Fiocruz Amazônia promove curso de atualização em boas práticas laboratoriais

Entre os dias 5 e 9 de agosto, o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) promoveu o Curso de Atualização em Boas Práticas Laboratoriais: Diagnóstico de Agentes Infecciosos de Importância para Saúde.

Segundo Luciete Almeida, uma das coordenadoras do curso, esta edição apresentou uma procura maior por parte do público que as anteriores, o que possibilitará a abertura de um número maior de turmas para as próximas edições. “Nesta edição, tivemos um número de inscritos maior que o esperado. A turma é muito boa, eles apresentaram um avanço muito rápido, estamos muito satisfeitos. Nossa expectativa é de que em 2020 possamos abrir duas turmas, para nível médio e superior”.

O curso teve o objetivo de capacitar profissionais de nível médio a utilizarem técnicas laboratoriais de modo seguro, a fazerem interpretação dos diferentes métodos de diagnósticos de microrganismos e parasitos, normas da qualidade e de biossegurança; atualizar os profissionais quanto às técnicas de esterilização, pipetagem; preparação de meios de cultura, soluções e lâminas; e aprimorar técnicas de identificação de microrganismos e parasitos de importância para saúde.

As aulas foram ministradas pelos professores: Carmen Baur Vieira, Ani Beatriz Jackisch, Lisiane Lappe dos Reis, Itapoã Abimael da Silva, Lirna Salvioni da Silva, Ormezinda Fernandes e Luciete Almeida Silva, Gleica Soyan, Josy Caldas, Marla Jarlene e Thayana Cruz.

Para Carmen Baur Vieira, professora da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro (RJ), os conteúdo abordados durante o curso, contemplam necessidades de que atua diretamente na área da saúde. “O objetivo da aula foi passar um pouco do conteúdo sobre virologia ambiental, que é uma área muito desconhecida ainda para estes profissionais que atuam na área da saúde, e possui relação direta com pacientes infectados, através do contato com os ambientes contaminados”, destacou.

Lisiane Lappe dos Reis, apontou a importância do curso para a troca de conhecimentos e técnicas, que muitas vezes são desconhecidas pelos profissionais.”Pude passar aos alunos, outras técnicas que a gente usa em parasitologia, que eu sei que não são usadas e poderiam”, explicou.

As atividade ocorreram em horário integral, na sede da Fiocruz em Manaus, à rua Teresina, 476, Adrianópolis. No total, foram oferecidas 20 vagas para tecnologistas e auxiliares de laboratórios de Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs), de universidades, secretarias e demais instituições que atuam na área da saúde, alunos de cursos técnicos e de graduação da área da saúde.

ILMD/Fiocruz Amazonia, por Eduardo Gomes
Foto: Eduardo Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *