Mais de 4 mil filhotes de quelônios são entregues à natureza durante soltura na RDS Igapó-Açu

Mais de 4 mil filhotes de quelônios foram entregues à natureza na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Igapó-Açu. O trabalho de monitoramento dos animais, que conta com apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), é realizado por moradores da reserva e contribui para a conservação das espécies.  A soltura de quelônios na RDS [...]



(Feed generated with FetchRSS)

Coronel Bonates pede ampliação de parcerias com governo federal para segurança pública do Amazonas

Ampliar a proteção das fronteiras do Amazonas foi um dos principais assuntos debatidos durante reunião do secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, com o secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Teophilo, nesta segunda-feira (18/02), em Brasília (DF). Além da questão das fronteiras, o Amazonas pediu do governo federal recursos para aquisição de [...]



(Feed generated with FetchRSS)

Governador Wilson Lima anuncia medidas para reduzir déficit na saúde do Amazonas

O governador Wilson Lima anunciou, na tarde desta segunda-feira (18/02), um pacote de medidas que serão adotadas para reduzir o déficit na área da saúde, com prioridade para pagamento de salários. Entre as ações está o uso de parte do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI) para sanar dívidas [...]



(Feed generated with FetchRSS)

Curso de mestrado que forma docentes-pesquisadores para a educação básica inicia nova turma

Nesta segunda-feira (18/02), o Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), realizou a abertura de mais uma turma do curso que trabalha com a diversidade de alunos e forma, em nível de mestrado, docentes-pesquisadores atuantes em projetos e ações que promovem a qualidade do ensino [...]



(Feed generated with FetchRSS)

Setrab oferta 38 vagas de emprego nesta terça-feira (19)

A Secretaria de Estado do Trabalho (Setrab) oferta 38 vagas de emprego nesta terça-feira (19/02). Entre as oportunidades, três são para primeiro emprego na área de vendas e seis para moldador de plástico por injeção, exigindo ensino médio completo.  Os interessados devem comparecer, na sede da Setrab, localizada na Galeria +, na avenida Djalma Batista, nº [...]



(Feed generated with FetchRSS)

Curso de mestrado que forma docentes-pesquisadores para a educação básica

Trabalhar com a diversidade de alunos e formar, em nível de mestrado, um profissional docente-pesquisador atuante em projetos e ações que promovam a qualidade do ensino e aprendizagem na educação básica, na formação inicial e continuada de professores. Com esse objetivo, o Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), realizou, na manhã desta segunda-feira (18/02), a abertura de mais uma turma.

Criado em 2006, o curso tem a finalidade de formar docentes pesquisadores, em nível de mestrado, tanto em termos teóricos quanto didáticos-metodológicos de pesquisa, para atuação no ensino e na produção de conhecimentos, dando ênfase às questões da Amazônia.

O curso conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), que oferece bolsas de estudos para os mestrandos. O fomento e a capacitação de Recursos Humanos para Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) no Amazonas é uma das linhas de ação da Fundação.

--Mauro Gomes da Costa - Vice Coord. do PPG em Ed. e Ens. da Amaz._-35

O curso tem turma com 23 alunos. Desse número, 21 são do Estado do Amazonas, um da Colômbia e outro de Moçambique

A edição 2019 do curso tem turma com 23 alunos. Desse número, 21 são do Estado do Amazonas, um da Colômbia e outro de Moçambique, os dois últimos ingressaram no curso por meio de acordo de cooperação internacional.

Desde o ano passado, o curso recebe estudantes com deficiência e contará, pela primeira vez, com a participação de um aluno surdo, que será acompanhado por uma tradutora e intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras), durante as aulas. Trata-se de um professor da universidade.

Com bolsa da Fapeam, a mestranda em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia da UEA, Carla Andrea Mendonça, ingressou em 2018. Graduada em História, Carla é professora da rede municipal de ensino e tem distonia, uma doença que causa contrações musculares involuntárias, movimentos repetitivos ou de torção.

“É um curso excelente que está indo além das minhas expectativas. Tem sido algo muito importante para minha formação, enquanto docente e como cidadã. O apoio da Fapeam, por meio da bolsa, é algo muito bom, porque o aluno precisa se deslocar, comprar material didático e até mesmo participar de eventos científicos. As bolsas são importantes, principalmente, para auxiliar as pessoas que vêm do interior do Estado para se dedicar, exclusivamente, ao estudo na capital” comentou.

Carla Andrea Mendonça - Bolsista Fapeam Mestrado_-24

Com bolsa da Fapeam, a mestranda em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia da UEA, Carla Andrea Mendonça, ingressou em 2018

Segundo o vice-coordenador, Mauro Gomes da Costa, a diversidade de alunos é importante por mostrar que as limitações, por exemplo, motora ou de audição não são barreiras para se progredir na escolaridade.

Costa explica que o curso é organizado em torno de duas linhas de pesquisa que envolvem o ensino de Ciências. A primeira abrange o currículo, cognição e formação de professores. Já a segunda envolve epistemologias, divulgação científica e espaços não-formais.

“A importância de formar pessoas nessa área é devido o Estado do Amazonas ter um déficit grande em relação ao quadro de professores com nível de mestrado. Nós que trabalhamos com cursos que funcionam no interior, precisamos nos deslocar de Manaus, muitas vezes, por conta da carência de profissionais com essa qualificação, especialmente, nos núcleos da UEA”, disse.

Atualmente, o curso está com nota 5 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

“O curso vem crescendo, estamos com a nota 5 da Capes. A nota máxima é 7. Estamos trabalhando, em primeiro lugar, para manter a nota, porque isso permite o fornecimento de bolsas, além de outros incentivos relacionados ao programa. Com o ingresso de alunos surdos, distônicos e alunos vindos de outros países, estamos dando um novo passo para aumentar a nossa nota para nível 6”, disse, lembrando que um dos requisitos para passar de nível na Capes é a cooperação internacional.

O curso tem ainda uma revista científica intitulada Areté, cuja vertente é voltada para ensino e aprendizagem, e conta com uma média de 12 artigos publicados, com tiragem semestral. E considerada pela Capes como Revista Qualis A2 (Área de Ensino). Além disso, anualmente é realizado o Simpósio de Ensino de Ciências na Amazônia (Secam), um evento que conta com a participação de alunos do curso e público externo.

A abertura do curso foi realizada na Escola Normal Superior da UEA, no bairro Chapada, zona Centro-Sul de Manaus. Na ocasião, foi apresentado o corpo docente, administrativo e explanação do regimento do programa para os estudantes.

Aula UEA - PPG em Ed. e Ens. da Amaz. 57

Por Esterffany Martins

Foto: Érico Xavier

O post Curso de mestrado que forma docentes-pesquisadores para a educação básica apareceu primeiro em FAPEAM.

Projeto que utiliza mosquitos para controle dos vírus da Dengue, Zika e Chikungunya será implantado em Fortaleza

Começa hoje, 18/2, na cidade de Fortaleza (CE), a segunda etapa para implantação de projeto de pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) que avalia a eficácia de alternativa para controle de mosquitos Aedes aegypti e A. albopictu, transmissores dos vírus da Dengue, Zika e Chikungunya.

O projeto verifica a capacidade de utilização dos mosquitos para disseminarem larvicida em seus próprios criadouros, isso por que a maioria dos criadouros está em lugares de difícil acesso, como calhas de telhados, terrenos baldios, casas abandonadas etc.

Para tanto, são utilizadas Estações Disseminadoras de Larvicida, que são  baldes plásticos, cobertos com pano preto impregnados de larvicida, e com uma certa quantidade de água para atrair os mosquitos. Ao pousarem na superfície da Estação, partículas do larvicida são aderidas às suas pernas e no corpo dos mosquitos, que acabam levando esse produto para outros criadouros e, com isso, conseguem matar larvas e pupas, inclusive em criadouros que  muitas vezes não podem ser localizados pela população e equipes de vigilância.

Clique aqui e saiba como funciona o projeto.

O projeto é amparado pelo Ministério da Saúde e conta com o apoio das secretarias de saúde estaduais e municipais. Em Fortaleza, as Estações Disseminadoras serão implantadas inicialmente nos bairros de São João do Tatuapé e Alvaro Weyne. O larvicida usado é o  pyriproxyfen, que não afeta a saúde humana e nem de animais domésticos.

Nesta segunda etapa, ocorrem nos dias 18 e 19/2 reuniões com a equipe técnica (campo, laboratório e apoio), equipe estratégica (titular da Secretaria Municipal de Saúde, coordenador de Vigilância em Saúde e Vigilância Epidemiológica, gerente e supervisor de Endemias), bolsistas do projeto e coordenadores logísticos dos bairros de intervenção.

SEMINÁRIO

Já nos dias 20 e 21/2 será realizado, também em Fortaleza, o II Seminário sobre Febre Chikungunya e outras Arboviroses no Nordeste, que tem como tema:  Compartilhar Experiências e Vencer Desafios. O evento acontecerá no auditório Deputado João Frederico Ferreira Gomes, da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, no horário de 8h às 17h.

Durante o evento o pesquisador responsável pelo projeto, Sérgio Luz, da Fiocruz Amazônia, participará do módulo  “Inovação Tecnológica e Pesquisas: dialogando com Saberes Interdisciplinares”, no qual falará sobre os resultados e experiências já alcançados.

A pesquisa iniciou em 2014 nas cidades de Manaus e em Manacapuru, no Amazonas, onde foram apresentados resultados promissores na eliminação de larvas dos mosquitos, mesmo em ambientes adversos. Agora, com o apoio do Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia, e do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Decit & Devit/MS), da Organização Pan-Americana da Saúde-Organização Mundial da Saúde (Opas-OMS), e com apoio de secretarias municipais e estaduais de Saúde, os ensaios ocorrem em diferentes regiões do Brasil, visando avaliar a eficácia da tática do uso das Estações Disseminadoras de Larvicida para o controle do Aedes aegypti A. albopictus, em diferentes paisagens geográficas e escalas.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia Seixas
Fotos: Eduardo Gomes

SEC abre inscrições para Concurso de Fantasias e Máscaras

O Concurso de Fantasias e Máscaras promovido pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC) chega com novidades em 2019. Acontecerá em um único dia (3 de março, Domingo Gordo de Carnaval), com desfiles das 15h às 21h, no Salão Solimões, anexo ao Centro Cultural Palácio Rio Negro. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas [...]



(Feed generated with FetchRSS)