Centro de Estudos do ILMD promove palestra sobre flebotomíneos

Os insetos estão presentes em todos os ambientes, e algumas espécies não encontram barreiras nos espaços urbanos, pelo contrário, reproduzem-se facilmente nas cidades.  A palestra desta semana do Centro de Estudos do Instituto Maria e Leônidas Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), traz em seu título o questionamento “Os flebotomíneos estão se tornando sinantrópicos na Amazônia Central”?

O tema será abordado pelo pesquisador e professor Felipe Arley Pessoa, na sexta-feira, 24/3, às 9h, no Salão Canoas, na sede do ILMD/Fiocruz Amazônia, à rua Teresina, 476, Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Segundo Felipe Pessoa, devido ao longo processo de desmatamento e ocupação, particularmente no Nordeste e Sudeste do País, pesquisadores observaram um processo de urbanização ou sinantropização  dos flebotomíneos e, consequentemente, a transmissão de leishmanioses em áreas urbanizadas, particularmente em áreas socioeconômicas de baixa renda.

Ele alerta que na Região Amazônica, esse processo de sinantropização dos flebótomos, ainda vem sendo pouco acompanhado, no entanto, há alguns resultados que mostram que esse fenômeno pode estar avançando em áreas ocupadas por assentamentos rurais, próximas de Manaus.

Os flebótomos são insetos pequenos que habitam em praticamente todos os ecótopos brasileiros, algumas espécies são transmissoras de leishmanioses, doenças que antes eram associadas apenas a áreas florestadas e rurais.

SOBRE O PALESTRANTE

Felipe Arley Pessoa é biólogo, graduado pela Universidade Federal do Ceará, mestre e doutor em Ciências Biológicas (Entomologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), e pesquisador titular em Saúde Pública do ILMD/Fiocruz Amazônia. Atua em Parasitologia, com ênfase em entomologia médica (ecologia, epidemiologia, sistemática e filogenia).

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos ocorrem às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

 

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Marlúcia  Seixas

Foto: Arquivo ILMD/Fiocruz Amazônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *