Seminário ‘Agroecologia e Soberania Alimentar’ celebra a Semana do Alimento Orgânico

O evento acontece na manhã desta sexta-feira, na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (Semed-DDPM)

 

Da Redação – Inpa

 

O Seminário de Alimentação Orgânica e a Agroecologia como promotoras da saúde, da Soberania e da Sustentabilidade que acontece nesta sexta-feira (17) busca dialogar com educadores, estudantes, consumidores e profissionais da Secretaria Municipal de Educação (Semed). O objetivo é construir novas parcerias e ampliar o aprendizado sobre a alimentação orgânica e de sistemas agroalimentares sustentáveis na rede pública de ensino.

 

Na programação constam mesas-redondas com diversos profissionais responsáveis pelo incentivo da Alimentação Orgânica e Agroecologia e para o controle do uso e consumo de agrotóxicos, sustentabilidade e transdisciplinaridade da Agroecologia e soberania alimentar no ensino libertário. De acordo com a pesquisadora do Inpa, Dionísia Nagahama, durante o seminário haverá também uma degustação de produtos da agricultura familiar e visita aos stands interativos presentes no evento.

 

O Seminário é uma iniciativa das Comissões da Produção Orgânica - Ministério da Agricultura (CPOrg/MAPA) e Rede Maniva de Agroecologia em prceria com o Instituo Nacional de Pesqusias da Amazônia (Inpa/MCTIC) e outros colaboradores institucionais e visa celebrar a Semana Nacional dos Alimentos Orgânicos.

 

A Semana Nacional do Alimento Orgânico que este ano tem como tema a “Produção orgânica e sociobiodiversidade Amazônica” teve início no último dia 9 e encerra nesta sexta-feira (17). No decorrer do evento, a equipe da pesquisadora Sônia Alfaia esteve envolvida em várias atividades, como a audiência pública para discutir a flexibilização do controle de agrotóxicos. No Brasil promovida pelo Fórum Amazonense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos.

Inpa recebe nesta sexta-feira Emerge Day Manaus – Ciência Empreendedora

A coordenadora de extensão do Inpa, a pesquisadora Rita Mesquita, será debatedora do painel “Ciência Empreendedora e o Desenvolvimento Sustentável na Amazônia”

 

 

Da Redação – Inpa*

 

Na tarde desta sexta-feira (17), acontece no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) o Emerge Day Manaus 2018, encontro que mobilizará a emergente comunidade de jovens cientistas empreendedores e inovadores no Amazonas. O encontro no Auditório da do Bosque da Ciência começa às 14h e segue até as 18h.

 

O Emerge Day é organizado pela Emerge, uma organização criada para apoiar cientistas empreendedores e negócios de base científica. De acordo com o coordenador da Emerge, Guilherme Rosso, o objetivo da ação em Manaus é gerar um ambiente de conexão entre a comunidade pró-ciência empreendedora, trazendo inspiração e conhecimento para mobilizar e públicos de interesse local, além de incentivar a tecnologia nacional.

 

A programação do evento contará com convidados especiais em painel sobre ciência empreendedora e Amazônia, piches selecionados de cientistas empreendedores e espaço de network. Um dos debatedores do painel “Ciência empreendedora e o Desenvolvimento Sustentável na Amazônia” é a coordenadora de Extensão do Inpa, a pesquisadora Rita Mesquita.

 

O Emerge Day já foi realizado em Curitiba, São Paulo e Belo Horizonte. O público-alvo é jovens universitários da graduação e pós-graduação, professores, empresas e investidores. Em Manaus, o palestrante será o diretor geral do Museu da Amazônia, Ennio Candotti.

 

Programação

14h: Recepção & networking

14h30: Abertura

14h45: Painel Emerge Day Manaus (3 convidados + mediador)

Tema: Ciência Empreendedora e o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia

15h45: Pitches de jovens inovadores

16h30: Prof. Ennio Candotti (Keynote Speaker)

17h15: Manifesto e Call to action

17h30: Coffee break & Networking

18h: Encerramento

Bate-papo com personalidades do esporte estimula comunidade a praticar atividades físicas

Pessoas de diversas áreas e setores do Instituto puderem acompanhar o bate-bato e ter orientação para uma vida mais saudável

 

Por Letícia Misna (texto e foto)– Inpa

 

Como parte da programação da IV Semana de Qualidade de Vida, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) promoveu um bate-papo com personalidades do esporte. O objetivo é estimular a comunidade a praticar atividades físicas regulares, aliadas a outros hábitos saudáveis.

 

Com tema Esporte e Lazer no Trabalho, a Semana seguirá com diversas atividades até o próximo sábado (18), quando acontecerá a final do Torneio de Futebol, na sede da Associação dos Servidores do Inpa (Assinpa). Na tarde desta quinta-feira, no salão da biblioteca, serão realizados torneios de sinuca e tênis de mesa, massagem relaxante e quiropraxia. Na sede da Assinpa terá início o torneio de futebol.

 

Participaram do bate-papo, na última terça-feira (14), o jornalista e locutor esportivo Eduardo Monteiro de Paula, conhecido como Dudu; o responsável pelo programa Manaus + Saudável, Marcelo Agra Belota; e o educador físico e consultor esportivo da empresa de corrida de rua Endurance Sports, Erivelton Almeida.

 

De acordo com Erivelton Almeida, a prática da atividade física é essencial para qualquer ação que se pretende desenvolver. Ela melhora o desenvolvimento físico e aprimora o intelecto de quem a realiza. “A atividade proporciona uma melhora no desenvolvimento cardiorrespiratório, o que consequentemente melhora a circulação sanguínea, pela qual é transportado todoo oxigênio que o corpo precisa para ter uma maior eficácia no funcionamento dos órgãos, que, além de muitos outros benefícios, gera um sono mais tranquilo e uma atividade mental otimizada”, explicou. 

 

Para quem está interessado em começar uma vida de exercícios regulares, a dica fundamental dos palestrantes é primeiramente procurar um médico ou um especialista na área da educação física.“É importante acima de tudo de que você tenha conhecimento de como está a sua saúde, fazendo um check up, para que você tenha certeza de que você está bem. Tem muita gente que tem arritmia cardíaca, por exemplo, e não sabe, e em vez de fazer bem a atividade pode acabar causando um mal”, destacou Erivelton.

 

Outras dicas que os palestrantes deram foram usar roupas leves, em função do clima manauara; começar a atividade com caminhada, que é uma atividade barata e só precisa de um tênis; em seguida fazer o que você gosta, seja corrida, luta, dança, o importante é não desistir na primeira atividade e procurar até encontrar uma em que se encaixe. “Mais uma dica essencial é procurar um parceiro, um amigo, um companheiro de atividade para te estimular. O importante é sempre se movimentar”, orienta Belota.

 

A Semana de Qualidade de Vida é promovida pela Comissão do Programa de Qualidade de Vida do Inpa e conta com o apoio da Fipecq Vida e Assinpa. A finalidade é objetivo é promover ações de bem-estar que estimulem a comunidade do Inpa a exercer hábitos saudáveis para obter uma melhor qualidade de vida.

Inpa recebe nesta quarta-feira workshop do programa Globe-Nasa para ciência e educação

Iniciativa de ciência cidadã, o programa Globe envolve estudos científicos que contribuem de maneira significativa para a compreensão do meio ambiente em escalas locais, regionais e globais

Da Redação *

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) recebe nesta quarta-feira (15) a 9ª edição do programa Globe-Nasa no Brasil, promovido pela Agência Espacial Brasileira (AEB), autarquia vinculada ao MCTIC. A atividade capacitará os participantes para desenvolver estudos e descobertas científicas que ajudam a compreender a complexidade dos ecossistemas e do meio ambiente da Terra.

Podem participar professores, pesquisadores, líderes comunitários e profissionais da área de saúde. O Workshop que acontece pela primeira vez na região Norte do Brasil acontecerá das 8h30 às 12h e das 14h às 17h, no Auditório da biblioteca do Inpa, com entrada pela Rua Bem-te-vi, 2936, Petrópolis, zona Sul de Manaus. O workshop é gratuito e os interessados podem se inscrever clicando aqui. As vagas são limitadas.

As atividades envolvem os protocolos da larva do Aedes Aegypti, mosquito transmissor de doenças como a dengue, zika e chikungunya, e de componentes do sistema terrestre com dados da atmosfera, como precipitação líquida, temperatura do ar e umidade relativa.

O Globe é um programa de ciência e educação que chegou ao Brasil em 2016, após uma parceria entre a AEB e a Agência Espacial Americana (Nasa). O Programa envolve a participação de estudantes, professores, cientistas e cidadãos em estudos científicos que contribuem de maneira significativa para a compreensão do meio ambiente em escalas locais, regionais e globais. A iniciativa da Nasa é realizada em cerca de 120 países (www.globe.gov).

A organização solicita aos participantes levar celular para baixar o aplicativo do programa e garrafa pet de 2 litros vazia.

Compartilhamento de dados

Estudantes e professores de escolas de todo o mundo realizam diariamente medições científicas do meio ambiente. Eles submetem seus dados em um banco de dados do Globe via internet para que outros participantes possam acessar dados em forma de mapas, gráficos e tabela para análises avançadas que requeiram informações de fontes variadas.

A disponibilização dos dados na plataforma online tem o objetivo de fornecer informações para que cientistas participem da rede científica internacional do Globe e possam utilizar os dados em pesquisa, além de facilitar o aprendizado de estudantes sobre programa de observação da Terra contribuindo e utilizando medições de outras escolas em estudos ambientais.

 

*Com informações da AEB

Workshop discute dimensões científicas, sociais e econômicas do desenvolvimento da Amazônia

Entre os palestrantes estão os pesquisadores do Inpa Paulo Maurício Alencastro Graça e Maria Teresa Fernandes Piedade

 

Da Redação - Inpa

 

Nesta quinta-feira (16), acontece no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) o Workshop “As dimensões científicas, sociais e econômicas do desenvolvimento da Amazônia”, das 8h30 às 17h, no Auditório do Bosque da Ciência. O evento é organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Inpa e Wilson Center.

 

Conforme os organizadores, o objetivo do workshop é divulgar os resultados de pesquisas da Fapesp sobre o bioma Amazônico, e discutir de modo interdisciplinar os fatores científicos, sociais e econômicos do desenvolvimento da Amazônia. Serão abordados aspectos climáticos sobre o funcionamento ecológico, biodiversidade e as concepções socioeconômicas associadas ao atual projeto de desenvolvimento amazônico.

 

A sessão de abertura será às 9h, seguida da saudação do ambientalista e biólogo norte-americano Thomas Lovejoy, via vídeo. Lovejoy é patrono do Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais (PDBFF/Inpa). À frente do evento está o pesquisador da Universidade de São Paulo (USP), Paulo Artaxo, que fará uma palestra sobre Interações entre o funcionamento da floresta amazônica e o clima. Artaxo também é gerente do Comitê Científico do Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA/Inpa/MCTIC).

 

bannerfapesp01 

Entre os dez palestrantes estão dois pesquisadores do Inpa. Um deles é o coordenador de Pesquisas do Inpa, o pesquisador Paulo Maurício Alencastro Graça, que falará sobre a contribuição das pesquisas científicas do Inpa ao desenvolvimento regional. “Não é possível termos um desenvolvimento regional sustentável sem uma base científica sólida, com o risco de cometermos erros do passado, de uma economia baseada em atividades que levam à degradação e supressão da floresta, colocando em risco o bioma amazônico", afirmou.

 

Outra palestrante do Inpa é a pesquisadora Maria Teresa Fernandez Piedade, que abordará alguns dos conceitos e a origem da discussão mundial e nacional sobre biodiversidade e sustentabilidade. “Para ilustrar essas questões complexas, em um segundo momento serão apresentados exemplos da biodiversidade amazônica, suas principais ameaças, vetores que propulsionam essas ameaças e, consequentemente, colocam em risco sua sustentabilidade”, adiantou Piedade, que também coordenadora do projeto Pesquisa Ecológica de Longa Duração – Ecologia, Monitoramento e Uso Sustentável de Áreas úmidas (Peld/Maua).

 

No evento também serão debatidas iniciativas empresariais e de organizações não-governamentais de pesquisas e seus papeis no desenvolvimento sustentável na Amazônia. A entrada no workshop é gratuita. Mais informações, como a programação do evento, podem ser obtidas pelo endereço http://www.fapesp.br/eventos/amazon-workshop/

 

SERVIÇO

Workshop: As dimensões científicas, sociais e econômicas do desenvolvimento da Amazônia

Data: 16/08 (quinta-feira)

Hora: 8h30 – 17h

Local: Bosque da Ciência - Rua Bem-te-vi, s/nº, Petrópolis, Manaus.

Inpa inscreve até 31 de agosto para doutorado em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva

O Processo Seletivo disponibilizará quatro vagas para as áreas, os candidatos aprovados darão entrada em outubro

 

Da Redação – Inpa

 

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) está com inscrições abertas para Doutorado em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (GCBEV/Inpa). Ao todo, o Edital 10/2018 do PPG-GCBEv oferece quatro vagas com ingresso dos aprovados em outubro deste ano.

 

As inscrições poderão ser feitas até o dia 31 de agosto de 2018 e os candidatos aprovados concorrerão a bolsas a serem implementadas ainda em outubro, de acordo com ordem classificatória. A taxa de inscrição é de R$ 100,00 e deverá ser paga por meio de depósito bancário. Outras informações constam no edital disponível no site do Inpa http://portal.inpa.gov.br ,na página da Pós-Graduação, aba “Editais e Documentos".

 

A seleção será composta por duas etapas, sendo uma de avaliação do projeto de pesquisa e outra de análise curricular. O projeto do candidato será avaliado por três pesquisadores doutores selecionados pelo Conselho do PPG-GCBEv.

 

O Instituto possui outros programas de pós-graduação, em níveis de mestrado e doutorado.  O curso de Doutorado em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva do INPA é reconhecido pela Capes/MEC e atualmente é classificado com nota 4 e homologado pelo Conselho Nacional de Educação.

 

Mestrado

 

A Pós-Graduação do Inpa continua com as inscrições abertas para a seleção de sete cursos de Mestrado, que somam 104 vagas. De 03 a 28 de setembro, os candidatos também poderão inscrever-se na seleção do Programa de Pós-Graduação de Genética, Conservação e Biologia Evolutiva (PPG-GCBEv), quando serão oferecidas mais 12 vagas, totalizando 116 oportunidades. Todas as inscrições encerram no dia 28 de setembro.

 

Os editais podem ser acessados na página da Pós-Graduação do Inpa, clicando no item “Editais e Documentos”: http://portal.inpa.gov.br/index.php/pos-graduacao/regulamentos-e-documentos

 

 

Coordenação de Extensão Tecnológica e Inovação participa de Congresso Internacional

Evento acontece em Maceió até o próximo sábado (18)

Da Redação – Inpa*

Nesta quarta-feira (15), a coordenadora de Extensão Tecnológica e Inovação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Noélia Falcão, participará da Oficina Mão na Massa sobre “Panorama Atual de CT&I e o papel da PI&TT”, no VIII Congresso Internacional do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação (ProspeCT&I).

Nomes conhecidos no cenário nacional e internacional da Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia participarão do VIII ProspeCT&I, que teve início na última segunda-feira (13) e segue até sábado (18), em Maceió (AL).

Falcão vai falar sobre direitos de propriedade intelectual, suas modalidades e áreas de proteção, e as atividades e ações realizadas pela Coeti dentro da propriedade industrial: número de ativos protegidos e seus tipos; transferência de tecnologia: categorias de transferência, tecnologias em processo de licenciamento e um caso de sucesso; além do trabalho realizado na Incubadora Inpa: processo de incubação, tipos de incubação, empresas incubadas.

Segundo Falcão, a proteção por direitos de propriedade industrial (patentes) é importante para resguardar os direitos do titular da patente e do inventor. Atualmente, o trabalho realizado na Coeti inclui uma análise prévia dos critérios de patenteabilidade aliada ao potencial mercadológico que a tecnologia oferece, se ela será absorvida pelo mercado. “Aí sim estaremos gerando inovação, pois patente significa negócios e se não tem negócios, não tem patente,” afirma a coordenadora.

Mais informações sobre o evento no link: http://www.profnit.org.br/pt/datas/

 

* Com informações da Coeti

Ecocaminhada marca início da IV Semana de Qualidade de Vida do Inpa

Nesta terça-feira (14) a programação segue com o Bate-Papo com Personalidades do Esporte, às 14h, no Auditório do Bosque Ciência

 

Da Redação – Inpa

Fotos – Comissão do Programa de Qualidade de Vida

 

EcoCaminhada pelas alamedas do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) reuniu cerca de 200 participantes, na manhã do último sábado (11), e contou com a presença da equipe do projeto “Mexa-se”, da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). A atividade marcou o início da IV Semana de Qualidade de Vida do Inpa, que segue até o dia 18.

 

EcoCaminha2018FotoPQVINPA10

 

Nesta terça-feira (14) a programação segue com o Bate-Papo com Personalidades do Esporte, às 14h, no Auditório do Bosque Ciência. Foram convidados o jornalista e locutor esportivo Eduardo Monteiro de Paula, o Dudu, como é conhecido; o precursor do programa “Manaus + Saudável” Marcelo Agra Belota; e o educador físico e consultor esportivo da empresa de corrida de rua Endurance Sports, Erivelton Almeida.

 

A Semana é promovida pela Comissão do Programa de Qualidade de Vida do Inpa e conta com o apoio da Fipecq Vida e da Associação dos Servidores do Inpa (Assinpa). O objetivo é promover ações de bem-estar que estimulem a comunidade do Inpa a exercer hábitos saudáveis para obter uma melhor qualidade de vida.

 

Animados pela equipe do Mexa-se, servidores, colaboradores, estudantes e familiares participaram de uma aula de ritmos. Ao fim da caminhada, os participaram contaram com um lanche à base de frutas e sucos naturais. Houve, ainda, a entrega de medalhas e apresentação da tabela dos torneios que acontecerão nos dias 15 e 16, no Salão da Biblioteca.

 

EcoCaminha2018FotoPQVINPA5

 

De acordo com a Comissão do Programa de Qualidade de Vida, a EcoCaminhada contou ainda com o suporte da equipe médica da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), além da arrecadação de 127 quilos de alimentos não perecíveis e brinquedos que serão doados a ribeirinhos da comunidade de Jatuarana no rio Mutuca, em apoio ao projeto solidário do apresentador do Programa Pesca na Veia, André Martins.

 

A arrecadação de alimentos e brinquedos continua durante a semana. Os interessados podem fazer as doações nos locais durante o horário das atividades do evento.

 

EcoCaminha2018FotoPQVINPA2 

Inpa lança cinco obras sobre Agricultura Sustentável e transformação social

Produzidas pela Editora Inpa, as obras são resultado do projeto Implantação de Unidades Demonstrativas Agroflorestais na Amazonônia (IUDAA), financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). No evento, houve sorteio de dez kits com as obras

 

Por Ingrydd Ramos – Inpa

Fotos: Ingrydd Ramos e Rosalee Coelho (Acervo da pesquisadora)

 

Cinco publicações foram lançadas pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), no Auditório da Ciência, localizado no Bosque da Ciência, na última quinta-feira (9). As obras são focadas em pesquisas sobre produção de alimentos, sustentabilidade e tecnologias sociais que buscam melhorar a qualidade de vida dos povos da região.

 

As publicações são compostas pelo livro Ciência e Tecnologia Aplicada aos Agrossistemas da Amazônia Central e as cartilhas Hortaliças Não-Convencionais: Como Cultivar, Tecnologias para a Inclusão Social – Experiências Contemporâneas do Inpa em Extensão com Foco nas Tecnologias Sociais, Cartilha para Produtores Rurais - Compostagem e a Cartilha para Produtores Rurais - Princípios Agroecológicos para o Manejo Ecológico do Solo e a Saúde das Áreas Produtivas.

 

O conjunto das obras envolve atividades de pesquisa e extensão para a agricultura familiar e traz informações sobre a produção de alimentos ambiental e socialmente sustentável. Produzidas pela Editora Inpa, as obras são resultado do projeto Implantação de Unidades Demonstrativas Agroflorestais na Amazônia (IUDAA), financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

“O material contém uma síntese de iniciativas desenvolvidas pelo Inpa com o objetivo de atender necessidades concretas das comunidades”, disse a coordenadora de tecnologia social do Inpa e do projeto IUDAA, Denise Gutierrez.

 

Foram impressos 1.500 exemplares de cada obra que serão distribuídas em capacitações, exceto o livro que será distribuído pelos próprios pesquisadores. Até o fim de outubro próximo as obras, em formato digital, também estarão disponíveis no site do Inpa, no endereço http://portal.inpa.gov.br .

 

Publicações

 

A cartilha Tecnologias para a Inclusão Social apresenta atividades de pesquisa que se desdobram em ações que envolvem a transformação social, a sustentabilidade socioambiental e econômica, a inovação e a acessibilidade e apropriação de tecnologias. Organizada por Denise Gutierrez e Fernanda Morais, a cartilha dispõe, ao fim de cada tecnologia apresentada, links para obtenção de mais informações.

 

No Inpa, há 27 tecnologias sociais registradas na coordenação de mesmo nome. Na cartilha, são apresentadas, por exemplo, criação de peixes em canais de igarapé, plantios agroflorestais, farinhas à base de açaí e buriti, fungos amigos - vinagres e cervejas artesanais, educação ambiental - insetos aquáticos, moradias ecológicas sustentáveis, Palmhaste: ferramenta para coleta de frutos de palmeiras e solução cravo-da-índia no controle do mosquito da dengue.

 

A obra Hortaliças não-convencionaiscomo cultivar traz informações sobre o cultivo de algumas hortaliças rústicas, tropicais, algumas vezes pouco valorizadas, mas muito nutritivas e saborosas e que se adaptam bem as condições ambientais amazônicas. Essas hortaliças, que incluem espécies como vinagreira, cubiu, feijão-de-asa, araruta, ariá e feijão-macuco podem enriquecer a agricultura familiar e se tornar um complemento nutritivo para a dieta familiar, segundo os autores Rosalee Coelho Netto, Thelma Pontes e Danilo Fernandes da Silva Filho.

 

Dividida em hortaliças produtoras de folhas e flores, produtoras de frutos e produtoras de raízes tuberosas, tubérculos e rizomas, a cartilha traz ainda informações sobre materiais adequados para plantio, espaçamento, cuidados com as plantas e períodos de colheita. “É uma cartilha muito prática. Eu acredito que será útil aos agricultores que irão utilizá-la”, disse a pesquisadora Rosalee Coelho Netto.

 

As Cartilhas para Produtores Rurais Compostagem e Princípios Agroecológicos para o Manejo Ecológico do Solo e a Saúde das Áreas Produtivas trazem princípios e noções práticas da compostagem e de agroecologia. “É uma satisfação apresentar essas cartilhas, planejadas também pensando nos acadêmicos como um incentivo para a continuação do trabalho”, disse a professora da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) Katell Uguen.

 

São organizadores das duas cartilhas Sonia Alfaia, Marta Ayres, Reinaldo José Puente, José Guedes Fernandes Neto e Katell Uguen. De acordo com a pesquisadora do Inpa Sonia Alfaia, as cartilhas de compostageme de princípios agroecológicos foram elaboradas como material didático para oficinas de Capacitação em Agricultura Orgânica para Produtores Familiares.

 

“De 2016 até 2018, foram capacitados aproximadamente 2 mil agricultores familiares entre assentados da reforma agrária, ribeirinhos e indígenas”, disse a pesquisadora Sônia Alfaia.

 

O livro Ciência e Tecnologia Aplicada aos Agroecossistemas da Amazônia Central está voltado à agricultura familiar, setor extremamente importante para o desenvolvimento de uma agricultura amazônica que se estrutura sobre três pilares: segurança alimentar, bem estar da sociedade humana e conservação dos recursos ambientais. A informação é do pesquisador Hiroshi Noda, em apresentação da obra.

 

A publicação é dividida em 24 capítulos e tem como editores como Luiz Augusto Gomes de Souza, Danilo Fernandes Silva Filho, César Augusto Ticona Bevanente e Hiroshi Noda.

Roda de Conversa do Inpa debate assédio na pesquisa na próxima quarta-feira

A discussão tem o caráter educativo e informativo, buscando abrir um espaço para tratar a temática em evidência na sociedade. O encontro é aberto ao público

 

Da Redação – Ascom Inpa

Banner: Lailla Pontes

 

Assédio na Pesquisa: venha descobrir como identificar e o que fazer. Este é o tema da Roda de Conversa do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) que acontece na próxima quarta-feira (15), às 16h, no hall do auditório do Bosque da Ciência. O objetivo é discutir conceitos, avaliar como mudanças de valores da sociedade impactam nas relações de trabalho, buscando um ambiente laboral mais saudável de atuação para todos.

 

De acordo com a coordenadora do evento e titular da coordenação de extensão do Inpa, a pesquisadora Rita Mesquita, as relações na sociedade mudaram muito, principalmente em anos recentes quando se tem visto importantes conquistas de grupos minoritários diante de traços das culturas que precisam ser ajustados. Um deles, segundo a coordenadora, diz respeito às interações entre profissionais e colegas de trabalho nos ambientes de trabalho.

 

RodaDeConversaAgostoINPA

 

“No caso do Inpa, o nosso ambiente de trabalho gira em torno da pesquisa, por isso entendemos ser apropriado trazer uma discussão que tem o caráter puramente educativo e informativo, abrindo um espaço onde possa tratar essa temática em evidência em tantos momentos na sociedade”.

 

Para o debate foram convidados profissionais que lidam na sua rotina com a temática do debate: Amanda Gabriella Oliveira Tundis, do Laboratório de Psicodinâmica do Trabalho da Faculdade de Psicologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), e o Dr. José Vicente Pereira Carneiro, da Defensoria Pública da União.

 

Também serão debatedores desta edição profissionais que no Inpa são responsáveis por acompanhar essas questões, entre eles a presidente do Comissão de Ética Profissional do Inpa, Zenaide Figueiredo, e a coordenadora de Gestão de Pessoas, Caroline Maia. Outro canal que o Inpa possui para receber denúncias é a Ouvidoria.

 

Mesquita lembra que é importante que a pessoa que se sinta na condição de vítima de assédio busque os canais institucionais formais de denúncia. “Não é possível esperar que a instituição se manifeste com base no ‘ouvi dizer’, nas redes sociais ou em notícias na mídia, porque os canais institucionais estão todos em operação”, orienta Mesquita.

Todas as notícias em um só lugar