Cristiane Ferreira da Silva, que atua há 14 anos na saúde indígena no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Alto Rio Solimões (AM), disse que participar deste curso lhe proporciona muita alegria, pois não conseguiu inscrever-se na primeira turma, e agora quer aproveitar muito a nova oportunidade. “Pra gente que atua na saúde indígena o curso é muito importante. Espero atualizar meus conhecimentos e compartilhar experiências com colegas que atuam nos outros países”.

O curso terá duração de um ano e será realizado presencialmente, com módulos a acontecerem uma vez ao mês.

SOBRE O QUALIFICASUS

O Projeto QualificaSUS  é uma iniciativa do ILMD/Fiocruz Amazônia  que tem como objetivo qualificar o corpo de trabalhadores no nível da gestão e do serviço das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Amazonas e órgãos parceiros, a fim de proporcionar um serviço de melhor qualidade e efetividade aos usuários do SUS.

São cursos de atualização, especialização e mestrado que adotarão modelo pedagógico pautado na integração ensino-serviço, na problematização da realidade local, na valorização do conhecimento e experiência do aluno trabalhador, entendido como sujeito das práticas de gestão e sanitárias desenvolvidas nas unidades de saúde.

Os cursos serão ofertados em todos os 61 municípios, além da capital Manaus. A iniciativa conta com apoio da bancada parlamentar do Amazonas e com parceria do Cosems-AM.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Marlúcia Seixas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *