Mês: Outubro 2017

Novo calendário de defesas do mestrado em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia

Divulgado novo calendário de defesas da turma de 2015 do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). Acesse aqui ao calendário de defesas do PPGVIDA. SOBRE O PPGVIDA O Programa visa capacitar profissionais para desenvolver modelos analíticos capazes […]

Mais de 60% dos veículos furtados e roubados no Amazonas são recapturados

Em 2016, dos 6.280 veículos roubados e furtados, 3.899 foram recapturados, o que representa 62% de bens reavidos. Os dados são do setor de estatística da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas. A maior parte dos roubos e furtos ocorreram nas zonas leste, norte e sul. A maioria dos furtos ocorrem durante a madrugada e […]

(RSS generated with FetchRss)

Aades realiza pregão presencial para fornecimento de refeições para o projeto Rede Mulher

Nesta segunda-feira (30/10), a Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (Aades) realizou a sessão de abertura do procedimento licitatório na modalidade pregão presencial, do tipo menor preço, que tem como objeto a contratação de empresa especializada para o fornecimento de alimentação preparada (desjejum e jantar) para fins de atendimento às necessidades do Projeto de […]

(RSS generated with FetchRss)

Equipe do 3º DIP prende casal por tráfico de drogas em Educandos

A equipe de investigação do 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando do delegado Marcelo Martins, titular da unidade policial, prendeu, em flagrante, na manhã do último sábado, dia 28, por volta das 6h, Francisco Cassiano Ribeiro, 45, e a companheira dele, Maria Luciete dos Santos Coelho, 47, por tráfico de drogas. A […]

(RSS generated with FetchRss)

Alunos da UEA ficam em terceiro lugar no SAE Brasil 2017

Ocupando a terceira posição no pódio da 19ª edição da competição SAE Brasil AeroDesign 2017, uma equipe de 15 alunos do curso de Engenharia de Controle e Automação da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) está trazendo para o norte o troféu da classe Advanced, depois de terem construído um avião não tripulado, controlado via […]

(RSS generated with FetchRss)

Inpa sedia Conferência sobre Processos Inovativos na Amazônia realizada pelo Arranjo AMOCI

O evento é aberto ao público mediante inscrição, que pode ser feita pelo link https://goo.gl/BDAzrJ. A entrada é gratuita e será entregue certificado de participação.

 

Da Ascom Inpa*

Banner: Sabrina Almeida – AMOCI

 

 

SiteBannerConferenciadeInovaçãoArteSabrnaAlameida

 

Compartilhar conhecimentos na gestão da propriedade intelectual, transferência de tecnologia e promoção em ações de empreendedorismo. Estes são um dos objetivos da 3ª Conferência sobre Processos Inovativos na Amazônia: interfaces entre ICT, empresários e investidores, que acontecerá nos dias 13 e 14 de novembro, no Auditório da Ciência, no Bosque da Ciência do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC). O evento é uma promoção do Arranjo do Núcleo de Inovação Tecnológica da Amazônia Ocidental (AMOCI/MCTIC).

 

Os Arranjos de Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT) foram criados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) a fim de “operar em forma de rede colaborativa, e otimizar e compartilhar recursos, disseminar boas práticas de gestão da inovação e de proteção à propriedade intelectual e transferência de tecnologia”.

 

O Arranjo AMOCI é sediado no Inpa e é composto por 23 Instituições Científicas e Tecnológicas (ICT) distribuídas no Amazonas, Acre, Roraima e Rondônia.

 

A Conferência é aberta ao público mediante inscrição, que poderá ser realizada por meio do link https://goo.gl/BDAzrJ. A entrada é gratuita e o público participante receberá certificado. Nos dois dias de atividades serão realizadas palestras, oficinas, mesas redondas e workshop, com temas relacionados à lei de acesso à biodiversidade, formação tecnológica, propriedade intelectual, estratégias de transferência de tecnologia e inovação.

 

Segundo a coordenadora do Arranjo AMOCI, Noélia Falcão, que também é coordenadora de Extensão Tecnológica e Inovação do Inpa, a ideia é que haja a capacitação sobre a cultura e a prática da propriedade intelectual, que aliados ao empreendedorismo são fundamentais para a geração da inovação. “O conhecimento da gestão de propriedade intelectual e dos NIT é fundamental para a disponibilização das tecnologias desenvolvidas nas ICTs para o mercado”.

 

A proposta é capacitar recursos humanos do ecossistema de inovação. “ICTs, estudantes de pós-graduação, empresas, empreendedores e investidores que tenham interesse pelos temas estão convidados a participar”, diz Falcão. Veja a Programação completa aqui.

 

As palestras e as oficinas ocorrerão em tempo integral, das 8h às 17h, no Auditório do Bosque da Ciência e na Casa de Vidro da Casa da Ciência, respectivamente.

 

Oficinas

 

Para as oficinas sobre Empreendedorismo Ribeirinho (dia 13, das 9h às 11h), Negócios de Impacto Social,(dia 13, das 14 às 16h), Economia Criativa e Inovação (dia 14, das 14h às 16h) e sobre Modelos de Negócio (dia 14, das 9h às 11h) serão disponibilizadas 25 vagas para cada uma e as inscrições podem ser realizadas nos links fornecidos acima. As oficinas serão ministradas pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), integrante do Arranjo AMOCI. Ao término, o público participante receberá certificado.

 

Workshop de Inovação

 

 

Na tarde do dia 14, último dia da Conferência, acontece o 3º Workshop de Inovação – ILMD/Fiocruz/Arranjo AMOCI/Incubadora de Empresas do Inpa com o tema “Inovação x Conexão e Inspiração”.

 

Realizado sobre esses três pilares, o workshop está programado para potencializar a Inovação sobre o contexto das startups e empresas da região, para Conectar oportunidades e para Inspirar pessoas. Essas são as propostas do 3º Workshop de Inovação, que será composto por três atividades distintas e conectadas pelos pilares condutores do workshop.

 

Start IP

 

Representando o Pilar Inovação, a primeira parte será oStart IP, um espaço dedicado para as startups caboclas mostrarem quem elas são, onde estão e o que podem oferecer. Será uma oportunidade para gerar insights, fazer networking e fechar negócios. Além das apresentações das empresas por meio de pitchs (apresentações rápidas, o evento contará com potenciais investidores, clientes e empresários dos setores que têm alguma afinidade com as áreas das empresas que estarão se apresentando.

 

CAFÉ de NEGÓCIOS

 

No Pilar Conexão, a segunda parte será um CAFÉ de NEGÓCIOS com o objetivo de conectar as pessoas, as organizações e os empreendedores e potencializando futuras parcerias. No espaço,  os potenciais empreendedores poderão se relacionar diretamente, conectando oportunidades, recebendo  feedback sobre seus negócios, além da possibilidade de ampliação do networking.  

 

Inspiração

 

Para finalizar, representando o Pilar Inspiração, o empreendedor e professor Salvio Rizzato irá ministrar a palestra “O papel do empreendedorismo no processo de Inovação”.

 

 

 

O objetivo da palestra é desmitificar o empreendedorismo, quebrando o paradigma que o coloca como uma profissão ou algo atrelado a um CNPJ, demonstrando a importância de se praticar o empreendedorismo para que a inovação se torne realidade.

*Com informções da Coeti

Sai o resultado da segunda etapa do processo seletivo para o mestrado PPGBIO-Interação

Divulgado o resultado da segunda etapa do processo seletivo Nº003/2017 do curso de mestrado do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biologia da Interação Patógeno Hospedeiro (PPGBIO-Interação), do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia). O resultado pode ser acessado em http://www.sigass.fiocruz.br/pub/inscricao.do?codP=127 Na mesma plataforma também está disponível a Republicação da Chamada Pública Nº 003/2017, com […]

Inpa leva alunos para aula prática na Reserva Florestal Adolpho Ducke

Para a pesquisadora do Inpa, vinculada à Coordenação de Biodiversidade e coordenadora da atividade, a ecóloga Flávia Costa, levar esses jovens para a Reserva Ducke é algo a ser comemorado, principalmente, por conta do pouco contato que eles têm com a floresta

 

Texto e foto Karen Canto – Ascom Inpa

 

O ensino de Ciências saiu das salas de aula e ultrapassou a barreira do aprendizado teórico. Foi o que aconteceu com alunos do ensino fundamental, durante uma excursão à Reserva Florestal Adolpho Ducke (Km 26 da AM-010, que liga Manaus a Itacoatira). A atividade fez parte da programação da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), que foi encerrada domingo (29).

 

Durante os sete dias de atividades da SNCT, o Instituto calcula que cerca de 15 mil visitantes participaram das atividades, que tiveram início na última segunda-feira (23).

Cerca de 17 alunos do 9º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Ana Motta Braga (Petrópolis, zona Sul de Manaus), tiveram a oportunidade de caminhar pelas trilhas da floresta para investigar de que maneira as plantas podem se mover e se defender. A Atividade aconteceu na última sexta-eira (27) dentro da rpgoramação da SNCT.

SitePesquisadoradoINpaFlaviaCostaAscomInpa

Para a pesquisadora do Inpa, vinculada à Coordenação de Biodiversidade e coordenadora da atividade, a ecóloga Flávia Costa, levar esses jovens para a Reserva Ducke é algo a ser comemorado, principalmente, por conta do pouco contato que eles têm com a floresta. “Essa é uma oportunidade que os alunos têm de ver a natureza de perto e, na prática, os conceitos que aprendem em sala de aula”, diz.  

 

Na opinião da pesquisadora, a SNCT proporcionou aos alunos aprenderem coisas novas, um pouco das pesquisas que o Inpa desenvolve e valorizar um pouco mais a natureza e a floresta. Costa pontua que com essa metodologia é perceptível de ver o interesse despertado nos rostos dos alunos. 

 

Atividades

SiteMonitoraFlaviaSantanainteragindocomosalunosnaReservaFotoKarenCanto

A visita à Reserva Florestal Adolpho Ducke proporcionou aos alunos a oportunidade de ver na floresta exemplos de como os animais interagem com as plantas, e como as plantas se defendem deles ou os atraem para que sejam ajudadas na polinização e dispersão.

 

Os alunos caminharam com os monitores por trilhas da floresta, procurando exemplos dos tipos de defesa e tipos de polinizaçãoe dispersão, além de fazerem pequenos experimentos para observar a dispersão por formigas.

Sitealinosatentam àsexpícaçõesdosmonitoresFotoKarenCatoAscomInpa

Na opinião de uma das monitoras, a doutora Flávia Santana, esse tipo de atividade aproxima mais a comunidade da academia de uma forma didática. ”Com a atividade prática, os alunos têm a oportunidade de vivenciar um pouco o que nós, pesquisadores, fazemos nas nossas vidas como profissão”, diz.

 

Na aula sobre reprodução das plantas, eles aprenderam que a dispersão das sementes está diretamente relacionada ao sucesso de estabelecimento destas, e que cada planta investe de uma forma diversa para atrair um animal diferente. A polinização das flores, que é o transporte de grãos de pólen de uma flor para outra, que pode ocorrer pelo auxílio de seres vivos (abelhas, borboletas, besouros, morcegos, aves, etc) ou por fatores ambientais (vento ou água) também fez parte da programação da aula matinal.

 

Os alunos viram que muitos dos animais que dispersam sementes e fazem polinização são insetos, e estes são muito importantes no processo de reprodução das plantas, já que são os mais abundantes animais no planeta Terra. 

 

 

Tratando-se das defesas naturais das plantas, os alunos viram que as plantas são alimento para a maioria dos animais e, uma vez que elas não podem “sair correndo”, acabam desenvolvendo formas de reduzir suas chances de serem comidas. As defesas podem ser químicas, físicas ou através de interações com insetos.

SiteEstudantesatnentosàexplicaçãodomonitorFotoKarenCantoAscomInpa

O ex-aluno de mestrado Carlos Villacorta mostrou como pelos, espinhos, fibras, látex e outros “truques” podem ajudar as plantas a se proteger dos predadores.

 

Para o estudante do ensino fundamental Rafael Adson, a parte mais interessante foi aprender sobre as defesas das plantas. “É engraçado saber que mesmo as plantas podem se defender e isso varia de acordo com o tipo da planta, do tamanho e do lugar onde elas estão”, observa o estudante ao acrescentar que a defesa com interações com os insetos foi o que ele achou mais interessante. “É como se as plantas fechassem uma parceira com insetos: eu te alimento e abrigo e em troca você me protege dos ataques de insetos mais ‘perigosos’. É divertido”, diz.