Palestra no ILMD sensibiliza pós-graduandos sobre divulgação e popularização científica

Com o tema: “Divulgação científica e popularização da ciência: responsabilidade social”, estudantes de pós-graduação, iniciação científica, bolsistas, pesquisadores e servidores do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), discutiram na última sexta-feira, 23/6, sobre os principais cenários, dificuldades e oportunidades, alternativas de como pode ser feito o trabalho de divulgação científica e popularização da ciência, a partir das mídias existentes e do papel social que as instituições de pesquisa devem exercer.

O tema foi pauta do Centro de Estudos do Instituto, abordado pelas pesquisadoras, Maria Olívia Simão, professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e pela jornalista, Cristiane Barbosa, doutoranda em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa (UFP/Portugal).

Para Maria Olívia Simão, “a comunicação e a necessidade de socializar informações é hoje um desafio mundial. Na Europa, existe pesquisas e dados que mostram como a sociedade está enxergando a ciência nos diversos países”, destacou.

Cristiane Barbosa salientou a importância da discussão sobre divulgação científica no processo de formação dos estudantes. “Esse é um momento de formação, em que esses estudantes vão começar a interagir dentro dessa perspectiva da ciência e verificar que levar o conhecimento à sociedade é crucial dentro do processo de formação de um pesquisador. Essa oportunidade que a Fiocruz Amazônia traz para os seus mestrandos, bolsistas, alunos de iniciação científica é fantástica, pois a sensibilização desses futuros e presentes pesquisadores vai fomentar uma cultura de divulgação científica mais fortalecida daqui pra frente”.

O mestrando do Programa de Pós-graduação em Ciências do Ambiente Sustentabilidade na Amazônia (PPG-CASA), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Pedro Mariosa, relatou que a palestra o ajudou a entender melhor sobre o novo papel do pesquisador-divulgador. “O conhecimento adquirido aqui, me deixou um pouco mais seguro, pois eu tenho o hábito de produzir algumas coisas sobre as pesquisas que eu desenvolvo, e ainda tenho aquele medo de estar jogando fora a minha produção acadêmica, ou de ter que me preocupar também com essa aproximação com a sociedade, através desses meios. A palestra me deixou claro o meu papel enquanto pesquisador, e esse novo papel que eu tenho que desempenhar, que é o de divulgador científico”.

SOBRE AS PALESTRANTES

Maria Olívia Simão é doutora em Biologia de Água Doce e Pesca Interior, e mestre em Entomologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Foi Secretária Executiva Adjunta de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Amazonas, Diretora Técnico Científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas – FAPEAM e Diretora Presidente da FAPEAM.

Cristiane Barbosa é doutoranda em Ciências da Informação pela Universidade Fernando Pessoa (UFP/Portugal), Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). É graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo pela UFAM, especialista em Jornalismo Científico e Divulgação Científica em Saúde da Amazônia pelo (ILMD/Fiocruz Amazônia) e em Marketing Empresarial pela UFAM.

CENTRO DE ESTUDOS

O Centro de Estudos do ILMD/Fiocruz Amazônia é um núcleo que oportuniza encontros, palestras, seminários e debates sobre diversos temas ligados à pesquisa e ao ensino para a promoção da saúde.

Os eventos ocorrem às sextas-feiras e deles podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores e trabalhadores da área da Saúde. A entrada é franca.

ILMD/Fiocruz Amazônia, por Eduardo Gomes.

Inpa recebe Comenda do Mérito Amazônico da Sudam em reconhecimento à atuação na região

A condecoração foi recebida pelo chefe do Núcleo de Apoio à Pesquisa no Pará (Nappa), com sede Santarém, o Dr. Jorge Ivan Rebelo Porto, na última sexta-feira, em Belém        

Da Redação  - Ascom Inpa

Foto: Alex Ribeiro

Em reconhecimento à atuação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) na região, uma Comenda do Mérito Amazônico foi concedida ao Instituto pela Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam). A condecoração foi recebida pelo chefe do Núcleo de Apoio à Pesquisa no Pará (Nappa), com sede Santarém, o Dr. Jorge Ivan Rebelo Porto, na última sexta-feira, em Belém.      

A Comenda do Mérito Amazônico foi criada pela Resolução nº 42, de 19 de dezembro de 2014, e destina-se a agraciar pessoas físicas e jurídicas, públicas ou privadas, que tenham notáveis serviços prestados ao desenvolvimento da Amazônia Legal.  

SiteInparecebeComendadaSudamFotoAlexRibeiro

Para Porto, a Comenda se reveste de um “valor simbólico espetacular” levando-se em conta que está sendo oferecida por uma Superintendência da Amazônia com sede em Belém.  “O fato de Inpa possuir um escritório no Pará agregará mais valor às ações de pesquisa e desenvolvimento que o Instituto pretende imprimir no Oeste do Pará, ou seja, em Santarém e arredores, por intermédio de sua representação local, o Nappa”.

O chefe da representação do Inpa, em Santarém, explica que, apesar do Nappa ser um escritório de apoio à pesquisa com ações limitadas, tem buscado estabelecer parcerias com instituições locais em prol da melhoria da qualidade de vida da população e na conservação da biodiversidade.

Nesse sentido, Porto destaca algumas parcerias, a exemplo do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), com o qual o Inpa colabora no processo de gestão da Floresta Nacional do Tapajós (Flona Tapajós), além da cooperaçao técnica com a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), na área da biodiversidade e no campo da informática, no gerenciamento logístico e científico do Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA), em Santarém.

Porto também cita o apoio, recentemente, às ações da Fundação Nacional do Índio (Funai) em três aldeias indígenas Munduruku localizadas na Flona Tapajós. “Além disso, o Nappa está intermediando uma nova parceria com a Ufopa, na área de aquicultura, e com o Instituto Federal do Pará (IFPA), em Santarém, na área de Sistemas Agroflorestais e cultivo de açaí”, diz      



Todas as notícias em um só lugar